Curso de Dirigente de Sessão e Doutrinador Espírita (CEI)

March 28, 2018 | Author: Tadeu Sabóia | Category: Mediumship, Spiritism, Communication, Spirit, Science


Comments



Description

CENTRO ESPÍRITA ISMAEL DEPARTAMENTO DE ENSINO DOUTRINÁRIO AV.HENRI JANOR, 141, JAÇANÃ - SP FONE: 6242-6747 APOSTILA CURSO DE DIRIGENTE DE SESSÃO E DOUTRINADOR ESPÍRITA (org. por JOSÉ ANTENOR GOMES FILHO) APRESENTAÇÃ0 Esta apostila tem o objetivo de auxiliar o desenvolvimento das potencialidades de liderança dos dirigentes de sessão e dos "doutrinadores" espíritas. 2 ..........................................................................................................12 O Dirigente e os Tarefeiros..........25 3 .......19 O Doutrinador e a Doutrinação (Desobsessão).......................22 Bibliografia Consultada..........................10 Comunicação Interpessoal............................................07 Como Conduzir uma Reunião/Sessão............................................................................................25 Leitura Recomendada.15 Direção de Alguns Tipos de Trabalho Espiritual........................................................................................................................... o Fenômeno Mediúnico e a Mediunidade (Obsessão).......INDíCE Visão Sistêmica do Centro Espírita........................04 Noções de Liderança e Divisão de Responsabilidade.........................................................................................17 O Médium................................................................................................................. ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA CENTRO ESPÍRITA 4 . a Entrevista. formada de elementos que atuam de forma integrada. Observação: convém lembrar. ele tem ser alimentado pelas entradas. o sistema pode entravar-se e até desaparecer. a Assistência Espiritual e o Ensino são as operações que vão transformar a Entrada (Freqüentadores) na Saída (Colaboradores) desejada para o Sistema (Centro Espírita). que nem todo o freqüentador transformar-se-á em colaborador do Centro Espírita: cada ser tem a sua própria necessidade espiritual.uma árvore é um sistema . ou seja.VISÃO SISTÊMICA DO CENTRO ESPÍRITA 1. Se não houver a realimentação. ANÁLISE DO SISTEMA Saída (Colaboradores): o colaborador. .uma mão com uma tesoura é um sistema. O Sistema Centro Espírita pode ser visualizado de acordo com o seguinte esquema: 2. pois vai atender à necessidade ou finalidade/objetivo do sistema. Processo: a Recepção.uma pessoa é um sistema . Entrada (freqüentadores): para que o sistema produza suas saídas. é o primeiro elemento a ser analisado. TEORIA DE SISTEMA Sistema é uma estrutura que existe para cumprir uma finalidade. também denominado produto do sistema. 3. pelos freqüentadores do Centro Espírita.uma tesoura é um sistema . . a fim de melhorar os recursos humanos disponíveis. existe uma hierarquia. Estrutura física: corresponde à localização. INPS. à construção do prédio. Estrutura legal: exigências da lei humana.A organização de um sistema serve justamente para isso: dividir integralmente as várias funções e tarefas que vão garantir ao sistema maior cumprir a sua finalidade.Diretoria: eleita. necessitamos de uma estrutura física (para reunião de seus freqüentadores). de uma estrutura legal e de uma estrutura espiritual. através de assembléia extraordinária. de recursos e controle da execução. Intelectual e Social que transforma as pessoas.) . . Municipal (CCM). ESTRUTURA DO CENTRO ESPÍRITA Para que um Centro Espírita funcione. FEESP etc. O crescimento moral e material de um Centro Espírita está diretamente ligado aos resultados eficazes que for capaz de produzir.Atas de assembléias ordinárias departamentos) (para resolver problemas comuns dos . 4. a cada três anos. Assim sendo. Estrutura espiritual: é a soma do fluxo energético dos Espíritos protetores. dos Colaboradores. esses resultados são expressos pela capacidade dos colaboradores que produz. em que no topo estão os centros de comandos e decisões. seguidos pelos subsistemas de recepção e distribuição. 5 .Estatuto: forma jurídica de existência. um Centro Espírita terá um resultado melhor ou pior em função das qualidades (boas ou más) de seus colaboradores. à iluminação.curas psicológicas. à ventilação. 5. devidamente registrado em Cartório de Títulos e Documentos. dos Diretores.Atas de assembléias extraordinárias (para eleição da Diretoria Executiva. O Centro Espírita é um sistema de Aprimoramento Espiritual. a saber: .Inscrição: Federal (CGC). aprovação de contas etc. utilizando-se de vários processos. Para isso. A IMPORTÂNCIA DOS RESULTADOS O valor de um Centro Espírita mede-se pelos resultados. à disposição das cadeiras. às disponibilidades financeiras etc. No sistema. dos Freqüentadores e das suas respectivas companhias espirituais. Esses resultados podem ser expressos direta e indiretamente pelos seguintes fatores: . competência da Diretoria Executiva. Visão Sistêmica. É preciso. Dentro desta visão sistêmica. para se saber quais são as reais necessidades e quais as possibilidades de atendimento. ligados à evolução espiritual de todos os seus membros. Fonte de Consulta LIMA & FORT (Educação para a Qualidade). São Paulo. o relacionamento humano torna-se profundamente importante. Então. 6. deve-se concentrar os esforços na busca de resultados. que satisfaça às necessidades de seus freqüentadores. NOÇÕES DE LIDERANÇA E DIVISÃO DE RESPONSABILIDADE 1. EQUILÍBRIO DOS RESULTADOS O objetivo de um Centro Espírita é a prestação de serviços. para que o Centro Espírita subsista eficazmente.desenvolvimento moral dos assistidos. DEPACON/FEESP.. estaremos cumprindo a razão de ser do Sistema (Centro Espírita). (Apostila do Curso de Desenvolvimento e Liderança). tornando-nos uma equipe competente e eficaz. O resultado será o equilíbrio entre os objetivos da Equipe Dirigente e os dos Freqüentadores. haja o diálogo entre os Diretores e os Freqüentadores. nenhum colaborador existe isoladamente. . . nem trabalha para si. Neste sentido. NOÇÕES DE LIDERANÇA 6 . . 1995.qualidade dos trabalhos espirituais.equilíbrio mental e espiritual. Agindo desta forma. mas para o conjunto da organização. dos Dirigentes e dos Colaboradores. que antes de se estabelecerem os objetivos do Centro Espírita. Este tipo de líder é negativo no ambiente das tarefas espirituais. também.Omite-se.A diferença entre um chefe e um líder. . B) LAISSEZ-FAIRE . é que o chefe se contenta com simples tarefas. sem restrições.confiar na Assistência Espiritual. enquanto o líder vai além.Autoritário.O LÍDER . . sejam quais forem. .Para se ter autoridade sobre os outros. Todos nós gostamos de ser ouvidos e sentir-nos úteis ao funcionamento do grupo de trabalho. .desenvolver o senso de responsabilidade. . . mas. .não se colocar como "entendido". o "sabe-tudo". manda-chuva. conseguindo dos membros do grupo interesse. a pretexto de ser democrata. perdem a oportunidade de sê-lo.Não basta apenas possuir títulos. . é preciso não apenas possuir qualidades particulares. 7 . cooperação e entusiasmo na execução suas obrigações. . .ter menos tendência a agir como patrão. Tudo gira em torno de sua "vontade".não agir como dominador do grupo. .Líder é toda pessoa que dirige um grupo social. Deve-se. para um determinado grupo.Um líder pode ser um fator de estímulo. mas pelo fato de não assumirem tal atitude. . ou de reação.Há pessoas que são virtualmente líderes. exige sempre que o obedeçam. aprender a técnica de direção. em que estivermos inseridos. pois ofusca o espírito criativo e frustra as aspirações dos componentes do grupo. impõe-se pelo título que possui. Raramente aceita as opiniões do grupo.vivenciar plenamente o Evangelho. este tipo de liderança dificulta o desenvolvimento de novos líderes.É aquele que deixa estar para ver como fica. COMO SER UM LÍDER . . TIPOS DE LÍDER A) AUTOCRATA .estimular o esforço de todos para superar dificuldades. sem que tenha de impor sua direção à qualquer membro do grupo. pois: .Por outro lado. . tem menos tendência a agir como patrão. troca idéias. inclusive. o Dirigente era quem ocupava uma posição de maior destaque e responsabilidade. o bom Dirigente é aquele que: 1.Distribui funções. o Dirigente moderno é aquele que se dispõe a aplicar os "talentos" que lhe foram confiados. com alguma vivência doutrinária. . . 2. o desejo de cooperar nas tarefas espirituais. enfim. 3.Dá aos liderados o mau exemplo de relaxamento e de irresponsabilidade. permite que os membros do grupo aprendam a analisar. deturpando os objetivos e a razão de ser do grupo. C) DEMOCRATA . abrindo "brechas" aos Espíritos menos felizes. seria a estagnação do sistema. oferecendo oportunidade a todos. a confiança na Assistência Espiritual.O verdadeiro líder democrata leva o grupo a querer o que faz e não a fazer o que quer. analisa os prós e os contras com seus liderados. aceita sugestões. 2. não se coloca como "entendido". em um conjunto de tarefas. 8 .Embora não haja regras definidas para caracterizar um bom dirigente.atualmente. para dirigir uma Casa Espírita. é ter a capacidade de exercer uma direção objetiva. 3. com a dinâmica e o crescimento da doutrina em volume de pessoas.É o que leva o grupo a participar. sem se apoiar na posição que ocupa. Da sua ineficiência. advém o caos.. . continuar com o vício de "dono do Centro". 2.é aquele que. a desordem e a indisciplina. não age como dominador do grupo. o senso de responsabilidade. É visto e considerado pelo grupo como "um dos nossos".Este tipo de líder permite que todos mandem e ninguém obedeça. desenvolve: 1. que pode transferir-se para a personalidade de cada um. convém ter lembrança de que: . quando se fizer necessário. sem no entanto deixar de ser considerado LÍDER. .Hoje.Historicamente. para substitui-lo. DIVISÃO DE RESPONSABILIDADE . Por isso. sentir e viver os problemas. . fornecendo: 1. escala de tarefas. s/d. Fonte de Consulta ÁREA FEDERATIVA.S. 5.Reuniões de Orientação aos Dirigentes de Sessões Espíritas. São Paulo. 3. . DEFINIÇÃO . a capacidade de direção. 4. esforça-se em superá-los. esclarecimento quanto às divergências doutrinárias.é aquele que incentiva os companheiros a assumirem responsabilidades. a fim de evitar resultados negativos.E . e. 9 . R. assistência e orientação.D. 2. em que se aproveite o talento e experiência de cada um.Reunião é um encontro rápido entre pessoas adequadamente preparadas e credenciadas. FEESP. COMO CONDUZIR UMA REUNIÃO/SESSÃO ESPÍRITA 1.O. em que cada participante apresenta objetivamente suas ponderações e decisões a respeito do assunto focado. em que o grupo participa dos problemas. normas e diretrizes do funcionamento da Casa Espírita. planejamento das atividades.4. manutenção elétrica. Reuniões com audiência são aquelas em que há a presença do público. no sentido de se criarem sempre. oportunidades de trabalho e equilíbrio aos seus freqüentadores. . 10 . Para isso. 3. A UTILIDADE DE UMA REUNIÃO . c) convicção do que se deverá fazer. . COMO CONDUZIR UMA REUNIÃO O resultado produtivo de uma reunião espírita depende da responsabilidade de cada um de seus membros em: a) cumprir o horário (não atrasando o início. d) contar. manutenção hidráulica. chá beneficente etc. servem para dar velocidade e precisão nas decisões. PLANEJAMENTO . segurança. luz. e cada vez mais. valorizando pequenos detalhes: local. calma e tranqüilidade tanto aos assistidos como aos f) controlar os sentimentos de amizade. . devemos esforçar-nos para não cometer falhas. com companheiros mais experientes. mas dos Colaboradores espera-se uma contribuição espontânea (sócio. mesmo com as falhas e desvirtuamento por parte de alguns colaboradores. 4. por perto. material de limpeza.Embora poucos se dêem a este trabalho.Toda a reunião tem que ser planejada. 5. telefone.). extrapolando-os. disposições das cadeiras etc.É necessário prever e eliminar toda a irritação diante de uma reunião. o correto é preparar-se antecipadamente para as reuniões. Realmente.As reuniões. uma reunião espiritual é merecedora de todo respeito.2. horário. b) preparar-se bem. no Centro Espírita. podem usar à vontade. Nestas reuniões. material higiênico.Portanto. e) transmitir colaboradores. conservação da alvenaria etc. b) realizar a sessão. pois. Grande engano: existem despesas com água. faz-se necessário: a) boa assessoria. REUNIÃO TEM DESPESA É comum dizer-se: aqui tudo é grátis. mesmo com a ausência das pessoas-chaves. nem o término). não se cobra nada dos Assistidos. corre-se o risco da reunião ser desenvolvida fora dos padrões vibratórios adequados. . Mesmo assim. deixando tudo em ordem. .Motivar a participação de todos. está apropriada à realização da tarefa. . COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL 1.Saber lidar tanto com as pessoas de nível cultural elevado. com o aperfeiçoamento da comunicação. Fonte de Consulta MARTINS. sua voz e sua postura. 1995. .Respeitar o horário.Ser o último a se retirar . 8. 6. como as de nível inferior. (Apostila do Curso de Desenvolvimento e Liderança). à disposição no Departamento de Assistência Espiritual. Na falta do dirigente responsável. ou seja. a captação da 11 .. principalmente. E. Atualmente. A comunicação é a troca de sinais e símbolos. DEVERES E OBRIGAÇÕES DO DIRIGENTE DA REUNIÃO . O esforço constante na busca de maior interação social fica evidente quando se verifica que. seu visual. aprendendo a ouvir. . DEPACON/FEESP. INTRODUÇÃO A história do homem está ligada aos processos de comunicação.Conter os extrovertidos. . . ao assunto já falado. seu comportamento.Demonstrar empatia. à palavra falada ou escrita. São Paulo. com tempo suficiente para verificar se a disposição das cadeiras. a todo o momento. foi possível passar do grunhido à palavra. da expressão à significação.Estimular os tímidos a falarem. do som etc.Ter coordenação firme e seqüência lógica.O dirigente do trabalho deve chegar com antecedência. PREPARAÇÃO DO LOCAL . da mesa . INÍCIO DA REUNIÃO . 7.Adaptar-se ao local e às pessoas. Como Organizar e Dirigir Reuniões.Preocupar-se com sua apresentação pessoal. evitando retornar.Estar a par do planejamento detalhado de cada tipo de reunião espiritual. . o processo comunicativo reduz-se. o mais experiente do grupo deve assumir o comando. cartas. som do rádio. livro. gesto. a aula. FATORES DO PROCESSO COMUNICATIVO . d) quando gesticulamos. a pintura é a mensagem. repartir. inteligência. . Pode ser: face a face. o discurso é a mensagem. 2. partilhar.mensagem vai além destes signos. buzina de carro. para que possa produzir o maior impacto sobre o receptor. a música. mímicas etc. O emissor deve escolher o melhor meio possível. conhecimentos. b) quando escrevemos. . os movimentos dos braços e as expressões do rosto são a mensagem 12 . a escrita é a mensagem. . que significa tornar comum. Através da comunicação.CÓDIGO: dá forma às idéias e aos objetivos. sinal de trânsito. A principal é a linguagem (escrita ou falada).EMISSOR: é o que emite uma mensagem ao receptor. ELEMENTOS DO PROCESSO COMUNICATIVO O termo comunicar vem do latim comunicare. habilidades e atitudes. é uma forma de se transformar e de se fazer ouvir. c) quando pintamos. Romper o isolamento.MENSAGEM: é o sinônimo de "conteúdo". Conhecer a comunicação humana é requisito para que se desenvolva a liderança. gestos. o homem projeta sua personalidade. carta. Diz-se que a comunicação é completa. telefonemas. associar.RECEPTOR: é aquele a quem se dirige a mensagem. aquilo que é dito em texto ou discurso: a) quando falamos. imagem de televisão. . telefonema. quando o receptor consegue interpretar e compreender fielmente a mensagem que lhe foi transmitida. página de jornal. decodifica e interpreta. Recebe.CANAL: recurso utilizado para transmitir a mensagem. Tipos de comunicações: palavra. através da comunicação. ADMINISTRATIVA: memorando. . RUÍDOS É um fator que compromete a eficiência da comunicação oral. . B) NÃO VERBAL: é aquela em que não envolve só palavras ou escrita. jornal. 4. TIPOS DE COMUNICAÇÃO A) VERBAL: realiza-se pela palavra e divide-se em oral e escrita.sussurros e) falta de conhecimento . b) feedback: conjunto de sinais perceptíveis que permitem conhecer o resultado da 13 .desatenção f) insegurança . deve-se repetir frases e informações julgadas essenciais à compreensão do receptor. Entende-se por ruído tudo o que afeta. ofício. a transmissão de uma mensagem: a) voz baixa b) música mais alta do que a voz c) falta de atenção do receptor d) erros de interpretação . postura corporal e gestos.confusões Recursos usados para anular ruídos a) redundância: é todo o elemento da mensagem que não traz nenhuma informação nova. tonalidade de voz. TV. comunicado. É um recurso utilizado para chamar à atenção e eliminar possíveis ruídos.INTENSÕES PESSOAIS: expressões faciais.distração g) falta de planejamento .3. nosso relacionamento diário.INTERPESSOAL: pessoa a pessoa.DE MASSA: rádio. mas também o que não é falado. requerimento. Nesse sentido. . Pode ser: . em graus diversos. Querer fazer graça.falar rapidamente 2. .Preocupar-se em mostrar que tem cultura.postura corporal rígida .beijar e ser beijada .Querer dominar a conversa e o assunto.necessidade de tocar a outra pessoa quando fala .dificuldade (barulho. e MARTINS. Fonte de Consulta MARTINS. a fim de verificar se a mensagem foi recebida ou não.º) CINESTÉSICO: . ritmo lento 6.Falar alto ou baixo demais. .memória para sons . .voz baixa.Não dar seqüência à conversação. .conversador . para isso. DEPACON/FEESP. E. . fazer perguntas e obter as respostas. fumo. ESTÍMULOS Os três canais emissores e receptores de estímulos são: 1.Trazer assuntos pessoais. voz alta) 3.Alimentação inadequada .Fazer pausas enormes durante a conversação. O DIRIGENTE E OS TAREFEIROS 1. Comunicação Interpessoal. . M.beleza e estética . alheios aos da ordem do dia.Vícios (álcool.FATORES PESSOAIS .mensagem. 5.) 14 . . O QUE O DIRIGENTE DEVE OBSERVAR E EVITAR NA SESSÃO ESPÍRITA A) .Contradizer constantemente as idéias do interlocutor. CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS DE UM COMUNICADOR .º) AUDITIVO: .º) VISUAL: . . . S.Interromper ou falar ao mesmo tempo que a outra pessoa. A.Falar depressa (cansa o ouvinte). drogas etc. locomoção de pessoas pela sala etc. . depressão e revolta) B) . . . roupas. oração.Se o tempo não estiver bom. jóias.Liberar-se de objetos metálicos. C) . .Aplicação fluídica pelo sopro.Chegar sempre com antecedência. como arrastamento de cadeiras.Alternância de sexos para a transmissão fluídica.COMPORTAMENTO DO MÉDIUM NO DIA DO TRABALHO .Transe mediúnico com psicofonia (conselhos).PROCEDIMENTOS DOUTRINÁRIOS Evitar o seguinte: . . para não quebrar a corrente. .). relógios etc.Conversações inadequadas no recinto. .Manter o padrão vibratório elevado. .Condições psíquicas (nervosismo.Lembrar sempre que o trabalho maior é feito pelos Benfeitores espirituais.FATORES AMBIENTAIS Observar o seguinte: .Recomendações de qualquer tipo de fórmula. . ir assim mesmo à reunião. a fim de se harmonizar com o grupo de trabalho e consigo mesmo.Presença de crianças circulando e brincando no ambiente. .Aplicações fluídicas em objetos como fotografia. evitando rusgas e discussões. .O estalar dos dedos.Poluição sonora (barulhos.. . respiração ofegante e bocejo contínuo. higiene e trajes inadequados) .Aviamento de receitas. ORIENTAÇÃO AOS TAREFEIROS e pessoas A) . de pelo menos dez (10) minutos.Promessas de curas ou solução de problemas.Gesticulações. .. toalhas presentes ou ausentes objetivando prolongar a proteção espiritual. 15 . . beberagens de ervas etc.Condições físicas (saúde. 2. .Colocação de garrafas d'água sobre a mesa de trabalho.. .....................B) ............ .........criar um clima de amizade entre os trabalhadores.S.. ... ed.......... ........ 3 ................Aceitar as determinações do Departamento............conscientizar os colaboradores do grupo........... Subsídios para Atividades DIREÇÃO DE ALGUNS TIPOS DE TRABALHO ESPIRITUAL 1....Evitar intrometer-se nas tarefas que dizem respeito aos outros colaboradores.Não se melindrar.............EXERCÍCIO DE DIREÇÃO Solucionar os seguintes problemas: .evitar a repreensão do médium.... Edições U...... ROTEIRO BÁSICO PARA TODAS AS REUNIÕES DE ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL Abertura......E. ou................. São Paulo.Presença de pessoas drogadas ou alcoolizadas na reunião.......... quando for chamado a atenção........... que o trabalho espiritual é feito em equipe.............. interrompe o expositor.......... insistentemente.... em público..Ouvinte que............ 1993... ...Assistido que cai da cadeira ao tomar o passe... do Dirigente responsável pelo trabalho.COMPORTAMENTO DO TAREFEIRO DURANTE A SESSÃO ..............05min Inicial........ Doutrinárias.. 2. C) RELACIONAMENTO ENTRE O DIRIGENTE E O TAREFEIRO O dirigente deve: . .Freqüentador fica "incorporado" durante uma reunião pública..... Fonte de Consulta DEPARTAMENTO DE ORIENTAÇÃO DOUTRINÁRIA...05min Preparo de Prece Ambiente.............10min 16 .. .. .... .............50min Vibrações......................................................................... para mais ou para menos.............................05min Mensagem do Mentor Espiritual...............- Desenvolvimento da Reunião......... de modo que o tempo total não ultrapasse os noventa minutos (01 hora e 30 minutos).............90min Observação: cada fase da reunião poderá variar...............................Desenvolvimento do trabalho junto ao público a) Prece inicial b) Tema conforme escala c) Vibrações d) Mentor e) Prece final f) Avisos 3................05min Prece de Agradecimento............. P4-1/2 e PASSE ESPIRITUAL 17 .................. 2............ ROTEIRO DO TRABALHO DE ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL ......................... P1-P2.................................................................................................................Preparo dos médiuns antes de iniciar as tarefas (10min) a) Prece inicial b) Leitura de mensagem c) Passe conjugado d) Prece final 2 ........................A2 1 . ROTEIRO DE TRABALHO DAS ASSISTÊNCIAS ESPIRITUAIS A3............................05min Total...............05min Encerramento..... E. Manual de Orientação aos Dirigentes de Sessões Espíritas. ORGANIZADO PELO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL DO C. São Paulo. O FENÔMENO MEDIÚNICO E A MEDIUNIDADE (OBSESSÃO) 18 . O MÉDIUM.Preparo do público para o recebimento dos "passes" a) Prece Inicial b) Leitura de Mensagem c) Avisos d) Atendimento OBSERVAÇÃO: PARA MAIORES INFORMAÇÕES SOBRE OS PASSES E O SEU FUNCIONAMENTO.1 . 1996.I.E. Fonte de Consulta DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL.I. C.Preparo dos médiuns a) Prece inicial b) Mensagem c) Passe conjugado d) Preparo de ambiente e) Início de atendimento f) Vibrações g) Mentor h) Prece final i) Encerramento 2 . PEDE-SE CONSULTAR O MANUAL DE ORIENTAÇÃO AOS DIRIGENTES DE SESSÕES ESPÍRITAS. Psicofonia . ou seja. Fenômeno Mediúnico . 3. 4. . a comunicação dos Espíritos através das cordas vocais dos médiuns. É através da "incorporação" que os Espíritos recebem auxílio.É uma doutrina.ª Ordem . CONCEITO Médium . O INTERCÂMBIO MEDIÚNICO .E.Espíritos imperfeitos .3.Telepatia . O trabalho que mais se utiliza da psicofonia é o P.ª Ordem . codificada por Allan Kardec. e nenhum constrangimento infligem.Os bons Espíritos auxiliam sempre . é o meio mais utilizado no intercâmbio mediúnico. 2. DA OBSESSÃO .É toda a pessoa que possui a capacidade de sutilmente intermediar as relações com os Espíritos desencarnados. que se funda sobre a crença de existência de Espíritos e suas manifestações.predomínio do Espírito sobre a matéria (superiores) 1. ("Desobsessão").Vidência etc.Espíritos bons . Espiritismo . ESCALA ESPÍRITA 3. A psicofonia (incorporação). via "doutrinador". Mediunidade .Espíritos puros .Praticado por Espíritos inferiores.É o relacionamento mecânico entre os Espíritos e os Médiuns. 19 . Esta assistência espiritual é indicada para os casos de profundo envolvimento espiritual negativo.É o fenômeno mediúnico racionalizado pelo estudo e pesquisas científicas.ª Ordem . 2.Psicografia .1.Domínio dos Espíritos sobre as pessoas.nenhuma influência da matéria (moral absoluta). .predominância da matéria sobre o Espírito (inferiores). promovem manifestações físicas ruidosas. 6.Ilusão produzida por ação do Espírito sobre o pensamento do médium.atua sobre os órgãos materiais.Não acredita estar sendo enganado. pichar paredes. . .Médium fica como um joguete. tanto as falsas como as verdadeiras. .Fala sobre assuntos ridículos.Moral . Subjugação . Fascinação . . . .Paralisação do raciocínio.Aceita doutrinas estranhas.5. . .Apresentam-se no lugar dos Espíritos evocados.Impedem o médium de se comunicar com outros Espíritos. . .Vontade de escrever fora de hora. . Ilusão que o impede de reconhecer a falsidade.Pela audição .Ridículo da comunicação . . Ser causa de rumores e desordens. Afastam-se das pessoas que têm opinião proveitosa. SEGUNDO ALLAN KARDEC Obsessão Simples .toma resoluções absurdas acreditando serem sensatas. 5. Persistência em se comunicar fora de hora.Age tanto sobre os humildes como os instruídos. 20 . Confiam nos elogios dos Espíritos.Os Espíritos impõem-se. 7.Repetem sempre as mesmas palavras 3.Transmitem coisas falsas ou absurdas 4.Corporal . 6.Pela tiptologia 2. . Crença cega nas comunicações.Dão nomes famosos . . ALGUMAS CARACTERÍSTICAS DA OBSESSÃO 1.Pela escrita . . Constrangimento físico a dominar-lhe a vontade.Paralisa a vontade. GRAUS DA OBSESSÃO. Fazer o mal .................Obsessão simples e fascinação.................. simplesmente ensinar............................... A2 ................. O DOUTRINADOR E A DOUTRINAÇÃO (DESOBSESSÃO) 1....................... São Paulo..................P3/E .. PIRES.......... J.......... H.. ou.. LAKE..............Consulta ao Plano Espiritual (casos graves).Envolvimento espiritual/material ........1984. São Paulo..............É o ato de doutrinar.........Vingança .......... 21 ..Ódio ........... KARDEC................... O Livro dos Médiuns...Orgulho ...............................................Espiritual ..... s/d...........7....... A........................ P4/1 “ (envolvimento espiritual/doença da idade)...........Pesquisa Fonte de Consulta KARDEC...... FEESP........ CONCEITO Doutrinador .... CAUSAS DA OBSESSÃO .....É a pessoa que se incumbe de dialogar com os Espíritos desencarnados necessitados de ajuda e esclarecimento.Preguiça 8..Limpeza dos centros de força....Doença orgânica.. EDICEL....... A3 .. São Paulo... ENCAMINHAMENTO AO TRABALHO DE ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL ..................Subjugação..........P3/A ... Mediunidade....................Envolvimento espiritual/fundo mediúnico .............................. Doutrinação ..........Inveja ... O Livro dos Espíritos... P1/P2 ..... 1972.............. A. ed..Criança (leve envolvimento espiritual) ..... 5.Colégio “ " “ “ (trabalhadores) ......Falta de moral .....P4/2 ....... fobia.Diálogo: propor atitudes contrárias.Amor 4. materialista (pode ter sido escritor.Espírito Vingador: quer ir à forra.. de difícil diálogo.Esclarecer os ignorantes . sacerdote. punir o culpado. revelar sua condição para colocá-lo em contradição. não acredita na existência da vida após a morte.2. desânimo. mania.Familiaridade com o Evangelho de Jesus . .Diálogo: deve-se restabelecer a fé e a confiança em Deus. médico etc. artista. DIÁLOGO ENTRE O "DOUTRINADOR" E OS ESPÍRITOS MANIFESTANTES . OBJETIVO DA DOUTRINAÇÃO .Estimular os fracos . com preces (cérebro/coração). . poeta.Confortar os sofredores 3.Autoridade moral . 22 .Espírito Ignorante: vive da carne. . em encarnações passadas). .Diálogo: Fazê-lo ver a real situação do Espírito desencarnado.Despertar os que dormem .Espírito Maldoso: compraz-se em fazer o mal. não sabe o que é o perdão. dizendo que esses sintomas são reflexos do corpo físico. .Fé Viva . inconsciência etc. alertando-o para se afastar do mal.Espírito Intelectual: descrente.Sólida formação doutrinária . segue sua vítima por séculos. aproveitando-se das fraquezas humanas. . . a fim de sentir por si mesmo essa realidade. tristeza.Diálogo: mostrar-lhe as recompensas pela prática. CARACTERÍSTICAS DO DOUTRINADOR . . bom argumentador. disputa fortunas etc.Espírito Sofredor: moléstia. EXERCITAR A PACIÊNCIA E A HUMILDADE 08 .ESCLARECER COM OBJETIVIDADE 05 . para a conversão de outros acompanhantes. 7.RESPEITAR OS ESPÍRITOS PROBLEMÁTICOS 09 . Se você errar.Diálogo: o doutrinador deve conhecer o processo de transformar o ódio em amor. também. Utilize-se da prece como meio de alívio e ajuda. OS DEZ MANDAMENTOS DO "DOUTRINADOR" ESPÍRITA 01 . 5. Causa das Aflições 23 . Promova a sua reforma interior. buscar as causas no passado. O LIVRE-ARBÍTRIO DO ESPÍRITO MANIFESTANTE. Confie nos amigos espirituais. improvisar de acordo com a inspiração do momento. 3. TEMAS PARA OS DIÁLOGOS 1. propor concessões e arquitetar alternativas.FUGIR ÀS IMAGENS 07 .FALAR CALMAMENTE 04 .Diálogo: estudar as reações.MANTER-SE EM PRECE 6. RECOMENDAÇÕES AO "DOUTRINADOR" 1.NÃO INTERROGAR 06 . em Jesus e em Deus. em tela astral. 5. 4.HARMONIZAR O AMBIENTE 10 .. .ELEVAR O PENSAMENTO 02 . Dialogue eficazmente com o obsessor: os ensinamentos veiculados servem. . através da mudança de hábitos e atitudes. OBSERVAÇÃO: RESPEITAR. EM QUALQUER SITUAÇÃO. mostrar. 2. o motivo do ódio. CONVIDÁ-LO PARA VOLTAR OUTRO DIA. Deus lhe dará condições e meios para se corrigir.Espírito Planejador: vale-se da desatenção ou das palavras infelizes do doutrinador para confundi-lo.OUVIR COM ATENÇÃO 03 . CASO NÃO SE OBTENHA O ÊXITO ESPERADO. 1982. O Livro dos Espíritos. (06) LIMA & FORT (EDUCAÇÃO PARA A QUALIDADE). 2. Falta preparo do médium. 1972. Manual de Orientação aos Dirigentes de Sessões Espíritas. ed. DEPACON/FEESP. São Paulo. Visão Sistêmica. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA (01) ÁREA FEDERATIVA . ed.D. São Paulo: Edições U. Conhece a justiça de Deus? 9.R. Cumprimento. 1995. A reunião não está sendo bem conduzida. São Paulo. AUXÍLIO AO DIÁLOGO 1.O.Reuniões de Orientação aos Dirigentes de Sessões Espíritas.I. FEB. A. AÇÃO SOBRE OS MÉDIUNS . H. (03) DEPARTAMENTO DE ORIENTAÇÃO DOUTRINÁRIA.E. C. s/d. 24 . São Paulo. A. FONTE DE CONSULTA MIRANDA. Não se desliga das vibrações pesadas. 1996. (02) DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA ESPIRITUAL. Indulgência 8.Dores de cabeça após o trabalho (excluída doença física) 1.E. LAKE. Rio de Janeiro.E .. 4. São Paulo. C. 2. São Paulo. (05) KARDEC. FEESP.S. O Livro dos Médiuns ou Guia dos Médiuns e dos Doutrinadores. Diálogo com as Sombras.S. Desdobra-se durante os trabalhos (problemas particulares). Subsídios para Atividades Doutrinárias. Você sabe onde se encontra? 3. (Apostila do Curso de Desenvolvimento e Liderança). Conhece o seu estado? 4. (04) KARDEC. 3. FEESP. 2. 3. Já ouviu falar de Jesus? 5. O Mal e o Remédio 3..2. O Jugo Leve 4. 1993.. s/d. de Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira. 05 . J. São Paulo. Editora FEB. elaborada pelo Departamento de Ensino Doutrinário do C. H.Nos Domínios da Mediunidade. 1995. Valente.E. RJ. 3. de Aurélio A. de Francisco Cândido Xavier.Curso para Dirigentes e Monitores de Desenvolvimento Prático Mediúnico. RJ. 03 . Rio de Janeiro. de Suely Caldas Schubert. ed. Editora FEB.Os Missionários da Luz.I. 10 . EDICEL. pelo Espírito André Luiz.Apostila sobre Exercício Prático Mediúnico.Obsessão e Desobsessão. 11 . Mediunidade (Vida e Comunicação): Conceituação da Mediunidade e Análise Geral dos seus Problemas Atuais.I. H.CDM . Diálogo com as Sombras (Teoria e Prática da Doutrinação). São Paulo. e MARTINS. 5.Desobsessão. RJ.E.Sessões Práticas e Doutrinárias do Espiritismo. ed. 04 . pelo Espírito André Luiz. (08) MARTINS. pelo Espírito André Luiz.S. 1982.Libertação.(07) MARTINS.E.E. M. elaborada pelo Departamento de Ensino Doutrinário do C. A. DEPACON/FEESP. C. 1984. E. (9) MIRANDA.) 07 .Apostila sobre Concentração. Editora FEB. SBG/JULHO DE 1996.E. editado pela FEB 06 .I. RJ. 08 . Comunicação Interpessoal. S.P. de Sylvia Puglia (F. (Apostila do Curso de Desenvolvimento e Liderança). E.. (Apostila do Curso de Desenvolvimento e Liderança). DEPACON/FEESP.Apostila para o Curso de Recepcionista Espírita. de Francisco Cândido Xavier.Apostila para o Curso de Entrevistador Espírita. 02 . de Francisco Cândido Xavier.E. LEITURA RECOMENDADA 01 . 1995. Editora FEB. pelo Espírito André Luiz. Editora FEB. RJ. elaborada pelo Departamento de Ensino Doutrinário do C. Como Organizar e Dirigir Reuniões. 09 .. elaborada pelo Departamento de Ensino Doutrinário do C. São Paulo. 25 . FEB.I. (10) PIRES.
Copyright © 2020 DOKUMEN.SITE Inc.