Substrato e Superestrato

March 26, 2018 | Author: Cecilia Pereira | Category: Latin, Iberian Peninsula, Spanish Language, Natural Language, Europe


Comments



Description

Definição de substrato• Nome que se dá à língua de um povo que é abandonada em proveito de outra que a ela se impõe, geralmente como conseqüência de uma conquista política. (CÂMARA JR.) • Toda influência que a língua desaparecida imprime no idioma sobrevivente. (CARDOSO e CUNHA) • língua nativa desaparecida de um povo dominado, que adotou a língua do dominador Para se conhecer as línguas que influenciaram o latim em sua diferenciação, recorre-se a vária fontes: • Inscrições epigráficas e pictóricas, que apareciam em língua nativa com suas escritas particulares, em latim ou em grego. • Topônimos, antropônimos e vocábulos diversos conservados nas diferentes línguas românicas. • Vestígios arqueológicos, que indicam a presença de uma determinada comunidade e suas características sociais. • Notícias históricas aparecidas em textos antigos, especialmente de autores gregos e latinos, e também em textos bíblicos. Esses textos devem ser usados com prudência. • Línguas atuais (não românicas), que podem ser relacionadas a certos fenômenos não latinos, presentes nas línguas românicas. • Hipótese de um substrato: “surge quando um determinado fenômeno linguístico ocupa uma área semelhante à que era ocupada por uma comunidade linguística anterior à romanização. A consolidação da hipótese é dada pela determinação da área inicial do fenômeno, no caso de esta corresponder ao território do povo a que o substrato é atribuído” (CASTRO) • Exemplo de mudança no castelhano cuja gênese tem sido atribuída a influência de substrato: Perda do /f/ inicial latino Farina > harina, filiu > hijo • O castelhano é a única língua românica em que o fenômeno se verifica. • O fenômeno ocorre em quase todas as palavras iniciadas por /f/ • Substrato ibérico? Não. Sabe-se, com exatidão, que os iberos estiveram na região catalã e lá o /f/ se manteve. • Substrato basco? Certamente. No basco, a fricatividade não é distintiva. Não há /f/ ou /v/. • O substrato da península itálica foi o das línguas itálicas, faladas pelas populações que lá habitavam – osco, umbro e sabélico. -nd- > -nn-, -mb- > mm • O substrato do mediterrâneo ocidental foi o de línguas faladas pelos não romanos que estava ali: lígures, iberos, sardos, entre outros. Definição de superestrato • Nome que se dá à língua de um povo conquistador, que a abandona para adotar a língua do povo vencido. (CÂMARA JR.) • a influência de outras línguas sobre a primitiva, que todavia se mantém. (CARDOSO e CUNHA) • língua nativa de um povo dominador desaparecida, em virtude de este povo ter adotado a língua do povo dominado • Os superestratos mais importantes para as línguas românicas foram os “bárbaros” (germanos no ocidente e eslavos no oriente da România) no período da queda do Império Romano, e os árabes, que invadiram o norte da África, a Ibéria e parte da Sicília. • A presença dos visigodos na Ibéria exerceu influência no léxico - Antropônimos – Álvaro, Fernando, Afonso, Rodrigo, Gonçalo - Nomes comuns – gans>ganso, fat>fato, roupa>roupa • Superestrato árabe - álcool, álgebra, alcaide Definição adstrato • Toda língua que vigora ao lado de outra (bilingüismo), num território dado, e que nela interfere como manancial permanente de empréstimos. (CÂMARA JR.) • Língua que conviveu ou convive em pé de igualdade com a língua local. (MARTINET) • Vário fatores influenciaram para a diferenciação do latim vulgar, o que fez com que, aos poucos, surgissem os romances nas diferentes regiões, dando origem às diversas línguas românicas atualmente faladas. Defina: • Substrato • Superestrato • Adstrado As línguas românicas • • • • • • • • • • Romeno - Jádilla Dalmático – Laisse ok Italiano – Taise ok Rético – Jamara e Luana ok Sardo – Ana ok Francês – Silvana ok Provençal – Maidiane ok Franco-provençal – Sâmara ok Catalão – Francis ok Espanhol – Letícia ok
Copyright © 2021 DOKUMEN.SITE Inc.