aula_11_cont_ge_esaf.pdf

May 13, 2018 | Author: Lucas Olivera | Category: Depreciation, Working Capital, Fixed Asset, Profit (Economics), Liability (Financial Accounting)


Comments



Description

CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADASPROFESSOR MORAES JUNIOR Analista – Contabilidade – MPU – 2004 – Questões Comentadas e Resolvidas 131- O pagamento de uma letra de câmbio já vencida, com encargos de multas e de juros, constitui um a) Fato Administrativo Permutativo. b) Fato Administrativo Modificativo diminutivo. c) Fato Administrativo Modificativo aumentativo. d) Fato Administrativo Composto diminutivo. e) Fato Administrativo Composto aumentativo. Comentários (i) Fatos Administrativos: a. Atos Administrativos: ocorrem na empresa, mas não causam alterações no Patrimônio Não são, normalmente, contabilizados. Ex: Admissão ou demissão de empregados, assinatura de contratos de compra e venda, envio de duplicatas a receber ao banco para cobrança simples, etc. b. Fatos Administrativos: quando ocorrem, provocam modificações no Patrimônio da empresa, sendo, portanto, sujeitos à contabilização, através de Contas Patrimoniais ou de Resultado, podendo ou não alterar o Patrimônio Líquido. Estão divididos em três categorias: i. Permutativos, Qualitativos ou Compensativos: representam permutas entre contas do Ativo, Passivo ou entre ambos, sem provocar alterações no Patrimônio Líquido. 1. Entre contas do Ativo – Ex: Compra de mercadorias à vista. Mercadorias (aumenta o Ativo) a Caixa (diminui o Ativo) 2. Entre contas do Passivo – Ex: Retenção do Imposto de Renda dos empregados. Salários a Pagar (diminui o Passivo) a Imposto a Recolher (aumenta o Passivo) 3. Entre contas do Ativo e Passivo – Ex: Compra de mercadorias a prazo. Mercadorias (aumenta o Ativo) a Fornecedores (aumenta o Passivo) ii. Modificativos ou Quantitativos: provocam variações no Patrimônio Líquido: 1. www.pontodosconcursos.com.br 1 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR 2. Modificativo Aumentativo – Ex: Receita de Prestação de Serviços recebida a vista ou a prazo. Caixa ou Clientes (aumenta o Ativo) a Receita de Serviços (aumenta o Patrimônio Líquido) 3. Modificativo Diminutivo – Ex: Apropriação de Salários Despesas de Salários (diminui o Patrimônio Líquido) a Salários a Pagar (aumenta o Passivo) iii. Mistos ou Compostos: envolvem, simultaneamente, um Fato Permutativo e um Fato Modificativo: 1. Misto Aumentativo – Ex: Recebimento de Duplicatas com juros Caixa (aumenta o Ativo) a Diversos a Juros Ativos (aumenta o Patrimônio Líquido) a Duplicatas a Receber (diminui o Ativo) 2. Modificativo Diminutivo – Ex: Recebimento de Duplicatas com desconto Diversos a Duplicatas a Receber (diminui o Ativo) Caixa (aumenta o Ativo) Descontos Concedidos (diminui o Patrimônio Líquido) Resolução Pagamento de uma letra de câmbio já vencida, com encargos de multas e de juros. I - Lançamento: Diversos a Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) Letra de Câmbio a Pagar (Passivo Circulante) Juros Passivos (Despesa) Multas Passivas (Despesa) Este lançamento envolve, simultaneamente, um Fato Administrativo Permutativo e um Fato Administrativo Modificativo, ou seja, é um Fato Administrativo Misto ou Composto. Além disso, como ocorre uma redução no Patrimônio Líquido (Despesas de Juros e Multas), é considerado um FATO ADMINISTRATIVO MISTO (ou Composto) DIMINUTIVO. GABARITO: D 132- A Firma Varejista Ltda. efetuou as seguintes transações: compra de máquinas por R$ 5.000,00, pagando entrada de 20%; www.pontodosconcursos.com.br 2 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR venda de máquinas por R$ 2.000,00, a prazo, com prejuízo de 20%; pagamento de dívidas de R$ 1.000,00, com desconto de 10%; e recebimento de direitos de R$ 500,00, com juros de 10%. No início do referido período a empresa já possuía R$ 3.000,00 em Caixa; R$ 3.000,00 de dívidas; R$ 3.000,00 em estoques; e R$ 2.800,00 de capital social. Após o registro contábil dos fatos acima narrados, a empresa apresentará os seguintes valores para: a) Ativo R$ 8.750,00 b) Passivo R$ 5.550,00 c) Patrimônio Líquido R$ 3.000,00 d) Lucros Acumulados R$ 200,00 e) Lucro Líquido do Período R$ 250,00 Resolução Empresa: Varejista Ltda. Transações: 1. compra de máquinas por R$ 5.000,00, pagando entrada de 20%; 2. venda de máquinas por R$ 2.000,00, a prazo, com prejuízo de 20%; 3. pagamento de dívidas de R$ 1.000,00, com desconto de 10%; e 4. recebimento de direitos de R$ 500,00, com juros de 10%. Início do período: Caixa = R$ 3.000,00 Dívidas = R$ 3.000,00 Estoques = R$ 3.000,00 Capital Social = R$ 2.800,00 I – Balanço Patrimonial do início do período: há uma conta desconhecida do passivo no valor de R$ 200,00, pois, caso contrário, o balanço patrimonial não fecharia. Ativo Caixa 3.000 3.000 Passivo Dívidas ? Capital Social 3.000 200 2.800 Estoques Total do Ativo 6.000 Total do Passivo 6.000 II – Transações efetuadas no período: II.1 - Compra de máquinas por R$ 5.000,00, pagando entrada de 20%: as máquinas são compradas para revenda e, por essa razão, são classificadas no Ativo Circulante (Estoques). Estoques (Ativo Circulante) a Diversos a Caixa (Ativo Circulante) a Dívidas (Passivo Circulante) 1.000 4.000 www.pontodosconcursos.com.br 5.000 3 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Estoques Caixa 3.000 1.000 (II.1) 2.000 3.000 5.000 (II.1) 8.000 Dívidas 3.000 4.000 (II.1) 7.000 II.2 - Venda de máquinas por R$ 2.000,00, a prazo, com prejuízo de 20%: Prejuízo na Venda = 20% x 2.000 = 400 Prejuízo na Venda = Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) – Valor da Venda ⇒ ⇒ CMV = Valor da Venda + Prejuízo na Venda = 2.000 + 400 = 2.400 Lançamentos: Clientes (Ativo Circulante) a Receita de Vendas (Receita) 2.000 CMV (Despesa) a Estoques (Ativo Circulante) 2.400 Estoques 3.000 2.400 (II.2’) 5.000 (II.1) 5.600 Clientes 2.000 (II.2) 2.000 Receita de Vendas 2.000 (II.2) 2.000 CMV 2.400 (II.2’) 2.400 II.3 - Pagamento de dívidas de R$ 1.000,00, com desconto de 10%: Dívidas (Passivo Circulante) a Diversos a Caixa (Ativo Circulante) a Descontos Obtidos (Receita) Dívidas 1.000 (II.3) 3.000 4.000 (II.1) 6.000 900 100 1.000 Caixa 3.000 1.000 (II.1) 900 (II.3) 1.100 Descontos Obtidos 100 (II.3) 100 www.pontodosconcursos.com.br 4 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR II.4 - Recebimento de direitos de R$ 500,00, com juros de 10%: Caixa (Ativo Circulante) a Diversos a Clientes (Ativo Circulante) a Juros Ativos (Receita) Clientes 2.000 (II.2) 500 (II.4) 1.500 500 50 550 Caixa 3.000 1.000 (II.1) 550 (II.4) 900 (II.3) 1.650 Juros Ativos 50 (II.4) 50 III – Cálculo do Resultado do Exercício: Receita de Vendas (-) CMV Prejuízo Bruto (+) Descontos Obtidos (+) Juros Ativos Prejuízo do Exercício 2.000 (2.400) (400) 100 50 (250) O valor do Prejuízo do Exercício será transferido para a conta Prejuízos Acumulados. Receita de Vendas (Receita) a Resultado do Exercício 2.000 Resultado do Exercício a CMV (Despesa) 2.400 Descontos Obtidos (Receita) a Resultado do Exercício Juros Ativos (Receita) a Resultado do Exercício 100 50 Prejuízos Acumulados (Patrimônio Líquido) a Resultado do Exercício Receita de Vendas 2.000 (II.2) 2.000 (III’) 2.000 CMV 2.400 (II.2’) 2.400 2.400 (III’’) Descontos Obtidos 100 (II.3) 100 (III’’’) 100 Juros Ativos 50 (II.4) 50 (III’’’’) 50 www.pontodosconcursos.com.br 250 Resultado do Exercício 2.400 (III’’) 2.000 (III’) 100 (III’’’) 50 (III’’’’) 250 250 (*) Prejuízos Acumulados 250 (*) 250 5 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR d) Lucros Acumulados R$ 200,00 – A alternativa é FALSA. e) Lucro Líquido do Período R$ 250,00 – A alternativa é FALSA. IV – Elaboração do Balanço Patrimonial: Ativo Ativo Circulante Caixa Clientes Estoques 1.650 1.500 5.600 Passivo Passivo Circulante Dívidas ? Patrimônio Líquido Capital Social Prejuízos Acumulados Total do Ativo 8.750 Total do Passivo 6.000 200 6.200 2.800 (250) 2.550 8.750 a) Ativo R$ 8.750,00 – A alternativa é VERDADEIRA. b) Passivo R$ 5.550,00 – A alternativa é FALSA. c) Patrimônio Líquido R$ 3.000,00 – A alternativa é FALSA. GABARITO: A 133- A empresa Alfa emitiu uma duplicata de R$ 6.000,00 ao efetuar uma operação de compra e venda com a empresa Beta. Quando essa duplicata for quitada, com desconto de 10%, a empresa Alfa deverá contabilizar o fato da seguinte forma: a) b) c) d) Diversos a Duplicatas a Receber Caixa Descontos Passivos 5.400,00 600,00 6.000,00 Diversos a Caixa Duplicatas a Receber Descontos Ativos 5.400,00 600,00 6.000,00 Duplicatas a Receber a Diversos a Caixa a Descontos Passivos 5.400,00 600,00 6.000,00 Caixa a Diversos a Duplicatas a Pagar a Descontos Ativos 5.400,00 600,00 6.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 6 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR e) Duplicatas a Pagar a Diversos a Caixa a Descontos Ativos 5.400,00 600,00 6.000,00 Comentários (i) Duplicata: título de crédito que pode ser emitido pelas empresas sempre que efetuarem operações de vendas de mercadorias a prazo. (ii) Quando ocorre o pagamento das duplicatas com desconto, efetua-se o seguinte lançamento: Diversos a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) Descontos Concedidos (Despesa) Resolução Empresa: Alfa Duplicata a Receber (duplicatas emitidas) = R$ 6.000,00 Lançamento quando duplicata for quitada, com desconto de 10% = ? I – Lançamento na quitação da duplicata com desconto: Descontos Concedidos (Descontos Passivos) = 10% x 6.000 = 600 Diversos a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) Caixa (Ativo Circulante) 5.400 Descontos Concedidos (Despesa) 600 a) Diversos a Duplicatas a Receber Caixa Descontos Passivos 5.400,00 600,00 6.000 6.000,00 GABARITO: A 134- A firma comercial Alameda & Alamares, em primeiro de março, contratou na Caixa Econômica Federal o desconto de uma duplicata no valor de R$ 2.000,00. Em 30 de março recebeu o aviso de recebimento desse título de crédito e efetuou os lançamentos contábeis cabíveis. No dia seguinte, a empresa recebeu aviso bancário comunicando que houvera um lapso no aviso anterior: a duplicata não fora efetivamente quitada no vencimento, ainda estava em cobrança. Para corrigir corretamente o lançamento, que se tornou indevido em razão do erro bancário, a firma deverá fazer o seguinte lançamento no livro Diário: a) Duplicatas a Receber a Duplicatas Descontadas R$ 2.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 7 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR b) c) d) e) Bancos c/Movimento a Duplicatas Descontadas R$ 2.000,00 Duplicatas a Receber a Bancos c/Movimento R$ 2.000,00 Duplicatas Descontadas a Duplicatas a Receber R$ 2.000,00 Duplicatas Descontadas a Bancos c/Movimento R$ 2.000,00 Comentários (i) Desconto de Duplicatas: a. Nas operações de desconto de duplicatas, a empresa transfere a posse e a propriedade para o banco, que pagará pelas duplicatas um valor descontado dos juros cobrados na operação; b. Normalmente, o juros são estipulados em função do prazo que falta para a liquidação dos títulos; c. A empresa continua responsável, juntamente com os devedores, pelo pagamento das duplicatas (se os devedores não pagarem ao banco, a empresa é que terá que pagar a dívida); d. A empresa só poderá dar baixa nas duplicatas descontadas mediante um aviso de recebimento, pois, caso contrário, o banco debitará a conta corrente da empresa, passando as duplicatas para cobrança simples, caso não sejam devolvidas à empresa; e a. Os lançamentos efetuados são: i. No envio de duplicata para desconto: Diversos a Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante) Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) Despesas Bancárias (Despesa) ii. Aviso de Recebimento (pagamento da duplicata pelo cliente): Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante) a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) iii. Pagamento da duplicata pelo cliente ao Banco com atraso (multa e correção monetária ficam com o banco): Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante) www.pontodosconcursos.com.br 8 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) iv. Falta de pagamento pelo cliente: Diversos a Banco Conta Movimento (Ativo Circulante) Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante) Despesas Bancárias (Despesa) Duplicatas Descontadas: conta retificadora do ativo. Resolução Empresa: Alameda & Alamares 01/março: contratou na Caixa Econômica Federal o Desconto de Duplicata = R$ 2.000,00 30/março: recebeu o aviso de recebimento desse título de crédito No dia seguinte, a empresa recebeu aviso bancário comunicando que houvera um lapso no aviso anterior: a duplicata não fora efetivamente quitada no vencimento, ainda estava em cobrança. Lançamento para corrigir o erro = ? I – 30/março: Aviso de Recebimento da Duplicata pelo Banco: Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante) a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) 2.000 II – 31/março: informação pelo Banco de que houve um erro e a referida duplicata ainda não foi paga. Lançamento de correção: Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) a Duplicatas Descontadas (Ativo Circulante) 2.000 III - A banca examinadora considerou a alternativa “c” como correta e o gabarito não foi alterado após os recursos. Entretanto, para que esta alternativa seja considerada como válida, deve-se dar outra interpretação ao enunciado da questão. Ou seja, a frase “A firma comercial Alameda & Alamares, em primeiro de março, contratou na Caixa Econômica Federal o desconto de uma duplicata no valor de R$ 2.000,00” deve ser entendida como: a empresa contratou a Caixa Econômica Federal para realizar a cobrança da duplicata no valor de R$ 2.000,00 (o que até possui uma certa lógica, pois, apesar de utilizar a palavra desconto, a questão não informou quais foram as despesas bancárias, que normalmente ocorrem em uma operação de desconto de duplicatas). Neste caso: III.1 - 30/março: Aviso de Recebimento da Duplicata pelo Banco: Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) a Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) 2.000 III.2 - 31/março: informação pelo Banco de que houve um erro e a referida duplicata ainda não foi paga. www.pontodosconcursos.com.br 9 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Lançamento de correção: Duplicatas a Receber (Ativo Circulante) a Bancos c/Movimento (Ativo Circulante) 2.000 GABARITO: C 135- Existem certos ativos oriundos de gastos realizados no período corrente que beneficiam o exercício seguinte ou subperíodos de tal exercício. É o caso do prêmio de seguro pago antecipadamente, usualmente remunerando a seguradora por um ano de cobertura de seguro. Em primeiro de julho de 2003 a nossa empresa pagou o contrato anual de seguros de R$ 42.000,00 para cobertura vigente do início de maio/03 ao final de abril do ano seguinte. A empresa utiliza o princípio contábil da competência com atualização mensal e seu exercício social coincide com o ano-calendário. No exemplo ora citado, em 01/07/03, a Contabilidade registrou o seguinte lançamento: a) b) c) d) e) Seguros a vencer a Caixa 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 21.000,00 21.000,00 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 28.000,00 14.000,00 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 14.000,00 28.000,00 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 7.000,00 35.000,00 42.000,00 Comentários (i) Despesa de Seguros (Regime de Competência): o segurado paga, normalmente, de forma antecipada o prêmio do seguro, e, poderá ser indenizado, caso ocorra perda ou dano em relação ao bem objeto da apólice. Caso não ocorra nenhum sinistro, o valor do prêmio não será devolvido pela seguradora. Por essa razão, deve-se lançar o seguro como despesa (presunção de que o valor do prêmio pago antecipadamente não terá contraprestação).Este lançamento pode ser realizado mensalmente ou ao final do exercício. Lançamento: Na aquisição do Seguro (pagamento do prêmio) www.pontodosconcursos.com.br 10 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Seguros a Vencer (Ativo Circulante ou Realizável a Longo Prazo) a Caixa (Ativo Circulante) Lançamento: No reconhecimento das despesas mensais Despesas de Seguros (Despesa) a Seguros a Vencer (Ativo Circulante ou Realizável a Longo Prazo) Resolução 01/julho/2003: empresa pagou o contrato anual de seguros de R$ 42.000,00 Vigência: início de maio/03 ao final de abril do ano seguinte Princípio contábil da competência com atualização mensal Exercício social coincide com o ano-calendário 01/julho/03: Lançamento = ? I – 01/julho/03: Contrato de Seguros = 42.000 (vigência anual: início de maio de 2003 a final de abril de 2004). Despesa Mensal de Seguros = 42.000/12 meses = 3.500 por mês Lançamento em julho: como o seguro iniciou sua vigência em maio e é adotado o princípio da competência, as despesas com seguros no valor de R$ 7.000,00 (R$ 3.500,00 em maio e R$ 3.500,00 em junho) já devem ser lançados como despesas de meses anteriores. Logo, ao contratar o seguro, a empresa efetuará o seguinte lançamento, já descontando: Diversos a Caixa (Ativo Circulante) Seguros a Vencer (Ativo Circulante) Despesas de Seguros – Maio e Junho 35.000 7.000 42.000 GABARITO: E 136- A avaliação do patrimônio, feita em 21 de março, com base no saldo do Razão, demonstrou os seguintes valores: Capital Social Máquinas e Equipamentos Despesa De Salários Mercadorias Contas A Pagar Contas A Receber Receita De Aluguel Salários A Pagar Empréstimos Concedidos Terrenos e Edifícios Receita De Serviço Clientes R$ 2.500,00 R$ 1.250,00 R$ 1.200,00 R$ 1.500,00 R$ 1.400,00 R$ 500,00 R$ 1.300,00 R$ 700,00 R$ 200,00 R$ 800,00 R$ 300,00 R$ 750,00 www.pontodosconcursos.com.br 11 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Ao representar este patrimônio, graficamente, segundo a ordem decrescente do grau de liquidez, encontram-se a) Capital de Terceiros R$ 2.300,00 b) Capital Próprio R$ 2.500,00 c) Capital de Giro Próprio R$ 850,00 d) Capital de Giro R$ 5.000,00 e) Capital Fixo R$ 800,00 Comentários (i) Capital de Terceiros = Passivo Exigível (ii) Capital Próprio = Patrimônio Líquido (iii) Capital Fixo = Ativo Permanente (iv) Capital de giro ou Capital Circulante: corresponde ao valor total do Ativo Circulante da empresa. (v) Capital de giro próprio ou Capital Circulante Líquido ou Capital de Giro Líquido: corresponde à diferença entre o Ativo Circulante e o Passivo Circulante. (vi) Capital em giro: o capital em giro corresponde à soma dos capitais próprios (Patrimônio Líquido) mais os capitais de terceiros (Passivo Circulante e o Exigível a Longo Prazo) aplicados na empresa. Resolução 21/maço: Avaliação do patrimônio I – Determinação do Resultado do Exercício: Receita De Serviço Receita De Aluguel (-) Despesa De Salários Resultado do Exercício 300 1.300 (1.200) 400 (será transferido para Lucros Acumulados) II– Elaboração do Balanço Patrimonial: Ativo Ativo Circulante Mercadorias Contas A Receber Clientes Empréstimos Concedidos Ativo Permanente Máquinas e Equipamentos Terrenos e Edifícios 1.500 500 750 200 2.950 1.250 800 Passivo Passivo Circulante Contas A Pagar Salários A Pagar Patrimônio Líquido Capital Social Lucros Acumulados www.pontodosconcursos.com.br 1.400 700 2.100 2.500 400 12 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR 2.050 Total do Ativo 2.900 5.000 Total do Passivo 5.000 Capital de Terceiros = Passivo Exigível = 2.100 Capital Próprio = Patrimônio Líquido = 2.900 Capital de Giro = Ativo Circulante = 2.950 Capital Fixo = Ativo Permanente = 2.050 Capital de Giro Próprio = CCL = AC – PC = 2.950 – 2.100 = 850 GABARITO: C 137- A empresa Mercantil de Varejos Ltda., no encerramento do exercício social, apurou os saldos do livro Razão apresentando-os da seguinte forma, em ordem alfabética: Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos de Clientes Adiantamentos a Fornecedores Aluguéis Passivos Bancos conta Movimento Capital a Integralizar Capital Social Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Encargos de Depreciação Impostos e Taxas Impostos a Recolher Máquinas e Equipamentos Provisão para Devedores Duvidosos Provisão para Férias Provisão para Imposto de Renda Receitas de Serviços Receitas Diferidas Salários R$ 1.370,00 R$ 900,00 R$ 700,00 R$ 500,00 R$ 400,00 R$ 1.500,00 R$ 4.000,00 R$ 1.000,00 R$ 600,00 R$ 150,00 R$ 130,00 R$ 800,00 R$ 1.570,00 R$ 1.200,00 R$ 400,00 R$ 350,00 R$ 200,00 R$ 3.000,00 R$ 100,00 R$ 250,00 R$ 300,00 R$ 2.000,00 R$ 280,00 R$ 300,00 Analisando-se o balancete de verificação acima, pode-se dizer que o valor dos saldos devedores é de a) R$ 6.320,00. b) R$ 6.500,00. c) R$ 8.000,00. d) R$ 9.500,00. www.pontodosconcursos.com.br 13 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR e) R$ 11.000,00. Comentários (i) Balancete de Verificação: o balancete é a relação de contas e saldos extraídos do livro Razão e sua finalidade é verificar se o total de débitos é igual ao total de créditos. Existem dois tipos de balancetes: Balancete de Verificação Inicial e Balancete de Verificação Final. a. Balancete de Verificação Inicial: levantado antes do encerramento das contas de resultado (antes a apuração contábil do lucro ou prejuízo do exercício). Ou seja, neste tipo de balancete, haverá contas patrimoniais e de resultado; e b. Balancete de Verificação Final: levantado após a apuração do resultado do exercício e de sua distribuição. Por conseguinte, neste balancete só haverá contas patrimoniais. (ii) Receitas Recebidas Antecipadamente: Apresenta-se no Passivo como Receitas Diferidas, também podendo ser classificada como Adiantamento de Clientes. Resolução Empresa: Mercantil de Varejos Ltda Conta Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos de Clientes Adiantamentos a Fornecedores Aluguéis Passivos Bancos conta Movimento Capital a Integralizar Capital Social Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Encargos de Depreciação Impostos e Taxas Impostos a Recolher Máquinas e Equipamentos Provisão para Devedores Duvidosos Provisão para Férias Provisão para Imposto de Renda Receitas de Serviços Receitas Diferidas Salários Total Saldo Devedor 1.370 Saldo Credor 900 700 500 400 1.500 4.000 1.000 600 150 130 800 1.570 1.200 400 350 200 3.000 100 250 300 2.000 280 300 11.000 Característica Ativo Permanente Passivo Circulante Ativo Circulante Despesa Ativo Circulante Patrimônio Líquido – Retificadora Patrimônio Líquido Ativo Circulante Ativo Permanente - Retificadora Ativo Circulante Despesa Ativo Circulante - Retificadora Passivo Circulante Ativo Circulante Despesa Despesa Passivo Circulante Ativo Permanente Ativo Circulante - Retificadora Passivo Circulante Passivo Circulante Receita Passivo Circulante Despesa 11.000 www.pontodosconcursos.com.br 14 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Saldos Devedores = Saldos Credores = R$ 11.000,00 GABARITO: E 138- Os dados relacionados a seguir representam a movimentação completa do estoque de bens “Alfa”, durante o mês de outubro, considerando-o como item isento de tributação data out.01 out.07 out.09 out.12 out.15 movimento estoque inicial compra a vista venda a vista compra a prazo venda a prazo quantidade 10 unidades 15 unidades 13 unidades 05 unidades 07 unidades valor unitário R$12,00 R$14,00 R$20,00 R$15,00 R$23,00 valor total R$120,00 R$210,00 R$260,00 R$ 75,00 R$161,00 Observando-se as informações fornecidas, calcule e assinale a opção correta. a) Pelo critério PEPS, a operação do dia nove rendeu lucro bruto de R$78,00. b) Pelo critério Preço Médio, o estoque final, no dia quinze é de R$135,00. c) Pelo critério UEPS, o estoque no início do dia doze era de R$168,00. d) Pelo critério PEPS, essa mercadoria rendeu no período lucro bruto de R$161,00. e) Pelo critério Preço Médio, o Custo da Mercadoria Vendida foi de R$ 270,00. Comentários (i) Métodos de Apuração do Custo do Estoque: Preço específico, PEPS ou FIFO, UEPS ou LIFO e Custo Médio Ponderado Móvel (utilizados no sistema de inventário permanente, onde, a cada venda, é possível saber o custo das mercadorias vendidas). a. Preço Específico: o custo de cada unidade do estoque é o preço efetivamente pago para cada item. Normalmente, este método é utilizado para mercadorias de valor significativo, distinguíveis entre si, como por exemplo, em uma revenda de automóveis usados; b. PEPS ou FIFO (Primeiro que Entra é o Primeiro que Sai, First-In-First-Out): por este método, à medida que ocorrem as vendas, vai-se dando baixa no estoque a partir das primeiras compras (mercadorias mais antigas), ou seja, vendem-se ou consomem-se antes as primeiras mercadorias compradas; c. UEPS ou LIFO (Último que Entra é o Primeiro que Sai, Last-In-First-Out): ao contrário do método PEPS, dá-se primeiro a saída da mercadorias mais recentes, ou seja, das últimas mercadorias que foram adquiridas; e d. Custo Médio Ponderado Móvel: através deste método, o custo médio de cada unidade em estoque é alterado pelas compras de outras unidades por um preço diferente (a cada nova aquisição de mercadorias, uma nova média é calculada). (ii) Legislação do Imposto de Renda: permite, apenas, a utilização dos métodos do preço específico, do custo médio ponderado móvel ou do PEPS, não permitindo, para fins fiscais, a utilização do UEPS. www.pontodosconcursos.com.br 15 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Resolução Dados: Movimentação completa do estoque de bens “Alfa” Item isento de tributação data out.01 out.07 out.09 out.12 out.15 movimento estoque inicial compra a vista venda a vista compra a prazo venda a prazo quantidade 10 unidades 15 unidades 13 unidades 05 unidades 07 unidades valor unitário R$12,00 R$14,00 R$20,00 R$15,00 R$23,00 valor total R$120,00 R$210,00 R$260,00 R$ 75,00 R$161,00 I – Método PEPS Entrada Quant. Valor Unitário Total Data EI (01/out) 07/out 15 14 210 10 3 09/out (*1) 12/out 5 15 7 20 12 14 285 20 14 Saldo Quant. Valor Unitário Total 10 12 120 10 15 12 14 12 14 12 5 14 15 98 5 5 14 15 260 5 5 14 15 120 42 162 75 15/out (*2) Soma Saída Quant. Valor Unitário Total 120 210 330 168 168 75 243 70 75 145 70 75 145 (*1) A primeira venda foi de 13 unidades. Logo, sairão do estoque as 10 unidades do estoque inicial e 3 unidades da primeira compra. (*2) A segunda venda foi de 7 unidades. Logo, sairão do estoque as 7 unidades da primeira compra. I.1 – Cálculo do Lucro Bruto (PEPS): Lucro Bruto = Receita de Vendas – Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) Receita de Vendas = 260 (09/out) + 161 (15/out) = 421 CMV = 260 (vide tabela acima) Lucro Bruto = 421 – 260 = 161 www.pontodosconcursos.com.br 16 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR d) Pelo critério PEPS, essa mercadoria rendeu no período lucro bruto de R$161,00. – A alternativa é VERDADEIRA. I.2 – Cálculo do Lucro Bruto no dia 09/out (PEPS): Lucro Bruto = Receita de Vendas – Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) Receita de Vendas = 260 (09/out) CMV = 162 (09/out) (vide tabela acima) Lucro Bruto (09/out) = 260 – 162 = 98 a) Pelo critério PEPS, a operação do dia nove rendeu lucro bruto de R$78,00. – A alternativa é FALSA. II – Método UEPS Entrada Quant. Valor Unitário Total Data EI (01/out) 07/out 15 14 210 13 09/out (*1) 12/out 5 15 2 5 20 14 182 75 15/out (*2) Soma Saída Quant. Valor Unitário Total 285 20 14 15 28 75 103 285 Saldo Quant. Valor Unitário Total 10 12 120 10 15 12 14 10 2 12 14 10 2 5 12 14 15 10 12 120 210 330 120 28 148 120 28 75 223 120 10 12 120 (*1) A primeira venda foi de 13 unidades. Logo, sairão do estoque as 13 unidades da primeira compra. (*2) A segunda venda foi de 7 unidades. Logo, sairão do estoque as 2 unidades restantes da primeira compra e 5 unidades da segunda compra. Estoque (início do dia 12/out) = Estoque (fim do dia 09/out) = 148 (vide tabela) c) Pelo critério UEPS, o estoque no início do dia doze era de R$168,00. – A alternativa é FALSA. III – Método do Custo Médio (Preço Médio) www.pontodosconcursos.com.br 17 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Data Entrada Quant. Valor Unitário Total EI (01/out) 07/out 09/out 12/out 15/out (*2) Soma 15 5 20 14 15 Saída Quant. Valor Unitário Total 210 13 13,2 171,6 7 13,73 96,1 25 12 17 10 267,7 10 75 285 Saldo Quant. Valor Unitário Total 10 12 120 20 13,2 (*1) 13,2 13,73 13,73 330 158,4 233,4 137,3 13,73 137,3 (*1) Preço Unitário = (10 x 12 + 15 x 14)/25 = 13,2 (*2) Preço Unitário = (12 x 13,2 + 5 x 15)/17 = 13,73 Estoque Final (15/out) = 137,3 (vide tabela acima) Custo das Mercadorias Vendidas (CMV) = 267,7 (vide tabela acima) b) Pelo critério Preço Médio, o estoque final, no dia quinze é de R$135,00. – A alternativa é FALSA. e) Pelo critério Preço Médio, o Custo da Mercadoria Vendida foi de R$ 270,00. - – A alternativa é FALSA. GABARITO: D 139- A Metalúrgica de Reposição tinha máquinas e equipamentos comprados em julho de 2000 por R$ 40.000,00, com vida útil estimada em 10 anos. A depreciação tem sido feita em bases anuais considerando valor residual de 10%. Quando o seu Zé Moura vendeu esse equipamento, no fim de março de 2004, por R$ 20.000,00, teve de contabilizar “perda de capital” no valor de a) R$ 3.400,00. b) R$ 5.000,00. c) R$ 6.000,00. d) R$ 6.500,00. e) R$ 7.400,00. Comentários (i) Taxa de Depreciação = 1/Vida Útil do Bem. (ii) Valor Residual: valor provável da realização do bem após ser totalmente depreciado. Caso o valor residual seja diferente de ZERO, deverá ser subtraído do valor do custo de aquisição do bem a ser depreciado. Este resultado é que servirá de base de cálculo para a taxa de depreciação. (iii) Método das Quotas Constantes ou Método Linear ou Método da Linha Reta: método de depreciação onde a depreciação acumulada é diretamente proporcional ao www.pontodosconcursos.com.br 18 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR tempo, ou seja, é uma função linear. Pode-se calcular a depreciação, por este método, de duas formas: i. Aplica-se a taxa constante sobre o valor depreciado; ou ii. Divide-se o valor depreciado pelo tempo de vida útil. (iv) Ganhos ou Perdas de Capital: são os resultados obtidos nas transações de Bens ou Direitos do Ativo Permanente, seja por alienação, desapropriação, baixa por perecimento, extinção, desgaste, obsolescência, exaustão ou liquidação. São determinados através da diferença entre o valor contábil do Bem e o resultado obtido na sua alienação ou baixa. (v) Valor Contábil do Bem: saldo pelo qual o Bem está registrado na escrituração comercial diminuído, caso existam, da depreciação, amortização ou exaustão acumulada. (vi) Alienação de Bens do Ativo Permanente: Ganho de Capital = Valor da alienação maior que o Valor Contábil; e Perda de Capital = Valor da alienação menor que o Valor Contábil. Resolução Empresa: Metalúrgica de Reposição Máquinas e Equipamentos (comprados em julho de 2000) = R$ 40.000,00 Vida Útil = 10 anos. Valor Residual = 10%. Alienação (fim de março de 2004) = R$ 20.000,00 Perda de Capital = ? I – Cálculo da Taxa de Depreciação: Taxa de Depreciação = 1/Vida Útil = 1/10 = 0,1 = 10% II – Determinação da Base de Cálculo da Depreciação: Valor Residual (10%) = 10% x Valor de Aquisição = 10% x 40.000 = 4.000 Base de Cálculo = Valor de Aquisição – Valor Residual = 40.000 – 4.000 = 36.000 III – Cálculo da Depreciação Acumulada até a alienação: Período Total: de julho de 2000 até fim de março de 2004 Julho/2000 a Dezembro/2000 Janeiro/2001 a Dezembro/2003 Janeiro/2004 a Março/2004 Período Total 6 meses 3 anos 3 meses 3 anos e 9 meses Período Total = 3 anos e 9 meses = 3 anos + 9/12 anos = 3,75 anos Depreciação Acumulada = Taxa de Depreciação x Período Total x Base de Cálculo ⇒ ⇒ Depreciação Acumulada = 10% x 3,75x 36.000 = 13.500 www.pontodosconcursos.com.br 19 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR IV – Cálculo do Valor Contábil dos Bens: Valor Contábil = Valor de Aquisição – Depreciação Acumulada = 40.000 – 13.500 ⇒ ⇒ Valor Contábil = 26.500 V – Cálculo da Perda de Capital na Alienação: Perda de Capital = Valor Contábil – Valor da Alienação = 26.500 – 20.000 = 6.500 GABARITO: D 140- Quando a Mercearia Leôncio Ltda, em abril de 2002, adquiriu o seu caminhão de entrega por R$ 25.000,00, o preço desse carro no mercado já era R$ 28.000,00. O contador da empresa registra a depreciação pelo método linear, considerando vida útil de 5 anos e valor residual de 20%. No balanço patrimonial de 2003, levantado em 31 de dezembro, a conta Depreciação Acumulada, em relação a esse carro, deverá ter saldo credor no valor de a) R$ 7.000,00. b) R$ 7.840,00. c) R$ 8.000,00. d) R$ 8.750,00. e) R$ 9.800,00. Resolução Empresa:Mercearia Leôncio Ltda Caminhão (adquirido em abril de 2002) = 25.000 (valor de aquisição) Valor de Mercado do Caminhão em abril de 2002 = 28.000 Depreciação: método linear Vida Útil = 5 anos Valor Residual = 20% Depreciação Acumulada em dezembro de 2003 = ? I – Cálculo da Taxa de Depreciação: Taxa de Depreciação = 1/Vida Útil = 1/5 = 0,2 = 20% II – Determinação da Base de Cálculo da Depreciação: Valor Residual (20%) = 20% x Valor de Aquisição = 20% x 25.000 = 5.000 Base de Cálculo = Valor de Aquisição – Valor Residual = 25.000 – 5.000 = 20.000 III – Cálculo da Depreciação Acumulada até a alienação: Período Total: de abril de 2002 até fim de dezembro de 2003 Abril/2002 a Dezembro/2002 Janeiro/2003 a Dezembro/2003 Período Total 9 meses 1 anos 1 anos e 9 meses www.pontodosconcursos.com.br 20 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Período Total = 1 anos e 10 meses = 1 anos + 9/12 anos = 1,75 ano Depreciação Acumulada = Taxa de Depreciação x Período Total x Base de Cálculo ⇒ ⇒ Depreciação Acumulada = 20% x 1,75 x 20.000 = 7.000 GABARITO: A 141- Em primeiro de maio a nossa mercearia tinha um estoque de 80 dúzias de laranjas, avaliadas ao custo unitário de R$ 1,00 a dúzia. Na primeira semana do mês ocorreu movimento nessa ordem: 1- venda de 40 dúzias ao preço de R$ 2,00 por dúzia; 2- compra de 80 dúzias pelo preço de R$ 80,00 a partida; 3- venda de 60 dúzias ao preço de R$ 1,80 por dúzia; 4- compra de 40 dúzias ao preço de R$ 1,00 por dúzia. Se as compras e vendas fossem isentas de ICMS, o estoque final que calculamos teria sido de R$ 100,00. Todavia, as compras sofrem ICMS de 12% e as vendas são tributadas a 17%. Por essa razão, o valor do estoque final, avaliado pelo critério UEPS, foi no valor de a) R$ 83,00. b) R$ 88,00. c) R$ 89,80. d) R$ 92,80. e) R$ 97,00. Comentários (i) ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) a. O valor do ICMS pago ao fornecedor por ocasião da compra corresponde a um direito da empresa (ICMS a Recuperar); b. O valor do ICMS que a empresa recebe de um cliente por ocasião da venda de mercadorias representa uma obrigação (ICMS a Recolher); Resolução Estoque Inicial = 80 dúzias de laranjas (custo unitário = R$ 1,00 a dúzia) Na primeira semana do mês ocorreu movimento nessa ordem: 1- venda de 40 dúzias ao preço de R$ 2,00 por dúzia; 2- compra de 80 dúzias pelo preço de R$ 80,00 a partida; 3- venda de 60 dúzias ao preço de R$ 1,80 por dúzia; 4- compra de 40 dúzias ao preço de R$ 1,00 por dúzia. ICMS s/ Compras = 12% ICMS s/ Vendas = 17% Estoque Final (avaliado pelo critério UEPS) = ? www.pontodosconcursos.com.br 21 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR I – Cálculo do ICMS s/ Compras e dos custos unitários: I.1 – Compra de 80 dúzias pelo preço de R$ 80,00 a partida: ICMS s/ Compras = 12% x 80 = 9,6 Custo das Compras = 80 – ICMS s/ Compras = 80 – 9,6 = 70,4 Custo Unitário = Custo das Compras/80 dúzias = 70,4/80 = 0,88 I.2 – Compra de 40 dúzias ao preço de R$ 1,00 a dúzia Valor da Compra = 40 dúzias x R$ 1,00 = R$ 40,00 ICMS s/ Compras = 12% x 40 = 4,8 Custo das Compras = 40 – ICMS s/ Compras = 40 – 4,8 = 35,2 Custo Unitário = Custo das Compras/40 dúzias = 35,2/40 = 0,88 II – Determinação do Estoque Final pelo critério UEPS (Último que Entra, Primeiro que Sai): Data EI 1 (*1) 2 Entrada Quant. Valor Unitário Total 80 0,88 40 Soma 120 0,88 40 1 40 60 0,88 52,8 70,4 3 (*2) 4 Saída Quant. Valor Unitário Total 35,2 105,6 100 92,8 Saldo Quant. Valor Unitário Total 80 1 80 40 1 40 40 1 40 80 0,88 70,4 110,4 40 1 40 20 0,88 17,6 57,6 40 1 40 20 0,88 17,6 40 0,88 35,2 92,8 40 1 40 20 0,88 17,6 40 0,88 35,2 92,8 (*1) A primeira venda foi de 40 dúzias. Logo, sairão do estoque as 40 dúzias do estoque inicial. (*2) A segunda venda foi de 60 dúzias. Logo, sairão do estoque 60 dúzias da primeira compra. Estoque Final = 92,8 (vide tabela acima) GABARITO: D 142- João Paulo é um bom negociante. Comprou a prazo um carro por R$ 30.000,00, tributado com ICMS de 12%, mas sabe que, ao vender esse item, será alcançado com ICMS de 17%. Por isto, para obter um lucro bruto de 15% sobre o preço de venda, João Paulo sabe que terá de obter para seu carro o preço de a) R$ 39.600,00. www.pontodosconcursos.com.br 22 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR b) R$ 37.500,00. c) R$ 38.823,53. d) R$ 36.000,00. e) R$ 34.500,00. Resolução João Paulo Comprou a prazo um carro por R$ 30.000,00 (ICMS de 12%) ICMS s/ Vendas = 17% Lucro Bruto de 15% sobre o preço de venda Preço de Venda = ? I – Cálculo do Preço de Venda: ICMS s/ Compras = 12% x Valor de Aquisição = 12% x 30.000 = 3.600 Custo da Mercadoria Vendida = Valor de Aquisição – ICMS s/ Compras ⇒ ⇒ Custo da Mercadoria Vendida = 30.000 – 3.600 = 26.400 Receita de Vendas PV (-) ICMS s/ Vendas (17%) (17% x PV) Receita Líquida de Vendas 0,83 x PV (-) Custo da Mercadoria Vendida (26.400) Lucro Bruto 0,83 x PV – 26.400 Lucro Bruto = 15% x Receita de Vendas = 0,15 x PV Lucro Bruto = 0,83 x PV – 26.400 (i) (ii) (i) = (ii) 0,15 x PV = 0,83 x PV – 26.400 ⇒ 0,83 x PV – 0,15 x PV = 26.400 ⇒ ⇒ 0,68 x PV = 26.400 ⇒ PV = 38.823,53 GABARITO: C 143- As contas abaixo foram extraídas do Razão da empresa Efemérides S/A, no encerramento do exercício, em 31.12.03 e representam todas as contas de resultado, além de algumas outras contas e outros itens. Mercadorias/estoque inicial Receita Bruta de Vendas Compras a Vista e a Prazo Móveis e Utensílios ICMS sobre Vendas ICMS sobre Compras ICMS a Recolher Provisão para Imposto de Renda Despesas Administrativas COFINS Fornecedores Capital Social PIS sobre o Faturamento R$ 4.200,00 R$ 20.000,00 R$ 8.000,00 R$ 15.200,00 R$ 3.000,00 R$ 1.200,00 R$ 1.800,00 R$ 1.000,00 R$ 1.500,00 R$ 600,00 R$ 14.000,00 R$ 25.000,00 R$ 200,00 www.pontodosconcursos.com.br 23 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Depreciação Acumulada Mercadorias/estoque final Despesas Antecipadas R$ 2.200,00 R$ 2.000,00 R$ 3.200,00 Ao elaborar a Demonstração do Resultado do Exercício de 2003, com fulcro, exclusivamente, nas informações acima, vamos encontrar a) Receita Líquida de Vendas no valor de R$ 14.400,00. b) Custo das Mercadorias Vendidas no valor de R$ 10.200,00. c) Lucro Operacional Bruto no valor de R$8.000,00. d) Lucro Operacional Líquido no valor de R$ 3.500,00. e) Lucro Líquido do Exercício no valor de R$ 4.700,00. Comentários (i) Despesas Antecipadas: conta do Ativo Circulante (princípio da Competência). (ii) Rédito = Resultado do Exercício. (iii) Lei no 6.404 (Lei das Sociedades Anônimas), de 15/12/1976: Demonstração do Resultado do Exercício Receita Bruta (-) Deduções da Receita Bruta (=) Receita Líquida (-) Custo das Mercadorias/Produtos/Serviços Vendidos/Prestados (=) LUCRO BRUTO (-) Despesas c/ Vendas (-) Despesas Financeiras (+) Receitas Financeiras (-) Despesas Gerais e Administrativas (-) Outras Despesas Operacionais (+) Outras Receitas Operacionais (=) LUCRO/PREJUÍZO OPERACIONAL (+) Receitas Não-operacionais (-) Despesas Não-operacionais (-) Despesa com Provisão da CSLL (Contribuição Social sobre o Líquido) (=) RESULTADO DO EXERCÍCIO ANTES DO IMPOSTO DE RENDA (-) Despesa c/ Provisão do Imposto de Renda (-) Despesa c/ Participações Societárias sobre o Lucro Participações de Debêntures Participações de Empregados Participações de Administradores Participações de Partes Beneficiárias (=) LUCRO/PREJUÍZO LÍQUIDO Lucro/Prejuízo Líquido por Ação Resolução Empresa: Efemérides S/A Encerramento do exercício: 31.12.03 www.pontodosconcursos.com.br 24 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Demonstração do Resultado do Exercício de 2003 = ? I – Cálculo do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV): CMV = EI + C – EF EI = Mercadorias/estoque inicial = 4.200 C = Compras a Vista e a Prazo - ICMS sobre Compras = 8.000 – 1.200 = 6.800 EF = Mercadorias/estoque final = 2.000 CMV = 4.200 + 6.800 – 2.000 = 9.000 II – Elaboração da Demonstração do Resultado do Exercício: Receita Bruta de Vendas 20.000 (-) COFINS (600) (-) PIS sobre o Faturamento (200) (-) ICMS s/ Vendas (3.000) Receita Líquida de Vendas 16.200 (-) CMV (9.000) Lucro Operacional Bruto 7.200 (-) Despesas Administrativas (1.500) Lucro Antes do Imposto de Renda 5.700 (Lucro Operacional Líquido) (-) Provisão para Imposto de Renda (1.000) Lucro Líquido do Exercício 4.700 GABARITO: E 144- A empresa Mercantil de Varejos Ltda., no encerramento do exercício social, apurou os saldos do livro Razão apresentando-os da seguinte forma, em ordem alfabética: Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos de Clientes Adiantamentos a Fornecedores Aluguéis Passivos Bancos conta Movimento Capital a Integralizar Capital Social Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Encargos de Depreciação Fornecedores Impostos e Taxas Impostos a Recolher Máquinas e Equipamentos Mercadorias Provisão para Devedores Duvidosos R$ 4.110,00 R$ 2.700,00 R$ 2.100,00 R$ 1.500,00 R$ 1.200,00 R$ 4.000,00 R$12.000,00 R$ 3.000,00 R$ 1.800,00 R$ 450,00 R$ 390,00 R$ 2.400,00 R$ 4.710,00 R$ 3.600,00 R$ 1.200,00 R$ 2.500,00 R$ 1.050,00 R$ 600,00 R$ 9.000,00 R$ 3.000,00 R$ 300,00 www.pontodosconcursos.com.br 25 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Provisão para Férias Provisão para Imposto de Renda Receitas de Serviços Receitas Diferidas Salários R$ 750,00 R$ 900,00 R$ 6.000,00 R$ 840,00 R$ 900,00 Ao ser elaborado o Balanço Patrimonial, segundo os dados do balancete de verificação acima, podese dizer que o valor do Ativo será de a) R$ 19.860,00. b) R$ 21.960,00. c) R$ 24.660,00. d) R$ 26.460,00. e) R$ 27.000,00. Resolução Resolução Empresa: Mercantil de Varejos Ltda Ativo = ? I – Balancete de Verificação: Conta Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos de Clientes Adiantamentos a Fornecedores Aluguéis Passivos Bancos conta Movimento Capital a Integralizar Capital Social Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Encargos de Depreciação Fornecedores Impostos e Taxas Impostos a Recolher Máquinas e Equipamentos Mercadorias Provisão para Devedores Duvidosos Provisão para Férias Provisão para Imposto de Renda Receitas de Serviços Receitas Diferidas Saldo Devedor 4.110 Saldo Credor 2.700 2.100 1.500 1.200 4.000 12.000 3.000 1.800 450 390 2.400 4.710 3.600 1.200 2.500 1.050 600 9.000 3.000 300 750 900 6.000 840 Característica Ativo Permanente Passivo Circulante Ativo Circulante Despesa Ativo Circulante Patrimônio Líquido – Retificadora Patrimônio Líquido Ativo Circulante Ativo Permanente - Retificadora Ativo Circulante Despesa Ativo Circulante - Retificadora Passivo Circulante Ativo Circulante Despesa Passivo Circulante Despesa Passivo Circulante Ativo Permanente Ativo Circulante Ativo Circulante - Retificadora Passivo Circulante Passivo Circulante Receita Passivo Circulante www.pontodosconcursos.com.br 26 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Salários 900 35.500 Total Despesa 35.500 II – Ativo: Conta Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos a Fornecedores Bancos conta Movimento Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Duplicatas Descontadas Duplicatas a Receber Máquinas e Equipamentos Mercadorias Provisão para Devedores Duvidosos Total Saldo 4.110 2.100 1.200 3.000 (1.800) 450 (2.400) 3.600 9.000 3.000 (300) Característica Ativo Permanente Ativo Circulante Ativo Circulante Ativo Circulante Ativo Permanente - Retificadora Ativo Circulante Ativo Circulante - Retificadora Ativo Circulante Ativo Permanente Ativo Circulante Ativo Circulante - Retificadora 21.960 GABARITO: B 145- Observe a seguinte demonstração do lucro operacional bruto: Receita Bruta de Vendas Deduções da Receita Bruta Receita Líquida de Vendas Custo da Mercadoria Vendida Lucro Operacional Bruto R$ 100.000,00 (R$ 18.000,00) R$ 82.000,00 (R$ 35.000,00) R$ 47.000,00 Observação: Os estoques usados no cálculo do CMV foram: - estoque inicial de R$ 30.000,00 - estoque final de R$ 30.000,00 Após a elaboração da demonstração acima, ficou comprovado que o estoque inicial que serviu de base ao cálculo do CMV – Custo da Mercadoria Vendida, fora subavaliado em R$ 7.500,00. Feitas as correções contábeis, certamente, vamos encontrar o seguinte valor para a) Estoque Inicial R$ 22.500,00. b) Custo da Mercadoria Vendida R$ 27.500,00. c) Estoque Final R$ 37.500,00. d) Lucro Operacional Bruto R$ 39.500,00. e) Compras R$ 42.500,00. Resolução Estoque inicial subavaliado em R$ 7.500,00 I – Determinação do novo Estoque Inicial: Estoque Inicial após Ajuste = Estoque Inicial + Ajuste = 30.000 + 7.500 = 37.500 www.pontodosconcursos.com.br 27 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR II – Determinação do Custo das Mercadorias Vendidas (CMV): observe que a questão só fala em subavaliação do Estoque Inicial, ou seja, o Estoque Final e as Compras do período não sofreram nenhuma alteração. CMV após ajuste = Estoque Inicial após Ajuste + Compras – Estoque Final ⇒ ⇒ CMV após ajuste = Estoque Inicial (EI) + Ajuste + Compras (C) – Estoque Final (EF) ⇒ ⇒ CMV após ajuste = EI + C – EF + Ajuste = CMV antes ajuste + Ajuste ⇒ ⇒ CMV após ajuste = 35.000 + 7.500 = 42.500 III – Determinação do Valor das Compras do Período: CMV após ajuste = EI após ajuste + C – EF ⇒ 42.500 = 37.500 + C – 30.000 ⇒ ⇒ C = 42.500 – 37.500 + 30.00 ⇒ C = 35.000 IV – Determinação do Lucro Operacional Bruto após ajuste: Receita Líquida de Vendas (RLV) (-) CMV após Ajuste Lucro Operacional Bruto 82.000 (42.500) 39.500 GABARITO: D 146- A Comercial Lima S/A apresentou-nos o seguinte extrato de sua D.R.E, para fazermos o cálculo do lucro líquido por ação, que deverá constar ao fim da demonstração, no exercício em causa: Demonstração do Resultado do Exercício Receita Bruta de Vendas e Serviços Lucro Operacional Bruto Lucro Operacional Líquido Lucro Líquido antes do IR e da CSLL (-) Provisão para Imposto de Renda (-) Provisão para CSLL Lucro Líquido após o IR e a CSLL R$ 10.000.000,00 R$ 7.000.000,00 R$ 1.500.000,00 R$ 500.000,00 R$ 100.000,00 R$ 50.000,00 R$ 350.000,00 A partir dos dados demonstrados acima foram calculados e contabilizados apenas os itens seguintes: Reserva legal de 5%; Participação de Administradores 10%; Participação de Empregados 10%. Sabemos que a conta Reserva Legal tem saldo de R$6.000,00; que a quantidade das ações do Capital Social é de 100 mil ações a valor unitário de R$1,25, e que os cálculos em moeda corrente têm arredondamento matemático, quando necessário. De posse dessas informações e dados, completamos nossos cálculos encontrando o lucro líquido de a) R$ 3,50 por ação de capital social. b) R$ 3,15 por ação de capital social. c) R$ 2,84 por ação de capital social. d) R$ 2,80 por ação de capital social. e) R$ 2,69 por ação de capital social. www.pontodosconcursos.com.br 28 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Comentários Participações Estatutárias: Lei no 6.404/76 (i) O artigo 189 da Lei da S/A define que as participações estatutárias são: - Debenturistas; - Empregados; - Administradores; e - Partes Beneficiárias. A base de cálculo dessas participações é: Base de Cálculo = Resultado antes do IR – IR – Prejuízos Acumulados Além disso, o artigo 190 da Lei das S/A determina que as participações dos empregados, administradores e partes beneficiárias serão determinadas, sucessivamente, e nessa ordem, com base nos lucros que remanescerem depois de deduzida a participação anteriormente calculada. Apesar do artigo 190 não fazer referência aos debenturistas, esta participação deverá ser a primeira a ser calculada. Art. 189. Do resultado do exercício serão deduzidos, antes de qualquer participação, os prejuízos acumulados e a provisão para o Imposto sobre a Renda. Parágrafo único. o prejuízo do exercício será obrigatoriamente absorvido pelos lucros acumulados, pelas reservas de lucros e pela reserva legal, nessa ordem. Art. 190. As participações estatutárias de empregados, administradores e partes beneficiárias serão determinadas, sucessivamente e nessa ordem, com base nos lucros que remanescerem depois de deduzida a participação anteriormente calculada. Resolução Empresa: Comercial Lima S/A Lucro Líquido após o IR e a CSLL R$ 350.000,00 A partir dos dados demonstrados acima foram calculados e contabilizados apenas os itens seguintes: Reserva legal de 5%; Participação de Administradores 10%; Participação de Empregados 10%. Reserva Legal = R$6.000,00 Ações do Capital Social = 100 mil ações a valor unitário de R$1,25 Lucro Líquido do Exercício = ? I – Cálculo das Participações Estatutárias: I.1 – Participação de Empregados (10%): www.pontodosconcursos.com.br 29 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Base de Cálculo = Lucro Líquido após o IR e a CSLL = 350.000 Participação de Empregados = 10% x Base de Cálculo = 10% x 350.000 = 35.000 I.2 – Participação de Administradores (10%): Base de Cálculo = Lucro Líq. após o IR e a CSLL – Partic. de Empregados ⇒ ⇒ Base de Cálculo = 350.000 - 35.000 = 315.000 Participação de Administradores = 10% x Base de Cálculo ⇒ ⇒ Participação de Administradores = 10% x 315.000 = 31.500 II – Determinação do Lucro Líquido do Exercício: repare que a Reserva Legal é calculada após a transferência do Resultado do Exercício para a conta Lucros Acumulados. Portanto, não afeta o Lucro Líquido do Exercício. Lucro Líquido após o IR e a CSLL (-) Participação de Empregados (-) Participação de Administradores Lucro Líquido do Exercício 350.000 (35.000) (31.500) 283.500 III – Cálculo do Lucro por ação do Capital Social: Quantidade de Ações = 100.000 Lucro Líquido do Exercício (LLEx) = 283.500 Lucro por ação = LLEx/Quant. de Ações = 283.500/100.000 = 2,835 ≈ R$ 2,84 GABARITO: C 147- A empresa S/A Eventos Eventuais, no exercício de 2003, após a elevação do capital em dinheiro publicou os seguintes valores de patrimônio líquido: Patrimônio Líquido Saldos no início do período Capital Social R$30.000,00 Reservas de Capital R$ 5.000,00 Reservas de Reavaliação R$ 3.000,00 Reservas de Lucros R$ 2.000,00 Lucros ou Prejuízos Acumulados (R$ 1.000,00) Total do PL R$39.000,00 Saldos no fim do período R$33.000,00 R$ 4.000,00 R$ 4.500,00 R$ 5.000,00 R$ 1.500,00 R$48.000,00 Pela evolução ocorrida no patrimônio líquido, conforme as informações acima, pode-se dizer que o lucro líquido do exercício incluído na Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados foi no valor de a) R$ 5.000,00. b) R$ 5.500,00. c) R$ 6.000,00. d) R$ 7.500,00. e) R$ 9.000,00. www.pontodosconcursos.com.br 30 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Resolução Empresa: S/A Eventos Eventuais Lucro Líquido do Exercício = ? I – Determinação do Lucro Líquido do Exercício: o lucro líquido do exercício deve ser determinado pelo aumento dos saldos da conta Lucros ou Prejuízos Acumulados e da conta de Reserva de Lucros. Aumento do saldo de Lucros/Prejuízos Acumulados = Saldo do Fim do Período – Saldo do Início do Período ⇒ ⇒ Aumento do Saldo de Lucros/Prejuízos Acumulados = 1.500 – (-1.000) = 2.500 Aumento do saldo de Reserva de Lucros = Saldo do Fim do Período – Saldo do Início do Período ⇒ ⇒ Aumento do Saldo de Reserva de Lucros = 5.000 – 2.000 = 3.000 Aumento do saldo de Lucros/Prejuízos Acumulados 2.500 Aumento do Saldo de Reserva de Lucros 3.000 Lucro Líquido do Exercício 5.500 GABARITO: B 148- Assinale a opção que contém a frase incorreta. a) A demonstração das origens e aplicações de recursos indicará as modificações na posição financeira da companhia. b) As aplicações de recursos são representadas pelas diminuições no Capital Circulante Líquido. c) As variações monetárias de dívidas de longo prazo são despesas que afetam o lucro mas não alteram o Capital Circulante Líquido. d) Produtos da alienação de partes beneficiárias e de bônus de subscrição são também reservas de capital constituídas pelo ingresso de recursos que aumentam, o Capital Circulante Líquido. e) Existem vários tipos de transações efetuadas que afetam o Capital Circulante Líquido, mas são representadas como origens e aplicações simultaneamente. Comentários (i) Capital Circulante Líquido (CCL): representa a situação financeira da empresa no curto prazo e é representado por: CCL = Ativo Circulante (AC) – Passivo Circulante (PC) (ii) Espécies de Capital Circulante Líquido: a. CCL próprio ou positivo: AC > PC (bens e direitos que a empresa possui, realizáveis no próximo exercício social, são mais que suficientes para pagar a obrigações de curto prazo); b. CCL de terceiros ou negativo: AC < PC (bens e direitos que a empresa possui, realizáveis no próximo exercício social, são insuficientes para pagar a obrigações de curto prazo); e c. CCL nulo: AC = PC. www.pontodosconcursos.com.br 31 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR (iii) Demonstração de Origens e Aplicações de Recursos (DOAR): indica a modificação na posição financeira da empresa. É obrigatória para todas as companhias abertas e para as companhias fechadas com patrimônio líquido, na data do balanço, superior a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), de acordo com o art. 176, § 6º, da Lei no 6.404/76. (iv) Origens do Capital Circulante Líquido: todas as operações que aumentem o capital circulante líquido: aumento do ativo circulante ou redução do passivo circulante, em operações que envolvam também os grupos não circulantes; (v) Aplicações do Capital Circulante Líquido: todas as operações que reduzem o capital circulante líquido: redução do ativo circulante ou aumento do passivo circulante, em operações que também envolvam grupos não circulantes; (vi) Variação do Capital Circulante Líquido (ΔCCL) = Origens – Aplicações; (vii) Estrutura da DOAR: 1. Origens de Recursos (a) Lucro Líquido do Exercício (+) Depreciação, Amortização, Exaustão; (+) Aumento no Resultado de Exercícios Futuros (+) Perda de Equivalência Patrimonial (+) Variação Monetária Passiva de Longo Prazo (+) Prejuízo nas Vendas de Bens e Direitos do Ativo Permanente (-) Diminuição no Resultado de Exercícios Futuros (-) Ganho de Equivalência Patrimonial (-) Variação Monetária Ativa de Longo Prazo (-) Lucro nas Vendas de Bens e Direitos do Ativo Permanente Lucro Ajustado (b) Aumento do Passivo Exigível a Longo Prazo (PELP) (c) Alienação de Bens e Direitos do Ativo Permanente (Valor da Venda) (d) Diminuição do Ativo Realizável a Longo Prazo (ARLP) (e) Realização do Capital Social e Contribuições para Reservas de Capital Total de Origens 2. Aplicações de Recursos (a) Dividendos (b) Diminuição do PELP (c) Aumento do ARLP (aquisição de bens e direitos) (d) Aumento do Ativo Permanente (aquisição de bens e direitos) www.pontodosconcursos.com.br 32 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR (e) Redução do Patrimônio Líquido Total de Aplicações ΔCCL = Origens – Aplicações Resolução I – Análise das Alternativas: a) A demonstração das origens e aplicações de recursos indicará as modificações na posição financeira da companhia. A alternativa é VERDADEIRA. b) As aplicações de recursos são representadas pelas diminuições no Capital Circulante Líquido. A alternativa é VERDADEIRA. c) As variações monetárias de dívidas de longo prazo são despesas que afetam o lucro mas não alteram o Capital Circulante Líquido. Suponha uma variação monetária passiva de um empréstimo de longo prazo. O seguinte lançamento seria efetuado: Variação Monetária Passiva (Despesa) a Empréstimos de Longo Prazo (Passivo Exigível a Longo Prazo) Logo, esta operação diminui o Lucro do período (despesa), mas não afeta o Capital Circulante Líquido, pois a contrapartida da despesa é uma conta do Passivo Exigível a Longo Prazo. A alternativa é VERDADEIRA. d) Produtos da alienação de partes beneficiárias e de bônus de subscrição são também reservas de capital constituídas pelo ingresso de recursos que aumentam, o Capital Circulante Líquido. O produto da alienação de partes beneficiárias e de bônus de subscrição é classificado como Reservas de Capital, através do seguinte lançamento: Caixa ou Bancos Conta Movimento (Ativo Circulante) a Reservas de Capital (Patrimônio Líquido) Logo, este lançamento aumento o Ativo Circulante e, conseqüentemente, o Capital Circulante Líquido. A alternativa é VERDADEIRA. e) Existem vários tipos de transações efetuadas que afetam o Capital Circulante Líquido, mas são representadas como origens e aplicações simultaneamente. A transações que afetam o Capital Circulante Líquido são classificadas: ou como origens ou como aplicações. www.pontodosconcursos.com.br 33 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR A alternativa é FALSA. GABARITO: E 149- A Indústria & Comércio S/A tem um capital registrado composto de quarenta mil ações a valor unitário de R$ 2,50. No exercício de 2003 a empresa apurou um lucro líquido de R$ 90.000,00. No encerramento do exercício, antes da destinação desse lucro, a empresa apresentava no patrimônio líquido, além do capital social, as seguintes contas: Capital a Integralizar Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas Estatutárias Reserva Legal R$ 10.000,00 R$ 9.000,00 R$ 8.000,00 R$ 5.000,00 R$ 17.000,00 A destinação do lucro do exercício será feita para reservas estatutárias em 10%, para dividendos e para reserva legal nos limites permitidos ou fixados. Neste caso, o valor a ser destinado à formação da reserva legal deverá ser de a) R$ zero. b) R$ 3.000,00. c) R$ 4.000,00. d) R$ 4.050,00. e) R$ 4.500,00. Comentários (i) Reserva Legal: reserva imposta pela Lei no 6.404/76 cuja finalidade é assegurar a integridade do capital social e somente pode ser utilizada para compensar prejuízos ou aumentar o capital social. a. Os prejuízos acumulados, caso existam, devem ser deduzidos da base da cálculo da reserva legal; b. Antes de qualquer destinação (com exceção da compensação de prejuízos acumulados, se houver) do lucro líquido, 5% devem ser aplicados na constituição da reserva, que não poderá exceder a 20% do capital social realizado, ou seja, se a reserva legal atingir 20% do capital social realizado, não poderá mais ser constituída; c. A companhia pode deixar de constituir a reserva legal no exercício em que o seu saldo, somado ao montante das reservas de capital, exceto a da correção monetária do capital social (já extinta), exceder de 30% do capital social realizado (limite facultativo); e d. Alguns contabilistas consideram como reserva legal do exercício o valor necessário para que a reserva legal somada às reservas de capital atinjam 30% do capital social realizado. (ii) Reserva Legal: Lei no 6.404/76 www.pontodosconcursos.com.br 34 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Art. 193. Do lucro líquido do exercício, 5% (cinco por cento) serão aplicados, antes de qualquer outra destinação, na constituição da reserva legal, que não excederá de 20% (vinte por cento) do capital social. § 1º A companhia poderá deixar de constituir a reserva legal no exercício em que o saldo dessa reserva, acrescido do montante das reservas de capital de que trata o § 1º do artigo 182, exceder de 30% (trinta por cento) do capital social. § 2º A reserva legal tem por fim assegurar a integridade do capital social e somente poderá ser utilizada para compensar prejuízos ou aumentar o capital. Resolução Empresa: Indústria & Comércio S/A Capital registrado: 40.000 ações a valor unitário de R$ 2,50 Exercício de 2003: Lucro Líquido = R$ 90.000,00. Destinação do Lucro: Capital a Integralizar Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas Estatutárias Reserva Legal R$ 10.000,00 R$ 9.000,00 R$ 8.000,00 R$ 5.000,00 R$ 17.000,00 Valor destinado à Reserva Legal = ? I – Determinação do Limite Obrigatório da Reserva Legal: Limite Obrigatório = 20% x Capital Social Realizado (*) (*) A banca examinadora não considera, para o cálculo dos limites obrigatórios e facultativos, o Capital Social Realizado, e sim o Capital Social. ATENÇÃO !!!!! Capital Social = 40.000 ações x R$ 2,50 = 100.000 Capital Social Realizado = Capital Social – Capital a Integralizar = 100.000 – 10.000 ⇒ ⇒ Capital Social Realizado = 90.000 Limite Obrigatório (de acordo com a banca examinadora) = 20% x Capital Social ⇒ ⇒ Limite Obrigatório = 20% x 100.000 = 20.000 Saldo da Reservar Legal antes da destinação do lucro do período = 17.000 Destinação máxima permitida do lucro do período para a Reserva Legal = Limite Obrigatório – 17.000 = 20.000 – 17.000 = 3.000 II – Determinação do Limite Facultativo da Reserva Legal: Limite Facultativo = 30% x Capital Social Realizado (*) www.pontodosconcursos.com.br 35 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR (*) A banca examinadora não considera, para o cálculo dos limites obrigatórios e facultativos, o Capital Social Realizado, e sim o Capital Social. ATENÇÃO !!!!! Limite Facultativo (de acordo com a banca examinadora) = 30% x Capital Social ⇒ ⇒ Limite Facultativo = 30% x 100.000 = 30.000 Saldos antes da destinação do lucro do período: Reserva Legal + Reservas de Capital = 17.000 + 9.000 = 26.000 < Limite Facultativo III – Cálculo da destinação do lucro do período para a Reserva Legal: Lucro Líquido do Exercício (LLEx) = 90.000 Destinação para Reserva Legal = 5% x LLEx = 5% x 90.000 = 4.500 Entretanto, o valor máximo permitido (Limite obrigatório) é igual a R$ 3.000,00. GABARITO: B 150- O princípio contábil que reconhece o patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial é o Princípio a) da Entidade. b) da Prudência. c) das Partidas Dobradas. d) da Continuidade. e) da Oportunidade. Comentários (i) Princípio da Entidade: a. O Princípio da ENTIDADE reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes, independentemente de pertencer a uma pessoa, um conjunto de pessoas, uma sociedade ou instituição de qualquer natureza ou finalidade, com ou sem fins lucrativos. Por conseqüência, nesta acepção, o Patrimônio não se confunde com aqueles dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedade ou instituição (art. 4o, da Resolução CFC no 750, de 29/12/1993). b. O PATRIMÔNIO pertence à ENTIDADE, mas a recíproca não é verdadeira. A soma ou agregação contábil de patrimônios autônomos não resulta em nova ENTIDADE, mas numa unidade de natureza econômico-contábil (art. 4o, Parágrafo Único, da Resolução CFC no 750, de 29/12/1993). Resolução O princípio contábil que reconhece o patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial é o Princípio da Entidade. GABARITO: A www.pontodosconcursos.com.br 36 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR www.pontodosconcursos.com.br 37 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Analista – Contabilidade – MPU – 2004 - Lista de Questões Comentadas na Aula 131- O pagamento de uma letra de câmbio já vencida, com encargos de multas e de juros, constitui um a) Fato Administrativo Permutativo. b) Fato Administrativo Modificativo diminutivo. c) Fato Administrativo Modificativo aumentativo. d) Fato Administrativo Composto diminutivo. e) Fato Administrativo Composto aumentativo. 132- A Firma Varejista Ltda. efetuou as seguintes transações: compra de máquinas por R$ 5.000,00, pagando entrada de 20%; venda de máquinas por R$ 2.000,00, a prazo, com prejuízo de 20%; pagamento de dívidas de R$ 1.000,00, com desconto de 10%; e recebimento de direitos de R$ 500,00, com juros de 10%. No início do referido período a empresa já possuía R$ 3.000,00 em Caixa; R$ 3.000,00 de dívidas; R$ 3.000,00 em estoques; e R$ 2.800,00 de capital social. Após o registro contábil dos fatos acima narrados, a empresa apresentará os seguintes valores para: a) Ativo R$ 8.750,00 b) Passivo R$ 5.550,00 c) Patrimônio Líquido R$ 3.000,00 d) Lucros Acumulados R$ 200,00 e) Lucro Líquido do Período R$ 250,00 133- A empresa Alfa emitiu uma duplicata de R$ 6.000,00 ao efetuar uma operação de compra e venda com a empresa Beta. Quando essa duplicata for quitada, com desconto de 10%, a empresa Alfa deverá contabilizar o fato da seguinte forma: a) b) c) d) Diversos a Duplicatas a Receber Caixa Descontos Passivos 5.400,00 600,00 6.000,00 Diversos a Caixa Duplicatas a Receber Descontos Ativos 5.400,00 600,00 6.000,00 Duplicatas a Receber a Diversos a Caixa a Descontos Passivos 5.400,00 600,00 6.000,00 Caixa a Diversos a Duplicatas a Pagar a Descontos Ativos 5.400,00 600,00 6.000,00 www.pontodosconcursos.com.br 38 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR e) Duplicatas a Pagar a Diversos a Caixa a Descontos Ativos 5.400,00 600,00 6.000,00 134- A firma comercial Alameda & Alamares, em primeiro de março, contratou na Caixa Econômica Federal o desconto de uma duplicata no valor de R$ 2.000,00. Em 30 de março recebeu o aviso de recebimento desse título de crédito e efetuou os lançamentos contábeis cabíveis. No dia seguinte, a empresa recebeu aviso bancário comunicando que houvera um lapso no aviso anterior: a duplicata não fora efetivamente quitada no vencimento, ainda estava em cobrança. Para corrigir corretamente o lançamento, que se tornou indevido em razão do erro bancário, a firma deverá fazer o seguinte lançamento no livro Diário: a) b) c) d) e) Duplicatas a Receber a Duplicatas Descontadas R$ 2.000,00 Bancos c/Movimento a Duplicatas Descontadas R$ 2.000,00 Duplicatas a Receber a Bancos c/Movimento R$ 2.000,00 Duplicatas Descontadas a Duplicatas a Receber R$ 2.000,00 Duplicatas Descontadas a Bancos c/Movimento R$ 2.000,00 135- Existem certos ativos oriundos de gastos realizados no período corrente que beneficiam o exercício seguinte ou subperíodos de tal exercício. É o caso do prêmio de seguro pago antecipadamente, usualmente remunerando a seguradora por um ano de cobertura de seguro. Em primeiro de julho de 2003 a nossa empresa pagou o contrato anual de seguros de R$ 42.000,00 para cobertura vigente do início de maio/03 ao final de abril do ano seguinte. A empresa utiliza o princípio contábil da competência com atualização mensal e seu exercício social coincide com o ano-calendário. No exemplo ora citado, em 01/07/03, a Contabilidade registrou o seguinte lançamento: a) b) c) d) Seguros a vencer a Caixa 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 21.000,00 21.000,00 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 28.000,00 14.000,00 42.000,00 Diversos www.pontodosconcursos.com.br 39 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR e) a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 14.000,00 28.000,00 42.000,00 Diversos a Caixa Despesa de seguros Seguros a vencer 7.000,00 35.000,00 42.000,00 136- A avaliação do patrimônio, feita em 21 de março, com base no saldo do Razão, demonstrou os seguintes valores: Capital Social Máquinas e Equipamentos Despesa De Salários Mercadorias Contas A Pagar Contas A Receber Receita De Aluguel Salários A Pagar Empréstimos Concedidos Terrenos e Edifícios Receita De Serviço Clientes R$ 2.500,00 R$ 1.250,00 R$ 1.200,00 R$ 1.500,00 R$ 1.400,00 R$ 500,00 R$ 1.300,00 R$ 700,00 R$ 200,00 R$ 800,00 R$ 300,00 R$ 750,00 Ao representar este patrimônio, graficamente, segundo a ordem decrescente do grau de liquidez, encontram-se a) Capital de Terceiros R$ 2.300,00 b) Capital Próprio R$ 2.500,00 c) Capital de Giro Próprio R$ 850,00 d) Capital de Giro R$ 5.000,00 e) Capital Fixo R$ 800,00 137- A empresa Mercantil de Varejos Ltda., no encerramento do exercício social, apurou os saldos do livro Razão apresentando-os da seguinte forma, em ordem alfabética: Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos de Clientes Adiantamentos a Fornecedores Aluguéis Passivos Bancos conta Movimento Capital a Integralizar Capital Social Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Encargos de Depreciação R$ 1.370,00 R$ 900,00 R$ 700,00 R$ 500,00 R$ 400,00 R$ 1.500,00 R$ 4.000,00 R$ 1.000,00 R$ 600,00 R$ 150,00 R$ 130,00 R$ 800,00 R$ 1.570,00 R$ 1.200,00 R$ 400,00 www.pontodosconcursos.com.br 40 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Impostos e Taxas Impostos a Recolher Máquinas e Equipamentos Provisão para Devedores Duvidosos Provisão para Férias Provisão para Imposto de Renda Receitas de Serviços Receitas Diferidas Salários R$ 350,00 R$ 200,00 R$ 3.000,00 R$ 100,00 R$ 250,00 R$ 300,00 R$ 2.000,00 R$ 280,00 R$ 300,00 Analisando-se o balancete de verificação acima, pode-se dizer que o valor dos saldos devedores é de a) R$ 6.320,00. b) R$ 6.500,00. c) R$ 8.000,00. d) R$ 9.500,00. e) R$ 11.000,00. 138- Os dados relacionados a seguir representam a movimentação completa do estoque de bens “Alfa”, durante o mês de outubro, considerando-o como item isento de tributação data out.01 out.07 out.09 out.12 out.15 movimento estoque inicial compra a vista venda a vista compra a prazo venda a prazo quantidade 10 unidades 15 unidades 13 unidades 05 unidades 07 unidades valor unitário R$12,00 R$14,00 R$20,00 R$15,00 R$23,00 valor total R$120,00 R$210,00 R$260,00 R$ 75,00 R$161,00 Observando-se as informações fornecidas, calcule e assinale a opção correta. a) Pelo critério PEPS, a operação do dia nove rendeu lucro bruto de R$78,00. b) Pelo critério Preço Médio, o estoque final, no dia quinze é de R$135,00. c) Pelo critério UEPS, o estoque no início do dia doze era de R$168,00. d) Pelo critério PEPS, essa mercadoria rendeu no período lucro bruto de R$161,00. e) Pelo critério Preço Médio, o Custo da Mercadoria Vendida foi de R$ 270,00. 139- A Metalúrgica de Reposição tinha máquinas e equipamentos comprados em julho de 2000 por R$ 40.000,00, com vida útil estimada em 10 anos. A depreciação tem sido feita em bases anuais considerando valor residual de 10%. Quando o seu Zé Moura vendeu esse equipamento, no fim de março de 2004, por R$ 20.000,00, teve de contabilizar “perda de capital” no valor de a) R$ 3.400,00. b) R$ 5.000,00. c) R$ 6.000,00. d) R$ 6.500,00. e) R$ 7.400,00. 140- Quando a Mercearia Leôncio Ltda, em abril de 2002, adquiriu o seu caminhão de entrega por R$ 25.000,00, o preço desse carro no mercado já era R$ 28.000,00. O contador da empresa registra a depreciação pelo método linear, considerando vida útil de 5 anos e valor residual de 20%. No www.pontodosconcursos.com.br 41 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR balanço patrimonial de 2003, levantado em 31 de dezembro, a conta Depreciação Acumulada, em relação a esse carro, deverá ter saldo credor no valor de a) R$ 7.000,00. b) R$ 7.840,00. c) R$ 8.000,00. d) R$ 8.750,00. e) R$ 9.800,00. 141- Em primeiro de maio a nossa mercearia tinha um estoque de 80 dúzias de laranjas, avaliadas ao custo unitário de R$ 1,00 a dúzia. Na primeira semana do mês ocorreu movimento nessa ordem: 1- venda de 40 dúzias ao preço de R$ 2,00 por dúzia; 2- compra de 80 dúzias pelo preço de R$ 80,00 a partida; 3- venda de 60 dúzias ao preço de R$ 1,80 por dúzia; 4- compra de 40 dúzias ao preço de R$ 1,00 por dúzia. Se as compras e vendas fossem isentas de ICMS, o estoque final que calculamos teria sido de R$ 100,00. Todavia, as compras sofrem ICMS de 12% e as vendas são tributadas a 17%. Por essa razão, o valor do estoque final, avaliado pelo critério UEPS, foi no valor de a) R$ 83,00. b) R$ 88,00. c) R$ 89,80. d) R$ 92,80. e) R$ 97,00. 142- João Paulo é um bom negociante. Comprou a prazo um carro por R$ 30.000,00, tributado com ICMS de 12%, mas sabe que, ao vender esse item, será alcançado com ICMS de 17%. Por isto, para obter um lucro bruto de 15% sobre o preço de venda, João Paulo sabe que terá de obter para seu carro o preço de a) R$ 39.600,00. b) R$ 37.500,00. c) R$ 38.823,53. d) R$ 36.000,00. e) R$ 34.500,00. 143- As contas abaixo foram extraídas do Razão da empresa Efemérides S/A, no encerramento do exercício, em 31.12.03 e representam todas as contas de resultado, além de algumas outras contas e outros itens. Mercadorias/estoque inicial Receita Bruta de Vendas Compras a Vista e a Prazo Móveis e Utensílios ICMS sobre Vendas ICMS sobre Compras ICMS a Recolher Provisão para Imposto de Renda Despesas Administrativas COFINS R$ 4.200,00 R$ 20.000,00 R$ 8.000,00 R$ 15.200,00 R$ 3.000,00 R$ 1.200,00 R$ 1.800,00 R$ 1.000,00 R$ 1.500,00 R$ 600,00 www.pontodosconcursos.com.br 42 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR Fornecedores Capital Social PIS sobre o Faturamento Depreciação Acumulada Mercadorias/estoque final Despesas Antecipadas R$ 14.000,00 R$ 25.000,00 R$ 200,00 R$ 2.200,00 R$ 2.000,00 R$ 3.200,00 Ao elaborar a Demonstração do Resultado do Exercício de 2003, com fulcro, exclusivamente, nas informações acima, vamos encontrar a) Receita Líquida de Vendas no valor de R$ 14.400,00. b) Custo das Mercadorias Vendidas no valor de R$ 10.200,00. c) Lucro Operacional Bruto no valor de R$8.000,00. d) Lucro Operacional Líquido no valor de R$ 3.500,00. e) Lucro Líquido do Exercício no valor de R$ 4.700,00. 144- A empresa Mercantil de Varejos Ltda., no encerramento do exercício social, apurou os saldos do livro Razão apresentando-os da seguinte forma, em ordem alfabética: Ações de Empresas Coligadas Adiantamentos de Clientes Adiantamentos a Fornecedores Aluguéis Passivos Bancos conta Movimento Capital a Integralizar Capital Social Clientes Depreciação Acumulada Despesas Antecipadas Devedores Duvidosos Duplicatas Descontadas Duplicatas a Pagar Duplicatas a Receber Encargos de Depreciação Fornecedores Impostos e Taxas Impostos a Recolher Máquinas e Equipamentos Mercadorias Provisão para Devedores Duvidosos Provisão para Férias Provisão para Imposto de Renda Receitas de Serviços Receitas Diferidas Salários R$ 4.110,00 R$ 2.700,00 R$ 2.100,00 R$ 1.500,00 R$ 1.200,00 R$ 4.000,00 R$12.000,00 R$ 3.000,00 R$ 1.800,00 R$ 450,00 R$ 390,00 R$ 2.400,00 R$ 4.710,00 R$ 3.600,00 R$ 1.200,00 R$ 2.500,00 R$ 1.050,00 R$ 600,00 R$ 9.000,00 R$ 3.000,00 R$ 300,00 R$ 750,00 R$ 900,00 R$ 6.000,00 R$ 840,00 R$ 900,00 Ao ser elaborado o Balanço Patrimonial, segundo os dados do balancete de verificação acima, podese dizer que o valor do Ativo será de a) R$ 19.860,00. b) R$ 21.960,00. c) R$ 24.660,00. www.pontodosconcursos.com.br 43 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR d) R$ 26.460,00. e) R$ 27.000,00. 145- Observe a seguinte demonstração do lucro operacional bruto: Receita Bruta de Vendas Deduções da Receita Bruta Receita Líquida de Vendas Custo da Mercadoria Vendida Lucro Operacional Bruto R$ 100.000,00 (R$ 18.000,00) R$ 82.000,00 (R$ 35.000,00) R$ 47.000,00 Observação: Os estoques usados no cálculo do CMV foram: - estoque inicial de R$ 30.000,00 - estoque final de R$ 30.000,00 Após a elaboração da demonstração acima, ficou comprovado que o estoque inicial que serviu de base ao cálculo do CMV – Custo da Mercadoria Vendida, fora subavaliado em R$ 7.500,00. Feitas as correções contábeis, certamente, vamos encontrar o seguinte valor para a) Estoque Inicial R$ 22.500,00. b) Custo da Mercadoria Vendida R$ 27.500,00. c) Estoque Final R$ 37.500,00. d) Lucro Operacional Bruto R$ 39.500,00. e) Compras R$ 42.500,00. 146- A Comercial Lima S/A apresentou-nos o seguinte extrato de sua D.R.E, para fazermos o cálculo do lucro líquido por ação, que deverá constar ao fim da demonstração, no exercício em causa: Demonstração do Resultado do Exercício Receita Bruta de Vendas e Serviços Lucro Operacional Bruto Lucro Operacional Líquido Lucro Líquido antes do IR e da CSLL (-) Provisão para Imposto de Renda (-) Provisão para CSLL Lucro Líquido após o IR e a CSLL R$ 10.000.000,00 R$ 7.000.000,00 R$ 1.500.000,00 R$ 500.000,00 R$ 100.000,00 R$ 50.000,00 R$ 350.000,00 A partir dos dados demonstrados acima foram calculados e contabilizados apenas os itens seguintes: Reserva legal de 5%; Participação de Administradores 10%; Participação de Empregados 10%. Sabemos que a conta Reserva Legal tem saldo de R$6.000,00; que a quantidade das ações do Capital Social é de 100 mil ações a valor unitário de R$1,25, e que os cálculos em moeda corrente têm arredondamento matemático, quando necessário. De posse dessas informações e dados, completamos nossos cálculos encontrando o lucro líquido de a) R$ 3,50 por ação de capital social. b) R$ 3,15 por ação de capital social. c) R$ 2,84 por ação de capital social. d) R$ 2,80 por ação de capital social. www.pontodosconcursos.com.br 44 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR e) R$ 2,69 por ação de capital social. 147- A empresa S/A Eventos Eventuais, no exercício de 2003, após a elevação do capital em dinheiro publicou os seguintes valores de patrimônio líquido: Patrimônio Líquido Saldos no início do período Capital Social R$30.000,00 Reservas de Capital R$ 5.000,00 Reservas de Reavaliação R$ 3.000,00 Reservas de Lucros R$ 2.000,00 Lucros ou Prejuízos Acumulados (R$ 1.000,00) Total do PL R$39.000,00 Saldos no fim do período R$33.000,00 R$ 4.000,00 R$ 4.500,00 R$ 5.000,00 R$ 1.500,00 R$48.000,00 Pela evolução ocorrida no patrimônio líquido, conforme as informações acima, pode-se dizer que o lucro líquido do exercício incluído na Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados foi no valor de a) R$ 5.000,00. b) R$ 5.500,00. c) R$ 6.000,00. d) R$ 7.500,00. e) R$ 9.000,00. 148- Assinale a opção que contém a frase incorreta. a) A demonstração das origens e aplicações de recursos indicará as modificações na posição financeira da companhia. b) As aplicações de recursos são representadas pelas diminuições no Capital Circulante Líquido. c) As variações monetárias de dívidas de longo prazo são despesas que afetam o lucro mas não alteram o Capital Circulante Líquido. d) Produtos da alienação de partes beneficiárias e de bônus de subscrição são também reservas de capital constituídas pelo ingresso de recursos que aumentam, o Capital Circulante Líquido. e) Existem vários tipos de transações efetuadas que afetam o Capital Circulante Líquido, mas são representadas como origens e aplicações simultaneamente. 149- A Indústria & Comércio S/A tem um capital registrado composto de quarenta mil ações a valor unitário de R$ 2,50. No exercício de 2003 a empresa apurou um lucro líquido de R$ 90.000,00. No encerramento do exercício, antes da destinação desse lucro, a empresa apresentava no patrimônio líquido, além do capital social, as seguintes contas: Capital a Integralizar Reservas de Capital Reservas de Reavaliação Reservas Estatutárias Reserva Legal R$ 10.000,00 R$ 9.000,00 R$ 8.000,00 R$ 5.000,00 R$ 17.000,00 A destinação do lucro do exercício será feita para reservas estatutárias em 10%, para dividendos e para reserva legal nos limites permitidos ou fixados. Neste caso, o valor a ser destinado à formação da reserva legal deverá ser de a) R$ zero. www.pontodosconcursos.com.br 45 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR b) R$ 3.000,00. c) R$ 4.000,00. d) R$ 4.050,00. e) R$ 4.500,00. 150- O princípio contábil que reconhece o patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial é o Princípio a) da Entidade. b) da Prudência. c) das Partidas Dobradas. d) da Continuidade. e) da Oportunidade. www.pontodosconcursos.com.br 46 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR GABARITO: 131 – D 132 – A 133 – A 134 – C 135 – E 136 – C 137 – E 138 – D 139 – D 140 – A 141 – D 142 – C 143 – E 144 – B 145 – D 146 – C 147 – B 148 – E 149 – B 150 – A www.pontodosconcursos.com.br 47 CURSOS ON-LINE – CONTABILIDADE – QUESTÕES DA ESAF COMENTADAS PROFESSOR MORAES JUNIOR BIBLIOGRAFIA FIPECAFI, Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações (aplicável às demais sociedades). 6a Edição. São Paulo. Editora Atlas. 2003. Coleção Saraiva de Legislação. Lei das Sociedades Anônimas. 8a Edição. São Paulo. Editora Saraiva. 2004. MOURA RIBEIRO, Osni. Contabilidade Geral Fácil – Para cursos de contabilidade e concursos em geral. 4a Edição. 4a Tiragem (2005). São Paulo. Editora Saraiva. 2002. LUIZ FERRARI, Ed. Contabilidade Geral – Série Provas e Concursos. 5a Edição. 3a Tiragem. Elsevier Editora. 2005. VICECONTI, Paulo Eduardo Vilchez & NEVES, Silvério das. Contabilidade Avançada e Análise das Demonstrações Financeiras. 12a Edição. São Paulo. Editora Frase. 2003. FERREIRA, Ricardo J. Contabilidade Avançada e Intermediária. Rio de Janeiro. Editora Ferreira. FERREIRA, Ricardo J. Contabilidade Básica. 3a Edição. Rio de Janeiro. Editora Ferreira. 2004. JUND, Sergio. Auditoria: Conceitos, Normas, Técnicas e Procedimentos. 6a Edição. Rio de Janeiro. Editora Impetus. 2004. www.pontodosconcursos.com.br 48
Copyright © 2020 DOKUMEN.SITE Inc.