Procedimento de Comparação Interlaboratorial CT-9 - rev.5

March 29, 2018 | Author: Pedro Gandhi | Category: Metrology, Calibration, Celsius, Scientific Observation, Observation


Comments



Description

PÁGINA: 1 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL1 - INTRODUÇÃO: Os programas de comparação interlaboratorial são elementos necessários e indispensáveis, utilizados pela Rede Brasileira de Calibração para avaliar e monitorar a confiabilidade metrológica dos laboratórios por ela acreditados, assim como daqueles em processo de acreditação. Este trabalho servirá também para municiar a coordenação da CGCRE com a documentação técnica necessária para obtenção de mútuos conhecimentos internacionais com outras Redes de Calibração. Com o resultado deste programa de COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL têm-se a possibilidade do intercâmbio de conhecimentos técnicos entre os Laboratórios participantes. 2 – OBJETIVO: Este documento estabelece os requisitos e orientações para a realização de um programa de comparação interlaboratorial na área de metrologia pressão dos Laboratórios Acreditados, de acordo com os critérios estabelecidos no NIT-DICLA-026. 3 – GENERALIDADES: O presente documento foi elaborado pelos laboratórios participantes da comissão da CT-9 (Pressão) da RBC. 4 – PROCEDIMENTOS: 4.1 – Escolha do padrão Itinerante: O padrão itinerante foi escolhido durante as reuniões da comissão técnica de metrologia pressão – CT-9, com a participação de representantes do LAPRE e da CGCRE. 001 bar Deverão ser realizados em dois ciclos com 11 pontos nominais ( 0. 6. 12.LABORATÓRIOS PARTICIPANTES 4. 10. 90.1. 210. . 18 e 20) bar. 16. .2. 4. 2.10 % Faixa: 0 a 20 bar Valor de uma divisão: 0.1 .Laboratórios Acreditados e Postulantes a Acreditação que responderem a carta convite no prazo estipulado.1 – Manômetro Digital (Estado de São Paulo): Quantidade: 01 Exatidão: 0.1 – Para o manômetro digital será adotada a circulação por transportadora ou transporte próprio da empresa.PÁGINA: 2 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 4. 270 e 300) psi. 8. 30.Após o aceite o laboratório receberá um código elaborado pela Dicla para sua participação no programa.Os laboratórios que receberem a carta convite e não responderem ou responderem negativamente deverão apresentar justificativa a CGCRE. 14. 4. 150.3.5 % Faixa: 0 a 300 psi Valor de uma divisão: 0.1.2 – Manômetro Digital (Fora do estado de São Paulo): Quantidade: 01 Exatidão: 0. 180.3.Participam deste Programa de COMPARAÇÃO INTERABORATORIAL: . 4. 60.2 . quando o padrão estiver no laboratório de referência o laboratório subseqüente na relação de participantes conforme Anexo 2 deverá arcar com os custos de retirada e envio do padrão itinerante. 4.3 – TIPO DE CIRCULAÇÃO DO PADRÃO ITINERANTE: 4. 120. 240. 4.1 psi Deverão ser realizados em dois ciclos com 11 pontos nominais ( 0.2 – A cada 5 (cinco) participantes o padrão itinerante deverá voltar ao laboratório de referência. . não será permitido nenhum tipo de ajuste. 12. Observação: O padrão só deverá ser zerado (regulado) antes da calibração. 240.1 – Todos os equipamentos e padrões de referências utilizados pelos Laboratórios participantes na Comparação Interlaboratorial devem estar rastreados a padrões nacionais. Antes e após a calibração o padrão deverá ser descontaminado com produto específico. 270 e 300) psi.PÁGINA: 3 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 5 – MÉTODO DE MEDIÇÃO: 5. A incerteza de medição deverá ser expressa para um nível de confiança de 95 % (k = 2).Manômetro Digital (Fora do Estado de São Paulo): Deverão ser realizados em dois ciclos com 11 pontos nominais (0. . 5. 120.1 . internacionais reconhecidos pela CGCRE.2 . Observação: O padrão só deverá ser zerado (regulado) antes da calibração. 10. 14. Antes e após a calibração o padrão deverá ser descontaminado com produto específico. 30.2. 60. 90. 180.2. 2. 6. 4.2 – Manômetro Digital (Manômetro x Balança de Pressão): Medição: da Indicação do digital Posicionamento: Vertical As medições deverão ser realizadas na faixa de temperatura de 20 ºC com desvio de ± 2 ºC. não será permitido nenhum tipo de ajuste. 16.Manômetro Digital (Estado de São Paulo): Deverão ser realizados em dois ciclos com 11 pontos nominais ( 0. 8. 150. 210. 18 e 20) bar. 5. 5. 6. 10. 30.Manômetro Digital (Fora do Estado de São Paulo): Deverão ser realizados em dois ciclos com 11 pontos nominais (0. 270 e 300) psi. 14. Observação: O padrão só deverá ser zerado (regulado) antes da calibração. 16. 5. 150. .Manômetro Digital (Estado de São Paulo): Deverão ser realizados em dois ciclos com 11 pontos nominais ( 0. 12. Antes e após a calibração o padrão deverá ser descontaminado com produto específico. 4. não será permitido nenhum tipo de ajuste. não será permitido nenhum tipo de ajuste. 2.3. 240. Observação: O padrão só deverá ser zerado (regulado) antes da calibração. 210. 60.1 . Antes e após a calibração o padrão deverá ser descontaminado com produto específico.3 – Manômetro Digital (Manômetro x Manômetro): Método: Manômetro x Manômetro Medição: da Indicação do digital Posicionamento: Vertical As medições deverão ser realizadas na faixa de temperatura de 20 ºC com desvio de ± 2 ºC.3. A incerteza de medição deverá ser expressa para um nível de confiança de 95 % (k = 2). 18 e 20) bar. 180. 90. 8.2 .PÁGINA: 4 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 5. 5. 120. incerteza do padrão e curva de calibração do padrão).4. 5. Observação: Devera ser apresentada a incerteza expandida pontual na unidade do instrumento. repetição. 6 – TEMPO DE PERMANÊNCIA DO PADRÃO ITINERANTE NO LABORATÓRIO 6. repetição.2 – Os resultados deverão ser apresentados conforme uma das tabelas abaixo: Valor Nominal Valor Referência Valor Indicado Crescente Decrescente 1º ciclo 2º ciclo 1º ciclo 2º ciclo 1º ciclo Valor Nominal Crescente Valor de Valor referência Indicado Decrescente Valor de Valor referência Indicado 2º ciclo Crescente Decrescente Valor de Valor Valor de Valor referência Indicado referência Indicado 5.4.PÁGINA: 5 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 5. 5.1.4 – Apresentação dos Resultados: 5.1 – As apresentações dos resultados deverão atender os requisitos da norma ABNT NBR ISO/IEC-17025:2005.3.1 – Fontes de incertezas (resolução do instrumento sob calibração. incerteza do padrão).4.4.3 – Apresentação da Incerteza de Medição: 5.2.4.3.1 – Todo o padrão itinerante será movimentado individualmente entre cada Laboratório .2 – Manômetro Digital (Manômetro x Manômetro): 5.4.3.1 – Manômetro Digital (Manômetro x Balança de Pressão): 5.1 – Fontes de incertezas (resolução do instrumento sob calibração.3.4. Contatos: Representante da Dicla na CT-9 Sr. Floriana Aparecida de Lima/SENAI RJ (participante da CT-9).2011. Marcos Lopes Guerreiro e-mail: [email protected] Telefone: (21) 2587-4880 9 – LABORATÓRIO DE REFERÊNCIA O laboratório de referência determinado para o 8º (oitavo) programa de comparação interlaboratorial é a ABSI e o Laboratório de referência determinado para o 9º (nono) programa de comparação interlaboratorial é o LAPRE / INMETRO. Sr. Alessandro de Souza e-mail: [email protected] O tempo total previsto para a comparação interlaboratorial são de 14 meses.07.PÁGINA: 6 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 6.2 – O tempo de permanência do padrão itinerante nos Laboratórios são de 05 (cinco) dias úteis e dois dias úteis para transporte.com.gov.br telefone: (11) 2914-2233 . 7 – CRONOGRAMA O cronograma para comparação interlaboratorial deverá ser iniciado posteriormente a confirmação dos laboratórios convidados até a data de 10. 8 – COORDENADOR DO PROGRAMA DE COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL A Coordenadora responsável pela logística do 8º (oitavo) e 9º (nono) programas de comparação interlaboratorial será a Sra.br telefone: (21) 2679-9035 8º (oitavo) programa de comparação interlaboratorial. E-mail: [email protected] os laboratórios deverão entregar em mãos o padrão itinerante ao laboratório subseqüente. 12 – MÉTODO DE TRANSPORTE Sempre que possível. 11.2 – O padrão itinerante após a calibração será devolvido na mesma embalagem que foi recebido. Jackson da Silva Oliveira e-mail: [email protected] Sr. Sr. . em caso de impossibilidade enviar o manômetro padrão itinerante via transportadora. salvo caso haja algum dano na embalagem original. Jackson da Silva Oliveira LAPRE / INMETRO. o instrumento deverá ser embalado em caixa de madeira protegido por espuma e tal fato deverá ser comunicado ao coordenador do programa.br telefone: (21) 2679-9046 10 – LABORATÓRIO RESPONSÁVEL PELO GERENCIAMENTO DO PROGRAMA O Coordenador responsável pelo gerenciamento e recebimento do certificado de calibração e documentações complementares do 8º (oitavo) e 9º (nono) programas de comparação interlaboratorial será o Sr.1 – O laboratório cedente do padrão itinerante é o responsável para prover a embalagem de madeira contendo espuma para proteção do padrão itinerante.PÁGINA: 7 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 9º (nono) programa de comparação interlaboratorial.gov.br telefone: (21) 2679-9046 11 – EMBALAGEM DO PADRÃO ITINERANTE 11. Jackson da Silva Oliveira e-mail: [email protected] deve fazer uma cuidadosa inspeção para verificar a existência de algum dano físico ou deficiência que possa vir a invalidar os resultados das medições e registrar no formulário “CONTROLE DE RECEBIMENTO DO PADRÃO” (Anexo 1) e enviar via fax ao responsável pelo gerenciamento do programa.1 – O laboratório participante. 13 – EXECUÇÃO 13. tal fato deverá ser informado a coordenadora do programa com 15 (quinze) dias de antecedência do seu período previsto. Neste e-mail enviar em anexo o formulário “CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DO PADRÃO” (Anexo 3).PÁGINA: 8 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL Observações: A . B – Caso haja a impossibilidade do laboratório realizar a calibração no período previsto. Se não ocorrer este envio o laboratório será eliminado do programa de intercomparação e tomadas as decisões cabíveis pela CGCRE. ao receber o padrão itinerante. o laboratório cuidará para que o padrão itinerante seja devidamente protegido conforme item 11 deste documento. 13.O laboratório que enviar o padrão itinerante para o laboratório subseqüente deverá arcar com os custos do transporte. . O encaminhamento do instrumento ao laboratório subseqüente deverá ser no período previsto no “CRONOGRAMA DE CALIBRAÇÕES” (Anexo 2). O laboratório deverá comunicar via e-mail o envio do padrão itinerante ao coordenador do programa e ao laboratório subseqüente.2 – Após a conclusão das medições. 1 – O laboratório responsável pelo gerenciamento do programa preparará um relatório final que será enviado a CGCRE e a cada participante do programa de intercomparação .3 – Os participantes devem enviar seus resultados de medição em um certificado de calibração e os anexos 1 e 3. 14.3 – O gerente do programa deverá apresentar os resultados com erro normalizado e curva de erros.1 – Cada laboratório participante é responsável por todas as despesas referentes a sua participação no programa de comparação interlaboratorial. 14 – ANÁLISE DOS RESULTADOS 14. 15. 13. todos via e-mail em PDF e Word ao representante da Dicla conforme item 9 deste documento dentro de uma semana após o término de sua medição. 15 – CUSTOS 15.2 – Os participantes se comprometem com o ressarcimento das despesas necessárias e reposição do padrão itinerante danificado. . 14. desde que identificado o responsável.PÁGINA: 9 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL 13. O representante da Dicla deverá codificar a documentação enviada pelos laboratórios participantes ao responsável pelo gerenciamento do programa de intercomparação.4 – O responsável pelo gerenciamento do programa de comparação interlaboratorial deverá protocolar toda documentação enviada e / ou recebida pelos laboratórios participantes.2 – Após emissão do relatório final o responsável pelo gerenciamento do programa de intercomparação agendará uma data para apresentação e discussão dos resultados. enviar via fax para o Coordenador do Programa de Comparação Interlaboratorial. discriminar: ______________________________________ O (s) Padrão (ões) Itinerante (s) estava (am) embalado adequadamente?___sim ____não Se negativo. discriminar ________________________________________________________ Data: _____/_____/_____ ____________________ (Gerente do Laboratório) Nota: Após o preenchimento. Assinatura: (s) .PÁGINA: 10 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ANEXO 1 NOME DO LABORATÓRIO: CONTROLE DE RECEBIMENTO DO PADRÃO Programa: 08 ( Dentro do estado de São Paulo) e 09 (Fora do Estado de São Paulo) Grandeza:_________________________________________ Padrão (ões) Itinerante (s): __________________________________ Responsável: _____________________________________________________ Data de Chegada do (s) padrão (ões): ______/______/______ O Padrão (ões) Itinerante (s) foi (ram) recebido (s) do Laboratório: ________________________________________________________ Nome do Laboratório de Despacho O padrão foi enviado por: _____ Em mãos _______Por transportadora _______ Outra Forma Discriminar: _____________________________________________________ Foi observado dano físico evidente? _____sim _____não Se positivo. PÁGINA: 11 REDE BRASILEIRA DE CALIBRAÇÃO – INMETRO METROLOGIA PRESSÃO REVISÃO : 5 PROCEDIMENTO PARA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ANEXO 3 NOME DO LABORATÓRIO: CONTROLE DE EXPEDIÇÃO DO PADRÃO Programa: 08 ( Dentro do estado de São Paulo ) e 09 ( Fora do Estado de São Paulo ) Padrão (ões) Itinerante (s):__________________________________ Responsável:____________________________________________ Data de Expedição do (s) padrão (ões): ______/______/______ O Padrão (ões) Itinerante (s) foi (ram) expedido (s) ao Laboratório: ________________________________________________________ Nome do Laboratório de Destino O padrão foi enviado por: _____ Em mãos _______Por transportadora _______ Outra Forma Discriminar:_____________________________________________ Tempo efetivo de medição: _______ dias Data de Saída do Padrão Itinerante: ______/______/______ Observações:_____________________________________________ ________________________________________________________ Data: Assinatura: _____/_____/_____ ____________________ (Gerente do Laboratório) Nota: Após o preenchimento. enviar via fax para o Coordenador do Programa de Comparação Interlaboratorial. .
Copyright © 2021 DOKUMEN.SITE Inc.