60449094 Psicofilosofia Huna

March 25, 2018 | Author: Ghabriel Oliveira | Category: Thought, Perception, Time, Life, Faith


Comments



Description

Para se falar sobre qualquer tema referente a psicofilosofia Huna, mister se faz que coloquemos alguns dos conceitosbásicos desses ensinamentos. Tudo começou com Max Freedom Long, psicólogo americano que em 1917, logo após sair da faculdade, foi morar no Havaí onde exerceu a profissão de professor em pequenas localidades; depois de vários anos, mudou-se para Honolulu, onde conheceu o Dr. William T. Brigham, antropólogo e pesquisador que trabalhava no “Bishop Museum” de Honolulu. Sua intenção era conhecer o Dr. Brigham e conversar com ele sobre suas dúvidas em relação a certos fenômenos, sobre os quais, durante todo o tempo que lecionou ouviu narrativas. Relacionavam-se a curas, mortes e andar sobre lavas vulcânicas, não sendo, no entanto, divulgados e, os nativos quando abordados sobre os mesmos calavam-se. Eram atribuídos a certas pessoas que tinham um poder e conhecimento especial, mas que disso guardavam segredo e se isolavam; eram chamados de kāhuna[1]. Durante três anos de convivência com Dr. Brigham, ele lhe passou quarenta anos de pesquisas e experiências que teve com os kāhuna, eliminando da mente de Long a idéia de que tudo não passava de superstição. Brigham não tinha a chave para explicar os fatos, mas supunha estarem ligados a três situações que deveriam ser desvendadas, o que daria a resposta desejada; dizia que dependiam de uma consciência que manipulava, uma força que exercia ação, sobre uma matéria especial. M. F. Long durante longo tempo abandonou suas pesquisas por não encontrar respostas para as indagações. Acordou numa noite com o pensamento de que se estudasse as raízes das palavras havaianas usadas pelos kāhuna em seus rituais, iria encontrar o que vinha procurando. Foi assim, que descobriu o mecanismo desses fenômenos, passando para a prática os resultados; fundou uma associação para pesquisas sobre Psicofilosofia Huna e formulou as teorias que colocou em seu primeiro livro sobre o assunto, publicado em 1936. Suas conclusões são de que o homem é espiritualmente um ser trino formado de três espíritos independentes e de um corpo físico, quando encarnado. Em Havaiano, são denominados: unihipili, uhane, Aumakua e kino (corpo), equivalentes ao Eu Básico ou Subconsciente, Eu Médio ou Consciente, Eu Superior ou Superconsciente e corpo físico, facilitando o nosso entendimento de bons ocidentais. Possuem uma substância etérica que chamou de aka responsável pela formação do corpo de cada espírito; em Havaiano kino-aka, que significa corpo sombreado. Estão unidos por uma energia que denominou mana, produzida pelo unihipili e distribuída aos outros dois por meio de fios da substância aka, que fazem a coesão do ser humano e de tudo na teia-aka (universo) que possua vida[2]. A energia mana, parte do Poder Divino Mana[3]; existe na natureza e é fornecida pela alimentação e pelo ar, do qual, absorvemos pela respiração, a essência dessa energia que sustenta a vida. No ser humano, existem sob três formas: Mana, para o unihipili e kino, mana-mana para o uhane e kino e mana-loa para o Aumakua. O unihipili é o responsável pela concentração e distribuição dessa energia aos outros espíritos, mantendo a unidade em sua integridade. O unihipili possui as memórias e o centro da consciência; ele fornece ao uhane as informações pelas lembranças gravadas nas memórias, sendo levadas pelos cordões-aka ao uhane que formula os pensamentos indutivos, apanágio do homem. O uhane ou “eu médio” é o espírito que fala e usa o pensamento indutivo, propriedade exclusiva do ser humano. Os dois estão ligados ao corpo, sendo o unihipili o modelo celular. O Aumakua está unido aos dois espíritos citados e ao corpo por um cordão de substância aka, mas não faz parte do corpo físico. Como vemos, há alguma semelhança com a teoria de Freud com o Id, Ego, Superego e Libido. Outro modelo nos foi dado pelo psicólogo e xamã Serge K. King; que ao contrário de Max Freedom Long, que não teve contato com um kahuna, foi adotado por uma família havaiana aos dezessete anos. Nessa família, havia dois kāhuna, tendo um deles se tornado seu mestre, passando-lhe grande parte desse conhecimento secreto, o qual, só era transmitido até então, de pai para filho e oralmente. Ele atualmente mora no Havaí onde dirige uma Organização chamada Aloha. Intitula-se Kahuna e pratica o Xamanismo Havaiano transmitido por Wana Kahili, seu mestre kahuna. Segundo ele, nós somos formados por três aspectos independentes e unidos por uma força ou poder divino, que se manifesta sob a forma de energia. Como Max Freedom Long, conservou na Língua Havaiana; os nomes dados para o subconsciente, que denominou Ku; ao consciente, Lono e ao superconsciente, Kane. Ao Poder Divino, denominou Mana; cada um desses elementos possui um corpo próprio, denominado kino-aka. Quando há total harmonia entre eles, surge o ser perfeito que denominou de Kanaloa. Fala de um poder Supremo chamado Kumulipo que também é o livro dos cânticos do Antigo Havaí, o Livro da Criação. Enquanto Max Freedom Long concentrou a essência de sua teoria na Prece-Ação, como maneira de se obter resultados, Serge King trabalha com os sete princípios básicos, onde se concentra a força do Xamanismo havaiano. Para ambos, o pensamento é o gerador das ações, e, assim, o responsável por tudo que acontece com o ser humano, tanto para o lado bom como para o ruim da vida. Não desceremos a detalhes ou maiores explicações dos mecanismos de ação desses conhecimentos e, para os que se interessarem, há uma literatura sobre o assunto, tendo sido alguns livros traduzidos para o Português. Os sete princípios fazem parte da Tradição Secreta dos kāhuna e sintetizam grande parte da Psicofilosofia Huna e, conseqüentemente, só poderão ser realmente sentidos por aqueles que conseguiram uma situação interior de percepção, aceitação e conscientização desses princípios. Creio que o estudo dos princípios, dos corolários e de seus atributos ou talentos, é de fundamental importância no aprendizado e na prática de qualquer situação em que entra o conhecimento Huna. Eles dão o sentido psicológico da palavra, base para se conseguir a fé e o sentido do som emitido ao pronunciá-las; dinamiza a situação, levando-se ao resultado desejado, que para nós hoje, é o estudo da morte. A cada princípio, corresponde um atributo; representam qualidades especiais a serem desenvolvidas e são percebidas de maneira diferente da do cotidiano. Os sete princípios, segundo Serge King, são: 1º. IKE - O mundo é o que você pensa que ele é. Corolário: Tudo é sonho. Todos os sistemas são arbitrários. Utilização do poder do pensamento. 2º. KALA - Seu poder é ilimitado. Corolário: Tudo está interligado. Tudo é possível. Separação é apenas uma ilusão útil. Utilização das ligações energéticas. 3º. MAKIA - A energia segue o curso do pensamento. Corolário: A atenção segue o fluxo energético. Tudo é energia. Utilização do fluxo de energia. 4º. MANAWA - Seu momento de poder é agora. Corolário: Tudo é relativo. Utilização do momento presente. 5º. ALOHA - Amar é ser feliz, é compartilhar com... Corolário: O amor aumenta quando o julgamento diminui. Tudo está vivo, perceptivo e ativo. Utilização do poder do amor. 6º. MANA - Todo poder vem de dentro. Corolário: Tudo tem poder. O poder vem da permissão (criação). Utilização do poder da permissão. 7º. PONO - A eficácia é a medida da verdade. Corolário: Existe sempre outra forma de se fazer algo. Utilização do poder da flexibilidade. O atributo de cada princípio é: 1º. IKE - Visão; é uma maneira diferente de se perceber as coisas; é a visão metafísica da realidade. A visão comum das coisas chama-se Ike papakahi; é a visão do primeiro nível. A visão metafísica chama-se Ike Papalua; é a maneira de se perceber a realidade atuando num segundo nível, de onde se controla o primeiro. 2º. KALA - Esclarecimento; é a maneira que se tem para agir fazendo com que se consiga claramente a união de seu Eu com o universo; é a transformação do homem em um ser holístico. 3º. MAKIA - Focalização; focalizar na mente as intenções, objetivos, metas e propósitos. É uma maneira de se conseguir uma revisão permanente das motivações, o que dá maior eficiência às ações e uma grande capacidade de frustração. 4º. MANAWA - Presença; sendo o presente o nosso tempo, o aqui/agora e o agora/aqui, são situações das quais se tira todo proveito para o entendimento e a compreensão e quanto mais atento se está, mais presente se faz e mais frutos se colhe das ações praticadas. 5º. ALOHA - Bênção; em todas intenções, atitudes e ações, se se consegue reforçar o bem no presente ou em potencial, quer pela palavra, imagem ou ação, pode-se sentir a bondade, enxergar a beleza e apreciar a perícia com que se age; assim, se está abençoando. O xamã age de maneira diferente porque é capaz de abençoar o bem potencial através de desejos de sucesso às pessoas a quem se dirige. 6º. MANA – Permissão; para que qualquer coisa tenha poder, é necessário que se lhe atribua esse poder que se quer transmitir, isto é, permite-se que tenha esse poder. Isso pode ser feito com pessoas e objetos; só se consegue isso com a energização do que se quer atribuir poder. Assim como se pode dar poder, também se pode tirar. O xamã guerreiro personifica o mal lhe dando poder, aprendendo como conquistá-lo; o xamã destemido tira o poder do mal despersonificando-o e aprendendo sobre ele, conseguindo a harmonia, fazendo assim, desaparecer o mal. 7º. PONO - Tecelão de sonhos; o xamã tece seus próprios sonhos desenvolvendo suas habilidades e, assim, poderá ajudar os outros a tecerem seus sonhos. Ele tem habilidade para fazer curas, as quais, têm um sentido diferente das curas comuns das doenças. Por exemplo, um massagista, massageando o corpo de um paciente, está usando suas mãos para curar o corpo físico. O xamã massagista, massageando, estará usando o corpo físico como ferramenta para tecer um novo sonho e curar o espírito. São duas situações em que as ações parecem semelhantes, mas a intenção faz com que se diferenciem. No primeiro caso, houve uma cura corporal e no segundo, ao tecer um sonho, propiciou uma cura física e mental; provocou uma mudança espiritual que manterá o indivíduo com novas intenções e atitudes de vida, criando uma nova crença. Essa situação é eficaz e a eficácia está na capacidade de tecer sonhos do xamã e das mudanças sofridas, que manterão o indivíduo com suas novas crenças. Cremos estar ai, a diferença das duas palavras da Língua Inglesa: “cure e healing”; a primeira é a resposta de cura do massagista e a segunda, é a resposta de cura do xamã. Foram também sintetizados nos trabalhos de Max Freedom Long de maneira magistral, na Prece-Ação. A leitura atenta e livre dos Evangelhos nos mostra que esses princípios não foram ignorados por Jesus, o grande Aumakua. Para um melhor entendimento, recomendamos a leitura do livro Urban Shaman e Kahuna Healing de Serge Kahili King. Quando falamos de morte, estamos falando da vida; isso é visto de acordo com cada um e segundo sua crença.. Há uma razão forte de se falar de morte, se nossas crenças nos levam à certeza de que existe algo que sobrevive à vida física; senão, porque falar de um acontecimento que finda no momento em que o cérebro deixa de funcionar? Se o sentido for esse, é melhor falarmos da vida em si, do conhecimento sobre ela e de suas finalidades, até a morte. Há razão para se falar de morte, se existe a crença de que algo sobrevive à morte física e o chamaremos de espírito, para mais fácil entendimento. Na Psicofilosofia Huna, é crença que o espírito está presente em tudo, em todos os reinos da natureza. Tudo no mundo possui Aumakua ou Kane, símbolo da máxima polaridade, sintetizado no Eu Superior. Segundo as teorias de Jung, poderíamos chamá-lo de arquétipo do deus pessoal, o que existe acompanhando-nos através das vidas. Para os kāhuna, a diferença é que só o ser humano possui uhane ou Lono, “o espírito que fala"; só o homem fala por pensamentos indutivos que propiciam a espontaneidade e a criatividade. Para os kāhuna, os espíritos são formas-pensamentos individualizadas que por manterem suas energizações conseguem a coesão que lhes dá a condição de indivíduos, quer encarnados (em Ao) ou vivendo em Po (mundo invisível). Po é um estado na multidimensionalidade do tempo. Há uma interdependência entre os três, necessária para a manutenção dessa coesão, se bem que conservem suas características próprias. A harmonia entre eles é essencial para o crescimento e a evolução, rumo ao homem trino. Como vimos, tudo está baseado numa crença que segundo a Huna é o que faz a realidade. Para se ter uma crença, é necessário que se tenha um pensamento dirigido; quando isso acontece e desaparece a dúvida, transforma-se em fé assumida (paulele); essa é uma crença que pode mudar os padrões da pessoa guiando-a para a realidade. Na Psicofilosofia Huna há três tipos de crenças, assim descritas: 1. Fé assumida (Paulele); é a fé sem dúvidas. 2. Atitude (Kuana); fé com dúvidas; são tão habituais que continuam a influenciar a experiência do cotidiano. 3. Opinião (mana'o); crença facilmente mudada quando se adquire novos conhecimentos. Há mudanças quando a confiança e as idéias não se contradizem. Dessas crenças, surgem três realidades: 1. Realidade subjetiva (pono'i); significa sentido pessoal do que é correto, bom, etc. 2. Objetiva (oia'i'o); realidade compartilhada; significa substância. As realidades de seu meio ambiente lhe permitem respirar, comer, trabalhar, jogar e interagir com outras pessoas ou coisas. 3. Projeção (maoli); não é conhecida na psicologia ocidental; começa como subjetiva transformando-se em objetiva através de projeção mental contínua; traz o desejo da condição de idéia ou imagem, para a experiência física. "Maoli". Pode também significar "estado de alegria”. Baseado nas premissas acima expostas pode-se falar do conceito de tempo em Huna; segundo os kāhuna, tempo é uma energia vibratória com múltiplas freqüências, o que possibilita a multidimensionalidade do tempo, mostrando a possibilidade das existências paralelas, em universos paralelos. O tempo presente depende dos sentidos físicos e da sensibilidade em geral. Desse conceito, concluí-se que a Psicofilosofia Huna se interessa essencialmente pelo aqui/agora e agora/aqui, campo em que atua o ser humano; o passado é então, uma lembrança e o futuro uma possibilidade; a ação passa assim, a ser fator primordial em qualquer ensinamento Huna. O conceito de reencarnação é abordado de maneira bem diferente das demais filosofias que a têm como verdade. Após a morte física, as memórias das experiências vividas pelo indivíduo são arquivadas no kino-aka do unihipili; são as responsáveis pela produção de formaspensamentos mantenedoras da situação espiritual de cada um. O progresso se dá pela intensidade das mudanças efetuadas, fruto da análise criativa e da reflexão paralela feitas no cotidiano. De acordo com várias palavras apresentadas adiante, concluí-se que para os kāhuna, a morte não existe e é uma continuação da vida fora do tempo presente, com ações próprias desse estado, vivenciadas em dimensões e vibrações diferentes. Os kāhuna ensinam que Po é um estado e não um lugar, num tempo com vibrações diferentes de quando se está em Ao e sem as limitações causadas pela percepção sensorial corpórea. Aumakua vive em Po e está unido ao corpo por um cordão-aka, quando se está encarnado. Não tendo a morte como um fim, ela faz parte da vida e é uma necessidade do crescimento e da evolução, assim como o Sem ele. mas não é semelhante ao anterior. Um. quando consideramos vários termos poéticos ou comuns da Língua Havaiana com significado de morte: make loa . que é representado por duas palavras.desejo por um longo sono. Do ponto de vista ocidental.caminho sem volta. A água em movimento. Waiho na iwi . Isso mostra terem uma razão muito maior.começar a fazer algo. A lele nui ka mauli . mais complexo. provoca ventos e vendavais e um outro. Assim. ea e ha. as frases usadas pela Psicofilosofia Huna relacionadas com morte. têm um significado de atividade e crescimento e nunca de um fim ou estagnação. punição. o que leva oxigênio aos pulmões. é como se englobasse o anterior. não há vida no sentido que se tem comumente: vida fisiológica. excesso ou intenção.tempo de dormir para germinar (renascer). A palavra ola significa vida.deixar para trás o esqueleto. Cremos ser esse o sentido que os kāhuna dão quando descrevem os significados de várias palavras que são traduzidas como vida. Não aceitam o pecado como em algumas doutrinas religiosas. Ensinam que pode ser causado por omissão. quando retorna para Po. a Psicofilosofia Huna considera a morte como a continuação da vida em estado e direção diferentes. purificação. Ha'ule . que também significa ar. de ação e de impermanência na vida atual. justificando as idas e vindas entre Po e Ao. É a essência do ar que conduz a energia que vivifica. não há vida num sentido bem amplo do existir. mas sim como algo que vem de dentro e cuja responsabilidade é total e exclusiva de quem o pratica. salvação. têm um sentido de vida. quando estão falando de morte. Como vimos. até uma conscientização total que . e. mas num sentido amplo englobando algo mais do que o viver fisiológico e patológico.desejo intenso por algo. Fica evidente. Colocam carma e reencarnação como conseqüência e não como causa e efeito. Existem dois diagramas chineses para ar.vida que continua fluindo. Ala ho'i ole mai .aprendizado escolar é uma necessidade na vida atual para o desenvolvimento de conhecimentos futuros. mas com uma função diferente. sem o outro. etc. Moe kau a ho'oilo . não se pode supor que as frases havaianas para morte se referissem a uma interrupção do fluxo. do ar no sentido comum. que pregam o pecado contra Deus.o espírito (ou a vida) voou. Ola é o “alento” contido na respiração que surge com a primeira inspiração e vivifica o ser até seu último alento na última expiração. também simboliza vida ou energia (mana) e está em várias palavras da Língua Havaiana como em wailoa e Hawai. é natural olhar a morte como o oposto à vida. Estão ligadas à respiração que mantém vivos os seres. Hiamoe loa . Não há o sentido de castigo. Ua makukoa'e'oia . fluxo (wai). descanso e renovação de velhos conhecimentos e valores. É como se as ações vivenciadas após uma reflexão. Tendo o pensamento como guia. os kāhuna não dão muita importância ao pós-vida. que conduzem as ações no sentido do reto pensar. entendendo e permitindo que o que está influenciando no aqui/agora e que tem como causas situações de vidas passadas guardadas nas memórias. preparando-os para uma condição de vida sadia. O sentido de causa e efeito não existe. os kāhuna não vêem a vida atual como resultado ou o efeito de condições de vidas anteriores. mas sim o de reflexão paralela. dando condições de transformações interiores. pode colocar-nos em contato com as vidas passadas que estão na memória do kino-aka do unihipili. estando muito interessados nas experiências da vida atual. crescimento e evolução. Crêem que se traz todas as experiências reencarnatórias nas memórias do unihipili. com um viver feliz. Preocupados com o desenvolvimento no aqui/agora. assim como nos estados alterados de percepção. mais ou menos como dados latentes e que a vida atual é dado latente para uma vida futura. real e simples. Pode-se mudar as crenças.levará a viver sempre em Po. crêem na possibilidade da comunicação entre Po e Ao (vida atual). segundo o qual. de onde se pode pelos estados alterados de percepção vivenciar novamente fatos acontecidos. o carma para os kāhuna está ligado à reflexão que vai conduzir o ser humano em suas ações. sejam reformuladas. o ser total vive nas duas condições. mas sim. Nos sonhos pode-se visitar Po. é uma alteração da percepção. sentir e agir. tanto a atual como uma posterior. resultando numa vida mais plena. ficando o passado como um ponto de referência quando necessário para libertação dos complexos e sem nenhuma preocupação com salvação. os sistemas atuais de crenças dadas pelos kāhuna são dirigidos para quais partes da próxima vida se quer ser conscientizado. Isso induz a novas crenças até que se consiga uma crença assumida (paulele). que transforma as reflexões em realidades. Nesse conceito. Essas renovações darão oportunidades de mudanças das crenças e padrões. tem-se a oportunidade de revisões das vidas passadas. se paga ou se compensa experiências de uma vida passada. não aceitam a idéia de "débito cármico". "onde muitas são as moradas na casa do Pai”. pois Aumakua vive permanentemente em Po e está unido ao unihipili e ao uhane e o que está envolvido. explorando. com novas reflexões. A mudança das crenças pela reflexão. de vida. propiciassem uma harmonização entre os espíritos. ela é uma condição que se adquire pelas crenças e suas modificações. é o resultado das experiências vividas e sentidas. o que dá uma concepção mais realista das intenções e ações. que serão reformulações de padrões e portanto. perdendo- . Passando para o estado multidimensional em Po. o que se faz desativando-se algumas. assim. Ra. base de todas as práticas da Psicofilosofia Huna. é onde se está e se é. Serge K. Sebastião de Melo [1] Kāhuna é o plural de kahuna em havaiano [2] Na natureza. Sebastião de Melo. que vida é uma sucessão de mortes até que não se renasça mais. somente o homem possui Uhane. sendo uno com o universo e em harmonia com o todo. A seguir a íntegra do artigo Prece-Ação de Sebastião de Melo. No ciclo de vida e morte é de onde se vem e para onde se regressa e de onde se volta. etc. Concluí-se. Síntese aplicada dos ensinamentos de Max Freedom Long. como homem ideal. sendo a morte a parte da vida. sua prática e o que ela encerra. Esse conceito. do Grupo Pirâmide de Santos desenvolveu reflexões e estudos de aprofundamento sobre o significado da Prece-Ação. [3] Sopro de Teave. em outras moradas na casa do Pai. que influenciarão na vida atual e servem de padrões para as vidas futuras. King e Sebastião de Melo. Dr. trino. . até que não mais se retorne. Descrição da Figura: 1 . que abre as portas para novas oportunidades de crescimento e evolução. só é possível.se outras ou criando-se novas. I’ o. Nota introdutória Dos estudos de Max Freedom Long. se se crê que tempo é realmente uma forma de energia vibratória com múltiplas freqüências. Futuramente poder-se-á interromper esse ciclo permanecendo-se no estado de Po. sobre a Prece-Ação.. irradiados de Po[2].Cordões da energia mana-loa[1]. O Poder Supremo. relacionando todo esse processo com os Princípios Xamânicos.. permitindo a multidimensionalidade e vidas simultâneas. passando ao unihipili. Através dele. conduzindo a imagem cristalizada pelo uhane[7] na formulação da Prece-Ação. transformando a mana-prece em mana-loa. forma a imagem cristalizada no agora/aqui. As condições primordiais para formar a figura acima é a importância que se dá ao pedido e a intenção com que é feito. 3A . quando a o uhane atua elaborando o pensamento que focalizado sem dúvida. 4 . durante a fase preparatória da Prece-Ação. através do unihipili ou diretamente do aumakua e a pessoa sente. mental e fisicamente.Cordão-aka[6] carregado de mana. Pode dar a quem se . A intensidade do resultado depende de qual dessas situações é a responsável pela imagem cristalizada no agora/aqui. a responsabilidade de exercer contato com o aumakua. Vão se concentrando e centralizando. chegando-se à fé assumida sem dúvida (paulele). até se transformar em apenas um só e forte cordão-aka. A figura pode ser a forma inicial para desenvolver um entendimento sobre o funcionamento dos fundamentos teóricos da Huna[8]. o aumakua enviá-la-á ao unihipili do receptor que as grava como um novo conteúdo. No início pode ser uma opinião (mana’o). que será enviada ao unihipili. como resultado da cristalização da imagem criada pelo pensamento dirigido. inclusive não sentir nada em relação à figura que estamos descrevendo. isso pode lhe dar respostas surpreendentes.As linhas pontilhadas são memórias vindas do unihipili e que transformadas em pensamentos vão se incorporando ao cordão-aka principal para que se consiga um só pensamento. e quando coloca seu potencial criativo em ação. inicialmente são tênues. a resposta é o resultado do pedido de acordo com o sonho básico de vida do receptor. vinda do unihipili. Essa mana-energia é transformada pelo aumakua em mana-loa. e às vezes. a resposta é uma chuva de bênçãos que cai sobre quem recebe os efeitos da Prece-Ação. seus efeitos podem vir para o uhane. o uhane encerra sua função diretiva na Prece-Ação. evoluindo para uma atitude (kuana). na formulação da Prece-Ação. o cordão-aka da Prece-Ação penetra no aumakua. recebida das fontes: unihipili[5] e Po. a fim de que se realize o desejado. 6 – Prece-Ação .Unihipili .sobrecarregado de mana vinda pelo cordão-aka principal. que conduz a uma crença inabalável. desde que realmente se acredite no que está fazendo. que é composta de mana[4] transformada.2 – Aumakua[3] (em amarelo) com sua mana-loa. que é o pedido feito transformado numa imagem-pensamento no agora/aqui. 3 . as sensações em um estado diferente. Uma vez feita essa transformação. de pouca intensidade pela falta de focalização da atenção durante o pedido. Nesse momento. se a prece foi atendida. é a oportunidade de desenvolver a criatividade através de uma figura que cada um vai desenvolver de acordo com seu sonho básico de vida e sentir que tudo é possível.Está na base do desenho por ser a parte inicial da Prece-Ação. 5 – Os vários fios-aka surgidos dos pensamentos. A focalização.A parte inicial efetuada pelo uhane é a formulação do pedido. não mais havendo a interferência do uhane. Caracteriza-se pela predominância do estado alterado de percepção. para que se atinja os objetivos desejados. assim como em outras palavras ou frases que contenham o Ha. dependerá um resultado eficaz. que grava o pedido pelos símbolos que elas representam nas diversas fases da prece. De acordo com seu desenvolvimento. que são repetidas quatro vezes. ao iniciar a Prece-Ação segue-se a seguinte ordem: a . Algumas palavras requerem respiração adequada. divide-se a Prece-Ação em quatro fases: Nas condições atuais de crescimento do sonho básico é primordial que se faça antes de iniciar propriamente a Prece-Ação. na transmissão da energia que circula no cordão-aka de .A segunda fase deve ser iniciada após um intervalo em que se faz cerca de quatro respirações profundas. o que ajuda a preparar as energias que conduzirão ao aumakua. Outras palavras são facilitadoras da comunicação entre unihipili e aumakua. como em qualquer outra situação. O pensamento básico invocado continua focalizado durante todo o tempo da formulação da prece. uma maior sobrecarga de mana pelo unihipili. se mantém pela audição do som transmitido pelas palavras. Após o relaxamento. um bom relaxamento usando-se a respiração num ritmo adequado. Será repetido até se conseguir cristalizar no agora/aqui a imagem desejada. favorecendo o contato do unihipili com o aumakua.dedica à prece-Ação uma visão de que existem várias maneiras de se fazer as coisas. a imagem cristalizada. num ritual que com o tempo torna-se fácil e acaba com as dúvidas e dispersões. A palavra Ha[9] sempre é acompanhada de uma respiração profunda e completa tanto na Prece-Ação. que agora é fruto de uma percepção subconsciente. num ritmo pessoal. A partir desse instante a emissão dos sons vindos de palavras adequadas à situação sustenta a continuidade da Prece-Ação. Pronunciam-se palavras cujos sons impressionem o unihipili. principalmente a formação dos fiosaka. o que culmina com a formação do cordão-aka principal. aos poucos o unihipili passa a comandar a situação e a focalização se transforma de consciente em subconsciente. e que orar é uma forte forma de transformação. que vão surgindo e se dirigindo da periferia para o centro (veja figura acima). Essa focalização induz a um estado alterado de percepção. do qual. Isso facilita a realização da primeira fase. como em “Ho’o i Ha i Ha”[10]. responsável pela condução da imagem cristalizada carregada de mana em forma de energia fluidificada (segundo Max Freedom Long). b . dentre eles. o resultado virá de acordo com a intensidade do cordão-aka principal e da imagem cristalizada. dificultando a interferência do uhane. Uma vez de posse da imagem. e a última está ligada também ao aumakua. A falta de resultado é conseqüência da não formação do cordão-aka principal. Isso também pode se conseguir sem que o receptor tenha fé. distribuindo a chuva de bênçãos. como foi feito no início da fase “b”. estabelece-se contato com o unihipili e o aumakua do receptor. que se encarregará da ligação com aumakua. . pelo aumakua. A segunda fase compõe-se de quatro partes pertencentes ao unihipili. a prece terá pleno êxito.Numa terceira fase. facilitando a ação do aumakua de ambos. faz-se uma recarga de mana.ligação. visando um único objetivo. com a ajuda de outros aumakuas (Poe aumakua[12] . A fé do transmissor. que sempre é dispersivo. se houve na formulação da prece. nos casos especiais de cura telepática à distância. para se atingir a cura. para se evitar um desgaste físico. ao aceitar tudo que acontece sem nenhuma dúvida. logo em seguida à primeira. muito obrigado. que significa “assim seja. a imagem cristalizada deverá estar memorizada no unihipili do transmissor. Para que tudo aconteça. geralmente usando-se a palavra havaiana amama[14]. quando a crença não foi suficiente para se atingir um pensamento único dirigido. propriedade do aumakua. A fé do receptor contribui para que o uhane se conscientize da situação e possa agradecer os bons resultados. e a imagem cristalizada é conduzida e transformada em fluxo de mana-loa. isto é.assembléia de aumakuas). um dos Princípios do xamanismo havaiano. e. o motivo real da Prece-Ação. este é o objetivo da Prece-Ação. É um estado de Aloha[13]. formular um só pedido para cada Prece-Ação. a ligação com o unihipili permanece. c . Deve-se evitar fazer uma segunda prece. o aumakua a conduzirá. os aumakuas do transmissor e do receptor atuam. a não ser. A Prece-Ação está concretizada e seus efeitos são o resultado da fase inicial. Após a prece. uma fé sem dúvida (paulele)[15]. A Prece-Ação pode ser feita por uma só pessoa ou por um grupo. que saísse da dispersão das idéias. se não houver.Numa quarta fase. sentindo a mudança e a cura. mais facilidade haverá para que se mantenha um profundo estado alterado de percepção. o prolongamento do kino-aka[11] do unihipili do transmissor para o receptor. etc”. Quanto mais intenso for o relaxamento. propicia sua permanência no estado alterado de percepção. voltando-se a respirar lentamente por algumas vezes. Essa é uma das razões pela qual se deve fazer sempre a Prece-Ação. e mesmo quando não tem conhecimento do que está sendo feito. para a atenção focalizada. e dá continuidade à prece. que leva à concentração e ao sentir do Princípio Ike[16]. Termina-se a Prece-Ação com um agradecimento. d . o que acontece com a reformulação das memórias que dá a oportunidade de se descobrir uma nova forma de sentir. adquire-se mais conhecimentos. agora. Simbolicamente. idéias. por crermos que a vida atual é um “sonho básico” e que podemos acrescentar novos sonhos a esse sonho básico. Os padrões comuns que se traz no sonho básico de vida estão dirigidos no sentido do pensar para sentir. vão desativar ou fazer desaparecer cordões-aka que transportavam lembranças que provocavam as desarmonias. retirando de sua memória genética programada e aprendida as situações trazidas. interpretadas de modo diferente por uma análise criativa e algumas vezes pela reflexão paralela. que de agora em diante vão orientar o indivíduo em suas ações. modificando ou perdendo padrões. atende ao sonho básico de vida e pode ser expresso da seguinte maneira: Pensar  sentir  agir  analisar  adquirir conhecimento e memorizar. com o enriquecimento intelectual. causas de doenças e situações mentais prejudiciais. as quais. novos padrões formados de novos valores e lembranças modificadas. isso não é mudança e sim. Padrão A[17]. criando novos comportamentos. Cria novos cordões ou acrescenta aos antigos agora reformulados. com as pesquisas e julgamentos que tendem a acompanhar a ciência clássica com seus dogmas. a ponto de se ter condições de sonhar através de novos valores e padrões. enriquecendo-se esses padrões.Considerações: O que verdadeiramente se chama de mudança ou transformação é a quebra de conceitos. Tudo isso é possível. Para isso. o que resulta em analisar criticamente as situações surgidas procurando-se entendê-las sempre com os mesmos conceitos e valores. experienciadas de forma diferente. estamos dizendo que está se preparando um novo sonho básico. sentimentos e vivências emocionais. os quais são introjetados. quando a vontade é . conhecimentos e desenvolvimento de valores. que não mais existe qualquer dúvida sobre seus resultados. O padrão atual estruturado no aqui/agora. que farão crescer os padrões do sonho básico de vida. agir e sonhar. que surge do fator espontaneidade que promove a criatividade. a soma de novos pensamentos. quando ela já é parte integrante de nossas vivências e já se está tão familiarizado com ela. imaginações. pensar. para uma outra vida. a interpretação é feita por análise crítica. A mudança de padrão requer reformulação. A mudança é fruto da descoberta de novos padrões. Podese conseguir essa transformação por meio da Prece-Ação contínua. valores éticos e morais. mantendo e desenvolvendo a conserva cultural. através da função intelectual. e segue os ditames do intelecto. dentro dos mesmos padrões da memória genética programada e aprendida. baseado no acréscimo de conhecimentos. o modo mais prático e rápido de se conseguir essas reformulações e transformações. quando se torna possível a integral comunicação pela Prece-Ação. as imagens gravadas que serão conduzidas pelos cordões-aka e transformadas em pensamentos advindos de um sentir harmonizado pela ação do aumakua. desenvolvendo e crescendo esse novo ser. Agora são preces com um sentido de verdadeiras revelações divinas vindas de um aumakua que está conduzindo de volta ao seio da teia-aka[20]. pois ela desperta a vontade firme de se permanecer num crescimento contínuo. Passa-se do critério analítico crítico para o da análise criativa e uma nova avaliação. O resultado é a possibilidade de se começar a fazer a reflexão paralela. único tempo que existe e é na vivência deste aqui/agora e agora/aqui. Passa-se a viver na bênção de Aloha. Em princípio. mãe da compreensão. criando oportunidade para que se sinta e compreenda os Sete Princípios Básicos do Xamanismo Havaiano. essa é a oportunidade de . por ação harmônica dos três eus. é uma percepção inconsciente que começa e termina na alma. Assim. existe na memória genética programada em estado potencial. razão porque se torna possível seu aparecimento e desenvolvimento. assim cresce em harmonia e tranqüilidade. que derrama suas bênçãos. que acontecem as ações. A forma de vivência agora é: Sentir  pensar  avaliar  refletir  agir  compreender  adquirir conhecimentos de maneira reformulada e memorizá-los. A Prece-Ação é possivelmente. parte prática da Psicofilosofia Huna. num novo sonhar que desenvolve um novo viver. reformulado num só e instantâneo ato. ideação e pensamentos no aqui/agora. sendo o possível início de um novo caminho que conduz ao crescimento espiritual que é a fase de preparação para a evolução. é a linguagem que traz a realidade para a imagem manifestada. abrange a situação em sua totalidade. que é o aparecimento do fato de maneira diferente. antítese do julgamento. a da intuição[18]. vai-se buscando nas memórias do sonho básico de vida. acredita-se que esse padrão básico reformulado que modificará o viver. cria assim um novo padrão adquirido pelas experiências do aqui/agora e que permite penetrar no agora/aqui e vivenciar as ações. da solução pelo pensamento. para a solução pela reflexão. desativando memórias de fixações e fazendo desaparecer memórias que não mais têm razão de continuar nos futuros sonhos básicos de outras vidas.impulsionada por uma nova linguagem. Intuição é um processo diferente. a pessoa que ilusoriamente se sentia afastada dela. A experiência mostra que. até a resolução. dados que permitirão aumentar um novo sonhar. que está reformulada pelos novos padrões (Padrão A1/A)[19]. quando se pode retirar do conhecimento do sonho básico atual. Isso tudo se dá no presente. desde o momento em que surge a criatividade. fruto da inspiração e da intuição. um novo sentir e uma nova imaginação. está se diferenciando o conteúdo dos valores do atual sonho básico de vida que passa a jorrar com mais facilidade para dentro da viagem desta vida. Se “a vida é um sonho”. aos poucos. desenvolvendo o padrão emergente. é comum a dispersão do pensamento. mental e espiritualmente. no mesmo instante em que se está pedindo sua cura. responsável pelo pensamento elaborado. afirmar-se que está sadio? Parece . Com a persistência. intenso e focalizado num só sentido. O verde na figura da prece-ação simboliza o “Princípio Aloha”. Quando se faz um pedido nas preces. O que provocaria essa dificuldade. que nada mais é do que um pensamento único. até se conseguir cristalizar a imagem. é a necessidade de reformulações internas. ao mesmo tempo em que se afirma que esse desejo já é um ato consumado. é o pensamento que conduz à fé assumida (paulele) para o unihipili e que cria uma crença sem dúvida. que leve à cristalização do pensamento e formação de imagens no agora/aqui. Em tal condição. e pela intensidade do mesmo. por surgirem simultaneamente vários pensamentos. por ele estar doente. que faz com que não se consiga o resultado esperado. O resultado depende de como se formula a prece. que ajudou a despertar e visualizar esse potencial divino que existe dentro de cada ser. apesar de todos os conhecimentos que se possa ter sobre o assunto? Em nosso artigo “Aqui/Agora e Agora/Aqui”. isto é. não se consegue o resultado desejado. física. A repetição desta formulação faz com que se firme o pensamento. surge um estado alterado de percepção que permite a prática de um ato de fé. Lembrem-se de que o cunho prático do que formulamos no artigo. já está curada. pode-se atingir um grau de focalização tal. propriedade do uhane. não se conseguindo um grau de concentração compatível com as necessidades. a pessoa por quem se está orando. se tem dificuldade na elaboração e concretização da Prece-Ação por faltarem determinados requisitos. sem os quais. ocasião em que toda ação do uhane está realmente dirigida para a prece. de acordo com a atenção focalizada. indicando que é uma bênção criada. Inicialmente. é verdadeiramente difícil de pensar no portador da doença como uma pessoa que esteja bem. algo que dê condições de realmente se crer no que se está pensando e falando. para a formação da imagem cristalizada que será enviada ao receptor. ele sempre é fruto de uma necessidade. se assim não for é difícil uma motivação para se conseguir um grau de focalização da atenção. Como podem duas situações estar acontecendo. Geralmente. Se o pedido se refere à cura de uma doença. procuramos mostrar a diferença existente entre essas duas situações ligadas ao espaço/tempo. que passa a ser uma realidade no agora/aqui. por mais que se esforce para que isso não aconteça.começar a sonhar de maneira diferente. com condições para receber os benefícios da Prece-Ação. ao mesmo tempo e no mesmo espaço/tempo? Como pode alguém estar doente e ao mesmo tempo. quer esteja diretamente ligada a nós ou a quem se deseja um bem e que seja importante para nós. Isso parece ser uma situação paradoxal: É pensar desejando-se algo positivamente. que permita chegar-se a um único pensamento. quando se elabora a Prece-Ação. aumentando a crença e contribuindo para o desenvolvimento das práticas ensinadas pelos “princípios xamânicos havaianos”. Isso é crescimento. até que outra nova e semelhante situação surja. conseguem-se bons resultados nas preces. mesmo sem a fé sem dúvidas (paulele) e a convicção de só existir o presente. que não exija realmente mudanças internas profundas. conservando princípios. mas as ações mostram que continuar cometendo erros semelhantes aos anteriormente praticados. Contradição existe por se estar no primeiro nível do pensamento humano. Busca-se então. percebendo os defeitos e mostrando as culpas e medos que bloqueiam as ações para os atos reais da vida. realidades. modificando o pensar. na adaptação social. A análise leva ao sentimento de se estar livre das “tentações e dos demônios”. tônica das mudanças. enriquecendo os antigos padrões. proporcionando resultados efetivos.contraditória a situação. Isso. por estar no mesmo espaço/tempo. mas não mudança. reforçam os comportamentos antigos. Nessas situações é comum filiar-se a alguma doutrina religiosa. não sendo assim. dúvidas. por já estar gravado na memória. que muitas vezes. quando a situação é muito intensa e sumamente angustiante o que forçosamente provoca uma fé que desperta uma crença. com a sensação de que nada melhorou e que não houve crescimento. valores. até que se consiga ficar livre daquilo que está molestando. Tudo é muito lógico e explicável. com explicações racionais ou pelas buscas científicas. no sentido do Princípio Aloha é o desapego. como ainda conduz para o caminho da interiorização. conceitos éticos. mas geralmente. Muitas vezes. que não só age no comportamento. que é o sonho responsável pela vida atual geneticamente programada. na conformação com o sofrimento. Fazemos essa separação por pensar geralmente que o passado é uma realidade. uma tranqüilidade para as vivências. Essa percepção favorece a Prece-Ação. Quando se volta à rotina da vida. o sentimento e a sensação de dor falam mais alto que qualquer raciocínio ou teoria. desvaloriza-se o acontecido e busca-se novos pensamentos que justifiquem o que se conseguiu na Prece-Ação. que são os modelos vigentes nessa viagem da vida. não quer dizer que as reformulações não estejam . apela-se novamente para qualquer tipo de fé. assim como o futuro. em relação a tempo e espaço. não mais se consegue resultados semelhantes ao anterior. onde se atua com o sonho básico de vida (definição Huna para vida). quando se usa a maneira comum de raciocinar e pensar. no entanto. que não permitem as mudanças necessárias para a cura. as transformações reais que conduzem às perdas das ilusões transitórias das manifestações da vida. Em Huna só se pensa no presente e o aqui/agora e o agora/aqui formam o presente. mas ações filantrópicas constantes. O amor. religiosos e morais. aí. conduz à dúvida. principalmente. impedindo assim. quando é o sofrimento que leva à prece. quando o passado não passa de uma simples lembrança e o futuro uma possibilidade. na tentativa de diminuir as culpas e medos. Nessas situações. o que se faz como agradecimento pelo milagre conseguido ou a se conseguir. usando-se os conceitos Huna de tempo e espaço simultâneos. quando entra em ação a essência do unihipili e não sua imagem corporal – kino -. um conhecimento que conduza a uma crença que contribua para o desenvolvimento e faça sentir o valor da oração. mas não a do futuro próximo. até se conseguir a reflexão que conduz à aquisição da fé sem dúvida. ela faz parte do subconsciente. às vezes. projetado geneticamente para essa viagem como um sonho básico de vida. que se traz geneticamente e as que se cria no aprendizado da vida. Está numa freqüência vibratória temporal de outro teor. para se conseguir situar no presente. dando a percepção consciente. Apesar de persistirem falhas. devemos insistir no desejo de reformulações. Não é um jogo de palavras.ocorrendo e não deve servir de motivo para o desânimo e a inércia que nos faz permanecer nos padrões vigentes. de consciência. O pensamento vai tomando formas que penetram em . é uma outra linguagem que procede do aumakua mostrando em frações de segundos. é outro tipo de percepção que desperta novas maneiras de pensar e sentir. O agora/aqui está em Po. agir e sentir. Esse é um dos pontos que parece tornar contraditória e difícil a realização da Prece-Ação. que só se consegue perceber nos estados alterados de percepção e às vezes. como fator de transformação interior. que capta as sensações e estímulos do tempo presente. onde e quando tudo acontece simultaneamente com o aqui/agora. O agora/aqui está fora da percepção sensorial. facilitando o crescimento e posteriormente a evolução? A explicação que encontramos para a Prece-Ação está na crença de existir um agora/aqui. praticando ações. no entanto. Deve ser um incentivo para a prática de mais ações que ajudem a continuar caminhando rumo à meta principal da vida. atuando com julgamentos menos severos. seu modelo físico. situações vividas ou que podem ser vividas. onde tudo o que acontece é fruto das ações. a intuição. perdendo-se as fixações. impedindo o crescimento? É possível que se consiga dessa forma. fazendo parte do invisível que há em nós e no todo. o que provoca mudanças de valores e padrões. Quando se ouve uma música. que auxilia na mudança do pensar. ou pela intuição (percepção subconsciente). que busca resultados no aqui/agora e neste instante. fugindo das preocupações do imediatismo de nossa cultura. diminuindo culpas. com seus tons característicos. O que fazer para não se ficar sem ação e longe das mudanças interiores? Deve-se procurar algum sistema de ensino que mostre como se pode mudar e que satisfaça com explicações os novos conhecimentos? Isso facilita as transformações pelas ações. memorizando novas lembranças e modificando outras. Está em Po a essência dos três espíritos o que permite o acesso direto às informações gravadas nas memórias genéticas programadas e aprendidas[21]. mas algo para se pensar com mais profundidade. que é simultâneo com o presente. inicialmente concentra-se na melodia e/ou na letra ou no som dos instrumentos. depende de uma outra percepção. assim também. ou emoções outras. até que em determinado instante. transformando-o em um aqui/agora diferente e modificado pelas sensações sentidas por rápidos instantes. econômico. podese ser penetrado pelo pensamento formulado na Prece-Ação. As sensações. A Prece-Ação é um estado de graça obtido pela harmonia e alinhamento dos três eus.nós. a percepção sensorial é acrescida e envolvida por outra extra-sensorial (no sentido de maior profundidade interior). curam o mundo. perde-se a concentração na música e passa-se a um estado em que se sente mais do que observa. que são verdadeiras revelações que transformam e curam ou fazem surgir novas sensações e emoções. Nesse novo aqui/agora surgido. Como se é penetrado pela música que leva ao agora/aqui. quando surgem as imagens que vão se desenvolvendo. bem diferentes. A fé sem dúvidas (paulele). São as ocasiões em que se cura os outros e conseqüentemente se auto-cura e juntos. facilitando Makia (a energia segue o fluxo do pensamento). tanto individuais como coletivos. cristalizando e elevando as vibrações para espaços/tempos diferentes dos comumente percebidos pelos sentidos corporais. de acordo com a música que se está ouvindo e sendo penetrado por ela. Ela forma seu mais novo aqui/agora e pode propiciar mudanças profundas e duradouras no indivíduo. em Manawa[22] dando a medida da eficácia de Pono. que está em cada um e pode ser despertado a qualquer instante. produz a crença com pensamento que é a porta de entrada do agora/aqui. são feitas de fé com Mana pura. milésimos de segundos. no primeiro caso. mental. despertado no momento da percepção do agora/aqui. o que dá uma percepção diferente das anteriores. afetivo e principalmente religioso. aumentando seu valor no aqui/agora. houve regeneração. pois sente e presencia um “momento” (insight). É a permissão para visão clara. por já estar em um estado alterado de percepção. é o que Jesus possivelmente quis dizer na frase: “Eu e o Pai somos Um. com a “permissão” do Princípio Mana. emoções e novos comportamentos. A experiência da percepção do agora/aqui é pessoal e suas conseqüências só podem ser medidas por aquele que as vivenciou. são ações harmônicas do ser em estado de Aloha. Enlevado pela música. desde que se determine com certeza (paulele) que acontecerão. isso permite até sentir-se como sendo a própria música. vinda do Poder Divino. o que conduz às mais variadas e diversas sensações. no ser trino futuro. Essa situação traz paz. Nesse estado. ela conduz à essência da música. pode-se penetrar no agora/aqui. Isso é ação divina dentro de cada um. seja no sentido físico. São às vezes. quando está envolvido e enlevado pela “situação musical”. talento de . quando se deixa conduzir para o agora/aqui da prece. Essa percepção pode ser conseguida com treino e persistência através da Prece-Ação. aquietação e tranqüilidade. por ser energia e poder divinos canalizados numa ação transformadora e benéfica. assim como vocês e Eu também poderemos ser um”. cujas situações e condições de vivência provocam mudanças. com a fé de que seu poder é ilimitado – Kala -. impedindo que se vivencie naturalmente estados alterados de percepção que conduzam a novas vivências de uma realidade diferente. fator criador da imagem desejada. no invisível Po. O presente do aqui/agora é concreto e formado pela “conserva cultural”[26] (todo o conhecimento do passado até o presente). onde está realmente o centro da consciência. estando no aqui/agora que é Ao[25]. desde que se permita ser conduzido para estados alterados de percepção e consciência. dentro de um novo contexto social e atrapalha o desenvolvimento da Prece-Ação. É como pensar que o futuro “agora” está acontecendo sobre um presente “aqui” que deixou de ser realidade. já se está pronto para receber as bênçãos da Prece-Ação. sob os auspícios do aumakua. vinda da essência do unihipili e aumakua que estão em Po. o qual está carregado de mana. Na Prece-Ação só se consegue a satisfação de um desejo formulado. pois se está focalizado no agora/aqui do pedido. que é um fato novo acontecendo no agora/aqui. bloqueia intelectualmente a espontaneidade que estimula a focalização. trazendo mais tranqüilidade e paz à vida de cada um. talento de Manawa. Quando se consegue sentir e pensar. quando nos entregamos integralmente ao formulado como desejo. que transforma a situação existente em aqui/agora nascente. na presença. por já pertencer ao “passado” que é uma lembrança e por isso. onde o pensamento não é mais ideação e raciocínio colhidos da percepção dos sentidos corporais. como dissemos acima.Ike. focalizado no agora/aqui. que impede muitas vezes as mudanças necessárias para o crescimento individual. mas percepção intuitiva. quando o pensamento dirigido que engloba esse desejo. adquirindo-se novos padrões que ajudem a chegar a uma maior compreensão de si mesmo. pela conserva cultural. deixa de haver condição paradoxal na formulação da prece-ação. que estão em Po. . que é esclarecimento[23]. O ser humano é mantido em Ao no aqui/agora. talento de Kala[24]. que o cristaliza e transforma em realidade. Tudo se resume em aceitar que “o mundo é aquilo que você pensa que ele é” – Ike -. que se consegue perceber com mais facilidade como penetrar no agora/aqui. São captadas pela percepção da essência do unihipili e aumakua. estão fora dos sentidos corporais e recebemos e sentimos. como fruto da Prece-Ação. dando a oportunidade de se viver em Po. reformulada por pensamentos vindos de sensações captadas por percepções intuitivas. num estado de Aloha e haverá a transmissão ao receptor. A inclusão dessa descrição nesse artigo tem a finalidade de provocar pensamentos novos que possam conduzir à reavaliação de valores e conceitos. sendo o mais novo fato da conserva cultural e o mais recente aqui/agora da pessoa. O presente do agora/aqui é sonho de uma situação invisível e conduz a uma nova vida. não tem mais ação. não estiver mais sendo pensado no aqui/agora. Nessa situação. essa é a razão de repetirmos alguns conceitos e sugestões neste artigo. é um novo Ike. É na compreensão da mitologia. [5] Unihipili – Eu básico. compreendendo que só a medida da verdade pela eficácia. Princípio Pono. [15] Paulele . Quatro também é o símbolo daTerra. vida pela respiração. assim seja. assemelha-se ao consciente da Psicologia. [7] Uhane – Eu médio. bênção da vivê. o que contribui para o despertar de – Aloha -. [8] Huna – Psicofilosofia transmitida pelos mestres kahunas. [10] Ho’o i Ha i Ha – Na Prece-Ação é o envio de Cordões-aka pelo unihipili para o Aumakua. assemelha-se ao subconsciente da Psicologia. [9] Ha – Respiração. Sebastião de Melo [1] Mana-loa . oferece mudanças verdadeiras.. mas integração na rede universal. [2] Po – mundo invisível celestial e espiritual. Significa “o segredo”. com a capacidade de buscar e realizar ações. [13] Aloha – 5º Princípio do Xamanismo Havaiano: “AMAR É COMPORTILHAR COM. [4] Mana – Energia vital. [6] Cordão-aka – Condutor de mana.. invisível de cada espírito do ser humano. Saudação de boas vindas. [12] Poe Aumakua – Assembléia de Aumakuas. Nba Prece-Ação é a sobrecarga de mana para o transmissor. agora repletas de experiências. o espírito que pensa e fala.Energia do Aumakua. [11] Kino-Aka – Corpo etérico. Cada instante vivido é um ike. que pode transformar todos os seres humanos em tecelões de sonhos de novos sonhares. no retorno à condição de Crianças de Tane. [14] Amama – Agradecimento: Muito obrigado.ncia do amor compartilhado.. [16] Ike – 1º Princípio do Xamanismo Havaiano: “O mundo é o que eu penso que ele é”. a teia-aka da Psicofilosofia Huna. o que se tornou possível pela permissão (atributo ou talento do Princípio Mana) que é dada pelo Princípio – Mana (6º Princípio:Todo poder vem de dentro). .. conscientizando a todos de que não há mais separação nem individualidade.que com sua energia divina conscientiza a realidade pela percepção intuitiva. [3] Aumakua – Eu Superior. etc.sabendo-se que o fluxo da energia segue o curso do pensamento Makia (3º Princípio: A energia segue o fluxo do pensamento) -. nº 4 em havaiano.Fé sem dúvida.. assemelha-se ao superconsciente da Psicologia. . por ser o seu momento de poder aqui/agora – Manawa -.”.. a personalidade é formada pelos padrões vindos da “conserva cultural”.Memórias formadas pelas ações físicas e mentais do dia a dia na atual vida. Filosoficamente. [25] Ao – O mundo terrestre. [22] Manawa – 4º Princípio do Xamanismo Havaiano: “Seu momento de poder é agora”. Formam assim. estão contidos na memória genética programada (propriedade do unihipili). os dois sob a proteção de aumakua marcam a trajetória do “sonho básico de vida” (um dos critérios Huna para definir vida).Não há limites. [20] Teia-Aka – O universo em seu todo. [24] Kala – 2º Princípio . Deve-se estar sempre atento ao desenvolvimento e crescimento do sonho básico de vida pela reformulação das memórias. A soma dessas memórias traça a conduta no desenrolar da vida. pensamentos e palavra é capaz de perceber e formular novos critérios. geralmente sem se ter percepção total do que realmente está acontecendo pelas atitudes e ações. [19] Padrão A1/A – Segundo padrão do sonho básico de vida após seu desenvolvimento pelas experiências. [26] Conserva cultural – Todo conhecimento humano até o aqui/agora atual. na vivência das experiências do cotidiano. A linguagem passa de análise crítica. [21]Memórias genéticas programadas – Formam-se em Po constituindo o sonho básico de vida da próxima reencarnação. Padrões e seu Desenvolvimento A psicofilosofia Huna é o método de ensino que desenvolve as verdades ensinadas pelos mestres kahunas através dos tempos. pela imaginação. para análise criativa. Vide artigo “Padrões e seu desenvolvimento” do mesmo autor [18] Intuição – Linguagem inconsciente e real que começa e termina na alma no momento que surgiu. usando as memórias fornecidas pelo unihipili. os critérios do pensar não se identificam com os aprendidos na cultura ocidental. É o que em psicologia poderíamos chamar de “insight”. Transmitida oralmente de geração para geração. No desenvolvimento do indivíduo. a memória aprendida que será acrescida à memória genética programada do unihipili. mundo das manifestações. [23] Esclarecimento – Atributo ou talento do segundo Princípio do Xamanismo Havaiano. ao se adquirir conhecimentos em geral.[17] Padrão A – Primeiro padrão do sonho básico de vida que tem como linguagem a análise crítica. sem separações. ideação. desde as remotas épocas do continente de Mu. assim. Termo empregado por Moreno em Psicodrama e sociometria. mostra conceitos diferentes e desconhecidas das várias correntes da psicologia tida como ramo da ciência. Estas acontecem quando prevalecem as ações que dinamizam os padrões . o que contribui para seu crescimento espiritual. que se manifestam pelo aprendizado. Somente o uhane. Memórias aprendidas ou experienciais . os três aspectos ou espíritos que formam juntamente com o corpo físico (kino). como resultado de alterações dos valores. Isso contribui para um crescimento espiritual baseado nos mesmos padrões do sonho básico. desenvolve e cresce. pode-se dizer que a “vida é um sonho básico” estruturado antes do nascer. Essa é uma propriedade daqueles que. ele é dispersivo por estar voltado para o exterior. com novos “pensares”. somente é percebida por aqueles que mudaram seus padrões. e cuja razão de existir é o crescimento e amadurecimento. pensamentos. que contribui para a aquisição de novos sonhos dentro dos padrões trazidos na memória genética programada e pela formação das memórias aprendidas nas . apesar de todo o desenvolvimento tecnológico. Em termos Huna estamos falando de uhane.herdados da “conserva cultural” adquirida nas diversas vidas anteriores. São imagens que refletem a realidade que é invisível. Partimos de uma definição diferente de vida: “Vida é uma sucessão de mortes. Nossa percepção está limitada à sensibilidade dos sentidos corporais. fornecidas pelas marcas mnêmicas. fatos. que dão outras formas de se adquirir conhecimentos. Essa realidade. Resumindo. o ser que atua. o que acontece nas mudanças reais. modificam a dinâmica das sociedades. Fica preso às condições externas ambientais. É o intelecto. O resultado depende de mudanças na percepção do uhane. levando à aquisição de novos paradigmas. desenvolvendo o sonho básico de vida. Fala-se muito de inconsciente. o Pai que está nos céus (Reva) e em tudo (Teia-Aka). desde a imaginação. quando termina o ciclo do nascer e morrer. pesquisas científicas e outras. A ilusão dada pelos conceitos puramente intelectuais. manifestase nas várias maneiras existentes de se adquirir conhecimento e impede a mudança dos padrões antigos vigentes trazidos para a vivência do aqui/agora. a humanidade evolui. Essa é a razão da existência do ser humano. mas não lhe é dado o real valor de sua atuação nos pensamentos e ações. propiciadora das memórias aprendidas. apanágio da memória genética programada. científico e de religiosidade existentes. mas não contribui para a evolução do espírito. ideações. o responsável pela produção das manifestações em geral. No entanto. evoluindo rumo a Deus (Tane). prejudicando uma focalização mais profunda na busca do ser interior como um todo. possibilitando a diferenciação entre imagem e realidade. que nada mais é do que a maneira do uhane captar as imagens manifestadas no ambiente. culturais e científicas. nunca se atribui ao intelecto (uhane) uma condição que lhe é peculiar e constante e que conduz muitas vezes a resultados diferentes dos desejados. até que não se renasça mais”. transformando os padrões culturais e então. unihipili e aumakua. como as sociais. geradoras das memórias genéticas programadas no preparo do sonho básico de vida em Po. parte do todo (Teia-Aka). após uma mesclagem de novos meios de percepção. sentimentos e conceitos fornecidos pelo uhane transformando-os em memórias. que chegou à velhice. chegar-se à individuação (auto-realização pela análise). conforme vimos anteriormente. onde estão guardadas as características do DNA. A Psicofilosofia Huna define a vida atual como: “vida é um sonho básico”. para depois. uma nova maneira de analisar. mas sem mudanças da percepção e dos valores. Surge então. ficando impregnados de conhecimentos e formas-pensamentos de fixação que só aumentam a intelectualização. conservando. mais tarde. é a análise criativa. O unihipili somente devolve ao uhane sob forma de lembranças. própria de cada um. pensamentos. Ao nascermos. novos DNAs. por seus instintos como animal e por uma programação espiritual. saímos da vida fetal pela morte do feto. mas nosso alerta é no sentido de que eles devem ser nosso servidor e não o nosso senhor e condutor. Mudam-se pensamentos e ações e reformula-se ou perde-se memórias antigas adquirindo novas. Não somos contra o pensamento racional e muito menos contra a intelectualização. Ele sofre transformações de acordo com o nível de crescimento e evolução de cada indivíduo. que conduz ao abandono da análise crítica. os antigos valores e padrões. Traz suas características impressas na memória genética programada. e não no unihipili (subconsciente) que só registra as sensações. o que propicia em outras reencarnações. o nascituro vai desenvolvendo o sonho básico de vida. toda a programação desse sonho básico de vida. pelo nascimento. Assim. criado pelas memórias genéticas programadas. sendo sustentado pela estrutura genética programada. o conteúdo de suas memórias. que propiciam os pensamentos das ações antigas e a formação das novas. atingindo o estado de aumakua. O indivíduo é então conduzido ao crescimento e à evolução espiritual. as memórias podem ser reformuladas conduzindo-nos primeiramente a nós mesmos. Assim. Após passar pela análise critica. Isso impede que se vislumbre o surgimento de novas idéias que fazem aparecer novos pensamentos questionadores. de . O grande empecilho está no uhane (consciente). No desenvolvimento. a grande ilusão é adquirir novos conhecimentos que vão sendo memorizados. começa-se a vislumbrar novas formas de viver dentro dessa grande rede que é a humanidade. somos conduzidos pelas emoções criadas no aqui/agora. no entanto. que contribui para a formação da memória experiencial ou aprendida. base do aprendizado. Elas trazem também as potencialidades que permitem as transformações e as mudanças. estando tudo na dependência do corpo (kino). o que nos leva à conclusão de que deve ser e estar no DNA. Ela é responsável direta pela manutenção da espécie e do ser em especial.experiências. pela mudança de padrões em um novo nível (B). criando a possibilidade da formação de novos padrões. o ser humano está praticamente desligado dos antigos padrões e do sonho básico. propiciando um crescimento e uma possível evolução do ser. do uhane (Padrão A. As ações acontecem nos ambientes em que se vive. na crença de que elas são vislumbres da psicofilosofia Huna. é dinamizada pelos músculos lisos e constitui as funções instintivas e orgânicas próprias de todo animal. formando desse modo o sonho básico de vida. e. que é a percepção divina. de acordo com suas necessidades de crescimento e evolução. A divisão em Padrão A e A1/A (Nível 1) e Padrão B (Nível 2). no caso. (Teia-Aka). obedecendo às leis da mesma e da rede sociométrica. que facultam o desenvolvimento do que está latente na memória genética programada de cada ser. a do homem. desse antigo e fabuloso conhecimento. que atua inconscientemente por reflexos ou estímulos. usaremos livremente o conhecimento sobre diversos assuntos e teorias. continuar a vivenciar e desenvolver ações nos três padrões. Inclui-se ai. através das marcas mnêmicas. O fruto dessa viagem da vida será a base para a preparação de sua próxima reencarnação. podemos entender esses mistérios de uma nova maneira. com pensamentos mais simples. representada pelo sonho básico de vida de cada um. formando seu “lócus” e sua rede sociométrica. parte dessa enorme rede infinita. No desenvolvimento das figuras geométricas. A1/A e B) pela percepção e do aumakua (Padrão A. Cremos que o DNA não só traz as situações físicas do ser. o aspecto corporal. que inserido no Padrão A serve como simples referencial. ficando mais fácil seu aprendizado. A1/A e B). obedecendo as características individuais gravadas no DNA. Isso se dá através dos cordões-aka ativados pela genética programada individual e da rede sociométrica. para se manter corporalmente no aqui/agora e ajudar os que estão na vivência dos .acordo com o crescimento ou evolução de cada ser e da espécie em geral. torna mais compreensível o assunto. como também as características espirituais com as possíveis mudanças do sonho básico. estando bem definidos e caracterizados em Huna: pelo conhecimento que se tem do unihipili (Padrões A. Ao se atingir o Padrão B. mas de como foi preparada pelo próprio indivíduo em Po. através de sua memória. não estamos nos referindo ao que herdamos dos pais e parentes. A fisiologia é desenvolvida no corpo que lhe dá uma estrutura celular. desencadeando primeiramente as ações próprias da fisiologia de cada ser. propriedade das “Crianças de Tane”. assim. e. Os pontos mais próximos dessa teia onde se desenvolve o indivíduo sofrem reações. quando as ações experienciadas em toda a trajetória da vida anterior foram realizadas. captados por pioneiros encarregados de preparar o caminho futuro. toda a rede sociométrica. conforme a evolução de cada um. Como vimos. A1/A e B) através da intuição. Quando falamos de genética programada. e visará modificações desse sonho básico vivenciado. e. quando o sonhar dos novos sonhos está interligado à rede sociométrica.Padrões A e A1/A. aos poucos transforma o sentido de apego e posse. usaremos um esquema formado por figuras geométricas com exemplos ligados à informática. . Há uma compreensão maior e o relacionamento é compartilhado. até que desapareçam e o ser se torne realmente um “transeunte”. o sonhar maior vem da Teia-Aka. É a condição ideal do homem. por viver em estado de Aloha. A vivência nesses dois primeiros padrões. engrandecida pelo vislumbre da compreensão do compartilhar em Aloha. A seguir. ligada à ação e aos pensamentos analíticos. Os triângulos contêm conceitos que devem ser desenvolvidos em cada fase do sonho básico na viagem da vida e serão comentados. define vida como sendo um sonho.Como preâmbulo dos comentários do conteúdo dos triângulos. recapitulemos alguns tópicos dados acima como: A Psicofilosofia Huna. temos um sonho básico de vida. sustentado por uma . Relembremos que ao nascer. que facilitam o desenrolar do sonho básico de vida. que é a responsável por qualquer manifestação na natureza. formando a polaridade. determinando uma área. quando o feto atinge sua velhice. e. como ponto de ligação. é a conseqüência das duas situações anteriores. através das funções orgânicas próprias da espécie. dá continuidade ao segundo. imaginação. necessita de uma Antítese . Desenvolve-se a memória genética programada com a anatomofisiologia e formam-se as uvas e os cachos de uvas (símbolo Huna para memória) nas camadas musculares. pelo anatomofisiológico. Essa nova vida inicia com a primeira inspiração. o ser está preparado para um novo ciclo diferente de vida. Esse triângulo. numa seqüência natural que tem a Síntese . originando novos “viveres”. que tem como ponto de ligação com o seguinte. seja física ou mental. sendo parte integrante da vida. é base do aprendizado. A identificação de cada individuo é caracterizada pelo DNA. A nova manifestação é aqui caracterizada como Síntese . Nesse desenvolvimento do ser. desde o nascimento. contribuindo com as ações corporais. No primeiro triângulo. seguindo as estruturas das memórias genéticas programadas.Nascimento. Terminado o ciclo da vida fetal. As memórias aprendidas formam-se corporalmente com o desenvolvimento muscular e amadurecimento dos Sistemas Nervosos. que une os dois triângulos propicia a formação da base do segundo. A Síntese . o que mostra ser a morte a porta de entrada para os nascimentos. a Tese . Desse modo. pela anatomofisiologia embrionária e seqüencialmente até o final da fase fetal. responsável direta pela manutenção da espécie e do ser em especial. mas vivenciadas com as sensações e emoções sentidas por estímulos intensos. “o alento da vida”.Ha. responsável pelo (Sentimento. onde o uhane busca nas lembranças o desenvolvimento da percepção. pelo seu conteúdo. é a anatomofisiologia. traz suas características impressas na memória genética programada estruturada em Po. não só à parte individual. Ambas são corporais. palavra e pensamentos. a Síntese Pensamento. até uma fase em que o desenvolvimento dos Sistemas Nervosos permite surgir sensações e reações. Ação). mas engloba o psicológico e . inicia suas funções na concepção. a partir da formação do embrião. ideações.Ha (Vida através da respiração) complementa o primeiro triângulo.Desenvolvimento Psicocorporal e >Antítese Anatomofisiologia são a base de formação do novo triângulo. o guia iniciador do aprendizado.Ha (Vida pela respiração)). inicia e desenvolve esse grande arquivo que abrange todos os setores de atividade. onde estão os conteúdos das experiências. para a formação da futura memória experiencial ou aprendida. forma-se o conteúdo do segundo triângulo. Após o nascimento. situações concretizadas ou não.estrutura genética programada. Essa dependência está condicionada. a genética programada é celular (essencialmente músculos lisos).Morte fetal. A Síntese .Ha. num aprendizado constante. triângulo cuja Tese . O sentido da visão é a principal manifestação perceptiva. porque o ser está fundido com o todo e não se diferencia como um ser limitado pelo corpo físico (kino). Aprende e forma. indivisível e de sensações globais. predomina a anatomofisiologia. tudo é uma extensão dele. as “memórias aprendidas”. as funções fisiológicas se diferenciam e o psiquismo se desenvolve. Até aqui. como veremos adiante. vai influenciar. principalmente a da mãe ou de quem cuida diretamente da criança. num universo único. que com estímulos intensos. em um triângulo com novos conteúdos. a diferenciação dos diversos setores. que é o guia do desenvolvimento. que depende também do aprendizado conseguido nas experiências vivenciadas. que já não é mais apenas ela. nesse desenvolvimento natural. constituindo-se num sincretismo que possibilita aos poucos. É importante a atuação das pessoas do ambiente em que vive o novo ser. desde que o cérebro já esteja em condições de exercer suas funções naturais de decodificação. nas diversas camadas musculares. para serem decodificadas pelo cérebro. e que. permitindo o surgimento de outras fases. As sensações se desenvolvem de acordo com a anatomofisiologia. separa a criança do ambiente. dando condições de crescimento. o psiquismo que era anatomofisiológico. como facilitador ou não. que permite introduzir novos sonhos e novas maneiras de sonhar (genética programada). de acordo com as experiências adquiridas nas variadas vivências. de certa maneira. Conforme amadurecem os sistemas nervosos. transformando em pensamentos. Estas trarão novos e mais intensos estímulos e sensações. é a sensação de ser aqui. onde são . quando começa a perder as sensações de totalidade e se individualiza. a “sensação de viver” afeta a criança de uma maneira intensa. surgem novas ações determinadas pelo amadurecimento neuronal. que pode ser acolhedor ou não.social. A intensificação e o aparecimento de novos estímulos provocam transformações para iniciar o crescimento psicofisiológico. formando a base para uma nova fase. É “grok”. Este desenvolvimento depende também da atuação das pessoas envolvidas nesse processo de crescimento. no desenvolvimento do sonho básico de vida desse ser. Tudo isso ocorre geralmente até os dois anos de idade da criança. Surgem então. que cresce e lhe dá as condições de percepção de seus limites corporais. as primeiras percepções sensoriais. À medida que se desenvolvem os sentidos físicos que a separa do meio exterior. os ikes que se desenrolam no seu cotidiano. Os conteúdos dos dois triângulos somam-se. o que permite as modificações corporais. mas algo ainda indefinido. vinda da alimentação e das situações criadas no ambiente. pois todas as sensações e impressões são sentidas como sendo totais e dela e são recebidas globalmente sem distinguir o fora e o dentro. adquire propriedades particulares. são responsáveis pelo fornecimento de certa quantidade de mana. Nos conteúdos do primeiro triângulo. Inicialmente. conduzindo esse ser para a descoberta das emoções levadas através dos cordões-aka. até conseguir mais tarde. Propicia então. que a individualiza e adapta-a ao ambiente. um crescimento psicofísico. facilitando o desenvolvimento do pensamento. que tem como Síntese – Conhecimento (Geral e Científico). Com o desenvolvimento do uhane. Num concatenar contínuo. Nesse encadeamento de vivências e experiências. é o uhane que desponta e cresce. desenvolve-se o ser em busca de sua maturidade psicofísica. até a capacidade de decidir. É esse fator que diferencia o ser humano dos outros animais.Buscar o prazer de acordo com o sonho básico de vida. que inicialmente era um “ser aqui”. O triângulo com seus conteúdos. que dão ao homem. O conhecimento geral não está sujeito somente à intelectualização do aprendizado. Possui conteúdos diversificados. e agora é “estar aqui”. há um . e pelas ações efetuadas. são experiências ajuizadas por ideações desenvolvidas através das emoções primárias. Ação). desde as sensações de estar aqui (diferente do ser aqui). O conhecimento científico intelectualiza o homem. A partir dai sofre modificações profundas. à custa de seu sonho básico de vida. com condições de pesquisar pela ação. essa base vai servir de tese e antítese para o próximo triângulo. separando-o do exterior para uma individualização constante. é feita através da percepção desenvolvida. função principal do uhane. Passa a ser o único responsável. a análise interpretativa crítica. a capacidade de decidir. mas é o que poderíamos chamar de “aquilo que a vida ensina”. que tem como Síntese Pensamento (que constrói o Sentimento. favorecendo a motivação primordial do unihipili:. oriundos da imaginação. circulantes no corpo. libertando o indivíduo da dependência em que vivia e mostra-lhe novos caminhos que mudam o “pensar”. tentando minorar o sofrimento herdado geneticamente. A separação sofrida pela modificação da “sensação de viver”. em busca do seu aprimoramento científico e do seu bem estar pessoal e social. que se traduz por um aprendizado que é seu e lhe foi dado por suas experiências mentais. que constituem as memórias aprendidas (formam-se os primeiros cachos dessa memória). propiciando-lhe um sentir próprio. formando as características de sua personalidade. que provoca ações. é acrescido do indutivo. sem sair dos padrões do sonho básico de vida. propicia o desenvolvimento da tecnologia.Interpretar.guardadas as lembranças das experiências vividas. as funções do uhane. com decisões próprias. que agora são criações suas.Analisar e como Antítese . é o elemento de ligação do novo triângulo que tem como Tese . traçando seu comportamento em relação a si mesmo e ao ambiente. Começam assim. sendo capaz de reformular o conteúdo de suas memórias com novos pensamentos. esta passa a ser uma prática constante. que de instintivo e dedutivo. tomando seu lugar na vida do ser. A “vontade” surge e se desenvolve. O uhane desenvolve pela criação de novas memórias e crescimento das já existentes. e corporalmente. torna-se cada vez maior. deixando a espontaneidade e a criatividade comandar a formação de um novo sonho básico que desponta. base doo triângulo. e. criou-se a Síntese . Essa é a motivação principal do uhane: a ordem. o maior de todos os “sonhares” com todos os sonhos anteriores.crescimento espiritual constante. por já ter um entendimento da necessidade de se diminuir a separação causada pelo individualismo. com todas as experiências arquivadas nas memórias reformuladas pela aquisição de novos valores e reformulação dos já existentes. que adquiriu no comprometimento social. Só assim. sem perder o contato com o inicial. necessitando de uma ordenação. Sem ordem é difícil haver controle. e de acordo com as determinações de sua vontade. transformando o que poderia ser penoso em termos de ação. primeiro vislumbre do amor do Princípio Aloha. Agora é possível fazer uma retrospectiva. a sensação de posse do adquirido. Atingimos assim. que é a sensação do sentimento de possibilidade de mudanças despertado pelo amor-sentimento. busca um comportamento comunitário. com o tempo. com os conteúdos anteriores. que traz do aprendizado e do conhecimento adquirido e memorizado.Distribuição. que é o que nos mantêm estruturados na rede sociométrica. cria condições para paralelamente trabalhar novos valores. para o global. atingiu o que se poderia definir como: O “homem é um ser biológico. o que prejudica futuramente a evolução e a função principal do uhane que é a decisão. seja qual for a direção por ele tomada. é o suporte do novo padrão que se desenvolverá aos .Produção e a Antítese . para que se possa trabalhar com proveito e bom resultado. podem conduzir o indivíduo à novas percepções. adquirir-se um novo padrão. predominando os impulsos que dispersam os pensamentos. tudo dentro dos padrões herdados de seu sonho básico de vida.Grande Síntese. mas não perdida. contribuindo com a intelectualização que exige uma análise cada vez mais detalhada dos pensamentos e dos fatos. concretiza esse comprometimento e torna usual a prática de ações sociais. conduzindo o ser às preocupações com o social. Parte do individual. Está criada a possibilidade de se sentir a necessidade das mudanças dos valores e padrões até agora desenvolvidos. Por querer atingir a fase final desse Padrão A. cuja estrutura pode ser modificada. vivenciar novos sonhos com novas maneiras de sonhar.Distribuição.Conhecimento (Geral e Científico) dá continuidade ao esquema. A Síntese . criar sistemas diferentes para as ações e conhecimento. O resultado é um entendimento que leva a uma aceitação dessas responsabilidades. Essa ordenação favorece a produção. dentro do mesmo padrão. o que foi produzido. mas com um sentido de posse. A Tese . em sentimento afetivo. psicológico e social com vislumbres da vivência cósmica”. se consegue uma produtividade maior. contidos no sonho básico de vida. Comprometendo-se com o social. por ele cultivado. e forma o novo triângulo com a Tese Produção e a Antítese . que forma a base deste último triângulo. e. que ainda é uma posse. para um sentir ainda subordinado a analise dos pensamentos e das ações. do desapego . A ilusão da separação é sentida. a necessidade da revisão de valores é imperiosa. fecha-se o triângulo que tem como ápice a Síntese Imaginação Criativa e Conhecimento Criativo. o pensamento analítico. juntamente com um novo Ike (Primeiro Princípio do xamanismo havaiano) para cada ação praticada. As revisões dão oportunidade ao surgimento do reto pensar. propicia na área desse triângulo. onde a posse intelectual é um problema a ser resolvido. vislumbrando a interligação de tudo. conduz o indivíduo na direção da ação interiorizada.Sentir. durante as várias fases vividas no Padrão A. elaborados no amor ao coletivo. mesmo sendo crítico. o que conduz ao Padrão A1/A do Nível 1. por ser essencialmente ativa.Analisar e a Antítese . fruto da ação conjunta. cujos conteúdos estão modificados pelas vivências anteriores. e cria uma situação holística. é um reto pensar. propicia uma participação social mais intensa e diferenciada. com mudanças no pensar e sentir. O Nível 1 cresce pelas experiências desenvolvidas pelos diversos conteúdos dos triângulos.Interpretar. dificulta um sentir sem o apego do conhecimento adquirido. O apego às posses ainda é um empecilho nesse caminho de sonhos diferentes. síntese dos dois triângulos. O pensar está mudado. Assim.Imaginação Criativa e Conhecimento Criativo. Vêm de situações em que a espontaneidade guia as ações criativas. uma última etapa se delineia. sob orientação do aumakua. formando a Síntese . que vai conscientizando-o da sua participação individual. pode o pensamento estar focalizado com mais intensidade. como base. tornando as decisões mais fáceis e mais suaves.poucos.Reto Pensar e a Antítese . com participação ativa e partilhada. prendendo-nos ao padrão A. sob influência de Makia (terceiro Princípio do xamanismo havaiano: “A energia segue o curso do pensamento”) ampliando a percepção da Teia-Aka. desperta a imaginação criativa e o Conhecimento Criativo. Aos que caminham sem medo e com os valores revistos e modificados. crê-se que não são muitos os que conseguem atingir o final desse Padrão A. agora. É o uhane atuando em harmonia com o unihipili. que tem como base a Tese . e. Esse triângulo inicial do (Padrão A1/A). conteúdos embasados em pensamentos sem dúvidas. o resultado é uma revisão nos valores do Padrão A. oriundas do Padrão A. que nos aprisiona ao mundo. como já sabe tomar decisões. A Imaginação Criativa e o Conhecimento Criativo. levando-nos a sentir que somente na ação conjunta. através de seus conteúdos. Infelizmente. sem críticas acentuadas e com julgamentos menos severos. Agora. na Teia-Aka. evitando a dispersão e criando condições para que as decisões se tornem mais fáceis e corretas. baseada na tese e antítese anterior. a Tese . mas uma posse de jugo suave e leve. A intelectualização. Para uma mais fácil compreensão. até capaz de aceitar que as coisas possam também ser feitas fora da ciência. faremos uma analogia com um programa de computador. ora em outro . cuja semente surgiu na Grande Síntese do Padrão A. para se conseguir alcançar o Nível 2. único tempo realmente existente e a convicção da incerteza uma verdade que impulsiona para a evolução. Com a percepção intuitiva. o sentimento é de que se caminha em uma outra estrada paralela à primeira. que pela sua função criadora conduz à Percepção Intuitiva. em busca de um prazer que não mais tem como necessidade básica o medo. o que nos mostra como acontecem as transformações que são necessárias. nem as frustrações. em sonhos grandiosos e cheios de desejos de transformação. mais tolerante e de maior amplitude. a raiva e a culpa. É com uma nova percepção. ao se trabalhar em uma janela ordenada podemos observar. Não há a angústia da espera. que traz paz. que geram o sofrimento. primeiro passo para se tornar um juiz flexível. estão incluídos na descrição geral do texto. das vitórias ou derrotas. mas reto. ambos no presente. experimentar e vivenciar um padrão sem perder o outro de vista.intelectual. Começa-se a analisar com um pensamento reflexivo. que as experiências surgem e se concretizam. estudar. por ser o futuro próximo agora/aqui e o passado aqui/agora. possibilitada pela “compreensão”. levando à harmonia das vibrações. que não está subordinada aos sentidos físicos e à sensibilidade geral. motivação principal do aumakua. mas não dependendo tanto dela. em busca da liberdade que passa a conduzir seus “sonhares”. desenvolvendo alguns tópicos como: Como vimos. por experiências diretas e constantes e por observação. Sentiremos as mudanças de padrões. entrando ora em um. Os conteúdos dos triângulos do (Padrão A e A1/A). e vice-versa. Está estruturado na conscientização de uma liberdade interior. tranqüilidade e amor. O Nível 2 está ligado ao Padrão B e as condições de vida são muito diferentes nesse nível: . o próprio Padrão A e Padrão A1/A. sem perder de vista o Padrão A que continua sendo o sonho básico da vida e que foi geneticamente programado. até que se perceba a existência do Nível 2. quando a análise criativa favorece a imaginação criativa.padrão do Nível 1. tendo como resultado o Conhecimento Criativo que propicia as mudanças necessárias que conduzem ao Padrão B. ampliar ou “deletar”. Agora já se vive intensamente no Padrão A1/A. formando aos poucos. Pode-se copiar. No entanto. bem definidos em Huna como sendo propriedades do unihipili e uhane (Padrão A e Padrão A1/A) e também do aumakua. isso no .Os mistérios desaparecem e a compreensão desenvolve-se. a vivência e a evolução promovem ações nos três padrões. É o “pobre de espírito” de Jesus. . sob a tutela do aumakua. as limitações e todos os desafios dos sete princípios do xamanismo havaiano que impedem o desenvolvimento. no qual a criança não tinha noção do que é dentro ou fora dela. dentro do contexto em que vive e atua. através da percepção intuitiva. vivendo no Princípio Aloha. e de uma nova forma de comunicação. por estarmos em outro nível. desempenha um papel preponderante como guia dos pensamentos e das ações correspondentes. estivemos no estado de grok. estão inteiramente interligados com a Teia-Aka. desenvolve-se a individualidade. há uma reformulação das memórias. Essa compreensão surge da maneira de interpretar. concomitantemente. as vibrações estão em freqüências integradoras.Nível 1. Nesse estágio. e passa a servir como simples referencial de manutenção da vida corporal. o Padrão A serve como simples referencial. anulando as energias causadoras das separações. onde a ilusória separação é a situação que nos mantém na viagem da vida atual. e as sensações eram globais. A vivência nos dois primeiros padrões conduz ao desapego e o ser se transforma em um transeunte. pela compreensão existente no Nível 2. Conforme se desenvolve pelo aprendizado. desaparece aos poucos o estado de grok. É o libertar-se do intelecto que passa a ser um excelente servidor. Na fase inicial da vida atual. que passou das análises crítica e criativa para a reflexão com a avaliação cósmica. Ao se atingir o Padrão B. O reto sentir. atuando somente por mecanismos anatomofisiológicos dependentes da memória genética programada. É difícil falar dos conteúdos desse Padrão B. Falaremos da fase final traçando um paralelo com o estado grok de ambas. forma-se a memória aprendida ou experiencial. sente-se integrado ao todo da Teia-aka. para a manutenção corporal no aqui/agora. A vivência interior vem da Teia-Aka. após o nascimento. Essa situação conduz a um estado alterado de percepção. Aos poucos. O sonhar está interligado e os sonhos vêm da Teia-Aka. na qual. Passa-se a viver na plenitude que a compreensão dos Princípios do xamanismo havaiano propicia. fazem desaparecer a ignorância. nos distancia da “conserva cultural” no aqui/agora e leva-nos a uma situação temporal diferente. ao se desativar cordões-aka. aumakua no Nível 2. o reto pensar e o reto agir. e. modifica toda a estrutura até então existente. Com os padrões modificados e os novos adquiridos. A passagem do Padrão A1/A para o Padrão B. não sente mais a separação. mudar outros e ativar os que permaneciam em estado potencial à espera das transformações despertadas pela percepção intuitiva. a percepção sofre modificações e conseqüentemente. herdeiro do reino dos céus. forma sua rede sociométrica tirada da Teia-Aka mais próxima de suas atuações. o crescimento e a evolução. Apesar da individualidade. Terceiro Princípio do xamanismo havaiano (a energia segue o fluxo do pensamento).Por um aprendizado constante. Eu básico. Kahuna – mestre guardião dos segredos do conhecimento secreto do antigo Havaí. Ku.). que forma novos padrões. o Deus manifestado. Ao – Mundo manifestado Unihipili – Subconsciente. Kino . Eu Superior. anulam-se as sensações dadas pela intelectualização das ações. Manawa – Quarto Princípio do xamanismo havaiano (seu momento de poder é agora). Teia-Aka – Rede sociométrica universal.. Kala – Segundo Princípio do xamanismo havaiano (seu poder é ilimitado). Eu médio. entrando no estado de graça atingido por aqueles que ultrapassaram as barreiras humanas e atingiram a condição de imagem e semelhança de Tane. Mana – Poder Divino. que tudo criou e cria. sopro.Primeiro Princípio do xamanismo havaiano (o mundo é o que você pensa que ele é). Po – Mundo invisível. que agora é de integração com a Teia-Aka. Lono. o Todo. Uhane Consciente. Ike -.corpo Aka – substância. Reva – morada dos deuses. Cordão-aka – prolongamentos do unihipili encarregados de transportar memórias.. Aloha – Quinto Princípio do xamanismo havaiano (amar é compartilhar com. Índice de referência de palavras havaianas: Huna – psicofilosofia oriunda do antigo Havaí. por meio de uma nova percepção. mana – Energia vital Ha – vida através da respiração. sexto Princípio do xamanismo havaiano. Aumakua – Superconsciente. eliminando os limites. Kane. respiração. por meio dos incontáveis sonhos vivenciados e dos “sonhares” modificados pela alteração dos valores. o número quatro em havaiano. desenvolveu pela vontade. a intuição criativa. Mana – Sexto Princípio do xamanismo havaiano (todo poder vem de dentro). . o Deus manifestado. por não perceber mais a separação. Makia -. propiciando atingir o outro estado de grok. Nessa dimensão. Tane – Deus que existe. matéria que permeia o universo. todas as experiências na viagem da vida. Corolário: o amor aumenta quando o julgamento diminui. Utilização do poder do pensamento.Visão. 3º.A energia segue o pensamento. Utilização do poder da flexibilidade. Pono . Kala . Todos os sistemas são arbitrários. é a visão metafísica da realidade.Não há limites. A cada princípio. Tudo é energia. O poder vem da autorização (da criação). Os Princípios do xamanismo havaiano são sete. Os Sete Princípios Xamânicos seus Atributos e Talentos 1º. 1º. Ike . é a visão do primeiro nível. Mana . 7º. Utilização do poder do amor.Seu momento de poder é agora. 5º. Ike . Os deuses principais da mitologia havaiana ensinada pela Huna são doze.Sétimo Princípio do xamanismo havaiano (A eficácia é a medida da verdade).> Corolário: Tudo está interligado. é uma maneira diferente de se perceber as coisas. Manawa . Makia . Corolário: Tudo é sonho. Aloha . Utilização do fluxo de energia. Utilização das ligações energéticas. Corolário: Tudo tem poder. representam qualidades especiais a serem desenvolvidas e são percebidos de maneira diferente do que comumente fazemos. Corolário: A atenção segue o fluxo energético. 4º. corresponde um atributo. Tudo é possível. Corolário: Tudo é relativo.Pono -. . A visão comum das coisas chama-se Ike Papakahi.Amar é ser feliz com. Separação é apenas uma ilusão útil. Os princípios e seus atributos são. Corolário: Existe sempre outra forma de se fazer algo.O mundo é o que você pensa que é.Todo poder vem de dentro. Tudo está vivo. Utilização do momento presente. Utilização do poder da autorização (da criação). 2º. 6º.A efetividade é a medida da verdade. atento e reativo. massageando.Esclarecimento. o aqui/agora e o agora/aqui são situações das quais tiramos todo proveito para nosso entendimento e compreensão e quanto mais atentos estivermos. focalizar em sua mente suas intenções.Presença. sendo o presente o nosso tempo. São duas situações em que as ações são semelhantes mas as intenções e atitudes são diferentes. é. assim. objetivos. Mana . Por exemplo. conseguindo a harmonia. mais presentes nos faremos e mais frutos colheremos de nossas ações. 4º. estaremos abençoando. imagem ou ação. Pono . 2º. enxergar a beleza e apreciar a perícia com que se age. Ele usa esta habilidade para fazer suas curas que têm um sentido diferente das curas comuns. O xamã age de maneira diferente porque é capaz de abençoar o bem potencial através de desejos de sucesso às pessoas a quem se dirige. atitudes e ações. estará usando o corpo físico como ferramenta para tecer um novo sonho e curar o espírito. poderemos sentir a bondade. O xamã massagista. isto é. de onde se controla o primeiro. quer pela palavra. Isto pode ser feito com pessoas e objetos. massageando o corpo de um paciente está usando suas mãos para curar o corpo físico do paciente. 6º. se conseguirmos reforçar o bem presente ou potencial. 7º. 5º. um massagista. autorizamos que tenha este poder. a maneira que se tem para agir fazendo com que se consiga claramente a união do seu eu com o universo. aprendendo como conquistá-lo. também podemos tirar.Bênção. em todas nossas intenções. O xamã guerreiro personifica o mal lhe dando poder. o que lhe dá maior eficiência em suas ações e uma maior capacidade de frustrações. Manawa .Permissão. só se consegue isto com a energização do que queremos atribuir poder. poderá ajudar os outros a tecerem seus sonhos. o xamã destemido tira o poder do mal despersonificando-o e aprendendo sobre ele. o xamã tece seus próprios sonhos desenvolvendo suas habilidades e assim. fazendo assim. que o mal desapareça. é a maneira de se perceber a realidade atuando num segundo nível. para que qualquer coisa tenha poder. Makia . Aloha . houve uma cura corporal e no segundo. 3º.Focalização. Assim como podemos dar poder. metas e propósitos é uma maneira de se conseguir uma revisão permanente de suas motivações.Tecelão de sonhos. No primeiro caso. ao tecer um sonho propiciou uma cura física e mental. provocou uma . é a transformação do homem em um ser holístico.A visão metafísica chama-se Ike Papalua. é necessário que lhe atribuamos este poder que queremos transmitir. Kala . de sabermos quais são as potencialidades que levaremos para a nova reencarnação. o que é Sonho básico de vida. memórias que não estejam de acordo com nossas futuras possibilidades de crescimento espiritual. não teremos como chegar ao principal que é o conhecimento de seus sete desafios. não tendo esse conhecimento estaremos nadando na superfície das águas sem saber a profundidade em que podemos mergulhar. . King descritos no livro “Urban Shaman”. quando da preparação do atual sonho básico de vida. isto é. Podemos ter um sonho básico de vida de um Talento. A leitura atenta e livre dos Evangelhos nos mostra que esses princípios não foram esquecidos por Jesus. ainda que estejamos na situação de só possuirmos um Talento de acordo com a parábola evangélica. mas a possibilidade de que usando a VONTADE possamos passar pelas experiências que a própria vida nos oferece. Este trabalho tem como base os ensinamentos de Serge K. e. lá. trabalhamos vagarosa e realmente o que viveremos e nunca incorporaremos no SBV. Falamos e nos preocupamos sempre em estudar e conhecer os Sete Princípios. de cinco. Em Po usando-se a essência dos três espíritos que somos. sendo o livre arbítrio nosso guia. Apesar de na essência que é divina. Foram também sintetizados nos trabalhos de Max Freedom Long de maneira magistral. mister se faz conhecer teoricamente pelo menos. as coisas são feitas nos dando as possibilidades. é a resposta de cura do massagista e a segunda. e nos perigos do mergulho. com a nossa consciência e a ajuda de poe aumakua. Não há nisso predestinação. de dois. somos os únicos responsáveis por nós mesmos. aprenderemos a trazer para a nova vida o que poderemos fazer dentro das possibilidades de cada sbv. de acordo com o livre arbítrio. é natural. produzidas em Po. de acordo com as condições espirituais que trazemos em nosso interior e que são dadas pelas marcas mnêmicas transformadas corporalmente em memórias genéticas programadas. Cremos que está ai a diferença das duas palavras da Língua Inglesa: cure e healing.modificação espiritual que manterá o indivíduo com novas intenções e atitudes de vida criando uma nova crença. Os Desafios dos Sete Princípios: Ignorância Para se falar dos desafios dos sete Princípios do xamanismo havaiano. pois se não o fizermos. é a resposta de cura do xamã. na Prece Ação. Compararemos o sonho básico de vida com a Parábola dos Talentos do Evangelho. sabermos dos sete princípios. também sabemos dos sete desafios e. não existe erros na preparação do sbv o que nos faz tomar um conhecimento real das qualidades e defeitos de que seremos possuidores. Esta situação é eficiente e a eficiência está na capacidade de tecer sonhos do xamã e das mudanças sofridas que manterão o indivíduo com suas novas crenças. a primeira. pois isso não passa da absorção de imagens como realidades. Se buscarmos no exterior as bases de nosso viver. o poder. pelas experiências físicas e mentais vivenciadas no dia a dia vão se formando as memórias aprendidas que movimentarão nosso corpo e nossa mente. medo e dúvida provocada pelo desafio ignorância.o que nos permita perceber a situação verdadeira . Nesta situação. O apego geralmente voltado para as posses em qualquer sentido. Nossos valores e padrões interiores estão embotados para a realidade e vivemos das imagens dos fatos apresentados no dia a dia. que são as vivências de cada instante em toda nossa vida atual. sendo eles os dinamizadores de nossas experiências nas contínuas ações do dia a dia. ainda não nos permite ter uma visão que mostre existir. Nossa ignorância não nos permite perceber essencialmente que a vivência de nosso sbv está inteiramente voltada para o meio externo e que somos não a causa. que é dinamizado pelo talento VISÃO. Aqui entra a parábola dos Talentos. Temos então. que é importante. à avareza de possuir cada vez mais em todos os sentidos. transformados em memórias que nos guiam no viver diário. chegaremos à conclusão de que tudo se inicia com o primeiro desafio: IGNORÂNCIA. Assim. O que realmente desenvolveremos serão as experiências tiradas das memórias genéticas programadas com a formação de um corpo de acordo com nossas necessidades de um aprendizado que promova o crescimento do sbv. leso engano. além desse talento e nosso crescimento interior não irá além da ignorância. após um clarear da visão. pelo que possuímos e pelo que pensamos ser. confusão. essa situação é mantida pela ambição e às vezes. mas sempre é bom lembrar do que ele nos propicia dentro de nosso sbv. tem como causas básicas que a mantém o APEGO e a MORTE. não iremos em tudo que praticarmos. as imagens do que aprendemos pelas ações que estão dirigidas para o meio em que vivemos. o que nos mostra a impermanência de nossa vida. aos poucos. procrastinação raiva. pois isso nos levará a adquirir numa segunda fase.Precisamos entender que os talentos dos sete princípios serão nossos guias interiores de acordo com o sbv. além da ignorância. as conseqüências naturalmente serão as de trazermos para dentro de nós mesmos. dirigindonos para as vivências que formarão a cada instante um Ike(o mundo é o que eu penso que ele é). a ilusão de que somos frutos do ambiente de acordo com nossa criação e educação. mas como uma condição de pensar e sentir que dominamos tudo. Essa situação causa a limitação. que nos dá os inumeráveis IKES. quando são simplesmente situações que facilitam ou dificultam nosso desenvolvimento e crescimento espiritual. não para o crescimento interior. A ignorância segundo pensamos ( tudo é arbitrário). outros desafios a serem vivenciados. se temos um sonho básico de vida de um só talento. Muito já se falou sobre esse assunto. Somos a soma de todos os ikes vivenciados. Nossa sustentação fica na dependência de nossas possibilidades do apego e viveremos para o exterior onde cremos estar nossas possibilidades de desenvolvimento. mas uma conseqüência do que este meio nos propicia. que contribuam para a descoberta de produtos que possam prolongar a vida. a busca interior com um certo desapego das posses adquiridas mental e materialmente. tendo a ignorância como desafio. mostrando que enterrar o talento da parábola na aquisição de bens exteriores. procrastinações. Trabalhar a ignorância significa clarear a visão interior. isso nos fazer esquecer de analisar o final do sbv como uma coisa natural. Se não trabalharmos com afinco todas as condições geradas pela ignorância não passaremos a viver num segundo desafio: LIMITAÇÃO. por falta de uma maior clareza de visão interior. Esse tipo de pensar justifica as nossas ações de ambição. avareza. ou um homem de grandes posses monetárias. O Talento que corresponde ao desafio ignorância é a VISÂO. é um prolongamento para o crescimento espiritual e posteriormente a evolução. medos e dúvidas que podem nos seguir por todo o tempo. inclusive crenças que conduzem a uma existência após a morte. não conseguimos pensar que a morte não é o fim. ao reforço das mesmas.do pouco crescimento espiritual. ela é parte integrante da vida. Este sentir nos leva à ilusão de cuidarmos cada vez mais de nossa estética corporal. mas sim. as duas grandes causas da falta de visão. a posse é o fruto que nos faz chegar até à negação de qualquer referência espiritual. as quais levaremos conosco após a vivência dessa reencarnação. como desafio tem conotações diferentes e a pessoa traz um sbv modificado. A cada dia que passa. Isso é tão forte em uma grande maioria das pessoas. mas que ao contrario. confusões. mas também desviam nossa atenção da morte. seremos conduzidos pelo apego e pela morte. mais nos perturba pensar na morte e fugimos dela praticando ações filantrópicas ou doando quantias para a ciência. porque é pela aparência que aparecemos para o mundo que pensamos dominar. que necessitamos ser “emplacados” em atos sociais que julgamos importantes e perpétuos. num aprendizado formador de memórias provocadoras de vivências. por ter se preparado com novos valores. dando a sensação de que somos possuidores da vida. Agora. Isso não conduzirá à reformulação de memórias necessárias para as mudanças. É perceber de acordo com nossas possibilidades. Este desafio traz outras conseqüências que são diferentes da limitação pela ignorância. são como uma esperança de não morrermos. que a ambição gerada pelo apego traz memórias que devem passar pelo pensamento. não nos conduzirá a um novo sbv com condições de um crescimento espiritual que desperte valores modificadores de padrões. que até se criou nos cemitérios as campas perpétuas. posse. Isso causa as grandes conseqüências provocadas pelo apego. O medo da morte se torna muitas vezes tão grande. Esse talento vai dinamizar o sbv durante toda nossa atual existência. raivas. poder econômico e intelectual. Pela ignorância somos conduzidos às limitações. não é só adquirir conhecimento e se tornar um intelectual poderoso. No tramitar da vida.. induzindo-nos a um pensar que conduza a um sentir diferente. . isto é. mas conservando os mesmos padrões. isso pode acontecer com um ignorante ou com um individuo genial. limitação. mola propulsora de todas nossas ações. É buscar cada vez mais o entendimento de uma verdade que está em nós mesmos. em havaiano (Pouli. concluiremos que o sbv é fruto dos quatro primeiros deles (ignorância. mas que se não for trabalhada perderemos a oportunidade de caminhar no sentido do desenvolvimento e crescimento do sbv. através de nossas ações guiadas pelas memórias. buscando passar do exterior para o interior. pois sem ela não conseguimos uma visão que nos dê condições de prosseguir na busca incessante de nossas verdades. A busca da percepção de nós mesmos é de suma importância. reconhecermos nossas limitações provocadas por ela. agora. sempre conduz ao julgamento que fazemos de tudo que é percebido. provocando dificuldades e sofrimentos. nossas vivências. quase sempre nos conduz a atos que não causam harmonia entre unihipili e uhane. o que nos “desvia de nosso eixo”. É natural tudo isso depender de atingirmos em cada sbv vivido.Seria um homem de um talento que não o enterrará mais e que. de acordo com as condições dadas pelo nosso sonho básico de vida. são os responsáveis pela manutenção do ciclo de vida e morte. sucessivamente pelos outros desafios. Temos assim. não só de crescer o sbv. em última instância é a finalidade de aqui estarmos. elas formam pensamentos que ordenam e decidem sobre cada experiência vivenciada. mas de chegar a uma percepção que provoca por instantes de inspiração. favorecendo a criação em Po. com um analfabeto ou com um grande intelectual. É a dinamização do talento visão que faz girar a roda do crescimento espiritual. a qual. de qualquer desenvolvimento. a possibilidade. Essa busca cria em nós a possibilidade de reformulação de memórias. tem a possibilidades de produzir frutos diferentes? Em qualquer situação que esteja o sbv. Hokai e Napa). se houver mais harmonia entre os espíritos que somos. de novos sonhos básicos de vida com possibilidades de mais crescimento espiritual. modificações no sbv. na fase dependente do primeiro desafio. em qualquer circunstância alivie a carga inicialmente causada pela ignorância e. A vontade. Só assim conseguiremos perceber nossa ignorância e descobrir que sendo suas causas o apego e a morte. tirando nossa capacidade de aceitação. de acordo com o sbv preparado para essa reencarnação. o início de uma percepção interior. Trabalhar as causas de cada desafio é perceber nossa situação interior e criar condições para um desenvolvimento mais harmonioso entre unihipili e uhane que. Essa desarmonia é falta de uma . confusão e procrastinação). situações propiciadoras de um desenvolvimento intelectual próprio de cada sbv que. Tudo é fruto do trabalho constante que praticamos. É a fase do certo e errado de nossa conserva cultural. Haiki. Seguindo a seqüência dos desafios. a visão continua sendo o indicador de qualquer entendimento intelectual. através das sucessivas reencarnações. mas sim guarda-lo e devolver ao Senhor reconhecendo nossa ignorância e dizendo que graças às lições aprendidas por Ele na próxima reencarnação formaremos um sbv que nos conduza à possibilidade de mudança de valores. dando-nos possibilidade de perceber o que nos causa o apego e o medo da morte. numa nova reencarnação. e que não iriam nos levar de volta ao caminho do crescimento espiritual. graças à dinâmica do Talento Visão. as doenças são um breque nas vivências desarmônicas que estamos experienciando. por sentirmos através dela o significado de “o meu mundo é o que eu penso que ele é”. pelo entendimento do desafio ignorância e suas conseqüências. não como fruto do desafio IGNORÂNCIA. Creio que com o já dito até agora. nossa visão se tornou mais clara. só somos capazes de ter uma percepção pelos efeitos do desenvolvimento do sonho básico de vida. nos faz sentir que a roda dos princípios. mas como fruto de um crescimento. Muitas vezes. cujos frutos nos conduzem às posses e suas conseqüências. atingindo este estado de vivência somos capazes entender que não mais poderemos enterrar o talento que nos foi dado. onde esbarramos com um novo desafio a vencer neste sbv ou em outro. pelo talento visão criou uma possibilidade de crescer para um novo ciclo de desenvolvimento nos conduzindo para uma nova fase.visão clara das coisas. Anima e Animus no Unihipili e Uhane Conceitos básicos formados pelas raízes da palavra unihipili. do qual. Essa percepção nos faz sentir que agora estamos vivenciando o ciclo da LIMITAÇÃO. para a vivência do segundo desafio do Princípio KALA do xamanismo havaiano. ensinado pela psicofilosofia Huna Sebastião de Melo Unihipili e suas Funções Índice: Ação dos Arquétipos Sombra. Agora. o que nos impele para situações que geralmente causam doenças. Essa clareza permite ao aumakua nos dar instantes que são despertados por memórias criadoras de novos pensamentos. É como uma sacralização intelectual de uma palavra que nos orienta na criação de uma conserva cultural enriquecida pelo conhecimento que é ainda a intelectualização de tudo que aprendemos e praticamos. motivação e mecanismos de ação do unihipili (uhinipili) ou Ku: Memórias e seus mecanismos de ação Introdução[1] . com um pensar de um novo ike que nos impulsiona para novas vivências. Funções. as quais. podemos pelo intelecto perceber o sentido de visão e que a palavra Ike tem um significado verdadeiro para nós. que também fazem parte dessa genética programada como facilitadores ou dificultadores de seu . fornecem os dados necessários. portanto pertencem à área do unihipili. quando perde os limites e a separação. atua de acordo com o uhane masculino manifestado e. no encontro com Aumakua. a desarmonia causa um desequilíbrio que é aproveitado pela sombra (carma). Por isso. a busca da harmonia entre unihipili e uhane ser muito importante. para que predomine o Animus no homem e o Anima na mulher. O crescimento e a evolução do unihipili e uhane é o caminho para o surgimento do ser triuno. tornando-se um ser holístico capaz de viver compartilhando como verdadeiro transeunte e encontrar as outras moradas da Casa do Pai. fazem parte do subconsciente. pelas projeções que formam as formas-pensamentos de fixação (complexos). tira da conserva cultural os subsídios para esse crescimento. Anima e Animus[2] no Unihipili e Uhane O ser humano para atingir seu estado de individuação (compreensão de si mesmo. uma grande ou total compreensão de si mesmo com a possibilidade da reintegrar-se na teia-aka. quando o intelecto representado pelo uhane e sua vontade são capazes de formar cordões-aka que conduzem as memórias para serem transformadas em pensamentos. A MGP traz em potencial o desenvolvimento do sonho básico de vida possibilitando o crescimento e evolução pelo conhecimento e mudanças de padrões. sentir e agir para pelo menos se aproximar dessa condição? Quando o unihipili é formado de Sombra e Anima. Fazem conexão com o Aumakua que funciona como um guia que orienta nas fases difíceis e em outras necessidades ligadas ao sonho básico de vida. o uhane (Animus) tem que procurar no aprendizado. atuando em detrimento do crescimento espiritual. tendo assim. a parte feminina subconsciente das MGPs. como pensar. tanto as que desfrutaremos nessa vida como as que já vivemos em vidas anteriores. No sentido prático. Na condição de homem. Dessa forma estamos subordinados ao unihipili que possui em seu kino-aka as lembranças de todo nosso passado. não está mais subordinado ao ciclo do nascer e morrer do homem comum.Ação dos Arquétipos Sombra. Animus ou Anima. Passa a viver da essência representada pelo Aumakua. sentimentos e ações. com as ações acompanhadas pela orientação dos pais ou responsáveis pela criança. assim como Sombra e o Animus (condição masculina) na mulher. Atingindo a condição do homem ideal. esses três arquétipos são representados pela memória genética programada que pelas experiências e ações desenvolvem a memória aprendida no decorrer da vida. por estar livre das imagens simbólicas trazidas pela Sombra. Em outras palavras. quando há discordância. através da percepção. para o desenvolvimento do uhane. auto-realização) necessita harmonizar seus dois arquétipos individuais: Sombra e Anima (condição feminina) no homem. primeiramente na vida instintiva que mantém sua estrutura física e psicológica nos primeiros anos de vida. Posteriormente com as mudanças nos padrões básicos. as raízes significam: U – Significa o eu. na condição de mulher. com aparência de partido. espírito ou entidade. Gotejador: Aquele que goteja. criando as primeiras regras arquivadas nas memórias aprendidas. Hi .desenvolvimento. armazenando uma sobrecarga para enviar ao Aumakua como pedido do uhane. segundo suas ações. Nihi . Voltando ao estudo das raízes. Nos momentos de oração. baseadas nas memórias genéticas programadas que agem no nível fisiológico. como gotículas de água em determinadas condições. simbolicamente é o produtor de mana do unihipili e o seu fornecedor para o uso durante a vida. quando há uma crença sem dúvida. pelas experiências. Tem também o sentido de: Projetor: Indica a projeção dos cordões-aka do kino-aka e o fluir de mana através deles. cria condições de atuar conforme seu potencial cármico através dos valores que formam os padrões fornecidos pela conserva cultural.significa estar magro e fraco. Hini . a palavra unihipili significa: Conceitos Básicos Formados pelas Raízes da Palavra Unihipili Na palavra unihipili. usando os pensamentos dedutivos. Podemos chamar essas condições de meios de desenvolver os papéis trazidos na genética programada e que agora. A educação age como um fator que contribui ou dificulta o desenvolvimento dos papéis. Impregnador: Mistura ou tinge com alguma outra coisa. O modelo de pai e mãe exerce uma influência na atuação de sua sombra e anima criando as condições de formar uma personalidade com possibilidades de aproveitar todo o aprendizado efetuado antes de sua concepção quando surgiu para essa vida atual na condição de homem e na atuação de sua sombra e animus. Na mulher o unihipili é formado de Sombra e Animus. pode acelerar esse fornecimento ao uhane e Aumakua. quando estão bloqueados e sem ação. através de estímulos fortes e repetitivos (filtros fisiológicos) dando-lhe defesas capazes de ajudá-lo em seu desenvolvimento geral. sendo a Anima (uhane). com os quais vai atuar adaptadamente ou não.significa o fluir de mana. A integração no meio dá ao individuo as condições de acompanhar seu progresso físico-mental adaptando-o ou não às suas matrizes de identidade no mundo que atua. simboliza os cordões-aka quando não estão carregados de mana ou ativados. mostra a mistura de kino com os kino-aka do unihipili e uhane. iniciando as imaginações com as ideações e os pensamentos que vão se constituindo em memórias aprendidas. chuvisca ou pinga vagarosamente água.simboliza tudo que se refere a uma vinha e água. Gradualmente o uhane vai entrando em ação e desenvolvendo sua vontade no sentir e agir. mas sempre como uma entidade separada e independente. . Funções.Uhi . são as possíveis vozes dos fantasmas. pensamentos e emoções. Ele não separa o que é imaginação de acontecimentos. que os cordões-aka do unihipili se fixam no que tocam. presente e futuro. Serge King denomina esse aspecto da consciência como Ku que tem como função primordial a memória e como motivação o prazer e no corpo.significa água caindo gota a gota. Ku é o princípio masculino. espírito encarregado das situações subconscientes. simbolicamente. com medo de descontentar os que são revestidos de autoridade. nas situações de tensão e estresse.significam também falar fracamente. Max Freedom Long dá à memória propriedades sempre ligadas ao unihipili. Deriva da palavra hiku que é o número sete (7) em havaiano. corresponde ao coração. Simboliza a cobertura dos unihipili nos corpos físicos (kino) e sombreados (kino-aka). simboliza a mana em forma de gotículas arredondadas. que representa o conhecimento interior. quase invisíveis. só existe para ele o aqui/agora e agora/aqui. As memórias estão situadas a nível corporal e as emoções dependem das lembranças. é assim. Após a morte. e a forma que mana circula nos cordões-aka do unihipili quando é levada para o Aumakua ou para outros unihipili. mas não é semelhante a ele. A raiva e o medo são causas freqüentes de emoções que bloqueiam as lembranças. Dão ainda a idéia de silencioso. colocando-o como algo que envolve e está em todo corpo físico (kino). pele ou coisas que cubram. Ambos concordam que está dentro do conceito de subconsciente da psicologia clássica. é formado de 3+4. Pi . mas nunca ao Aumakua. podendo estar ativados. Hi é o princípio feminino e significa fluir. os kino-aka do unihipili e uhane permanecem interligados e agem como coberturas para os eus e entidades.essa raiz dupla (u e hi). Esse significado é o que contribui para a formação das formas-pensamentos não filtradas pelo uhane. segundo Serge King.significa fixar-se em algo. bloqueados assim como podem ser reativados. Nihi ou Hini . passado. descendo sob a forma de chuva. que são os princípios femininos e masculinos. verdadeiros dutos condutores das lembranças. essa. significa véu. Pili . interferindo na memória e causando tensão e também estresse. Sete é um número simbolicamente esotérico. assim como o de se restringir da prática de certas ações. A memória está contida em cachos que armazenam tudo que foi percebido e o que foi experienciado durante toda a vida atual. Significa também a ligação entre as pessoas nos relacionamentos em geral. é uma raiz ou palavra que significa manter-se firme. formando os complexos. Motivação e Mecanismos de Ação do Unihipili (Uhinipili)ou Ku A memória é função do unihipili segundo Max Freedom Long e de Ku. Ela depende dos cordões-aka. dependendo do . cuidadoso e de ação secreta. subconsciente e Ku. Acrescentaremos que o unihipili. de acordo com a Mitologia Havaiana antiga. seja uma ação. É o nosso irmão mais velho que necessita de nós para a aquisição de conhecimentos. que todas as correntes Huna são unânimes em afirmar que o unihipili possuí um corpo denominado kino-aka. Para facilidade de entendimento. no qual estão armazenados todos os dados ancestrais e da vida atual. o centro da consciência. desenvolver habilidades e hábitos. Serge King diz que a memória é função de Ku. É bom lembrarmos. imaginação. Está ligado a tudo que se refere à ação. Pela sua capacidade geradora de energia. gerando ou atuando. nos fornece dados mnêmicos para o crescimento e evolução e.(uhane) e todas as coisas que temos de praticar. e que funciona como um modelo para kino (corpo físico). Motivação principal: o prazer Sendo depositário da memória. Memórias e seus Mecanismos de Ação . as quais. é quem fornece todas as informações de que necessitamos para o desenvolvimento de nossas sensações. Não se consegue nenhuma ação quando não há participação do unihipili. o livro místico do antigo povo de Mu. dessa harmonia depende o corpo. o gerador e distribuidor de mana. Além de ser o fornecedor de energia (mana) para uhane e em determinadas condições ao Aumakua. é o único elemento de ligação direta que temos com Aumakua. elaboração das idéias e de nossos pensamentos. é o elemento de ligação entre os três espíritos ou aspectos da consciência mantendo-os unidos ao corpo. que é um aspecto da consciência e que através dele podemos aprender e lembrar. modelo do corpo. No unihipili está a sede das emoções. Função principal: memória (está no corpo como modelo de vibrações). passaremos a usar a denominação unihipili para designar o eu básico.nós . contida no Tumuripo – o Cântico da Criação. meio ambiente e ao universo em geral. o modelo corporal. no atual sonho básico de vida. que nada mais é do que uma duplicata ou imagem desse modelo em sua manifestação corporal. é o que serve de elemento de ligação entre o consciente . é o guarda da memória. trazem em estado potencial as formaspensamento e ações para a vida atual. por haver semelhanças nesses conceitos. o que em nada prejudica a compreensão do trabalho.aqui/agora da pessoa e das circunstâncias que a envolve como um todo. uhane em lugar de Lono e Aumakua em lugar de Kane. nada mais é do que a imagem de parte da essência dele mesmo para o sonho básico de vida atual. estando na realidade em Po (plano espiritual invisível). é nele que estão guardadas todas as reminiscências do passado como memórias genéticas programadas e marcas mnêmicas. um pensamento ou um contato. manter a integridade do corpo e guardar um sentido de identidade no dia-a-dia. É o modelo de qualquer corpo físico. responsável pelos pensamentos que criarão as condições para se vivenciar as experiências que responderão pelo crescimento e formação de novas memórias. quando foram gravadas no kino-aka do unihipili. Há dois tipos de memória. angústia e depressão. as lembranças de todas as vivências de cada sonho básico de vida e suas modificações. que são arquivadas em níveis corporais diferentes. Origem da memória: Sob o ponto de vista abordado. é a memória experiencial ou aprendida. provocando o movimento e liberandoa. quer sejam mentais ou físicos. Todas essas condições e também nossas necessidades evolutivas de seres criados à imagem e semelhança de Deus (crianças de Tane). dadas pelas experiências vivenciadas. formando as memórias de cada um deles. havendo várias escolhas em potencial. Isso dá origem ao comportamento mental. de acordo com sua origem. traz em estado potencial. emocional e físico. e depois. Uma é a memória genética programada. as descobertas no DNA conduzirão às possibilidades de transmutar o . vindos do interior ou exterior. as situações estressantes relacionadas à auto-estima têm manifestações ligadas ao tórax e causam ansiedade. pela evolução não mais renasça. arquivada em um ou mais dos muitos grupos musculares. uma forma de poder trabalhar a situação. as memórias genéticas programadas próprias de cada indivíduo.Genética programada  nível celular. só poderemos falar de origem das memórias. num encadear contínuo até que. gravando no kinoaka do unihipili as marcas mnêmicas após a morte física do indivíduo. São transmitidas para o modelo corporal. serve também como um guia para o aprendizado. O preparo do atual sonho básico de vida feito em Po. b . Numa situação estressante o unihipili busca na memória genética. por tensão ou estresse. estariam no DNA? Será que através do intelecto guiado pela mística. A memória fica guardada no corpo como um modelo de vibração ou movimento. e as possibilidades de mudanças no decorrer desse sonho básico.Aprendida  nível de camadas musculares. o que pode causar problemas à pessoa. busca na memória aprendida. co-criador do sonho básico. A memória genética programada transmite ao corpo as situações ancestrais: é um arquivo mnêmico muito importante e quando influenciada pela memória aprendida. imagem do kino-aka do unihipili. Como exemplo. se remontarmos ao passado da vida atual e às outras vidas. Havendo bloqueio desse movimento. no que se refere ao comportamento físico e emocional e às ações e reações.a . as especificações para uma reestruturação que conduza à saída do estado estressante. através dos fios-aka e cordões-aka transmissores das memórias ao uhane. a memória relacionada sofre inibição ou paralisação. Ambas são liberadas sob efeitos de estímulos determinados. guardada como modelo celular e a outra. pela reformulação e perdas de outras. deprimido e infeliz. quer nessa ou em outra vida. “Isso quer dizer que você pode ter reações fisiológicas mais fortes ao lembrar-se de algo acontecido ao seis anos de idade quando foi severamente criticado. podem surgir amnésias (perdas totais ou parciais. presente e futuro. “corpo/mente” subconsciente. por ação química e muscular dada pela intensidade dos estímulos mentais ou físicos. Exemplificando: “Diante de choques graves. Essas situações. Unihipili. psíquico. relaxado e feliz. propiciando a liberação das memórias dessas áreas para serem tratadas convenientemente. sendo somente o espírito ou aspecto da consciência que armazena lembranças constituindo as memórias. dão-se rapidamente. O processo de cura dar-se-á quando se faz um relaxamento muscular. “Um modo de controlar suas emoções e sua saúde no cotidiano é saber escolher as lembranças que se quer reviver. isto é. que produzem um estresse generalizado. Quando boas. do que por fatos acontecidos em uma situação vivida recentemente. expansivo. mais elas afetarão seu corpo no presente. o nível de reação fisiológica que ocorreu durante a vivência (quer nesta ou em outra vida). A lembrança é estimulada por reações fisiológicas instantâneas. o possível ser do futuro que poderá atingir a condição do “ser triuno?”. provocando reações diferentes. quando por bloqueios são atingidas grandes áreas musculares. sendo o presente o único tempo existente perceptível (a percepção consciente é propriedade do uhane através dos sentidos sensoriais).“Homo Sapiens” em “Homo Hominis”. Fixar-se numa boa lembrança faz com que se sinta mais leve. onde estão arquivadas as lembranças. O resultado disso é que quanto mais se remoer as lembranças. contraído. cultural e espiritual do indivíduo. tenso. salvo se esses fatos foram mais marcantes”. O unihipili não diferencia de onde vem a memória. Cada sonho básico obedece a determinadas condições que propiciam o desenvolvimento fisiológico. produzindo reações químicas e musculares semelhantes às que ocorreram na situação da vivência passada. obedecendo a uma programação genética própria da espécie e adaptada a cada indivíduo. sejam boas ou não. . cuja intensidade depende da importância do que se quer lembrar. É interessante frisar que o unihipili não raciocina por não ser capaz de formular pensamentos indutivos (propriedade do uhane). permanentes ou temporárias). trabalhar essas emoções até que não haja mais necessidade de controle. por se tornarem naturais”. o que mostra a importância da mudança na focalização da atenção. Nas amnésias a linguagem é geralmente conservada por estarem as letras e sons arquivados em todas as camadas musculares e pela freqüência do uso cotidiano da palavra escrita e falada”[3]. o que forma a memória é a intensidade da experiência. não faz distinção entre passado. ao passo que uma lembrança desagradável poderá fazer com que se sinta cansado. produzem mais endorfinas e quando ruins mais toxinas no aqui/agora. e – Esquecimento do corpo como imagem-modelo espiritual de uma estrutura divina extra-corpórea. reforçando os valores introjetados nos antigos e atuais padrões. c – Intelectualização do espiritualismo padronizado em doutrinas religiosas e científicas dogmáticas.Estresse  sintomas e doenças. Defeitos na memória: a . Complicamos a vida. O corpo é um guia na busca dos novos valores que nos conduzirão a novos padrões. f – Culpa por termos abandonado o simples. Nessa simplicidade seríamos saudáveis transeuntes de uma vida pacífica e tranqüila. geralmente sublimado. sem ligação com o prazer gerado pelo sofrimento. Embevecido com a glória do poder enriquece as memórias com os dados fornecidos no aprendizado intelectual que está distante das verdades divinas do homem. raiva e culpa devido a: a – Conservação de antigos valores. estagnando a evolução. Seu uso adequado nos faz desistir do sofrimento como modelo de prazer e . g – Por não seguir o velho aforismo “mens sana in corpore sano”. comandadas pelo intelecto. d – Apego às posses em geral. esquecendo-nos que Ele só pede uma fé do tamanho de um grão de mostarda. b – Aumento dos conhecimentos. suficiente para compreendermos a realidade da simplicidade de Suas leis. mas nem sempre o crescimento.Tensão muscular  memória bloqueada. num misticismo ilusório e separatista. desapegados e sem posses.Em se tratando de memórias falaremos sobre causas que levam à formação de memórias que dão origem a certas formas-pensamento causadoras dos complexos. senhor do mundo e das inseguranças. estabelecendo tantos padrões que acabamos nos afastando da verdade de que somos a imagem e semelhança de Deus. reformulando as memórias. mudando nosso viver. captadora dos desejos que propiciam o verdadeiro prazer. sem transformação dos mesmos. Causas principais dos defeitos das memórias: Medo Raiva Culpa Conseqüências das causas: Sofrimento por medo. rumo ao Infinito Ser na “imagem e semelhança de Deus que está dentro de nós”. Exigimos tanto. que gera ansiedade por distanciar-nos do divino que há em nós. A apreensão desse modelo espiritual traz alegria e paz ao corpo que as vivencia e a graça pelo despertar espiritual. mas com crescimento intelectual. b . entendimento. Usando o corpo como companheiro numa nova e ativa caminhada, redescobriremos o estar num aqui/agora cheio de prazer e alegria. Deixemos os reconhecimentos mentais que trazem sofrimento e procuremos perceber como é simples sentir as possibilidades oferecidas pelo corpo. Exemplificaremos com um simples exercício que nos mostra o que poderemos fazer quando queremos reformas interiores reais. Exercício: “Lembre-se de algo desagradável, concentre-se em suas lembranças e observe o corpo, que fica cada vez mais tenso e contraído. Sinta suas reações. Desligue-se do estado anterior, solte o corpo, desligue-se dos problemas e aos poucos procure lembrar-se de algo agradável, alegre e vá novamente sentindo o corpo que vai se tornando leve e relaxado dando-lhe uma sensação prazerosa”.[4] Vamos mudar de direção concentrando nossa atenção focalizando o unihipili com pensamentos que nos levam a sentir o quanto ele é importante e como podemos explorá-lo para vivermos bem e adequadamente servindo a nós mesmos. Isso acontece quando entramos num estado alterado de percepção que propicia o fluir mais livre das lembranças que estão nas memórias que serão captadas pelo uhane, dando-nos a oportunidade de vivenciá-las física e emocionalmente e reformulá-las, criando maior harmonia entre os dois espíritos ou aspectos. O que aconteceu no exercício? Simplesmente, houve uma mudança de foco. As lembranças provocam emoções que são energias (mana) movimentando-se no corpo por um pensamento dirigido, criando novas ideações e pensamentos que poderão reformular as memórias já existentes ou reforça-las, assim como criar novas. Modifica-se as emoções reformulando-se as memórias pela mudança da focalização. Haverá mudança quando se consegue um grau de focalização tal, que nos mantenha convictos da situação desejada, não havendo nenhuma dúvida sobre o resultado. Isso acontece quando se sente despertar interiormente o Princípio Makia[5] do Xamanismo Havaiano. Com o pensamento sem dúvida (paulele), que é o resultado dessa mudança de foco, surgem as intenções embutidas nas novas ações, que acontecem simplesmente como novas propostas advindas de um novo sentir, livre das análises críticas. Ë o caso do exercício acima. Essa é uma maneira de dar ao unihipili a oportunidade de receber imagens energizadas de mana que influirão nas memórias, e, conseqüentemente nas ações. As reações serão diferentes, os valores reformulados e os padrões modificados, facilitando as ligações do unihipili com Aumakua. O uhane se fortalece por começar a pensar de forma diferente, melhorando sua situação dispersiva e conseguindo focalizar e concentrar com mais facilidade. Com isso é capaz de captar mensagens do Aumakua por uma linguagem surgida da harmonia dos três espíritos que ficam mais livres e capazes de perceber a teia-aka, à qual pertencem. É uma indicação de que não se está mais separado como indivíduo, mas unido pela compreensão da harmonia universal. Volta-se a ser criança de Tane, redimida pelas experiências de todos os viveres através dos milênios. Assim, vencemos a morte; agora somos vidas tiradas da Água Viva. Sebastiã o de Melo [1] Colaboraram nesse trabalho os membros do Grupo Pirâmide de Santos, a quem agradecemos. [2] Conceitos de Carl Gustav Jung sobre Arquétipos do self (individual). [3] Os trechos entre aspas são de Serge King, tirados do livro “Urban Shaman”. [4] Exercício dado por Serge King no livro (Urban Shaman). [5] Makia, 3º Princípio do Xamanismo Havaiano: A energia segue o curso do pensamento. Unihipili e Memórias Função principal : Memórias (no corpo, é um modelo de vibrações). Motivação principal : Prazer Memórias : a - Genética programada à nível celular. b - Aprendida ou experencial nível de camadas musculares. Origem da memória : O Unihipili não diferencia de onde vem a memória; o que forma a memória é a intensidade da experiência, isto é, o nível de reação fisiológica que ocorreu durante a vivência (quer nesta ou em outra vida), por ação química e muscular dada pela intensidade dos estímulos, quer sejam mentais ou físicos, obedecendo a uma programação genética própria da espécie e adaptada a cada indivíduo. Cada sonho básico de vida obedece determinadas condições que propiciam o desenvolvimento fisiológico, psíquico e cultural do indivíduo. Defeitos nas memórias: a - Tensão muscular  memória bloqueada b - Havendo stress  sintomas e doenças. Causas dos defeitos das memórias: a - Medo b - Raiva c - Culpa Conseqüências das causas: Sofrimento por medo, raiva e culpa devido a: a – Conservação de antigos valores, estagnando a evolução, mas nem sempre o crescimento. b – Aumento dos conhecimentos, reforçando os valores introjetados nos antigos e atuais padrões, sem transformação dos mesmos, com crescimento intelectual. c – Intelectualização do espiritualismo, padronizado em doutrinas religiosas e científicas dogmáticas, num misticismo ilusório e separatista que gera ansiedade por distanciar-nos do divino que há em nós. d – Apego às posses em geral, comandadas pelo intelecto, senhor do mundo e das inseguranças. Embevecido com a glória do poder enriquece as memórias com os dados fornecidos no aprendizado intelectual distante das verdades divinas do homem. e – Esquecimento do corpo como imagem-modelo espiritual de uma estrutura divina extra-corpórea, captadora dos desejos que propiciam o verdadeiro prazer, sem ligação com o prazer gerado pelo sofrimento. A apreensão desse modelo traz alegria e paz ao corpo que as vivencia e a graça do despertar espiritual. f – Culpa por termos abandonado o simples. Complicamos a vida, estabelecendo tantos padrões que acabamos nos afastando de Deus. Exigimos tanto, esquecendo-nos que Ele só pede uma fé do tamanho de um grão de mostarda, suficiente para compreendermos a realidade da simplicidade de Suas leis. Nessa simplicidade, seríamos saudáveis transeuntes de uma vida pacífica e tranqüila, desapegados e sem posses, rumo ao Infinito Ser na imagem e semelhança de Deus que está dentro de nós. g – Por não seguir o velho aforismo “mens sana in corpore sano”. O corpo é um guia na busca dos novos valores que nos conduzirão a novos padrões, mudando nosso viver, reformulando as memórias. Seu uso adequado nos faz desistir do sofrimento como modelo de prazer e compreensão. Usando o corpo como companheiro numa nova e ativa caminhada, redescobriremos o estar num aqui/agora cheio de prazer e alegria. Deixemos os reconhecimentos mentais que trazem sofrimento e procuremos perceber como é simples sentir as possibilidades oferecidas pelo corpo. Exemplificaremos com um simples exercício que nos mostra o que poderemos fazer quando queremos reformas interiores reais. Exercício : “Lembre-se de algo desagradável, concentre-se em suas lembranças e observe o corpo, que fica cada vez mais tenso e contraído. Sinta suas reações. Desligue-se do estado anterior, solte o corpo, desligue-se dos problemas e aos poucos procure lembrar-se de algo agradável, alegre e vá novamente sentindo o corpo que vai se tornando leve e relaxado dando-lhe uma sensação prazerosa. reformulando-se as memórias pela mudança da focalização. Isso acontece quando sentimos despertar interiormente o Princípio (Makia)”[1]. As reações serão diferentes. Vencemos a morte. O que aconteceu no exercício? Simplesmente. agora somos vidas tiradas da Água Viva. Com isso é capaz de captar mensagens do Aumakua por uma linguagem surgida da harmonia dos três espíritos que ficam mais livres e capazes de perceber a teia aka. livre das análises.Vamos mudar de direção concentrando nossa atenção numa focalização do Unihipili com pensamentos que nos levam a sentir o quanto ele é importante e como podemos explorá-lo para vivermos bem e adequadamente servindo a nós mesmos. Voltamos a ser crianças de Tane. de acordo com suas origens. surgem as intenções embutidas nas novas ações. houve uma mudança de foco. que é o resultado dessa mudança de foco. dando-nos a oportunidade de vivenciá-las física e emocionalmente e reformulá-las. Haverá mudança quando conseguirmos um grau de focalização tal que nos mantenha convictos da situação desejada. É uma indicação de que não estamos mais separados como indivíduos. que pode gerar novas ideações gerando novas memórias ou reforçando as já existentes. os músculos lisos caracterizam-na. Mecanismos de Ação das Memórias Tem-se dito que as memórias estão no corpo humano em duas condições. Esta é uma maneira de dar ao Unihipili a oportunidade de receber imagens energizadas de mana que influirão nas memórias e conseqüentemente nas ações. melhorando sua situação dispersiva e conseguindo focalizar e concentrar com mais facilidade. não havendo nenhuma dúvida sobre o resultado. As lembranças provocam emoções que são energias mana movimentando-se no corpo por um pensamento dirigido. mas unidos pela compreensão da harmonia universal. O Uhane se fortalece por começar a pensar de forma diferente. Ë o caso do exercício acima. sendo responsável pela fisiologia de cada ser em seu sonho básico de vida. à qual pertencem. Isso acontece quando entramos num estado alterado de percepção que propicia o fluir mais livre das lembranças que estão nas memórias que serão captadas pelo uhane. Modifica-se as emoções. A memória aprendida ou experiencial que se desenvolve conforme o desenvolvimento do corpo pelo amadurecimento do Sistema Nervoso . redimidas pelas experiências de todos os viveres através dos milênios. os valores reformulados e os padrões modificados. a memória genética programada que forma o corpo em sua estrutura celular. facilitando as ligações do Unihipili com Aumakua. criando maior harmonia entre os dois espíritos ou aspectos. Com o pensamento sem dúvida (paulele). que acontecem simplesmente como novas propostas advindas de um novo sentir. por serem imagens adquiridas pelo corpo que as transformam em substâncias energéticas com poder modificador pela função do uhane que as pensou. as sensações. mas é o veículo que funciona como a imagem que recebe e transmite pelos cordões-aka. quando o intelecto tem a grande função de procurar entender para adquirir conhecimentos que aos poucos passam a ser analisados de maneira diferente de antes. pensamentos e quando possível. Em Po o unihipili com seu conjunto de memórias antigas e reformuladas concretiza no DNA o potencial total do novo individuo que inicia na concepção e vai crescendo e evoluindo até a morte física. modificando as lembranças gravadas nas memórias. nem de gravar na memória. Ai estão os momentos. há um acréscimo de energia-pensamento que vai se estagnando. gerando pela imaginação e ideação. e do unihipili que as forneceu e as recebeu de volta. as memórias gravadas no corpo (imagem do kino-aka do unihipili e uhane) estão integralmente no unihipili que sustenta a permanência do uhane junto a ele.Central e Periférico. levando muitas vezes à morte. que é o resultado da desarmonia de situações atuais e de passadas. etc. A formação e reformulação das memórias aprendidas se faz às custas da memória genética programada que através da fisiologia constitui o modelo corporal. o que pode causar doenças. que em harmonia com o kino-aka do uhane são capazes de equilibrar os fluxos energéticos. satori. propiciando-nos a oportunidade de novos ciclos de experiências em novos sonhos básicos de vida. Sem esse guia fisiológico (memórias genéticas programadas). com resultados fornecidos pelas memórias reformuladas. encontra-se nos grupos musculares. ou fazendo com que desapareçam dando lugar ao surgimento de novas lembranças trazidas de experiências de passados longínquos e que precisam ser gravadas para reformulações que conduzam às mudanças do ser humano. não tem capacidade de pensar. se não há reformulações e perdas de memórias. No início é compreensível que haja um crescimento que pode ser chamado de espiritual. estímulos. Nessas ações. conduzidos nos cordões-aka vão gravar nas camadas musculares. que nada mais são do que maneiras de interpretar os fatos. formando mais um elo nessa extensa corrente reencarnatória.. em primeiro lugar. com “formas-pensamentos” e emoções que chegam energizadas pela mana-pensamento e são gravadas no kino-aka do unihipili. reformuladas. base para o aprendizado que se inicia pelos instintos e desenvolve-se posteriormente pelas decodificações cerebrais de um corpo sadio. A massa muscular quer seja lisa ou não. O corpo é um todo que propicia ações dando-lhe uma noção e um aprendizado de conjunto. pensamentos que. . reflexões do uhane com a colaboração do unihipili. No final da vivência da vida atual. os dados que constituirão as memórias experiências ou aprendidas. insights. idéias. onde são gravados os ensinamentos e experiências do dia a dia por toda a viagem da vida. torna-se impossível o crescimento do sonho básico de vida. propiciando o desenvolvimento do uhane. passam a ser naturais e nos dão uma visão diferente de nós mesmos propiciando um comportamento com um maior entendimento das pessoas e da natureza em geral. Pelo estudo dos sete princípios descobrimos que eles possuem em si. Reprisando e concluindo. quando se conclui que ninguém se conhece porque as memórias são constantemente reformuladas ou não mais existem. Ele as usará nas novas vidas com sonhos básicos diferentes que conduzem a novos sonhares. onde seremos a imagem e semelhança do Criador Pai/Mãe. propiciando a aproximação da grande meta que é: EU SOU. No estudo do xamanismo havaiano descobrimos intelectualmente que existem sete palavras que podem tornar-se princípios que nos ajudam a descobrir também que o pensamento pode ser modificado e que com isso teremos uma maneira diferente de atuarmos dando mais ênfase à reformulação de nossas memórias levando-nos a novos comportamentos. Com a constância desses estudos começamos a sentir as transformações que sofremos e que nossas ações nos conduzem a novos modos de agir. Sebastião de Melo Sonho Básico de vida e os Desafios dos Sete Princípios Xamânicos Falamos em artigo sobre o sonho básico de vida. num campo energético formado de luz. É muito bonito tudo isso. propiciando a transferência dos resultados dados pelas experiências reformuladas que passam para o kino-aka do unihipili em Po. mostrando como nos comportamos em cada uma de nossas passagens pela vida corporal. o corpo é o repositório do resultado energético das ações provocadas durante a vida e que juntamente com as memórias. O crescimento pelo conhecimento é necessário para que se possa mais tarde ter-se a analise criativa que conduz à reflexão. atributos ou talentos que uma vez dinamizados nos mostram a essência do que essas palavras significam. promovendo a recondução das “crianças de Tane” ao reino das imagens puras.com a orientação e coordenação do Aumakua e pela atuação do uhane. com o propósito de senti-lo de acordo com nosso crescimento e como desenvolvê-lo usando mais um critério dado pelos ensinamentos Huna. desencadeiam as emoções. nossa visão neste artigo está voltada para a oportunidade que teremos com o estudo dos Sete Princípios do xamanismo havaiano e sua prática no dia a dia. para que os espíritos ou aspectos evoluam e se tornem pobres de espírito e ricos de vida. Hoje trazemos uma nova maneira de interpretá-lo. A razão disso é que trazemos em nosso sonho básico . ao sentirmos o valor que elas nos traduzem intelectualmente. mas ainda não descobrimos até onde eles podem nos conduzir. até conseguir se libertar do grande depósito cármico dado pelas memórias. sendo desafios teremos que vivenciálos. formando o ike de cada aqui/agora. desenvolvimento e crescimento espiritual (uhane e unihipili) em cada princípio. cada um dos desafios. É necessário que destrinchemos um por um e que o tempo necessário está na razão direta de nossa vontade em sairmos da ilusão de que crescemos só intelectualizando. o maior contato com todo nosso atuar no dia a dia. São chamados desafios porque é deles que vivemos e criamos nossas situações de existência.sete talentos. ideação e pensamento nos leva a criar. Fazem parte dos sete princípios. Passamos a ser observadores com um sentido mais apurado de nossa rede sociométrica e participantes ativos da comunidade em geral. são: IGNORÂNCIA. Eles ditam nosso comportamento de acordo com nosso crescimento espiritual. mas têm um sentido diferente das palavras que intelectualizamos para explicá-los. Nosso trabalho consiste em perceber um por um e nos desvencilharmos paulatinamente de suas influências. A cada principio. trazendo pelas experiências adquiridas a descoberta desses sete talentos como partes integrantes dos sete princípios. Não adianta querermos analisar cada um deles e pensar que assim estamos livres de seus efeitos. o que vai modificando nossa atuação interior e exterior. Assim sendo devemos começar nosso trabalho pelo primeiro deles que pertence ao princípio ike. RAIVA. Muitas vezes isso faz parte de uma situação quando nos defendemos das possibilidades de penetrarmos mais profundamente em nós mesmos. CONFUSÃO. de acordo com nosso atual crescimento espiritual. em primeiro lugar. LIMITAÇÃO. Para chegarmos a esse ponto passaremos por vivências conduzidas por fatores existentes em nosso sonho básico de vida e que dirigem nossa vontade na prática das ações. Eles fazem parte de nossa luta em todos os instantes da vida e é importante descobri-los para trabalhá-los e aos poucos nos libertarmos de seus grilhões. É chocante a descoberta de que não há uma dinâmica de harmonia. Conforme nosso crescimento e evolução eles atuam com maior ou menor intensidade em nosso desenvolvimento interior. assim também existe um desafio a ser tratado. A colocação dos sete princípios na ordem em que se situam é importante. em descobrir que temos interiormente uma sombra tão grande que não nos deixa perceber que somos guiados pelos desafios e que podemos desenvolvê-los de . Na ordem que se dá aos princípios. para que possamos descobrir como atuarmos de uma maneira tal. o que nossa imaginação. que descubramos como nos livrar de cada um desses desafios. MEDO E DÚVIDA. assim como corresponde um talento. São chamados de os sete desafios. PROCRASTINAÇÃO. Na roda dos sete princípios se situam na periferia e têm assim. cuja descoberta serve para uma nova percepção interior que é a base de nosso desenvolvimento para um crescimento espiritual verdadeiro. enquanto os princípios forem somente palavras intelectualizadas e interpretadas. Nossas transformações dependem do entendimento que vamos tendo desses desafios. se não trabalharmos durante a vida. ou que tivéssemos pensamentos com desejos tão mesquinhos. a visão é a responsável pela dinamização deste princípio. a não ser da maneira em que as situações são percebidas e vividas (o mundo é o que você pensa que ele é). mas de ter clareza sobre as coisas. acreditamos que estamos crescendo no sentido real da vida. A ignorância por vários caminhos enche de sombra o entendimento do princípio e o talento não tem a clareza suficiente para dar uma dinâmica do que realmente ele significa. Não é um caminho fácil por ser feito passo a passo e nós sempre queremos fatos concretos e imediatos. interpretados. que até agora tem um significado etimológico sem o sentido xamânico da vida e que isso está na razão direta de memórias arraigadas em nosso sonho básico e que não estão sendo trabalhadas como deveriam. O primeiro dos desafios a IGNORÂNCIA. mas não as reformula no sentido da mudança dos valores e padrões. julgados e mesmo rejeitados por atos que as pessoas nunca poderiam sequer desconfiar que praticamos. mas ainda não conseguimos perceber que o sentido sempre é o do apego e das posses. tornando-nos verdadeiros doentes sem uma doença corporal definida. Sem a clareza do talento visão agimos na superfície de nossas vidas criando a cada momento um ike que nos dá condições de acreditarmos que estamos crescendo bastante. pregando que somos frutos de vários sonhos básicos pelas reencarnações sucessivas. pertence ao Princípio Ike que tem como talento a Visão. dando-nos intenções que nos distanciam da clareza da visão do principio ike. queremos resolver tudo no aqui/agora. quando tudo não passa de ilusões bem arquitetadas pelo nosso desenvolvimento intelectual analítico que faz crescer as memórias. ao mesmo tempo.tal modo que passamos essa vida acumulando posses em todo sentido. posteriormente. segundo nosso próprio julgamento. não tem o sentido de ver ou enxergar. e. É necessário ter vontade e no início enfrentar o desprazer de começar a entender que estamos criando constantemente ilusões para nos mantermos na sociedade como elementos de posses e apegados ao poder que domina nossos desejos. A coragem necessária para essas descobertas surge pelo estudo das teorias formuladas pelos kahunas há milênios e que agora podemos compartilhar com a prática desse ensinamentos. Assim. são memórias de fixação que causam sempre a desarmonia e a incompreensão. Somos conduzidos por uma cultura e por tradições que nos amordaçam com crenças estagnadoras e egoísticas. a sentimentos que nos permitem fazer novas análises e praticar ações com um comportamento novo. Grande ilusão! Trabalhar a ignorância nos leva a uma abertura sem preocupação de estarmos sendo ridicularizados. . Trabalhar essa ignorância é penetrar em nosso intimo e com coragem descobrir que existem outras maneiras de se resolver as situações surgidas e que elas podem nos conduzir a caminhos diferentes que contribuem para diferentes intelectualizações inicialmente. Comece a pensar e veja se consegue uma percepção de sua própria ignorância e como vivemos na escuridão sem a possibilidade da visão que dinamiza tudo em todos. mas não são nada mais do que cobrir com cinza as brasas de nossa ignorância.no sentido econômico. Ignorância é ausência ou falta de clareza e só vamos descobrir isso se começarmos a pensar que nossa vida tem um sentido muito mais importante do que nos apegarmos às nossas posses. Tudo depende de querermos e não da necessidade de que precisamos manter nossa aparência em todo sentido como exemplo de retidão com comportamentos exteriores que julgamos adequados e que na maioria das vezes nos custa um sacrifício enorme a ponto de termos uma necessidade de atuarmos em beneficio dos necessitados. venha procurá-la para perceber o quanto tudo se torna mais fácil quando somos menos ignorantes de nós mesmos. A Huna espera por você. Descoberta nossa ignorância. nos desdobrando em ações filantrópicas que não deixam de ter seus valores. posse e vários outros critérios que vamos criando no transcorrer da vida. menos problemas e mais crescimento espiritual. Amama Sebastião de Melo . tanto afetivas como materiais . mais humanos e as coisas ao nosso redor começam a mudar trazendo-nos o prazer de desfrutar da vida com mais alegria.Trabalhar a ignorância é dar o primeiro passo para novas e maravilhosas descobertas interiores que nos dão grande alivio e nos faz sentir que não necessitamos nos trancar a sete chaves para manter nossa dignidade. Partamos sem medo para uma nova fase de descobertas de nós mesmos e estaremos nos amando mais e por acréscimo. começa a vislumbrar a possibilidade entender aos poucos os desafios dos outros princípios e a graça de perceber que valeu a pena estar aqui e ir embora com a certeza de que obteve condições diferentes para seu crescimento nos futuros sonhos básicos de vida. nos sentimos aliviados. Não fiquemos estagnados. nem que seja uma pequena parcela dela. somos transeuntes que participam da vida de qualquer maneira e a melhor é tendo um pouco de clareza em nossa visão sobre todos e tudo. Quem conseguir se livrar dessa ignorância ou de parte dela diminuindo a falta de clareza em relação a si mesmo e ao mundo. dos carentes de modo geral. menos sofrimentos. Vamos pensar sobre isso e criar coragem para abandonarmos a covardia em que vivemos por falta de visão e nos dar uma chance de uma vida melhor com mais harmonia. honestidade. Descobrimos assim. às outras pessoas e valorizando toda a natureza que geralmente nem desconfiamos que existe a não ser em nosso proveito próprio. que tudo é possível desde que descubramos que o que nos impede inicialmente de executarmos a maioria das ações de que somos potencialmente capazes estão na falta dessa visão clara que a ignorância nos tira. dando ao nosso ambiente uma condição de maior afetividade e entendimento. satisfação. Ser Flexível – Um Aprendizado Huna Flexibilidade: (cs). Aptidão para variadas coisas ou aplicações: (flexibilidade de espírito) 5. 2 g. Fig. Fig. wikani. (Novo Dicionário da Língua Portuguesa – Aurélio Buarque de Holanda) Fexível: (cs). (Webster´s New Collegiate Dictionary) Inflexibility: Substantivo de ¨inflexible¨. . arqueável. Elbert) Flexible: ’olu. Fig. imapssível. kãkãuha. S. ‘olu’ole. pa`akiki. Facilidade de ser manejado. Indiferente. ‘ō’upe. (Novo Dicionário da Língua Portuguesa – Aurélio Buarque de Holanda) Inflexível: (cs). hōlule. impassível. moldar-se. flexão. Que se pode dobrar ou curvar. submisso: (Caráter flexível) 5. que não é rígiso. 4. elástico. lule. ho’okakale. 2. maleabilidade. inexorável. agilidade. brando. (Webster´s New Collegiate Dictionary) Inflexible: ‘o’ole’a. pala’ie. Que se arqueja ou se distende com facilidade. vergável. 3.] 1. holuholu. Que se adapta às circunstâncias. inflexible. napa. ho’alu’alu. o padrão erudito] 1. kāluhi. incapaz de mudanças. 2 g. elástico. manter opiniões flexíveis. [Do latim flexible.] 1. complacência. flexo. Elasticidade. Fácil de manejar. flexura: (flexibilidade corporal) 3. napenape. Inflexible: Rígido. tard. Que não é flexível. Qualidade de flexível. Dócil. 6. 4. (Moderno Dicionário da Língua Portuguesa – Michaelis) Flexibility: Substantivo de ¨flexible¨. holu. [Do lat. Adj. complacente. implacável. 2. seg. [Do lat. maleável. Adj. de moldar. capacidade de se adaptar. Qualidade ou procedimento de inflexível. f. (Moderno Dicionário da Língua Portuguesa – Michaelis) Inflexibilidade: (cs).f.] 1. Flexible: Capacidade de ser flexível. malule. flexibilitate. Disponibilidade de espírito. [De inflexível +-(i) dade. dócil. adaptável. 2. maleável. insensível. destreza. brandura. inexorável. suave. ‘ape’ape. lolena. facilmente adaptável a novas situações. compreensão. Docilidade. S. wika’o (Hawaiian Dictionary – Mary kawena Pukui e Samuel H. as definições de flexibilidade conduzem a ser flexível. bastao flexivel feito de folha de coqueiro. A notável inflexibilidade de inúmeras doutrinas religiosas tem provocado as mais sangrentas guerras em nome de líderes que na realidade foram pacíficos. obstinação. Com isso. exagerado. instavel. a violência. rígido. tolerante. suave e frágil como a casca de ovo. Na tradução da Língua Inglesa para a Havaiana encontramos o termo “flexible” e não há referências às palavras flexibilidade ou inflexibilidade. tanto em Português como em Inglês. A disciplina conduz à percepção de caminhos que conduzem a novo e diferente Ike. que conduzem o povo e subordinam tudo a leis e costumes que criam uma fé intransigente que conduz muitas vezes ao fanatismo. agitar como as ondas do mar. mutante. Wika’o: áspero. agradável. ‘Olu: flexível. severo. tenaz. numa dinâmica que . o que resulta em um autocrescimento e em crescimento da sociedade em geral. Malule: flexível. severo. A inflexibilidade é uma condição que leva a humanidade a vários e sérios problemas. dentre eles. força. ‘o’ole´a: inflexível. O conceito de “ser inflexível” conduz à rigidez ela é um dos fatores importantes que influencia o individuo a não compreender sua inflexibilidade o que o torna uma pessoa inexorável. Significados – Flexible: 1. Dar um sentido à flexibilidade é falar de flexível. exagerado. rigoroso. 5. Pala’ie: flexivel. obstinação. flexíveis e pregaram uma fé que unia as pessoas de forma disciplinada. Isso mostra que o importante é a qualidade da situação e não a situação em si. confortável. Holu: balançar como as folhas do coqueiro. fraco. É necessário que se entenda primeiro o que é ser inflexível.Significados – Inflexible: Kākāuha: inflexível. cortês. Holoholu: flexível. 3. rígido. rígido. promovendo um perigo social. 4. para se compreender o que é ser flexível. Não se deve confundir rigidez com disciplina. nos dicionários. elástico. suave. a rigidez provoca a estagnação e leva à permanência. que é o que vamos enfocar em relação ao que a Psicofilosofia Huna nos propicia para essa transformação. força. bondoso. rigoroso. Desenvolvimento: Kākāuha: inflexível. o último degrau da inflexibilidade. 2. Wika’o: áspero. rígido. elasticidade. ‘o’ole’a: inflexível. Trouxeram ensinamentos de uma realidade que não era entendida pelos dirigentes da época e nem pelos de hoje. tenaz. conclui-se a possibilidade de mudanças de uma situação para outra. a rigidez e a aspereza não são tão relevantes como até então. que nos conduz de acordo com a intenção. ela lhe dá condições de continuar crescendo a ponto de mudar sua percepção. Se em nosso Ike atual que é feito de posses. confortável. A finalidade é atingir uma fé sem dúvida. instavel. fator preponderante em cada Ike vivenciado. o que propicia vislumbres de uma nova situação. bondoso. de acordo com os ensinamentos Huna. estamos dando um passo para enxergar qualidades adquiridas de uma maneira diferente. nossas atitudes nos conduzirão a resultados que serão analisados e avaliados conforme a importância que têm as ações praticadas aqui/agora. suave e frágil como a casca de ovo. baseada nas ações praticadas através dos ensinamentos de uma teoria que alimenta as necessidades individuais na busca da compreensão do que é ser flexível. Ainda em seus significados (‘olu) mostra a evolução que aconteceu de acordo com a seqüência das palavras que apresentamos. quando se consegue a percepção desse estado. Escolhemos dentre muitas. O propósito passa a ser o de uma pessoa que. Pala’ie: flexivel. agitar como as ondas do mar. surge a possibilidade de adquirir novos conhecimentos que podem conduzir a um novo cominho. ‘Olu: flexível. Através do conhecimento. mas uma condição incômoda. elasticidade. cortês. São as mudanças do Ike. desde que haja uma disciplina que sustente o aprendizado. iniciamos uma condição de desapego. bondoso e cortês (‘olu).mostra ser o ritual uma condição de percepção que faz crescer o ser humano. Sente o que é ser flexível e descobre que as coisas podem por algum tempo ser feitas de maneira semelhante. que a disciplina lhe deu a compreensão da impermanência. A inflexibilidade não é mais um guia. ao compartilhar ou ao egocentrismo. o que permite uma percepção que pode conduzir à condição de ser flexível. no qual. Seguindo a ordem das palavras havaianas que se referem a ser inflexível. suave. vamos que em um último estágio está a que se refere unicamente a áspero. às ações que levam ao amor ou desamor. suave. fraco. Passaremos agora a descrever a qualidade de ¨ser inflexível¨. rude (wika’o). Esse caminho é o início da reavaliação de valores. Malule: flexível. A interpretação passa a ter menos julgamento. Tudo isso se torna possível. de acordo com Ike desse aqui/agora que estamos vivenciando. as situações são diferentes e nos fazem sentir que houve crescimento e até uma . procurando entender o seu significado. Holu: balançar como as folhas do coqueiro. Perdendo a rigidez e a aspereza passa a entender o que é ser agradável. bastao flexivel feito de folha de coqueiro trançadas. tudo dentro de uma disciplina estabelecida que favoreça a espontaneidade e a criatividade. Sente então. com uma nova visão é capaz de sentir as mudanças interiores provocadas pelas novas vivências. mutante. até que se perceba interiormente um novo sentido dado pelo desapego. algumas palavras havaianas que mostram a qualidade do ser flexível. agradável. elástico. não exercendo o que vem de fora. aos poucos vai se tornando dura. pois as ações que vêm de fora já não são tão importantes. de acordo com nossa focalização. Continuando a ter algumas das palavras havaianas como paradigma mostrando a riqueza dessa língua com seus diferentes significados. dos quais queremos nos libertar e não que continuem sendo o guia de nosso dia a dia. tudo depende do crescimento do coqueiro que.certa evolução. tendo a reflexão como guia por graça do Aumakua quando entre uhane e unihipili já existe uma certa harmonia. de uma ação exterior. Se todo poder está dentro de nós aqui/agora e agora/aqui. que também possui o Ike de cada aqui/agora. dentro de uma genética programada produz um tronco com uma consistência própria da espécie e que parece ser rígido. Não devemos nunca nos esquecer de que estamos ligados a passados muito remotos. nos transformou em seres bem diferentes do que éramos anteriormente. isto é. está crescendo e que no tempo certo rompê-la e tomará uma nova forma de vida (malule). a qual. mas com uma fragilidade tal. na formação do ovo tudo inicia por uma simples célula que vai se reproduzindo e para proteger o ser em desenvolvimento. fatores importantes para o compartilhar e viver em estado de AlohaNo início dessas transformações somos frágeis como a casa do ovo e por uma disciplina perseverante. o que é ser bondoso e cortês. Holu nos ensina que o balançar das folhas do coqueiro depende do vento que as impulsiona. com rituais adequados chegamos ao endurecimento dessa casca que. quando começam as ações dessa nova viagem. isso acontece depois de passarmos pelas diversas fases de crescimento do “sonho básico de vida”. mas protetora casca e surgir para uma nova vida. Agora dependemos mais de nossas atitudes interiores. elas nos levam a refletir como a disciplina é importante. sempre seremos os únicos responsáveis pelo resultado de nossas ações e suas conseqüências. Nessa condição somos capazes de saber por uma compreensão superior. Essa é a fase em que o homem já tem a compreensão do que vai dentro de si pelo despertar de um reto pensar e um reto agir proporcionado pelas experiências vividas. No início fraca. influenciados pela impermanência que provoca os efeitos manifestados em toda a natureza. Nesse ponto/momento o interno passa a adquirir um outro valor. dando-nos a impressão de uma nova percepção. que no momento adequado o filhote possa com suas próprias estruturas genéticas programadas romper a frágil. apesar de tudo ainda é frágil e delicada. mas nada mais seguiu do . no entanto. resultados tão importantes. somos capazes de movimentar fluxos de energia. inicialmente se transforma em uma discreta película mostrando a flexibilidade da criação. mas serve para abrigar um conteúdo que. a ação guiada por uma constância nos mostra a sutileza embutida numa realidade guiada por leis divinas que conduzem aos mais variados acontecimentos. Assim também somos nós em relação ao sonho básico de vida que inicia na concepção e cresce até o nascimento. numa dispersão tão grande que não nos deixa sentir que a simplicidade que nos leva à eficácia esta na compreensão dessa simplicidade e não no conhecimento intelectual desenvolvido simplesmente para a satisfação dos desejos. espírito paternal infalível.”. Definições e significados de palavras: Rigidez:Qualidade de ser rígido. aceitando as circunstâncias possibilitam a agitação das águas formando maiores ou menores ondas. pagina 3 . aspereza. que permite balançarem sem se partir. é instável por saber que o Ike é dinâmico e não fica estagnado numa rigidez permanente prejudicando o crescer e o evoluir. observância de preceitos ou normas. É a harmonia na aparente desarmonia.que uma disciplinada lei divina que lhe dá a condição de produzir folhas flexíveis com uma elasticidade tal. por já ter a reflexão paralela. rudeza. depois. de compreensão. Assim. as tempestades e as leis próprias do mar que. Pagina 3 Aloha: Quinto Princípio do Xamanismo Havaiano: “Amar é compartilhar com. mas que se saiba buscar para se achar o que é necessário para uma harmonia completa. inexorável... Pala’ie – Essa é a palavra símbolo deste encontro. sendo um bastão parece ser rígido. Transformou-se num bastão. Pagina 2 Disciplina: regime de ordem imposta ou livremente consentida. assemelha-se ao que se denomina de “superconsciente”. As ondas do mar são frutos de vários fatores como os ventos. O ser flexível é mutante. Isso se consegue fugindo das armadilhas do intelecto que exige de nós a busca em variadas fontes de conhecimento. Pagina 2 Ike: Primeiro Princípio do Xamanismo Havaiano: “O mundo é o que você pensa que ele é. mas na realidade é fruto da disciplina criada por um ensinamento que propiciou o crescimento e a evolução até chegar à condição de saber que tudo segue seu curso natural. o trançado feito da folha do coqueiro. criando condições para a sobrevivência dos seres que ali habitam. é a disciplina das leis universais que são verdadeiros rituais divinos. da vaidade e do poder dado pelo intelecto. submissão a um regulamento. o que permite reformular o fundo do mar. Pagiana 2 Sonho básico de vida: Definição Huna para a vida atual. quando somos despertados para a alegria do viver em Aloha. ela nos mostra todas as qualidades do ¨ser flexível¨. falta de meiguice. concluímos que: A eficácia de nossas reflexões mede a verdade de nossas ações mostrando-nos o caminho que realmente conduz ao entendimento e. de doçura. Pagina 3 Aumakua: Eu Superior. ordem que convém ao funcionamento regular de uma organização. à compreensão. trocamos velocidade por ação. estudando-se cada uma em sua própria condição têmporo/espacial. lembranças que propiciaram pensar sobre as ligações entre velocidade. assim como . onde VFP provêm de uma inversão do espaço/tempo. tudo poderá se transformar. A velocidade pode ir do zero ao infinito tempo/espaço. vencida essa barreira. chegando-se a uma condição diferente das anteriores. culminando com o prodígio de sair da Terra e terminando nos progressos da informática. espaço por aqui e tempo por agora. o descobridor do Psicodrama e da sociometria. Fazendo uma analogia. que nada mais é do que o futuro próximo. numa corrida para descobrir seu destino futuro. começamos a conjeturar sobre o assunto e concluímos ser sua interpretação condizente com a nossa verdade. com um ponto de partida no passado. Essa ação está ocorrendo no futuro. dependendo da aceleração. Acontecendo no mesmo instante deduz-se que velocidade e velocidade futura próxima são uma única ação. É como se o homem lutasse contra o tempo. As equações relacionadas com esses três elementos sempre redundam em uma ação. tempo e espaço. Partimos da premissa de que a velocidade é fator prioritário no desenvolvimento do conhecimento. Partindo da premissa que denominaremos de Ação Futura Próxima. Revendo dados das teorias de Moreno. Nossa memória trouxe da Física. antigos conceitos que sempre fascinaram o ser humano e que contribuíram para o desenvolvimento tecnológico. mas no agora/aqui. devemos avaliá-las. poderemos usar de um artifício que denominaremos de Velocidade Futura Próxima. como sendo diferentes. assim. mas que também acontece neste instante. uma ação que não acontece no aqui/agora. e na evolução do ser humano em particular. conforme a maneira com que se aborda a aceleração. correspondendo a ação à intensidade desses fatores. quando iniciou essa ação.Jacob Levy Moreno. As buscas para se conseguir uma velocidade cada vez maior é uma constante nos estudos e pesquisas. mas está no agora/ aqui. destaca as situações “aqui/agora e agora/aqui”. O aqui/agora teve início num determinado espaço/tempo e a ação está acontecendo neste instante. intuindo que. que busca cada vez maior velocidade para seu desenvolvimento. no mesmo instante das que acontecem no aqui/agora. Dá-se. essa condição transforma a nova crença numa verdade. surgindo uma nova crença. assim como o tempo. o desenvolvimento e reformulação de seus papéis de maneira intensa e o surgimento de outros. torna-se impossível a realização de qualquer ação no infinito. A Espontaneidade. um novo sonhar num novo Ike (o mundo é o que você pensa que ele é). tal raciocínio nos leva a crer que espaço/tempo são duas condições que só existem porque nossa imaginação. faz parte o agora/aqui). o espaço onde estão é aqui e o tempo onde acontecem é agora. fatores cujos resultados estão subordinados às decodificações cerebrais e às ações corporais nos seres vivos. Sendo tudo relativo torna-se possível a manifestação pela ação. com os pensamentos agora dirigidos sem dúvidas dá-se o Encontro (realização total. à ideação. mas que ao mesmo tempo está acontecendo aqui/agora. a ação concreta seria a imagem da realidade no aqui/agora.também a ação futura próxima. portanto. raciocínio e pensamento são baseados no presente. não encontrou uma definição. pode-se chegar a uma realização interior. sem velocidade. em uma fé assumida sem dúvida (paulele). Essas hipóteses só podem ser verdadeiras. Dependendo de sua intensidade. se partirmos da premissa de que não pode haver ação sem movimento. a evolução com a auto-realização. surgindo simultaneamente a Criatividade que está no futuro próximo (do qual. ativando as memórias que vão dar origem à imaginação. Se a Ação é igual à Ação Futura Próxima. ideação. satori. não havendo resistência. e. outro conceito de Moreno. etc. individuação. etc. pode ser aqui substituída pela vontade. um pensamento. Isso mostra que o espaço em que as ações acontecem é um só. Pela ação. para qualquer das situações apresentadas. que sendo focalizado com atenção intensa e firme propicia uma concentração única. Esta condição nos dá a possibilidade de que aconteça o que Moreno chamou de Momento. é igual à Ação Futura Próxima (que também está acontecendo agora/aqui). então. mudando seus valores e padrões possibilitando assim. mas achou que é o resultado da espontaneidade e da criatividade. quando há realmente mudanças. É o resultado das transformações profundas sofridas pelos indivíduos. espaço/tempo por nós percebido através dos cinco sentidos físicos e da sensibilidade em geral. Como a ação (que está acontecendo aqui/agora). O conceito de realidade se modifica e o manifestado passa a ser uma imagem dessa realidade invisível. em todos os gêneros da Natureza. contemplação. que é a transformação da estrutura psicofísica da pessoa. ela dá o impulso inicial. de outras teorias). espaço/tempo podem ter outra conotação em termos de acontecimento dos fatos. A resistência é fator preponderante para que se concretize uma ação. um sentir ou a um novo sonho. para o quê. o atuar natural do Aumakua). o resultado dessa situação é o que Moreno chamou de Momento (semelhante ao insight. Com essa nova maneira de ser e sentir. transformando-se no aqui/agora. transformando esse . o reino dos céus em nós. que propiciam novos vínculos. já citado por Jesus. O agora/aqui está dentro da ação. Nas dramatizações em psicoterapia. Superconsciente) dos kahunas. em se tratando da ciência oficial e da moderna tecnologia. uma aceleração e uma velocidade. que o converte em pessoa inadaptada e. refletindo no comportamento da pessoa e no desenvolvimento do sonho básico de vida. o Aumakua (Eu Superior. é o Filho do Homem dos Evangelhos. com as pessoas. É um crescimento evolutivo. mostrando o que está acontecendo simultaneamente e que será o próximo aqui/agora. onde há uma resistência. inadequada ao meio. por vezes. o homem holístico que há dentro de cada um. Por esse motivo. é o não espaço/tempo (o absoluto e o infinito). acrescido pelas novas e atuais formas de se adquirir conhecimento. como se os fatos estivessem se repetindo. É uma . no entanto. diferente do que era anteriormente. em que o aqui é ilimitado e o agora é infinito. vivenciando-se no “como se”. Isso impede que adquira novos padrões e sofra as mudanças para sua evolução. mas indica o acontecimento no sentido da Ação Futura Próxima. Quando há uma ação máxima. o que se dá no relativo finito do tempo/espaço presente. é a própria imagem e semelhança de Deus. podendo. que passa a ser as memórias. Na dramatização. o livro. não há meios de existir ação. provocando mudanças que nos dão novas perspectivas e possibilidades de uma vida saudável e harmônica em si mesma. somos capazes de novamente perceber o acontecido e emocionalmente senti-lo. que servirá de modelo nos estudos e pesquisas do ser humano futuro. dependendo da intensidade com que se vive as situações. A essa vivência dramatizada. como foi dito antes. com o ambiente e com o mundo como um todo. principalmente os do Havaí. constitui a “conserva cultural da humanidade”. construindo o passado. então. prisioneiro de seus conceitos e valores passados. de maneira inadequada. bloquear a Espontaneidade e a Criatividade estagnando o indivíduo. uma condição que faça o indivíduo vivenciar situações incômodas do seu passado. cuja soma total. Quando o tudo e o todo estão totalmente integrados. o homem perfeito. Só existe ação. busca-se no aqui/agora. sendo seu maior símbolo atualmente. O aqui/agora é o arquivo das lembranças das ações que vieram das experiências já vivenciadas. sentimentos e conseqüentemente as memórias. que se dá em um estado alterado de percepção damos o nome de regressão terapêutica. pode-se reformular pensamentos. tem-se como resultado a não ação. e ao ambiente ficam impossibilitadas de ocorrerem por não estar os papéis suficientemente desenvolvidos para se vincularem e produzir boas ações. surge. Moreno chamou de Homem Genial. e. a quem possivelmente. conhecida dos mestres kahunas desde Mu. continente desaparecido há cerca de treze mil e quinhentos anos e que nos legou seus ensinamentos através dos modernos kahunas. as ligações responsáveis pelas ações adequadas ao próprio indivíduo. contribui na formação e desenvolvimento de todos os papéis formando o futuro.indivíduo em um outro. pela insuficiência e inexpressividade no desempenho de seus papéis. mas sem haver mudanças na . e. está sendo o protagonista das duas situações. Uma nova forma de sentir. possibilitando por essa circulação com um pensamento dirigido. os padrões não mudam. por intermédio do Aumakua (superconsciente)memórias aprendidas. permanecendo os mesmos conceitos e valores. valores éticos e morais. já modificados.situação em que a pessoa está atuando como ator principal (vida atual) e coadjuvante (vidas passadas). harmonizando unihipili e uhane (consciente). causadoras de doenças e situações mentais prejudiciais. que. agir e sonhar surge pelas novas descobertas. para um novo. passando da análise crítica para a análise criativa e avaliação. principalmente das oriundas das genéticas programadas. modificado. vão desativar ou fazer desaparecer cordões-aka que transportavam lembranças que provocavam as desarmonias. o que traz a harmonia interior. surgindo novos cordões-aka. O padrão genético programado que trazemos está orientado no sentido do pensar para sentir. posteriormente. responsável pela oportunidade que nos é dada por um novo pensar. sentir e agir. provocando mudanças nos padrões pela reformulação e perda das memórias aprendidas ou experienciais. ao mesmo tempo. Revive a cena. que refaz os padrões. É um despertar no novo aqui/agora surgido pela transformação ou perda de valores. agora experienciadas de forma diferente. possibilitando-nos passar de um padrão antigo ou atual. das reações revividas durante essas dramatizações. responsáveis pelo aprendizado no sonho básico de vida atual. as situações que foram trazidas e que. sentindo-a como se estivesse acontecendo no atual aqui/agora. até o ponto de termos condições de mudar nosso sonhar. base de qualquer mudança. ao mesmo tempo. no qual. libertando o indivíduo das fixações (formaspensamentos) que eram prejudiciais. a mudança do conceito de julgamento. retirando de sua memória genética programada e aprendida. A mudança é fruto de um novo pensar. que anulam ou modificam as anteriores. mas são enriquecidos pelo aumento de novos conhecimentos. ou acrescentando-se aos antigos. modificando o nosso viver e adquirindo um novo padrão de sonhar. mas que. do pensar para o refletir. As emoções são as condutoras energéticas corporais (ação no corpo (kino). trazidas pelos cordões-aka (elementos de ligação entre os três eus). O que verdadeiramente se chama de mudança ou transformação é a reformulação ou perda de conceitos. provocam um novo vivenciar. consegue unir as vivências tiradas das lembranças de memórias do passado que. novas formas de transmissão dos valores e padrões que conduzem a novos conhecimentos e à compreensão. podemos acrescentar outros sonhos. devolve ao unihipili (subconsciente) por vias ampliadas (cordõesaka modificados). memórias reformuladas. pensar. Tudo isso é possível. quando se crê que a vida é um sonho básico. que reorientam as ações criando novos comportamentos. o que resulta em analisar criticamente as situações surgidas possibilitando revê-las. dando á pessoa a oportunidade de uma verdadeira mudança. por estar em um estado alterado de percepção. que é criativo quando a vontade é direcionada para a inspiração que conduz à intuição. abrange a situação em sua totalidade. há um crescimento espiritual. que serão conduzidas pelos cordões-aka e transformadas em pensamentos advindos de um sentir harmonizado pela ação do Aumakua que derrama suas bênçãos. seguindo os ditames do intelecto. para uma outra vida. é a linguagem simbólica que traz a realidade para a imagem manifestada. as imagens gravadas. aos poucos. preparando a próxima reencarnação. fruto da intuição. que é a remodelação da situação. A mudança de padrão requer uma diferenciação do fator espontaneidade. vamos buscando nas memórias de nosso sonho básico de vida. Simbolicamente estamos dizendo que. A experiência nos mostra que.). “é uma percepção subconsciente. pesquisas e julgamentos tendentes a acompanhar as doutrinas religiosas. já condicionado aos fatores assinalados por herança advinda da genética programada. mãe da compreensão. é o crescimento espiritual das doutrinas religiosas. Passamos do critério analítico crítico para o da análise criativa e da avaliação. a interpretação é feita por análise crítica. as Crianças de Tane (os seres que existem pela vontade criadora do Deus manifesto).. isso nos torna espiritualmente mais ricos. idéias. antítese do julgamento. mas sem uma evolução condizente com o desenvolvimento intelectual. que começa e termina na alma”. dentro dos mesmos padrões que trouxemos. sentimentos e vivências emocionais.análise das situações. desde o instante que surge a criatividade. calcado no acréscimo de conhecimentos. quando se terá mais conhecimentos. mas não para seres evoluídos. que farão crescer o sonho básico de vida que se possui atualmente. até a solução. estruturados no aqui/agora atendem ao sonho básico de vida e podem ser expressos na seqüência: Pensar  analisar  sentir  agir  adquirir conhecimentos e memorizar. está-se assim. mas a soma de novos pensamentos. A seqüência passa a ser: Sentir pensar criativamente avaliar agir refletir conhecer criativamente compreender agir por amor (Aloha). Para isso. modificando os padrões possuidores da experiência do aqui/agora. reformulada num só e instantâneo ato ou atitude. num carma reformulado. é adquirir conhecimentos de maneira reformulada . da solução pelo pensamento que tem como norma o julgamento. Os padrões atuais. a tecnologia e a ciência clássica e dogmática. Tenderemos até para gênios. o que prejudica a evolução real dos espíritos. conhecimentos e desenvolvimento de valores. Intuição é um processo diferente. para a solução pelo pensamento criativo e posteriormente pela reflexão. permitindo assim. está se preparando um novo sonho básico. por ação harmônica abrangendo os três eus. assim. num novo sonhar que desenvolve um novo viver. irmã do amor (Aloha – amar é ser feliz com.. por adquirir a análise criativa e uma outra avaliação. penetrar no agora/aqui e dele vivenciar as ações. isso não é mudança. Partimos do primeiro deles. Por princípio. A partir do instante em que o ser humano passa a ser no seu . Esta é a condição em que atua o tecelão de sonhos o xamã. o que faz jorrar com mais facilidade. que é Pono. que há em nós. que pode assim. que faz parte da Psicofilosofia Huna. modificará a primeira mudando seus efeitos”. Tudo está no eterno que não pode ser visto. Aos poucos vai clareando a visão interior e posteriormente. as qualidades de um individuo diferente. o quinto dos sete princípios básicos do xamanismo havaiano. a ignorância com o sentido de nossa visão não tem clareza.). para que se viva na compreensão e no compartilhar de Aloha. Essa é a situação que se desenvolve no ser humano e que a psicofilosofia Huna chama de Aloha (amar é compartilhar com. que pode surgir e desenvolver-se durante a viagem da vida.memorizando-os. criando oportunidades para que sejam entendidos e compreendidos. a percepção intuitiva da vida. com intensidade emocional semelhante à primeira. Em outras palavras. São os ”Momentos” (sem correlação com tempo e espaço) que vivenciamos. para dentro da viagem da vida reformulada pelos novos padrões. estão na memória genética programada. em parte. essa é a oportunidade de se começar a sonhar de maneira diferente. se torna uma realidade. nem como espaço. e não. tornando possível a comunicação e a solução. padrões reformulados para um novo viver. após vencer os desafios dos sete princípios básicos do xamanismo havaiano.. que mantêm o sonho básico. retirando-se do conhecimento do sonho básico de vida atual. que nos dão a alegria de viver e a esperança do “Encontro” da imagem e semelhança divina. esse grande sonho da realidade. Essa sucessão de ações nos dá a noção de espaço/tempo percebidos pelos sentidos físicos e pela sensibilidade mostrando o presente. tempo e espaço não passam de ilusão. o curador. é uma ação libertadora. que não mais têm razão de permanecer nos futuros sonhos básicos de outras vidas. vai-se reformulando o sonho básico de vida atual pelas transformações que sofre o intelecto. O resultado é a possibilidade de se começar a fazer a reflexão paralela. crescendo em harmonia e tranqüilidade. desenvolvendo e liberando do padrão emergente. o sétimo princípio (a eficácia é a medida da verdade). como um potencial. isso pode acontecer através da Prece-Ação. cremos que os padrões básicos. com conotações de novo padrão. mas como o que é. “uma situação revivida pela segunda vez. porém. que só pode ser compreendido pelos que despertaram em si mesmos. Se a vida é um sonho.. um novo sentir. desativando lembranças de fixações e fazendo desaparecer memórias. que assim. Assim. dados que nos permitirão viver num novo sonhar. desenvolvendo e evoluindo esse novo ser. um novo pensar e um novo agir no aqui/agora. Segundo Moreno. reformulado pela situação vivenciada. após nos livrarmos dos desafios. é o mais novo aqui/agora memorizado. através do aqui/agora e terminada a vivência. Isso acontece no agora/aqui. ser modificado. como o que existe. nem como tempo. E tudo o que pedirdes com fé. quando aprendemos a sonhar. Evangelho segundo Mateus. além da . demonstrando que podemos modificar nosso sonho básico de vida. Essa figueira era uma árvore frondosa e que de acordo com as leis da natureza estava pronta para cumprir suas funções determinadas geneticamente pela sua espécie. transformado numa crença inabalável. nas épocas certas. teve fome. Assumiu uma posição de autoridade e com um pensamento dirigido sem dúvidas. Jesus. conseguiu mudar o destino da figueira. O aqui/agora dessa árvore começa na semente. a figueira secou de repente?” Jesus respondeu: “Em verdade vos digo: Se tiverdes fé sem duvidar. diziam. citado tantas vezes por Jesus. trouxe do futuro próximo da árvore (agora/aqui). nos mostra sempre a fé. forma sua história que é a trajetória de vida que traz dentro de si. isso acontecerá. como fator primordial para conseguirmos realizar nossos sonhos. o que foi um ato totalmente inusitado e incompreensível. foi até ela. o Aumakua. o Eu Superior do homem trino. secando-se imediatamente. nos Evangelhos. o homem genial de Moreno. transformado numa imagem da figueira seca. (Texto extraído da Bíblia de Jerusalém. em oração. seu poder de ação. vendo isso. Os discípulos. por uma fé assumida. como aconteceu na passagem evangélica. Essa ação do pensamento dirigido para a imagem criada. contrariando tudo o que seria natural e que estava geneticamente programado. se não tivesse havido imprevistos alheios à sua situação de árvore. segundo nos ensina a Huna. por não ter uma explicação racional. ao voltar para a cidade. que recebeu sua ordem e obedeceu-o. fareis não só o que fiz com a figueira. estava delineado seu futuro. de maneira instantânea. começa a surgir o homem ideal. E disse à figueira: “Nunca mais produzas fruto!” E a figueira secou no mesmo instante. capítulo 21. e. espantados: “Como assim. tudo o que necessitava para a ação que planejara através do pensamento. como se a figueira possuísse algo que desconhecemos. Exemplificando. dando frutos normalmente. Jesus fala à figueira e extrai dela toda sua vitalidade. transformando-a num ser sem vida (como árvore). com os padrões dados pela fé sem dúvida. a partir daí. se não fosse a interferência de Jesus mostrando a seus discípulos.existir. está ligada ao agora/aqui da figueira. tomaremos como paradigma a parábola da figueira que secou: “De manhã. por todo o potencial dado geneticamente à sua espécie. E vendo uma figueira à beira do caminho. senão folhas”. vós o recebereis. A partir do instante em que ele formulou a prece para a figueira. mas nada encontrou. mas até mesmo se disserdes a este monte: ”Ergue-te e lança-te ao mar”. A figueira é um sinal). o Aumakua em essência. página 90. o filho do Homem. Esse era o sonho básico de vida que estava traçado para aquela árvore. que é dada àqueles que sabem o que fazem. a intenção projeta um pensamento dirigido sem nenhuma dúvida. numa ação total. o desejado está acontecendo no agora/aqui e o fato está ocorrendo como imagem do aqui/agora. mas que Jesus sabia existir. . que depende essencialmente da formulação (paulele). Aumakua – Pai ancestral infalível e bondoso. É um espírito independente que está ligado a todos os seres da natureza. fundindo-se para uma realização. seja no bom sentido ou não. Como vimos. ética ou doutrina religiosa. dando em termos de espaço e tempo. com ótimos resultados. é a subjetividade agindo para ações objetivas. A fé não está ligada a nenhum código de moral. Ike – Primeiro Princípio do xamanismo havaiano: “O mundo é o que penso que ele é”. Aka – Substância que permeia o universo e da qual é formada toda manifestação. uma fé sem dúvida capaz de formar e cristalizar a imagem completa dos desejos que se transformam em ações e realizações. seja ela qual for. Kahuna – Guardião do Segredo. Max Freedom Long delineou bem essa situação sintetizando na Prece-Ação todas as possibilidades de se executar qualquer ação. da importância e de um conhecimento profundo da capacidade de focalização de quem formulou o pensamento transformado em imagem cristalizada.árvore em si. sacerdotes e mestres responsáveis pela transmissão e conservação dos ensinamentos secretos da Huna no Havaí. desde que se consiga com um pensamento dirigido. podia usar o seu poder e autoridade para aquela ação. o presente. O passado e o futuro se fundem numa só e única ação. é fator básico para a obtenção de resultados satisfatórios na Preceação. que é a única condição perceptível como verdade para os seres humanos. na vivência de Pono. por um uhane direcionado. pela projeção. significa “conhecimento oculto”. fruto da reflexão é a meta de nossa vida. mas que geralmente atua. uma vida saudável e produtiva. e. tudo depende da intenção. quando as realizações são frutos da atividade do Aumakua no todo. mas é uma força natural que pode atuar. as transformações internas é o resultado de vivências do cotidiano. colocando-nos na longa e saudável estrada do Aloha. Significa também luz. Eu Superior. A transformação interior. por isso. A esse conjunto de acontecimentos que se dão no instante em que o aqui/agora e o agora/aqui atuam simultaneamente. Quando. a imagem e semelhança divina em nós. numa atitude de fé sem dúvidas. como se disse acima. A percepção alterada e a mudança de padrão. Palavras havaianas usadas neste artigo pela ordem em que aparecimento: Huna – Psicofilosofia ensinada pelos mestres polinésios e principalmente pelos havaianos do antigo Havai’i. mostrando pelas mudanças. é que se pode dar o nome de Momento. Pono – Sétimo Princípio do xamanismo havaiano: “A eficácia é a medida da verdade”. por Serge King. Mana[6]. produtor de mana (energia vital existente em todos os seres da natureza). Primeira das manifestações divinas do Supremo Ser. Prece-Ação – Síntese da psicofilosofia Huna em termos de oração. para explicar como se pode modificar a vida modificando os sonhos. dentre elas. tem raciocínio dedutivo. Kino-aka – Corpo etéreo de cada espírito. Paulele – Crença sem dúvida criada por uma fé inabalável onde não há duvidas. Uhane – o espírito que fala. ideação e pensamentos. quando fala “Na busca da visão em Milu”.Cordões-aka – prolongamentos do Unihipili responsáveis pela transmissão dos pensamentos em forma de memórias entre o uhane e o Aumakua e unihipili e uhane. em seu livro Urban Shaman. é subconsciente. limitações. tendo como paradigma que o ser humano durante um período de vidas sucessivas está de certo modo limitado em seu desenvolvimento. chegamos a várias conclusões. medo e Pono[7]. Está no corpo. Aloha – Quinto Princípio do xamanismo havaiano: “Amar é compartilhar com. Para melhor estudo e conceituação dividimos a definição em duas partes. As limitações descritas em forma de desafios. Aloha[5]. Unihipili – Espírito responsável pelo armazenamento e conservação das memórias. o que significa. na Sexta Aventura. Crianças de Tane – Seres criados a sua imagem e semelhança que habitam o universo no invisível e em suas manifestações. liga cada desafio a um dos sete Princípios do xamanismo havaiano da seguinte maneira: Princípio Ike[1].. desafio ignorância. Na Mitologia Havaiana. Manawa[4].”. Kala[2]. Depende das memórias do unihipili para suas manifestações. como resultado de observações em nossas experiências com regressão de memórias em pacientes de consultório. Corresponde ao consciente da psicologia. durante a vida atual e em outras vidas. é o que ordena e toma decisões. Kino – corpo físico. raiva.. criamos o conceito de que durante esse estado espiritual. existe em toda a natureza. a de que de um modo geral e de acordo com nosso desenvolvimento espiritual a frase “vida é um sonho” refere-se à vida de uma maneira muito ampla. com a participação dos três espíritos do ser humano. dúvida. Após pesquisar durante anos e. “a vida é um sonho básico”. nos períodos de reencarnação na terra. A partir dessa concepção. procrastinação. Sebastião de Melo O Que É Vida? “A Vida É Um Sonho” Sonho Básico De Vida A definição de que “vida é um sonho” foi descrita por Serge Kahili King em várias de suas obras. Makia[3]. o Deus que existe. Tane ou Kane – Deus manifesto. confusão. memórias a serem . Responsável pela imaginação. o organizador e responsável pelo universo. modelo da imagem do unihipili. Isso. a qual geralmente está ligada às memórias de vidas anteriores. Na pós-morte. Cremos que essa interpretação de que a vida é um sonho básico. pode nas regressões vivenciar situações como alguém que inicialmente necessitou de contenção. num espaço/tempo diferente do vivido em Po.vivenciadas e reformuladas através das experiências na vivência dos desafios que serão vencidos um a um de acordo com o entendimento de cada pessoa. aprendizado escolar e educacional. por estar em estado alterado de percepção. Delas tira um aprendizado e uma nova proposta para novas vivências.quando entra em um estado de repouso semelhante a um profundo sono . tratamento e aprendizado escolar. o que possibilita vivências em dois estados têmporo/espaciais de diferentes vibrações. sob orientação do Aumakua[13] e de mestres encarregados dessa tarefa (Poe Aumakua)[14]. bem como tudo que vivenciará em seu crescimento. segundo pensamos e explicaremos a seguir. Sai dessa fase para ressurgir na vida intra-uterina pela concepção. tudo de acordo com suas necessidades de crescimento e evolução na nova etapa a ser vivenciada. bem como as reformulações feitas no aprendizado. Tudo termina quando está pronto para deixar a intervida[15] após um longo aprendizado. quando tem a oportunidade de revisar as memórias gravadas no kino-aka[10] do unihipili[11]. mostrando que o ser humano cresce em grupos afins ou em grupos para experiências espirituais. Nada será feito sem ter uma relação com o meio em que vai viver – rede sociométrica –. Revive emocional e intensamente as memórias de situações anteriormente experienciadas e que agora são sentidas de uma maneira tal que possibilita reformulá-las. Na regressão a pessoa funciona como um ator principal(vida atual) e ao mesmo tempo como coadjuvante(memórias de vidas passadas). a formação das memórias genéticas programadas é fundamental como base do desenvolvimento e crescimento na vida fetal[17] e. após o nascimento. o ser humano passa por um período de aprendizado em Po[9] (nos planos espirituais). Pelas experiências que tivemos com regressões. Como se trata de memórias. Em alguns pacientes que vivenciaram memórias de vidas passadas foi possível acompanhar esse preparo. o indivíduo é o único responsável pelo seu sonho básico . vivencia e sente essa situação. mas que no entanto. verdadeiros facilitadores que contribuem para a formação do novo sonho básico de vida. com a colaboração do uhane[12]. Introdução – Como se forma o “sonho básico de vida?”[8] No período entre a última morte e a concepção da vida atual.[16] No preparo em Po. iniciando um novo ciclo de vida. tratamento. pois tudo funciona em razão do crescimento e evolução espiritual. essa situação fica muito clara. não modifica em nada a de que “vida é um sonho”. o ser humano passa por várias fases.bem como por contenção. A seguir descreveremos a dinâmica do desenvolvimento e crescimento dos sonhos básicos de vida. desde um período de desligamento . base para todas as experiências da própria vida. para seu aprendizado. como formadoras da estrutura anatomofisiológica e estão no nível celular. O pensamento dado pelo uhane passa a ser o fator primordial que conduz o homem em sua viagem pela vida atual. as memórias são enviadas ao cérebro onde são decodificadas. que aos poucos vai ordenando as ações usando das memórias em geral. o que vai facilitar ou dificultar a realização de seu sonho básico de vida. o livre arbítrio é simbolicamente representado pela vontade. Uma vez reencarnado. nesta vida. Primeiramente são instintivas e gradativamente vão formando novas memórias que são registros gravados nas camadas musculares. dando como resultado o crescimento espiritual. De acordo com as vivências do dia-a-dia. Numa complexa ação conjunta contribuem para formar as memórias aprendidas. para serem desenvolvidas de acordo com o potencial trazido que orientará o crescimento corporal e psicológico por intermédio da dinâmica fisiológica e comportamental. assim. até chegar a ter condições de decidir quais são as memórias capazes de desenvolver e fazer crescer este ser. memórias que provocam desequilíbrio psicológico e físico. trazendo as respostas que propiciam as ações ordenadas pelo uhane. originando o que Max Freedom Long chamou de “complexos”. tendo a orientação de mestres (Poe Aumakua). mola propulsora de todas as ações.de vida. como formaspensamentos interpretadas ou as sensações que são gravadas como fixações. dos quais sofre influência. Inicialmente essas memórias estimulam o desenvolvimento anatomofisiológico que se manifesta por ações orgânicas. Os estímulos próprios de cada função orgânica. Em Po. Formação das memórias aprendidas ou experienciais Após o nascimento a criança vive em função das memórias dadas pelas marcas mnêmicas que estão em suas memórias genéticas programadas. usando como paradigma o sonho básico de vida. O seu. As memórias genéticas programadas funcionam até um determinado período da vida[18]. que só dependerá do aproveitamento de sua vontade. num continuum espaço/tempo . mas uma condição de execução do que trouxe como memórias (programação) e que estão em estado de latência em seu DNA. usa de seu livre arbítrio .de acordo com suas possibilidades de discernimento -. Entende-se como nível celular toda a estrutura anatômica responsável pelo funcionamento fisiológico do corpo humano. promovem o desenvolvimento do uhane. não é fruto de seu meio ou de sua criação. vão aos poucos aumentando as sensações formando as memórias aprendidas. que não há um determinismo. ambiente será um coadjuvante em sua vida. na sua programação de vida. Assim se formam as memórias aprendidas ou experienciais que continuam interligadas às memórias genéticas programadas. São responsáveis pelas sensações que provocam diferenciações mentais que são indutivas e são decodificadas cerebralmente de acordo com o amadurecimento dos sistemas nervosos. Fica assim claro. A dinâmica corporal conduz o individuo a viver fisiologicamente dentro do modelo físico dado pelas memórias genéticas programadas. plano das manifestações). foram preparados com a propriedade de se adaptarem aos padrões sociais vigentes nas diversas experiências no curso da vida. as bases para a atuação do individuo através dos valores e padrões aprendidos em Po e oriundos de memórias de vidas passadas e suas marcas mnêmicas. Max Freedom Long. pois o universo no final é mana[23] com suas diversas vibrações .de experiências. sendo três celestiais e quatro espirituais. Com isso. mundo das manifestações onde habitamos (Terra) é uma imagem do real que é Po. além disso. são próprias a cada indivíduo. Desenvolvimento. Com isso queremos dizer que vivendo o sonho básico. tais como. Essa concepção está de acordo com os ensinamentos de Max Freedom Long que diz: “Tudo na natureza tem aumakua e unihipili. Esses valores e padrões agora serão vivenciados em uma época bem diferente das vidas anteriores e por isso. No ser humano desenvolve-se ainda uma nova situação devida às memórias pneumogenéticas[21]. Leinani Melville. tudo é formapensamento. O ser humano. O desenvolvimento de tudo que existe na natureza depende das memórias genéticas programadas criadas filogeneticamente[19] (próprias de cada espécie) e ontogeneticamente[20] (próprias de cada individuo). uhane e aumakua estão em Po e que as manifestações são puramente imagens. possuem memórias. portanto. assim. estamos vivendo uma imagem da realidade que é invisível. Esse conceito é fruto de pesquisas realizadas nas obras de vários estudiosos do conhecimento Huna. Isso quer dizer que a essência do unihipili. não estamos determinando locais quando falamos de Po. próprias do crescimento e desenvolvimento espiritual em cada sonho básico de vida. O ser humano. para a conservação da espécie. Elas são básicas na formação das memórias genéticas programadas. Sendo básico supõe-se que as memórias genéticas programadas trazem em potencial. possui o pensamento indutivo que propicia as descobertas que vão além das necessidades que se restringem à conservação da espécie. percepções dadas pelos cinco sentidos sensoriais que atuam principalmente com o intelecto. O mundo visível. Interessa-nos os planos espirituais e principalmente o Po espiritual da Terra onde o ser humano é preparado para reencarnar em Ao[22] (Terra . mas somente o homem possui uhane”. Essa situação diferencia o ser humano (Homo sapiens) dos outros animais. O que seria então o “sonho básico de vida?” Após essa introdução falaremos de como entendemos e sentimos o que é sonho básico de vida. Os animais têm pensamento dedutivo (responsável pelos instintos). no atual sonho básico de vida. demais animais e as substâncias físicas. Mary Pukui e em nossas pesquisas e vivências como terapeuta e nos estudos e práticas efetuadas em conjunto com o Grupo Pirâmide de Santos (Grupo de estudos Huna). Serge King. Leinani Melville divide Po em sete planos. Aí está tudo que se necessita para o desenvolvimento do ser humano. para o crescimento do ser.dada pela reformulação das memórias -. Como se processa essa dinâmica? Cremos que se processa através das memórias genéticas programadas que recebemos a partir da concepção. Essas memórias são arquivadas no nível de camadas musculares. A formação do corpo (kino) está garantida por leis que seguem no período de gravidez. as primeiras memórias aprendidas ou experienciais. o corpo é um modelo da imagem do unihipili. o pai infalível. de acordo com as ações mentais ou físicas praticadas. Assim. mas que permanece em Po. somos os únicos responsáveis por nós mesmos e vivemos de acordo com nossas intenções e atitudes. O aumakua. como respostas ao uhane. Eu superior. pois atuamos segundo nossa vontade. o que propicia a reformulação das memórias que podem aos poucos transformar os valores. formando inicialmente pelas ações fisiológicas. O uhane é o responsável pela ordenação e decisão. após a morte física contribuirão para as futuras . As experiências que serão gravadas como memórias no corpo. A cada ação acrescenta-se dados ou reformula-se as memórias solicitadas ao unihipili. criando novos conceitos individuais e sociais. nas diversas fases de desenvolvimento embrionário e fetal. Primeiro na vida intra-uterina. através da percepção sensorial consciente que leva à formação dos pensamentos. que abriga também a imagem do uhane que se manifestará após o nascimento desenvolvendo todo seu potencial em ações. o sonho básico de vida vai crescendo em conhecimento e desenvolvendo os valores e padrões trazidos de Po. a mola propulsora que conhece os potenciais de nossas memórias e cria as oportunidades para nossas ações no dia-a-dia. para o crescimento na vida atual. Sendo as memórias as responsáveis pela formação do corpo. são as solicitações dos estímulos recebidos e devolvidos pelo sistema nervoso. ele é a fonte que conserva a vida e nos dá as oportunidades de atuarmos em nossa programação feita em Po. está ligado a esse modelo corporal por cordões-aka atuando como o guardião ancestral. Assim. Não há nisso nenhum determinismo. Após o nascimento. iniciar a verdadeira mudança do ser humano. substituindo os trazidos nas memórias genéticas programadas por outros novos que guiarão suas experiências de vida de forma diferente e que. é a mudança de padrões. desde o ovo até o feto uma programação seguindo uma ordem filo. Tendo sido as memórias preparadas para este sonho básico de vida. conclui-se que ele é uma imagem/modelo do unihipili que é o guardião das memórias. a manifestação corporal é fruto de uma imagem/modelo do unihipili cuja essência permanece em Po. essa nova linguagem pode pela transformação dos valores . Segundo essa dinâmica. após decodificação cerebral. Esse desenvolvimento conduz a uma nova percepção de que existe uma nova linguagem e que. A finalidade primordial do sonho básico é o desenvolvimento intelectual que traz sempre novos conhecimentos de maneira geral.energéticas. onto e pneumogenética apropriada a cada ser humano. É o início do desenvolvimento que irá conduzi-lo à evolução que já é vislumbrada. o ser humano é elevado à condição de pensar com a “análise criativa” quando o julgamento e a interpretação têm sentidos diferentes. Isso modifica o comportamento do ser humano que continua agindo dentro dos valores e padrões vindos das memórias genéticas programadas. Esse é o resultado do crescimento dado pelo intelecto que funciona pela “análise crítica”. Síntese: Sonho Básico de Vida e “A Vida é um Sonho” Sonho básico de vida . Conforme ensinava Max Freedom Long devemos trabalhar. assim. No final dessa etapa espiritual. Naturalmente percebe que o sentir predomina fazendo surgir uma linguagem inconsciente inspiradora. esse indivíduo vai vivenciando situações que vão transformando seu comportamento por atitudes provenientes de seu interior. Dessa maneira. quando tudo é interpretado e julgado (Padrão A). Tudo acontece conforme afloram do unihipili as memórias necessárias para a prática das ações. os novos pensamentos que enriquecem seus espíritos. agindo para a harmonização do unihipili e uhane. aos outros e a natureza. para a suavização do julgamento. Isso propicia o crescimento do sonho básico. tem a percepção de que há outros caminhos a serem percorridos e que com seu crescimento pode dar um mergulho em seu interior em busca da paz. nos diversos ikes vivenciados no dia a dia. o ser humano continua sentindo uma insatisfação pessoal que. o que pode ser os primeiros passos.que transforma os valores e os padrões vigentes. no Padrão A[24] (onde predomina a análise crítica e o julgamento). as quais são o resultado da soma dada pelas experiências vivenciadas no cotidiano. Isso provoca dúvidas que levam a novos pensamentos e a novas maneiras de sentir. o que vai aos poucos conduzindo-o no sentido da auto-realização. quando há a intenção em fazê-los.. o intelecto é o que ordena e toma as decisões. Apesar de tudo. ainda está infeliz. Formam-se. quando as ações praticadas conduzem a um conhecimento que fira a si mesmo. Aos poucos. esse novo sentir conduz a novos pensamentos com interpretações diferentes.Com as experiências vivenciadas nos diversos sonhos básicos de vida. Contribuem para a formação das memórias aprendidas. passando a viver em um novo padrão PadrãoA1/A[25]. O reverso também pode acontecer. Elas têm um papel importante no desenvolvimento e crescimento do indivíduo. é o início da mudança de valores e padrões. pela harmonização com o unihipili. É o despertar interior do valor real dos . através dos incontáveis sonhos imaginados e ideados pelo uhane e que são transformados em pensamentos e sentimentos. a linguagem é ordenada e decidida pelo uhane de maneira tal que. sendo essa a maneira de crescermos espiritualmente.reencarnações com conceitos que formarão novos e melhores sonhos básicos de vida. apesar do desenvolvimento trazido pelo conhecimento e pela tecnologia. com os possíveis acréscimos nas memórias. A análise crítica vai sendo substituída por uma nova maneira de pensar . em conjunção com sua rede sociométrica. compreendidas e vivenciadas. [12] Uhane Espírito responsável pela ordenação e decisões . o que mostra que a ”vida é um sonho”. É o princípio do fim dos ciclos de vidas sucessivas. [9] Po – Mundo invisível. Atingindo este grau de conhecimento e crescimento está apto a uma outra percepção que é inconsciente. como verdades que passam a ser entendidas. quando se vivencia uma situação anterior com a mesma intensidade emocional do acontecido. principalmente por ter sido um pregador do amor.é o corpo sutil próprio de cada espírito e formado de substância aka. [14] Poe Aumakua – Assembléia de Aumakuas. o aumakua em sua plenitude. . da solidariedade humana. É o encontro do ser humano com sua divindade. [4] Manawa – 4º princípioi – Seu momento de poder é agora. corresponde ao consciente. a qual conduz a um novo sentido de vida modificando o sonho básico de vida e preparando este ser para novos e diferentes sonhos básicos de vida em futuras reencarnações. corresponde ao subconsciente. não só com o conhecimento dado pelas palavras. É o despertar do Eu superior.. [16] Jacob Levi Moreno diz que..Eu médio. mundo real. [5] Aloha – 5º princílpio – Amar é compartilhar com. Creio que por isso Max Freedom Long e Serge King dedicaram artigos a Jesus. o que dá além do conhecimento. pode-se libertar dos efeitos desta primeira. do compartilhar com o próximo. Os ensinamentos deixados por Jesus mostram que neles estão contidos os mistérios da Psicofilosofia Huna[26]. é o Grande Aumakua que se fez carne e habitou entre nós. [10] Kino-aka . denominando-O de o grande kahuna[27]. [2] Kala – 2º princípio – Não há limites. Para nós Ele é algo bem maior do que um grande kahuna. [6] Mana – 6º princípio – Todo poder vem de dentro [7] Pono – 7º princípio – A eficácia é a medida da verdade [8] Estes conceitos são válidos levando-se em conta os ciclos reencarnatórios. Sebastião de Melo [1] Ike – 1º princípio do xamanismo havaiano – o mundo é o que você pensa que ele é. [15] Intervida é a situação porque passa a alma entre a morte e uma nova concepção. mas sempre com base na crença de um Pai Divino que está em tudo..princípios xamânicos. corresponde ao superconsciente. [13] Aumakua – Espírito responsável pela criatividade e harmonia – Eu superio. É o fruto da harmonia dos espíritos uhane e unihipili. que induz a uma vontade de compartilhar.Eu básico. [11] Unihipili – Espírito responsável pela guarda das memórias . mas principalmente por uma compreensão diferente. é o caminho para a sabedoria. da visão de um mundo de paz e harmonia...r.É ser feliz com. [3] Makia – 3º princípio – A energia segue o curso do pensamento. a compreensão. encontra-se em tudo que existe no universo. [24] Padrão A – 1º nível – nele se dá o crescimento espiritual pela atuação do intelecto com o julgamento e análise crítica. Unihipili e suas Funções Ação dos Arquétipos Sombra. [18] Segundo Bermudez (Núcleo do Eu) nos dois primeiros anos de vida. [26] Psicofilosofia Huna – reúne conceitos e princípios filosóficos. Anima e Animus[2] no Unihipili e Uhane O ser humano para atingir seu estado de individuação (compreensão de si mesmo. portanto pertencem à área do unihipili. Em outras palavras.(Dicionário Michaelis). que remontam à origem do homem na Terra.[17] Mnêmico – Diz-se da teoria que atribui os fenômenos à memória latente de passadas gerações. quando o intelecto representado pelo uhane e sua vontade são capazes de . assim como Sombra e o Animus (condição masculina) na mulher. Anima e Animus no Unihipili e Uhane Conceitos básicos formados pelas raízes da palavra unihipili. de povos muito antigos. A MGP traz em potencial o desenvolvimento do sonho básico de vida possibilitando o crescimento e evolução pelo conhecimento e mudanças de padrões. fazem parte do subconsciente. tira da conserva cultural os subsídios para esse crescimento. Funções. [19] São memórias responsáveis pela estrutura físico/mental próprias para a perpetuação e manutenção da espécie. motivação e mecanismos de ação do unihipili (uhinipili) ou Ku: Memórias e seus mecanismos de ação Índice: Introdução[1] Ação dos Arquétipos Sombra. fornecem os dados necessários. [20] Memórias que mantêm a estrutura anatomofisiológica própria de cada individuo. geneticamente programadas em Po. através da percepção. para o desenvolvimento do uhane. mestre espiritual da Psicofilosofia Huna. plano das manifestações. Fazem conexão com o Aumakua que funciona como um guia que orienta nas fases difíceis e em outras necessidades ligadas ao sonho básico de vida. [27] Kahuna – Guardião do segredo. esses três arquétipos são representados pela memória genética programada que pelas experiências e ações desenvolvem a memória aprendida no decorrer da vida. [21] São memórias referentes ao crescimento espiritual. Posteriormente com as mudanças nos padrões básicos. [25] Padrão A1/A – 1º nível – Nele se dá a continuação do crescimento espiritual com a análise criativa e menos julgamento. transmissor dos conhecimentos Huna oralmente. para que predomine o Animus no homem e o Anima na mulher. [22] Ao – Formado de substância aka. auto-realização) necessita harmonizar seus dois arquétipos individuais: Sombra e Anima (condição feminina) no homem. [23] Mana – Energia vital . Significa também luz. não está mais subordinado ao ciclo do nascer e morrer do homem comum. quando perde os limites e a separação. quando há discordância. atua de acordo com o uhane masculino manifestado e. uma grande ou total compreensão de si mesmo com a possibilidade da reintegrar-se na teia-aka. sendo a Anima (uhane). O crescimento e a evolução do unihipili e uhane é o caminho para o surgimento do ser triuno.formar cordões-aka que conduzem as memórias para serem transformadas em pensamentos. por estar livre das imagens simbólicas trazidas pela Sombra. Animus ou Anima. A integração no meio dá ao individuo as condições de acompanhar seu progresso físico-mental adaptandoo ou não às suas matrizes de identidade no mundo que atua. Atingindo a condição do homem ideal. a busca da harmonia entre unihipili e uhane ser muito importante. usando os pensamentos dedutivos. pelas experiências. No sentido prático. a desarmonia causa um desequilíbrio que é aproveitado pela sombra (carma). o uhane (Animus) tem que procurar no aprendizado. a parte feminina subconsciente das MGPs. pelas projeções que formam as formas-pensamentos de fixação (complexos). tendo assim. O modelo de pai e mãe exerce uma influência na atuação de sua sombra e anima criando as condições de formar uma personalidade com possibilidades de aproveitar todo o . criando as primeiras regras arquivadas nas memórias aprendidas. com as ações acompanhadas pela orientação dos pais ou responsáveis pela criança. Por isso. atuando em detrimento do crescimento espiritual. segundo suas ações. baseadas nas memórias genéticas programadas que agem no nível fisiológico. tornando-se um ser holístico capaz de viver compartilhando como verdadeiro transeunte e encontrar as outras moradas da Casa do Pai. cria condições de atuar conforme seu potencial cármico através dos valores que formam os padrões fornecidos pela conserva cultural. Gradualmente o uhane vai entrando em ação e desenvolvendo sua vontade no sentir e agir. como pensar. Dessa forma estamos subordinados ao unihipili que possui em seu kino-aka as lembranças de todo nosso passado. Na condição de homem. Passa a viver da essência representada pelo Aumakua. Na mulher o unihipili é formado de Sombra e Animus. com os quais vai atuar adaptadamente ou não. no encontro com Aumakua. tanto as que desfrutaremos nessa vida como as que já vivemos em vidas anteriores. A educação age como um fator que contribui ou dificulta o desenvolvimento dos papéis. primeiramente na vida instintiva que mantém sua estrutura física e psicológica nos primeiros anos de vida. iniciando as imaginações com as ideações e os pensamentos que vão se constituindo em memórias aprendidas. que também fazem parte dessa genética programada como facilitadores ou dificultadores de seu desenvolvimento. através de estímulos fortes e repetitivos (filtros fisiológicos) dando-lhe defesas capazes de ajudá-lo em seu desenvolvimento geral. sentimentos e ações. sentir e agir para pelo menos se aproximar dessa condição? Quando o unihipili é formado de Sombra e Anima. Podemos chamar essas condições de meios de desenvolver os papéis trazidos na genética programada e que agora. formando os complexos. Dão ainda a idéia de silencioso. Após a morte. Tem também o sentido de: Projetor: Indica a projeção dos cordões-aka do kino-aka e o fluir de mana através deles. pele ou coisas que cubram. as raízes significam: U – Significa o eu. descendo sob a forma de chuva. mas nunca ao Aumakua. Impregnador: Mistura ou tinge com alguma outra coisa. como gotículas de água em determinadas condições. é assim. cuidadoso e de ação secreta.significa fixar-se em algo. a palavra unihipili significa: Conceitos Básicos Formados pelas Raízes da Palavra Unihipili Na palavra unihipili. significa véu.aprendizado efetuado antes de sua concepção quando surgiu para essa vida atual na condição de homem e na atuação de sua sombra e animus. Hi . que os cordões-aka do unihipili se fixam no que tocam. Nihi . simboliza a mana em forma de gotículas arredondadas. Esse significado é o que contribui para a formação das formas-pensamentos não filtradas pelo uhane. Significa também a ligação entre as pessoas nos relacionamentos em geral. Simboliza a cobertura dos unihipili nos corpos físicos (kino) e sombreados (kino-aka). Serge King denomina esse aspecto da consciência como Ku que tem como função primordial a memória e como motivação o prazer e no corpo. Pi . nas situações de tensão e estresse. simboliza os cordões-aka quando não estão carregados de mana ou ativados. Ele não separa o que é imaginação de acontecimentos. Pili . assim como o de se restringir da prática de certas ações. Nos momentos de oração.significa água caindo gota a gota.significa estar magro e fraco.significam também falar fracamente. essa. são as possíveis vozes dos fantasmas. Uhi . simbolicamente é o produtor de mana do unihipili e o seu fornecedor para o uso durante a vida. Hini . pode acelerar esse fornecimento ao uhane e Aumakua. com medo de descontentar os que são revestidos de autoridade. Nihi ou Hini . na condição de mulher. passado. presente e futuro. simbolicamente. quase invisíveis. Voltando ao estudo das raízes. e a forma que mana circula nos cordões-aka do unihipili quando é levada para o Aumakua ou para outros unihipili. corresponde ao coração. quando estão bloqueados e sem ação. com aparência de partido.simboliza tudo que se refere a uma vinha e água. Gotejador: Aquele que goteja. mostra a mistura de kino com os kino-aka do unihipili e uhane. os kino-aka do unihipili e uhane permanecem interligados e agem como coberturas para os eus e entidades. chuvisca ou pinga vagarosamente água. só . mas sempre como uma entidade separada e independente. espírito ou entidade.essa raiz dupla (u e hi). quando há uma crença sem dúvida. armazenando uma sobrecarga para enviar ao Aumakua como pedido do uhane.significa o fluir de mana. imaginação. nos fornece dados mnêmicos para o crescimento e . Não se consegue nenhuma ação quando não há participação do unihipili. Hi é o princípio feminino e significa fluir. que é um aspecto da consciência e que através dele podemos aprender e lembrar. Sete é um número simbolicamente esotérico. seja uma ação.existe para ele o aqui/agora e agora/aqui. é o que serve de elemento de ligação entre o consciente .nós . podendo estar ativados. é formado de 3+4. que são os princípios femininos e masculinos. segundo Serge King. A raiva e o medo são causas freqüentes de emoções que bloqueiam as lembranças.(uhane) e todas as coisas que temos de praticar. mas não é semelhante a ele. por haver semelhanças nesses conceitos. Motivação e Mecanismos Unihipili (Uhinipili)ou Ku de Ação do A memória é função do unihipili segundo Max Freedom Long e de Ku. Ambos concordam que está dentro do conceito de subconsciente da psicologia clássica. Para facilidade de entendimento. uhane em lugar de Lono e Aumakua em lugar de Kane. Motivação principal: o prazer Sendo depositário da memória. é uma raiz ou palavra que significa manter-se firme. Função principal: memória (está no corpo como modelo de vibrações). espírito encarregado das situações subconscientes. que representa o conhecimento interior. Ku é o princípio masculino. Max Freedom Long dá à memória propriedades sempre ligadas ao unihipili. Deriva da palavra hiku que é o número sete (7) em havaiano. interferindo na memória e causando tensão e também estresse. verdadeiros dutos condutores das lembranças. É o nosso irmão mais velho que necessita de nós para a aquisição de conhecimentos. Funções. o gerador e distribuidor de mana. No unihipili está a sede das emoções. o que em nada prejudica a compreensão do trabalho. é o único elemento de ligação direta que temos com Aumakua. Além de ser o fornecedor de energia (mana) para uhane e em determinadas condições ao Aumakua. elaboração das idéias e de nossos pensamentos. colocando-o como algo que envolve e está em todo corpo físico (kino). pensamentos e emoções. Serge King diz que a memória é função de Ku. desenvolver habilidades e hábitos. manter a integridade do corpo e guardar um sentido de identidade no dia-a-dia. subconsciente e Ku. um pensamento ou um contato. As memórias estão situadas a nível corporal e as emoções dependem das lembranças. o centro da consciência. passaremos a usar a denominação unihipili para designar o eu básico. é quem fornece todas as informações de que necessitamos para o desenvolvimento de nossas sensações. é o guarda da memória. o modelo corporal. Ela depende dos cordões-aka. A memória está contida em cachos que armazenam tudo que foi percebido e o que foi experienciado durante toda a vida atual. bloqueados assim como podem ser reativados. dependendo do aqui/agora da pessoa e das circunstâncias que a envolve como um todo. gerando ou atuando. de acordo com a Mitologia Havaiana antiga. É bom lembrarmos.Aprendida  nível de camadas musculares. nada mais é do que a imagem de parte da essência dele mesmo para o sonho básico de vida atual.Genética programada  nível celular. A memória genética programada transmite ao corpo as situações ancestrais: é um arquivo mnêmico muito importante e quando influenciada pela memória aprendida. Havendo bloqueio desse movimento. busca na memória aprendida. é a memória experiencial ou aprendida. trazem em estado potencial as formas-pensamento e ações para a vida atual. Está ligado a tudo que se refere à ação. Como exemplo. é nele que estão guardadas todas as reminiscências do passado como memórias genéticas programadas e marcas mnêmicas. angústia e depressão. dessa harmonia depende o corpo. as lembranças Memórias e seus Mecanismos de Ação . b . Numa situação estressante o unihipili busca na memória genética. por tensão ou estresse. A memória fica guardada no corpo como um modelo de vibração ou movimento. havendo várias escolhas em potencial. arquivada em um ou mais dos muitos grupos musculares. provocando o movimento e liberando-a. no que se refere ao comportamento físico e emocional e às ações e reações. no atual sonho básico de vida. a memória relacionada sofre inibição ou paralisação. que são arquivadas em níveis corporais diferentes. vindos do interior ou exterior. a . Uma é a memória genética programada. Origem da memória: Sob o ponto de vista abordado. o que pode causar problemas à pessoa. só poderemos falar de origem das memórias. de acordo com sua origem. as situações estressantes relacionadas à auto-estima têm manifestações ligadas ao tórax e causam ansiedade. o livro místico do antigo povo de Mu. Isso dá origem ao comportamento mental.evolução e. que todas as correntes Huna são unânimes em afirmar que o unihipili possuí um corpo denominado kino-aka. as especificações para uma reestruturação que conduza à saída do estado estressante. modelo do corpo. no qual estão armazenados todos os dados ancestrais e da vida atual. serve também como um guia para o aprendizado. meio ambiente e ao universo em geral. quando foram gravadas no kino-aka do unihipili. guardada como modelo celular e a outra. as quais. uma forma de poder trabalhar a situação. quer sejam mentais ou físicos. se remontarmos ao passado da vida atual e às outras vidas. Acrescentaremos que o unihipili. estando na realidade em Po (plano espiritual invisível). emocional e físico. e depois. É o modelo de qualquer corpo físico. e que funciona como um modelo para kino (corpo físico). Ambas são liberadas sob efeitos de estímulos determinados. é o elemento de ligação entre os três espíritos ou aspectos da consciência mantendo-os unidos ao corpo. Há dois tipos de memória. contida no Tumuripo – o Cântico da Criação. que nada mais é do que uma duplicata ou imagem desse modelo em sua manifestação corporal. Pela sua capacidade geradora de energia. imagem do kino-aka do unihipili. o possível ser do futuro que poderá atingir a condição do “ser triuno?”. responsável pelos pensamentos que criarão as condições para se vivenciar as experiências que responderão pelo crescimento e formação de novas memórias. o que forma a memória é a intensidade da experiência. “corpo/mente” subconsciente. permanentes ou temporárias). quando por bloqueios são atingidas grandes áreas musculares. A lembrança é estimulada por reações fisiológicas instantâneas. gravando no kino-aka do unihipili as marcas mnêmicas após a morte física do indivíduo.de todas as vivências de cada sonho básico de vida e suas modificações. Unihipili. e as possibilidades de mudanças no decorrer desse sonho básico. sendo somente o espírito ou aspecto da consciência que armazena lembranças constituindo as memórias. “Isso quer dizer que você pode ter reações fisiológicas mais fortes ao lembrar-se de algo acontecido ao seis anos de idade quando foi severamente criticado. onde estão arquivadas as lembranças. psíquico. cultural e espiritual do indivíduo. que produzem um estresse generalizado. Exemplificando: “Diante de choques graves. pela evolução não mais renasça. obedecendo a uma programação genética própria da espécie e adaptada a cada indivíduo. as memórias genéticas programadas próprias de cada indivíduo. dadas pelas experiências vivenciadas. propiciando a liberação das memórias dessas áreas para serem tratadas convenientemente. estariam no DNA? Será que através do intelecto guiado pela mística. traz em estado potencial. O processo de cura dar-se-á quando se faz um relaxamento muscular. por ação química e muscular dada pela intensidade dos estímulos mentais ou físicos. cuja intensidade depende da importância do que se quer lembrar. presente e futuro. Nas amnésias a linguagem é geralmente conservada por estarem as letras e sons arquivados em todas as camadas musculares e pela freqüência do uso cotidiano da palavra escrita e falada”[3]. isto é. O unihipili não diferencia de onde vem a memória. as descobertas no DNA conduzirão às possibilidades de transmutar o “Homo Sapiens” em “Homo Hominis”. através dos fiosaka e cordões-aka transmissores das memórias ao uhane. O preparo do atual sonho básico de vida feito em Po. É interessante frisar que o unihipili não raciocina por não ser capaz de formular pensamentos indutivos (propriedade do uhane). O resultado disso é que quanto . Todas essas condições e também nossas necessidades evolutivas de seres criados à imagem e semelhança de Deus (crianças de Tane). pela reformulação e perdas de outras. do que por fatos acontecidos em uma situação vivida recentemente. sendo o presente o único tempo existente perceptível (a percepção consciente é propriedade do uhane através dos sentidos sensoriais). podem surgir amnésias (perdas totais ou parciais. salvo se esses fatos foram mais marcantes”. num encadear contínuo até que. Cada sonho básico obedece a determinadas condições que propiciam o desenvolvimento fisiológico. co-criador do sonho básico. o nível de reação fisiológica que ocorreu durante a vivência (quer nesta ou em outra vida). formando as memórias de cada um deles. São transmitidas para o modelo corporal. não faz distinção entre passado. senhor do mundo e das inseguranças. contraído. mais elas afetarão seu corpo no presente. c – Intelectualização do espiritualismo padronizado em doutrinas religiosas e científicas dogmáticas. comandadas pelo intelecto. Essas situações. Exigimos tanto. quer nessa ou em outra vida. sem transformação dos mesmos. produzindo reações químicas e musculares semelhantes às que ocorreram na situação da vivência passada.mais se remoer as lembranças. captadora dos desejos que propiciam o verdadeiro prazer. que gera ansiedade por distanciar-nos do divino que há em nós. Defeitos na memória: a . A apreensão desse modelo espiritual traz alegria e paz ao corpo que as vivencia e a graça pelo despertar espiritual. Causas principais dos defeitos das memórias: Medo Raiva Culpa Conseqüências das causas: Sofrimento por medo. dão-se rapidamente. b – Aumento dos conhecimentos. trabalhar essas emoções até que não haja mais necessidade de controle. e – Esquecimento do corpo como imagem-modelo espiritual de uma estrutura divina extra-corpórea.Estresse  sintomas e doenças. mas com crescimento intelectual. Embevecido com a glória do poder enriquece as memórias com os dados fornecidos no aprendizado intelectual que está distante das verdades divinas do homem. d – Apego às posses em geral. tenso. b . ao passo que uma lembrança desagradável poderá fazer com que se sinta cansado. deprimido e infeliz. sem ligação com o prazer gerado pelo sofrimento. Nessa simplicidade seríamos saudáveis . Complicamos a vida. geralmente sublimado. sejam boas ou não.Tensão muscular  memória bloqueada. esquecendo-nos que Ele só pede uma fé do tamanho de um grão de mostarda. suficiente para compreendermos a realidade da simplicidade de Suas leis. Fixar-se numa boa lembrança faz com que se sinta mais leve. raiva e culpa devido a: a – Conservação de antigos valores. estabelecendo tantos padrões que acabamos nos afastando da verdade de que somos a imagem e semelhança de Deus. produzem mais endorfinas e quando ruins mais toxinas no aqui/agora. Em se tratando de memórias falaremos sobre causas que levam à formação de memórias que dão origem a certas formaspensamento causadoras dos complexos. estagnando a evolução. provocando reações diferentes. f – Culpa por termos abandonado o simples. “Um modo de controlar suas emoções e sua saúde no cotidiano é saber escolher as lembranças que se quer reviver. por se tornarem naturais”. expansivo. relaxado e feliz. num misticismo ilusório e separatista. o que mostra a importância da mudança na focalização da atenção. reforçando os valores introjetados nos antigos e atuais padrões. Quando boas. mas nem sempre o crescimento. concentre-se em suas lembranças e observe o corpo. e. mudando nosso viver. solte o corpo.[4] Vamos mudar de direção concentrando nossa atenção focalizando o unihipili com pensamentos que nos levam a sentir o quanto ele é importante e como podemos explorá-lo para vivermos bem e adequadamente servindo a nós mesmos. Isso acontece quando entramos num estado alterado de percepção que propicia o fluir mais livre das lembranças que estão nas memórias que serão captadas pelo uhane. redescobriremos o estar num aqui/agora cheio de prazer e alegria. Seu uso adequado nos faz desistir do sofrimento como modelo de prazer e entendimento. desapegados e sem posses. criando novas ideações e pensamentos que poderão reformular as memórias já existentes ou reforçá-las. Deixemos os reconhecimentos mentais que trazem sofrimento e procuremos perceber como é simples sentir as possibilidades oferecidas pelo corpo. não havendo nenhuma dúvida sobre o resultado. Sinta suas reações. O que aconteceu no exercício? Simplesmente. As reações serão diferentes. criando maior harmonia entre os dois espíritos ou aspectos. que acontecem simplesmente como novas propostas advindas de um novo sentir. O uhane se fortalece por começar a pensar de forma diferente. facilitando as ligações do unihipili com Aumakua. Ë o caso do exercício acima. livre das análises críticas. alegre e vá novamente sentindo o corpo que vai se tornando leve e relaxado dando-lhe uma sensação prazerosa”. os valores reformulados e os padrões modificados. Isso acontece quando se sente despertar interiormente o Princípio Makia[5] do Xamanismo Havaiano. Exemplificaremos com um simples exercício que nos mostra o que poderemos fazer quando queremos reformas interiores reais. Exercício: “Lembre-se de algo desagradável. dando-nos a oportunidade de vivenciá-las física e emocionalmente e reformulá-las. conseqüentemente nas ações.transeuntes de uma vida pacífica e tranqüila. desliguese dos problemas e aos poucos procure lembrar-se de algo agradável. assim como criar novas. As lembranças provocam emoções que são energias (mana) movimentando-se no corpo por um pensamento dirigido. Essa é uma maneira de dar ao unihipili a oportunidade de receber imagens energizadas de mana que influirão nas memórias. Com isso é . Usando o corpo como companheiro numa nova e ativa caminhada. rumo ao Infinito Ser na “imagem e semelhança de Deus que está dentro de nós”. surgem as intenções embutidas nas novas ações. Modifica-se as emoções reformulando-se as memórias pela mudança da focalização. que nos mantenha convictos da situação desejada. que fica cada vez mais tenso e contraído. que é o resultado dessa mudança de foco. reformulando as memórias. Haverá mudança quando se consegue um grau de focalização tal. houve uma mudança de foco. Com o pensamento sem dúvida (paulele). Desligue-se do estado anterior. g – Por não seguir o velho aforismo “mens sana in corpore sano”. melhorando sua situação dispersiva e conseguindo focalizar e concentrar com mais facilidade. O corpo é um guia na busca dos novos valores que nos conduzirão a novos padrões. Kino (corpo físico) B2. mas unido pela compreensão da harmonia universal. Conceitos básicos da Huna. Kino-aka do unihipili B3. 2. 3. a quem agradecemos. Eu Superior. [3] Os trechos entre aspas são de Serge King. Kino-aka do Aumakua C. 2. Volta-se a ser criança de Tane. Sebastiã o de Melo Colaboraram nesse trabalho os membros do Grupo Pirâmide de Santos. Eu Médio. B. A. Uhane ou Lono A3. Origem e definição. [1] [4] Exercício dado por Serge King no livro (Urban Shaman). Aumakua ou Kane B. agora somos vidas tiradas da Água Viva. à qual pertencem.capaz de captar mensagens do Aumakua por uma linguagem surgida da harmonia dos três espíritos que ficam mais livres e capazes de perceber a teia-aka. 1. espíritos ou aspectos e seus elementos: A1. Unihipili ou Ku A2. vencemos a morte. [5] Makia. tirados do livro “Urban Shaman”. Huna e o Xamanismo Havaiano 1. É uma indicação de que não se está mais separado como indivíduo. Corpos ou kino: B1. [2] Conceitos de Carl Gustav Jung sobre Arquétipos do self (individual). Eu básico. Os três eus. C. Assim. Desenvolvimento: Origem e definição. Kino-aka do uhane B4. A. Xamanismo Havaiano. D. 3º Princípio do Xamanismo Havaiano: A energia segue o curso do pensamento. Energia Vital: C1. mana . redimida pelas experiências de todos os viveres através dos milênios. Segundo Max Freedom Long Segundo Serge King Segundo Leinani Melville Segundo James Churchward Conceitos básicos da Huna. tendo um dos grupos se estabelecido na Terra. mana-mana C3. mas no de se adquirir uma compreensão para percebê-lo. Os havaianos primitivos eram do Havai’i. pessoas pequenas. e é vista de forma diferente por vários autores. que viveram no Havaí. diz que “os nativos contavam que seus ancestrais tinham originariamente descido do céu. Leinane Melville em seu livro “Children of the Rainbow”. há muito tempo. pessoas reservadas que preservaram o seu conhecimento em silêncio. que formaram a primeira civilização do mundo. os quais vieram da Constelação da Plêiade. Este continente submergiu e formou-se a Polinésia. não no sentido de querer se ocultar algo. Como todo conhecimento antigo. por meio de várias viagens. pessoas silenciosas que se moviam quietamente e trabalhavam sem barulho. Referem-se a eles como uma raça de pessoas lendárias. a origem da Psicofilosofia Huna é controvertida.Serge King: Diz que se originou de estelares. Eles haviam nascido no Havai’i no princípio da era humana. . hoje conhecido pelo nome científico de Lemúria. Define Huna como Conhecimento Oculto. 2. com diferentes dialetos. e que. esconderam dentro da sua Huna (abismos profundos) o simbolismo esotérico do seu significado. o qual era denominado de Mu e seus habitantes de Povo de Mu. em canoas chegou ao Havaí.Max Freedom Long: Diz que se originou de um povo que partiu do Egito através do Mar Vermelho. Os homens sábios do antigo Havaí.C2. Substância aka 1. como: 1. Define Huna como o Conhecimento Secreto dos antigos havaianos. mana-loa D. Criaram uma língua que é falada em toda Polinésia. que criaram o nome Teave. Origem e definição. 3. num continente no Oceano Pacifico. De acordo com os antigos cânticos da criação. O povo de Mu era definido pelos tāhuna (tahuna é plural de tahuna em língua polinésia) como predecessores. Baseado em pesquisas e traduções de cânticos antigos fica claro que a denominação foi criada no continente perdido de Mu. Eles foram os antepassados dos havaianos de hoje e deram origem à civilização mais antiga do mundo e à sua estrutura religiosa” (trecho do livro Children of the Rainbow de Leinani Melville). foram a primeira raça humana a ocupar essa terra.. Assim sendo. aos outros e à natureza. assim. a sabedoria de que eram possuidores os sábios do Antigo Havai’i. Qualquer ação que pratiquemos depende de uma intenção. a teoria de Churchward e Leinani Melville são as que mais se aproximam das lendas havaianas narradas no Tumuripo – O Cântico da Criação -. Se bem que. isto é. Podemos evitar isso não nos omitindo nas situações que exigem de nós atitudes coerentes. a mesma história das encontradas na Índia. que promovam o nosso equilíbrio e do meio em que vivemos. uma prática e uma mitológica. deixado pelos mestres kahunas. 2. Para conseguirmos exercer esse princípio básico. A nosso ver. até sua catástrofe. deixando de ser o sofrimento o paradigma de crescimento e evolução. Não fala especificamente sobre a Huna. . Serge King também fala da origem desse povo como estelares. Concluímos então. Não podemos permitir que sejamos usados para ações que causem prejuízos por exacerbação das mesmas. A Huna tem princípios e ensinamentos que nos ajudam nessa busca de uma maneira mais suave e simples. Para enumerar esses elementos conceituaremos a Huna em três partes: Uma teórica. A escrita era em uma língua praticamente desconhecida. O princípio básico da Psicofilosofia Huna é não ferir. isto é. se faz necessário o conhecimento dos elementos da psicofilosofia Huna. escritas na mesma língua e descobertas no México por Nínive. O monge responsável pela guarda desse segredo ensinou-lhe a língua e traduziram juntos todas elas. quando praticamos ações que provocam sofrimento e danos a nós mesmos e em geral. que encontrou num mosteiro na Índia. James Churchward em seu livro “Continente Perdido de Mu” fala sobre um antigo continente no Oceano Pacífico que era habitado por um povo com uma civilização mais evoluída do que a atual e que submergiu devido a grandes cataclismos por volta de treze mil e quinhentos atrás. Posteriormente encontrou em mais de duas mil pedras. Baseou seus estudos na tradução de escritas em tabuinhas feitas de argila. 4. mas do conhecimento de um povo muito antigo e evoluído que viveu no Continente de Mu. Deu a esse continente o nome de “Continente de Mu” e a seus habitantes o nome de “Povo de Mu”. é a intenção o alvo do “orai e vigiai” para que possamos crescer e evoluir na constante busca da felicidade. não causar sofrimento a si mesmo. Conceitos Básicos da Huna. Não devemos nos exceder nas ocasiões em que depende de nós um bom senso para que tudo transcorra serenamente. que é na intenção que está tudo que praticamos na vida e é nela que devemos focalizar toda nossa atenção para que não caiamos na omissão e no excesso que nos conduzem ao desequilíbrio físico e mental. é a intenção a mãe de todos os problemas e virtudes que acontecem.Define Huna como “abismo profundo”. mudando os pensamentos e as memórias. Aumakua ou Eu Superior.kino-aka – e uma energia vital – Mana-loa. conforme a interpretação que damos a esses conhecimentos e ensinamentos. Isso nos dá a liberdade de sermos ou não adeptos dela. Quando reencarnado o ser humano possui o corpo físico – kino -. . Age como um continente para mana quando formada ou moldada pelo pensamento consciente ou subconsciente. É a substância básica que permeia todo o universo físico e dela é formada toda manifestação material. sombra. Como todo sistema é arbitrário e relativo por ser interpretativo. Possui um corpo etérico . cada espírito possui um corpo-aka que lhe é peculiar e tem funções determinadas. Com as características refletivas dessa matéria capacitam o xamã havaiano a mudar condições. reflexo. costumamos denominar cada um desses elementos pelos seus nomes em Língua Havaiana. no que chamamos de “Prece-Ação”. Sua função principal é a memória e a motivação é o prazer. mas não faz parte dele. Sua função principal é a de tomar decisões e sua motivação é a ordem.1. quando um depende do outro para se desenvolver e de um corpo físico quando reencarnados. Uhane ou eu médio corresponde ao consciente ou ego da psicologia. tendo cada um sua própria mana. Possui um corpo etérico . mas não é semelhante. É espelho quando reflete padrões de pensamento nos níveis psíquico e físico. corresponde ao superconsciente. Sendo a Huna uma teoria de transformações. Essa substância de origem divina em consonância com a energia mana. fazendo-se uma analogia com a psicologia ocidental. Na parte teórica nos diz que o ser humano é formado de três espíritos ou aspectos independentes entre si. Podemos sintetizá-los da seguinte maneira: Unihipili ou eu básico corresponde ao subconsciente da Psicologia ocidental. a Huna também o é. torna possível as manifestações. transparente. Sua função principal é a criatividade e sua motivação é a harmonia. Em relação ao pensamento puro é uma simples sombra. É o único que está ligado ao corpo físico. Esses conceitos chegaram até nós por intermédio dos estudos de Max Freedom Long.e uma energia vital – mana. espelho e essência. mas interligados nas ações.kino-aka – e uma energia vital – mana-mana. O corpo é uma imagem manifestada dessa coesão por meio de uma substância. Significa luminosa. Essa conceituação se sintetiza na prática. mas é diferente. a substância aka. Possui um corpo etérico . Serge King e outros também buscaram na antiga tradição havaiana os elementos teóricos de seus estudos. Existe uma energia que chamamos de “mana” que é o elemento de coesão entre os três. Para que isso ocorra.kino-aka . com a qual obtemos bons resultados. atributos. Tudo começou quando se reuniram grandes mestres kahunas para sintetizarem os ensinamentos em alguns princípios que pudessem traduzir o pensamento e as atitudes que deveriam ter aqueles que se dedicassem a usar a Huna como uma prática de vida. O plano das manifestações é chamado de Ao. O termo xamã deriva da Língua Tungue falada na Sibéria e hoje está mundialmente difundido como significando curandeiro. Isso só se torna possível depois de conhecermos os conceitos da Huna. Os mestres kahunas sintetizaram o xamanismo havaiano em sete princípios. seu aprendizado começou na sua infância entre as velhas tutu (velha kahuna). por uma corte angelical. de quem tudo se originou. a PreceAção já citada acima. Obtém-se resultados eficazes. o Cântico da Criação o (Tumuripo). É o Pai a que se referia Jesus. dentre elas sua avó e também. para curas e alívio de qualquer tipo de sofrimento. Leinani Melville traz em seu livro “Children of the Rainbow” um histórico sobre esse povo. A leitura atenta e livre dos Evangelhos nos mostra que esses princípios da Huna não passaram despercebidos por Jesus. Criou o Deus manifesto Tane e a Deusa Na’Vahine. É usada principalmente. A mitologia dá à Huna um sentido místico e religioso. A parte prática da Huna está essencialmente centrada no xamanismo. heróis e espíritos ancestrais que atingiram alto grau de evolução. Os havaianos até a chegada dos missionários nas ilhas guiavam-se por leis e normas rígidas que eram obedecidas rigorosamente. seu continente e sobre o povo do Havaí que conhecia sua tradição. É o Deus Pai/Mãe (Tane/Na’Vahine). pelo fato de trazer um enfoque diferente de como se deve fazer uma prece. temos entre outros elementos. A mitologia havaiana ensinada pelos kahunas do Antigo Havai’i é constituída por um panteão com doze deuses principais. deuses secundários. no entanto. É constituída de sete céus divididos em três planos divinos e quatro espirituais. 3.2. . entre pessoas e o ambiente. aos quais juntaram corolários. essas leis e normas estão nos ensinamentos denominados (Kapu). podendo. o organizador do universo e gerador dos deuses e dos seres existentes manifestados na Terra. recebendo os sete a denominação de Po. Os kāhuna criaram regras e normas disciplinares e possuem um livro sagrado. É um co-criador. ser feita para se obter qualquer coisa desejada. É uma filosofia de cunho monoteísta apesar dos deuses citados. Em havaiano. O xamanismo ensinado pela Huna refere-se ao Xamanismo Havaiano. talentos e cores. pois existe a crença em um Ser Supremo (Teave). segundo Serge King a palavra para xamã é kupua e define xamã como um curandeiro de relacionamentos entre a mente e o corpo. entre seres humanos e a natureza e entre a substância e o espírito. Na parte prática. Os primeiros habitantes daquela terra esquecida eram conhecidos como os Mu. Xamanismo Havaiano O xamanismo havaiano tem crescido principalmente pelo trabalho de Serge King que além de praticá-lo. Seu trabalho está baseado no resultado de um conclave de grandes mestres kahunas. que foi partido em pedaços por terremotos. o que passamos a transcrever de seu livro. Esse costume continuou por séculos. onde a vida surgiu para a existência e expandiu-se em crescimento. que os extintos Mu viveram. destroçado por maremotos de vagalhões gigantescos. onde a vida surgiu e se desenvolveu. a quem chama de “xamã urbano”. Mora no Havaí. de A grande ilha escondida de Tane. Era às vezes chamado de Havai’i – ti . Havai’i originariamente. o navegador Inglês. descobriu os remotos descendentes de Mu. O povo de Mu muitas vezes. ou cratera do céu). São assim descritos: . Havai’i. referia-se ao enorme continente que existiu em tempos pré-históricos no Oceano Pacífico e não. Classifica os xamãs havaianos em duas classes: Xamã Guerreiro e Xamã Destemido. Havai’i agora pronunciado Hawai’i era apenas um deles. Mais popularmente era conhecida pelos nomes de Ta Rua ou Havai’i-ti. A tradição foi passada por alguns habitantes de Mu. despedaçado por erupções vulcânicas. Aquele continente hoje submerso. onde dirige uma Associação Huna denominada Aloha. Baseado em pesquisas e traduções de cânticos antigos fica claro que a denominação foi criada no continente perdido de Mu. As atuais ilhas. chamava sua terra natal de Ta Rua ou Rani (buraco. 3. Era mais popularmente conhecida como Ta Rua. usando palavras que quando compreendidas e apreendidas de maneira mística e esotérica promovem ações que refletem em benefícios. Esses poucos sobreviventes preservaram as tradições de seus antepassados e as passaram para a geração seguinte. são os antigos picos das montanhas do continente que submergiu. verdadeiros xamãs que sintetizaram essa psicofilosofia. Rua significa crescimento e desenvolvimento pelo fogo. O Havai’i era às vezes chamado de A Terra de Rua (Ta aina o Rua). Foi neste continente perdido. hoje conhecido pelo nome científico de Lemúria. Os Mu conheciam sua terra natal por diversos nomes.Havai’i. que sobreviveram ao cataclismo que destruiu a antiga civilização. Prega a expansão do xamanismo nos centros urbanos procurando levar a um maior numero de pessoas os benefícios advindos da ação desses mestres.com uma kahuna vidente aprendeu o significado simbólico e teórico. palestras e cursos. chamado pelos antigos havaianos. até que o Capitão James Cook. cujos trabalhos estão de acordo com o modo de cada um agir. difundiu-o através de seus livros. vivendo nas selvas do Havaí. ao belo cordão de ilhas esmeraldas que hoje são conhecidas como Ilhas Havaianas. até mesmo por milhares de anos. era às vezes. Utilização do fluxo de energia.Amar é ser feliz com.A efetividade é a medida da verdade. Kala . Utilização do poder do pensamento. Utilização do momento presente. Ike . Utilização do poder da flexibilidade. de onde se controla o primeiro. Makia . Corolário: Tudo tem poder. Tudo é possível Separação é apenas uma ilusão útil. Pono . A visão comum das coisas chama-se Ike Papakahi. corresponde um atributo. Corolário: Tudo é relativo. Corolário: Tudo é sonho. é uma maneira diferente de se perceber as coisas. atento e reativo.Não há limites.Visão. Utilização das ligações energéticas.Seu momento de poder é agora. nível objetivo. A visão metafísica chama-se Ike Papalua. O poder vem da permissão (da criação).Esclarecimento. é a maneira que se tem para agir fazendo com que se consiga claramente a união do seu eu com o universo. é a transformação do homem em um ser holístico. Ike . A cada princípio. Utilização do poder do amor. Todos os sistemas são arbitrários. Os Princípios e Seus Talentos: 1º. 2º. seus Corolários e Talentos 1º. 2º.. Corolário: o amor aumenta quando o julgamento diminui. Manawa . é a visão metafísica da realidade.O mundo é o que você pensa que é.Todo poder vem de dentro. 6º. Mana . Utilização do poder da permissão (da criação). Corolário: Existe sempre outra forma de se fazer algo. representam qualidades especiais a serem desenvolvidas e são percebidos de maneira diferente do que comumente fazemos. . 4º.A energia segue o curso do pensamento. 5º. Tudo está vivo. Aloha . é a visão do primeiro nível. 3º. Tudo é energia. Corolário: A atenção segue o fluxo energético. Corolário: Tudo está interligado. 7º. Kala .Os Sete Princípios Xamânicos.. é um nível subjetivo. é a maneira de se perceber a realidade atuando num segundo nível. 5º. No primeiro caso. que o mal desapareça. metas e propósitos é uma maneira de se conseguir uma revisão permanente de suas motivações. Mana .Presença.Tecelão de sonhos. é necessário que lhe atribuamos este poder que queremos transmitir. mas as intenções e atitudes são diferentes. 6º. atitudes e ações. conseguindo a harmonia. São duas situações em que as ações são semelhantes. Pono . provocou uma modificação espiritual que manterá o indivíduo com novas intenções e atitudes de vida criando uma nova crença. Por exemplo. o xamã destemido tira o poder do mal despersonificando-o e aprendendo sobre ele. o xamã tece seus próprios sonhos desenvolvendo suas habilidades e assim. Manawa . sendo o presente o nosso tempo.Bênção. mais presentes nos faremos e mais frutos colheremos de nossas ações. ao tecer um sonho propiciou uma cura física e mental. quer pela palavra. 7º. Sebastião de Melo . 4º.Permissão. O xamã guerreiro personifica o mal lhe dando poder. Makia . objetivos. o aqui/agora e o agora/aqui são situações das quais tiramos todo proveito para nosso entendimento e compreensão e quanto mais atentos estivermos. autorizamos que tenha este poder. O xamã age de maneira diferente porque é capaz de abençoar o bem potencial através de desejos de sucesso às pessoas a quem se dirige.. estará usando o corpo físico como ferramenta para tecer um novo sonho e curar o espírito. estaremos abençoando. Aloha . Assim como podemos dar poder. também podemos tirar. fazendo assim. Esta situação é eficaz e a eficácia está na capacidade de tecer sonhos do xamã e das mudanças sofridas que manterão o indivíduo com suas novas crenças. poderemos sentir a bondade. imagem ou ação. enxergar a beleza e apreciar a perícia com que se age.3º. Ele usa essa habilidade para fazer suas curas que têm um sentido diferente das curas comuns. massageando. Isso pode ser feito com pessoas e objetos. O xamã massagista. houve uma cura corporal e no segundo. poderá ajudar os outros a tecerem seus sonhos. a focalização de Makia está nos dois níveis. assim. isto é. se conseguirmos reforçar o bem presente ou potencial. focalizar em sua mente suas intenções. só se consegue isso com a energização do que queremos atribuir poder. em todas nossas intenções.Focalização. um massagista. o que lhe dá maior eficiência em suas ações e uma maior capacidade de frustrações. aprendendo como conquistá-lo. para que qualquer coisa tenha poder. massageando o corpo de um paciente está usando suas mãos para curar o corpo físico do paciente. e se separarão novamente em sua própria origem. Tomai cuidado para que ninguém vos afaste do caminho.). para conduzi-la à sua origem”. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem. e falavam: “Como vamos pregar aos gentios o Evangelho do Reino do Filho do Homem? Se eles não O procuraram. . Quem o procurar. eles entregaram seus corações a Deus e começaram a conversar sobre as palavras do Salvador. que as coloque em prática. pregai o Evangelho do Reino. louvemos Sua grandeza.. Após Maria ter dito isso. Após dizer tudo isto partiu. e se estiverdes desanimados. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça”. senão sereis cerceados por elas”. e então. Antes. Prossegui agora. pois Sua graça estará inteiramente convosco e vos protegerá. todas as formações. saudou a todos dizendo: ”A paz esteja convosco. todas as criaturas estão unidas. nem hesiteis. Pedro lhe disse: “Já que nos explicaste tudo. e não te instituais como legislador. vão poupar a nós?” Maria Madalena levantou-se.Evangelho de Maria Madalena Fragmentos do Evangelho O Salvador disse: “Todas as espécies. Não estabeleçais outras regras. Quando o Filho de Deus assim falou. Recebei minha paz. quando os fazeis da mesma espécie que o adultério. pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. Mas eles estavam profundamente tristes. que se originou de algo contrário à Natureza Divina. A partir daí. elas dependem umas das outras. Segui-o. Por isso. todo o corpo se desequilibra. para a essência de cada espécie. Em seguida disse: “Por isso adoeceis e morreis (.. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça”. sois vós que os criais. dizendo: “Por aqui” ou “por lá”. Deus Pai veio para o meio de vós. procurai força nas diferentes manifestações da natureza. pois o Filho do Homem está dentro de vós. cumprimentou a todos e disse a seus irmãos: “Não vos lamentais nem sofrais. pois Ele nos preparou e nos fez homens”. que é chamado”pecado”. alem das que vos mostrei. A matéria produziu uma paixão sem igual. Aquele que compreende minhas palavras. dize-nos isso também: o que é o pecado do mundo?” Jesus disse: “Não há pecados. o encontrará. a alma foi embora. mas com a consciência (NOUS). Num mundo fui libertada de outro mundo. por não teres fraquejado ao me ver. conquistadora do espaço? ´A alma respondeu dizendo: ´O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado. as de que te lembras..Pedro disse a Maria: “Irmã. Eu. Pedro . “eu tive uma visão do Senhor e contei a Ele: “Mestre. mas te vejo subir. Não me viste. a sabedoria irada. a sétima. disse ela. chamada ignorância” A potência inquiriu a alma dizendo: ´Onde vais? Estás aprisionada à maldade. aquele que tem uma visão vê com a alma ou com o espírito?” Jesus respondeu e disse:”Não vê nem com a alma nem com o espírito.. a sexta. pois onde está a mente (NOUS) há um tesouro”. e meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. não aprisionei. Ele respondeu e me disse:”Bem aventurada sejas. Daqui em diante. ou aonde vais. Não fui reconhecida que o Todo se está desfazendo. a quinta. não acredito que o salvador tenha dito isso. já que pertences a mim? A alma respondeu e disse: ´Eu te vi. exultante de alegria.. é a vã sabedoria da carne. no entanto. “Quando a alma venceu a terceira potência subiu e viu a quarta potência. não julgues! ´E a alma disse: ´Por que me julgaste apesar de eu não haver julgado? Eu estava aprisionada. Depois de ter dito isso. Estás aprisionada. é o reino da carne. a quarta. Elas perguntaram à alma: De onde vens. E ela começou a falar essas palavras: “Eu”. Maria Madalena respondeu dizendo: “Esclarecerei a vós o que está oculto”. Usaste-me como acessório e não me reconheceste´. “De novo alcançou a terceira potência. pois esses ensinamentos carregam idéias estranhas”. Essas são as sete formas da potência ira. devoradora de homens. nem me reconheceste.. do reino eterno´”. num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento. desejo. que são transitórios. alcançarei em silêncio o final do tempo propício. ignorância. Conta-nos as palavras do Salvador. trevas. A primeira forma. a terceira.) E o desejo disse à alma: ´Não te vi descer. pois até aqui o salvador lhe tinha falado.. que está entre ambos assim é que tem a visão (. Eu lhe disse: “Mestre. Maria madalena se calou. Depois de dizer isso. Mas André respondeu e disse aos irmãos: “Dizei o que tendes para dizer sobre o que ela falou. de minha parte. apareceste-me hoje numa visão”. aquelas que só tu sabes e nós nem ouvimos”. tanto as coisas terrenas quanto as celestiais. sabemos que o Salvador te amava mais do que a qualquer outra mulher. que assumiu sete formas. Por que falas mentira. a comoção da morte. a segunda. sempre fostes exaltado. além das que o Salvador nos legou”. Aceitam sua figura como uma das pessoas convertidas por Jesus. meu irmão. e pregarmos o Evangelho. e também outros. daí seu nome. de Maria Madalena. talvez por ser uma figura controvertida dentro dos ensinamentos cristãos. e por isso. Por muito tempo só tivemos conhecimento dos quatro Evangelhos Sinópticos aprovados pelas igrejas cristãs. Ele os inquiriu sobre o Salvador: “Será que Ele realmente conversou em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Devemos mudar de opinião e ouvirmos ela? Ele a preferiu a nós?” Então Maria Madalena se lamentou e disse a Pedro: “Pedro. o atribuído a Maria Madalena. É antes. São os chamados Evangelhos Apócrifos. Foi através de um fragmento copta. eles começaram a sair para anunciar e pregar. Escolhemos o de Maria Madalena. conhecido como “Fragmentos do Evangelho de Maria Madalena”. Pedro. O destaque fica para a estranha parábola que Jesus conta para Maria Madalena. e tinha transito livre na corte de Herodes. Depois que Levi disse essas palavras. o que nos leva a crer que foi escrito possivelmente no século II. A partir de 1947 começaram a ser traduzidos fragmentos de outros Evangelhos como o de Tomé. o que estás pensando? Achas que inventei tudo isso no mau coração ou que estou mentindo sobre o Salvador?” Levi respondeu a Pedro: “Pedro.respondeu e falou sobre as mesmas coisas. Introdução: Neste artigo faremos uma interpretação de um dos Evangelhos Apócrifos. Foi traduzido de fragmentos encontrados em linguagem copta. Sendo judia não vivia de acordo com as leis deixadas por Moisés. origina-se do grego. mas apresentam-na como o símbolo da prostituta que se converteu pela graça do Mestre. sendo a fonte de inspiração a corrente gnóstica e cristã. como Ele nos mandou. não criando nenhuma regra ou lei. Fragmentos do Evangelho de Maria Madalena: Comentários “Este Evangelho foi escrito provavelmente no século II. mas não era molestada pelos fariseus por ser de família de grandes posses. o caso de nos envergonharmos e assumirmos o homem perfeito e nos separaremos. Mas se o Salvador a fez merecedora. . que ele chegou até nós. Era vista como a mais famosa cortesã de Magdala. Felipe. Daí tê-la amado mais do que a nós. Agora te vejo competindo com uma mulher como adversário. quem és tu para rejeita-la? Certamente o Salvador a conhece bem. Esta passagem ocorreu após sua crucificação”. quem sabe. praticando ações inusitadas. que nos permitem senti-lo de uma maneira livre e sem regras estabelecidas por qualquer doutrina cristã. É citada pelos evangelistas em algumas passagens onde mostravam sua dedicação a Jesus e em outra em que Pedro pergunta a Jesus porque sendo ela mulher não foi expulsa do grupo que O seguia. todas as criaturas estão unidas. elas dependem umas das outras. acompanhando-o até o final da crucificação. foi uma das pessoas mais próximas de Jesus. O Salvador disse: “Todas as espécies. Pelo que deixou em seu Evangelho não parece merecer a estigmatização dada pela igreja. Foi uma das pessoas que mais esteve ligada ao Mestre que. enviando-a aos apóstolos. Por uma questão didática serão citadas as passagens e logo em seguida a sua interpretação. ela absorveu esotericamente tais ensinamentos. e que só ela conhecia. ignorando os costumes e as críticas. após os três dias anunciados previamente. Seu Evangelho mostra uma grande elevação espiritual e o respeito que os apóstolos tinham para com ela. como uma pessoa que amava profundamente e foi este amor. 1. . pela primeira vez após a ressurreição. para dar a noticia de Sua volta. possamos Compreendê-lo melhor. a ponto de ser inquirida sobre as atitudes místicas ensinadas por Jesus e que só ela tinha conhecimento. Segundo Maria Madalena Interpretação: A seguir passaremos aos Fragmentos do Evangelho. pois a essência da matéria somente se separará de novo em sua própria essência. deixou que ela Lhe prestasse todas as homenagens que quis. Fragmentos do Evangelho. Comentaremos seu Evangelho dividindo-o em partes para que haja um maior entendimento dos ensinamentos de Jesus e. A figura de Maria Madalena. e se separarão novamente em sua própria origem. e é também citada como provável esposa de Jesus. todas as formações. que a fez transcender e passar a compreender realmente o que Ele ensinava. como veremos em uma das passagens abaixo. provavelmente devido ao relacionamento mais profundo entre os dois. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça”. desde uma cortesã ou prostituta. talvez seja a que mais polêmica causa e que é interpretada de várias maneiras. Foi para ela que Ele apareceu. Ele era seu raboni. No entanto. Procuraremos interpretá-lo segundo os ensinamentos trazidos pela Psicofilosofia Huna. demonstrando um afeto e admiração especial pelo Mestre.Fala-se muito pouco de sua influência no inicio do cristianismo. como nos mostra a pergunta de Pedro a Maria Madalena sobre alguns ensinamentos do Mestre. Quando atingir a quinta-essência (essência da essência) . No ser humano. Assim. os três espíritos (unihipili. sois vós que os criais. ou eu básico. Deus Pai veio para o meio de vós. Na manifestação acontece primeiro a individualização de cada espécie. os seres individualmente. para conduzi-la à sua origem”. Jesus disse: “Eu sou o caminho. uhane e aumakua – subconsciente consciente e superconsciente. com a finalidade de unificar harmonicamente pelo crescimento espiritual e a evolução. Isso mostra que ele não havia compreendido o que o . isso acontece através das reencarnações. Ela se diferencia conforme o reino a que pertence a manifestação. dentro de uma grande teia (teia-aka). Na origem torna-se a quintessência. Pedro como bom judeu e pescador não havia entendido ainda. A individualização existirá até que a matéria se diferencie no sentido da energia criadora purificando-se e atingindo um alto grau de crescimento e evolução. como energia divina. muitas vezes ditas por parábolas. É importante o uso que fez do termo “origem”. Em Huna é a volta da Criança de Tane ao Reino do Pai. Começa sua pergunta dizendo que Jesus já havia explicado tudo. de cada criatura. a própria essência. além da que sustenta por sua ação aglutinadora. quando tudo torna a ser essência. É a volta ao reino de onde se originou. Por isso. para chegarem à compreensão do Criador. por terem a mesma origem energética. e. toda manifestação está interligada e interdependente por ser proveniente dela. o sopro de Teave . com a perda da ignorância e dos outros desafios dos sete Princípios do xamanismo havaiano.estará liberto da condensação da energia (mana) que é o que denominamos de matéria. de onde se originou. vegetal e animal. que é chamado "pecado". e entre si. temos mana energia própria do reino mineral. vai surgindo a verdade libertadora que vai rarefazendo a matéria e nos aproximando da VIDA. despertando Mana. atingirão o grau de evolução máxima que nos liberta do ciclo de vida e morte a que estamos sujeitos.estado final de evolução . apesar de estarem unidas e interdependentes. isto é. de cada formação. Pedro lhe disse: “Já que nos explicaste tudo. para a essência de cada espécie. eu médio e eu superior). terão ouvidos para ouvir. dize-nos isso também: o que é o pecado do mundo? ”Jesus disse: Não há pecados. isto é. por só haver nesse estado. [1] 2. quando os fazeis da mesma espécie que o adultério. a verdade e a VIDA e só através de Mim se vai ao Pai”. quando foi criado à imagem e semelhança de Deus. Nesse caminho tudo está unido e interdependente.A Psicofilosofia Huna nos ensina que existe um Poder Divino dado pelo Supremo Ser (Teave) e que denominamos de Mana. a transformação da energia vital (mana) em Poder Divino (Mana). o Poder Divino. ele se torna energia que vitaliza tudo que existe no universo (mana). Assim. os mistérios que Jesus transmitia em suas palavras. Tendo a energia vitalizante a mesma origem. Somente Ele e a mulher permaneceram no local. Jesus cita o adultério . fruto das criações mentais provenientes de cada sociedade.). Em seguida disse: “Por isso adoeceis e morreis (. vivendo de sua essência. O que existe são criações humanas que justificam atitudes comportamentais do ser humano.. meta pregada por Jesus. costumes e pelas tradições trazidas pelas marcas mnêmicas como memórias genéticas programadas do sonho básico de vida de cada um. Em Aloha o julgamento que mantém os costumes. Coloca assim o crescimento e a evolução espiritual como uma situação em que somente o indivíduo é o responsável por seus pensamentos. é o amor que a Huna tem como Principio: Aloha (amar é compartilhar com. . a influência que sofre pela educação e criação não é determinante. falando claramente que cada um. valores e padrões arraigados nas memórias perde o sentido cultural de julgar. Jesus simplesmente responde que não há pecado . pecado é uma condição regional e cultural que segue as convenções de cada época. existem pecadores. Assim visto. isto é. que as coloque em prática. somente será conduzido ao reino dos céus quando estiver desperto. as respostas para suas dúvidas. que ainda não estavam suficientemente desenvolvidos para entender e sentir Seus ensinamentos. para entrar no compartilhar. na história das civilizações... de acordo com sua conserva cultural criada pelos valores morais. atitudes e ações. o que estava contra a tradição e as normas traçadas por seu Deus. que é tão maior quanto menos julgamento houver. mas cria facilidades ou dificuldades para o desenvolvimento e crescimento de seu sonho básico de vida. como referência de pecado. Como nos ensina a Huna.. a intenção é possivelmente a grande responsável pelo desenvolvimento de nosso crescimento no bom ou no mau sentido. que giravam em torno da tradição religiosa e da Boa Nova ensinada por Jesus. Não existe o pecado do mundo. Aquele que compreende minhas palavras. O amor é a tônica de suas pregações. nos preparando para um novo ciclo de vida. Coloca a vinda do Verbo Encarnado no meio de todos. será possível ser conduzido à sua origem. Ele sabia que não há pecado e a ela pediu que seguisse os costumes para não sofrer as conseqüências. dizendo: “Vá e vê se não pecas mais”. A mulher estava se relacionando amorosamente fora dos princípios do judaísmo. nas experiências do dia a dia. o que torna o ser humano mais compreensivo. como disse no primeiro trecho desse Evangelho (1 e 2). o que facilitaria o entendimento de Pedro e dos outros apóstolos.Mestre havia dito no trecho (1) citado acima. É a harmonia entre o criado e o Criador. em relação a si mesmo e aos outros. possivelmente por ser um dos mais graves entre os judeus. só assim. seja de que espécie for. Um exemplo típico é o da passagem em que os fariseus trazem uma adúltera para enredá-Lo em relação às leis mosaicas e Ele simples e humildemente diz: “Quem não tiver pecado atire a primeira pedra”. mas buscava entender pela conserva cultural. [2] [3] [4] 3.). provocadores dos desejos. as intenções podem conduzir ao entendimento do que disse Jesus. e se estiverdes desanimados. A desarmonia entre uhane (consciente)e unihipili (subconsciente) é a criadora do pecado (desvio do eixo) que causa as culpas e as doenças.A matéria produziu uma paixão sem igual. o grande Deus dos exércitos mantido por regras e uma disciplina rígida. Como é complicado colocar suas palavras em prática!! A matéria. o primeiro e mais difícil de ser trabalhado. conserva o ser humano preso aos usos e costumes. Nesse trecho Jesus coloca o pecado como sendo situações criadas pelo próprio homem que passa a ser o causador de seus males. Na busca do crescimento espiritual. que é o não crer em um Deus único de acordo com as leis judaicas. o adultério. Diz Ele que essa é a razão do desequilíbrio corporal que conduz à desarmonia trazendo o sofrimento. procrastinação. Pede Ele que se tenha coragem para buscar nas diferentes manifestações da natureza. principalmente no que se refere à ignorância. medo. Quanto mais se sente pecador. Essa é a razão por que vos digo: tende coragem. mas a compreensão de suas palavras só virá após a libertação dos desejos causados pelos desafios que estão nos sete princípios do xamanismo havaiano. estados diferentes de ignorância. conseqüência de sua intelectualização. confusão. suas doenças e de sua morte. a força para se acabar com o desânimo provocado pela insatisfação das buscas puramente intelectuais. que se originou de algo contrário à Natureza Divina. mantendo o homem como o criador de seus pecados. reformulando e contribuindo para formação das memórias aprendidas ou experienciais. Ignorância como clareamento da visão interior. e dúvida. fruto do pensamento produz uma paixão sem igual que mantém a densidade da energia mana. todo o corpo se desequilibra. Criou-se assim. É . limitação. no ciclo das sucessivas reencarnações. os quais conduzem às ações boas ou ruins. em busca de mudanças. quando for capaz de entender que não há certo e errado. e não somente como conhecimento intelectual. em relação a si mesmo e aos outros. O pensamento é a grande arma que tem o ser humano para o cumprimento de seu sonho básico de vida (sua vida atual). a qual. A partir daí. o grande pecado. mais culpado será e a conseqüência será o sofrimento como o redentor das culpas e também da busca da felicidade. procurai força nas diferentes manifestações da natureza. situação que o ser humano interioriza trazendo do exterior a ilusão de se livrar da dor e ter prazer. analisando. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça”. mas sim. Essa situação mantém o ciclo de vida e morte. Só se liberta das culpas quando não se acredita no pecado como causador das diferenças humanas. Isso não permite ao uhane se concentrar na natureza divina que habita em cada um. isso desenvolve ou retarda o crescimento e a evolução. raiva. regidas por um moralismo exacerbado feito de julgamentos e penas. na vivência de diferentes sonhos básicos de vida. o grande adultério das convicções que estabelecem a permanência das idéias que criam uma crença imutável. uhane e aumakua) pode-se procurar Sua paz e. o encontrará. alertando-os de que a procura tem de ser interna. criando condições de entender e sentir o Evangelho. encontrá-la. e então. paixão e morte e se intitulando Filho de Deus. Mostra que as coisas vindas do exterior distanciam o ser humano da busca do aumakua. A observação e a vivência com a natureza nos mostram a nossa impermanência e a da natureza. Prossegui agora. Recebei minha paz.interessante o apelo que faz em relação à força da natureza em nossas vidas. isto é. criando possibilidades de compreender suas palavras e criar a harmonia. se poderá enviar ao unihipili dados para reformulação das memórias que conduzirão na direção da natureza divina. apaziguou os discípulos dando-lhes Sua paz. e onde devemos buscar realmente as condições que contribuem para que nosso crescimento aconteça com mais facilidade. Essa tarefa deve ser a mais difícil de todas. pois ter-se-á que despojar de valores. Para isso adverte que terão essa paz se não se afastarem do caminho. oralmente transmitidas em suas tradições e lendas. e não te instituais como legislador. por meio das verdades trazidas pelos mestres kahunas. renunciar ao poder que se adquire com um status social e mesmo religioso. causadoras inclusive. onde tudo se modifica a cada instante vivenciado. saudou a todos dizendo: ”A paz esteja convosco. das mortes. pois o Filho do Homem está dentro de vós. além das que vos mostrei. nada melhor do que se expor criando coragem para levar publicamente tudo o que aprendeu e sentiu com Ele. Somente com a harmonia entre os três espíritos (unihipili. tornando-se . dizendo: Por aqui ou por lá. Quem o procurar. pregai o Evangelho do Reino. o que nos livrará das doenças causadas pelos pecados criados com as ações desordenadas. Não estabeleçais outras regras. por isso. como também ensina a Psicofilosofia Huna. Tomai cuidado para que ninguém vos afaste do caminho. o Eu Superior que habita em todos e em tudo. passa a ser a verdade que traz a nossa paz interior. Esses ensinamentos são muito semelhantes aos trazidos por Jesus e. 4. que chegaram até nós pelo Livro da Criação (Tumuripo ou modernamente Kumulipo). para isso. Quem tem ouvidos para ouvir que ouça. onde tudo se realiza de acordo com as leis divinas. quem dá prosseguimento aos ensinamentos de Jesus. Quando o Filho de Deus assim falou. harmonizando os dois espíritos (uhane e unihipili) responsáveis pela busca da harmonia interior. Assim como seus discípulos. Após dizer tudo isto partiu. nos possibilita entendê-los trazendo um vislumbre da paz que se pode conseguir. Só assim. Segui-o. inicia um novo caminho onde o importante é ter desenvolvido o máximo possível o sonho básico de vida. Após os ensinamentos dados acima (3) sobre pecado. doença. senão sereis cerceados por elas”. vão poupar a nós?” Maria Madalena levantou-se. como legisladores de Suas palavras e são guiados pela vaidade da falsa humildade própria dos doutrinadores que já se sentem donos da verdade e proprietários do caminho que conduz ao céu. o que era suficiente para sustentar suas ações daí em diante. Mas eles estavam profundamente tristes. pois Ele nos preparou e nos fez homens”. “Após dizer tudo isso partiu”. 5. impedindo que vejam a trave que ainda existe em seus olhos. não há necessidade de se criar outras teorias que provoquem a ilusão do crescimento. e. cumprimentou a todos e disse a seus irmãos: “Não vos lamentais nem sofrais. Foi necessário que uma voz se levantasse entre eles e mostrasse que quem tem fé sem dúvida nada tem a temer e que não precisavam sofrer. sem subterfúgios enganadores. mas que não tinham compreendido por ignorância . Após Maria ter dito isso. não permitindo ao ser humano alcançar um grau de desenvolvimento e crescimento espiritual que conduza à compreensão da consciência divina que habita em tudo. em relação à pregação do Evangelho. eles entregaram seus corações a Deus e começaram a conversar sobre as palavras do Salvador. o que provoca o medo. por isso. pedra angular de seus ensinamentos. Essa situação conduz à paixão que é despertada por crenças e doutrinas guiadas essencialmente pelo intelectualismo religioso. ela desligou-se da figura humana de Jesus e passou a compreender seu papel nessa nova missão renovadora. No caso deles um grande medo de sofrer perseguições. se não houvesse hesitação seriam merecedores da graça que Ele havia dado a todos. do que como novos discípulos que iriam espalhar o Evangelho entre os gentios. Os princípios da psicofilosofia Huna nos mostram as verdades trazidas por Jesus.. sentindo-se abandonados à sua própria sorte.simplesmente o que Ele disse aos discípulos: “Sede transeuntes!” “Evangelho de Thomé passagem 42” . premissa para:”Eu vos dou Minha paz”. nem hesiteis. O afastamento da presença de Jesus provocou nos apóstolos a insegurança gerada pela dúvida que tinham em relação às suas possibilidades de dar prosseguimento ao que aprenderam. Quando ela fala. que reforçou o valor do amor (aloha). mas que ainda não se libertaram dos desejos causados pela ignorância e outros desafios. Indubitavelmente o que se está criando são condutas de ação. e que. louvemos Sua grandeza. Muitas vezes são pessoas de boa vontade. Antes.falta de clareza de uma visão interior -. e converter judeus. “sua graça estará inteiramente convosco”. Suas regras são simples e diretas. Essa parece ter sido a primeira . Reagiram mais como judeus. e falavam: “Como vamos pregar aos gentios o Evangelho do Reino do Filho do Homem? Se eles não O procuraram. pois Sua graça estará inteiramente convosco e vos protegerá. Não entendeu quando ela incentivou todos a pregar o Evangelho dizendo: ”Antes louvemos Sua grandeza. nessa passagem mostra que era a mais fervorosa das pessoas a ponto de compreender o significado real de ser homem. abolindo o sentido sexual do ser humano homem/mulher o que não era entendido pelos apóstolos como bons judeus. Naquele momento. era a purificação pela compreensão das revelações feitas por Jesus. como dissemos acima. aquelas que só tu sabes e nós nem ouvimos”. único. perderam o medo e passaram a conversar sobre o que ela lhes havia dito. aqui/agora. revigorando-os para cumprirem suas missões. tornando-se um ser universal. mas do indivíduo que alcançou a graça da compreensão dos ensinamentos deixados por Ele. teimando em ver Maria Madalena como a mulher mais amada pelo Mestre. O sentido de “homem” aqui não tem a conotação de masculino em relação ao feminino. despertando a vontade com a mudança para novos padrões de vida. Maria teria sido a primeira a pregar o Evangelho preparando-os para o dia de Pentecostes? 6. não existe mais na pessoa o masculino e o feminino. tendo uma nova percepção momentânea de tudo. sabemos que o Salvador te amava mais do que a qualquer outra mulher. tudo muda de sentido e ela surge de maneira diferente através de suas próprias palavras. cuja curiosidade despertou seu interesse para saber se Jesus havia dito a ela mais coisas que diminuiria sua insegurança e satisfaria seus . as de que te lembras. Pedro disse a Maria: “Irmã. pois Ele nos preparou e nos fez homens”. Pedro queixou-se em outra passagem evangélica (“Evangelho de Thomé. a de se considerar homem. mas seus padrões ainda não tinham mudado como veremos adiante. unindo o uno ao verso. por ser mulher”). Pedro era somente um homem de boa vontade. que contribuiriam para o cumprimento de suas missões. perdendo o medo e abrindo seus corações para receberem as novas e as reformuladas memórias para execução de suas ações. Foi tão grande a influência provocada pelas palavras de Maria Madalena que eles se acalmaram. Conta-nos as palavras do Salvador. Foram acrescentados às suas memórias novos pensamentos. passa agora pela fé e a crença de uma nova realidade. harmonizando-os com o unihipili que passou a sentir nessa nova maneira de ser. um grande prazer vindo de uma nova fé criada pela reformulação das memórias. mostrando-se preparada por Ele que transformou-a e a todos fez homens.pregação evangélica feita e foi dirigida aos apóstolos. passagem 114” dizendo que Jesus deveria expulsar Maria Madalena do grupo. principalmente ela. Ela procurou colocar em ordem o seu uhane e o uhane de cada um. Pedro volta a ter os mesmos pensamentos. Ela que em outros evangelhos era um símbolo sexual feminino. pela modificação dos valores da conserva cultural. pois onde está a mente há um tesouro”. daí suas perguntas. a fim de que pudessem cumprir suas novas missões em relação à propagação do Evangelho. Ele respondeu e me disse: “Bem aventurada sejas. pois seu esclarecimento é ilimitado. aquele que tem uma visão vê com a alma ou com o espírito?” Jesus respondeu e disse:”Não vê nem com a alma nem com o espírito.) Começou a criar em Pedro e nos outros. por razões que só a Ele pertenciam. mostra sua descrença ou ignorância. pois joga com o amor de Jesus pelas mulheres.. mostrando ser tudo uma revelação. mas com a consciência. Maria Madalena respondeu dizendo: “Esclarecerei a vós o que está oculto”. torna-se luz. ainda não tinha ouvidos para ouvir. quando toma consciência dessa visão que Ele disse estar . o que minimizava a sensação de perigo. Sabia como era a percepção dos discípulos quando diz: “Esclarecerei a vós o que está oculto”. E ela começou a falar essas palavras: “Eu”. condições para iniciar suas missões. pois estava compartilhando e não julgava mais. Sua pergunta é capciosa. Eu lhe disse: “Mestre. Pedro como conta os Evangelhos passou por várias outras provas para atingir um grau de compreensão dos ensinamentos do Mestre. o que permite compartilhar com os apóstolos a bênção recebida do Mestre. não há mais ignorância e. Em sua resposta deixa bem claro que. sabe que todo poder vem de dentro por ter permitido que os ensinamentos recebidos aflorem e tome conta de seu ser. 7. disse ela. Pedro não percebeu que o que ela já lhes havia dito eram palavras que só a ela Ele tinha revelado. o que está dizendo foi fruto de uma visão com o Senhor. como vimos acima e veremos depois. apareceste-me hoje numa visão”. Jesus plantou a semente em seus discípulos e cada um recebeu de acordo com suas possibilidades. sentir e mostrar seus ensinamentos. diferenciando Maria Madalena como a preferida. Incentiva-os sem valorizar as críticas de Pedro e dos demais.. Ele sempre dizia: “Quem tem ouvidos para ouvir ouça”. Sabia também de sua capacidade para instruí-los. sabe que seu momento de poder é agora. sua energia segue o fluxo do pensamento por uma focalização única. foi porque achou que só ela naquela ocasião seria capaz de compreender. Estava imbuída pelo espírito de Aloha. Se só a Maria Madalena Ele disse.desejos para prosseguir no caminho do Senhor. Pedro até então. e deu aos discípulos a força para cultivar essa terra onde estava plantada essa semente. por estar inteiramente presente no aqui/agora. Revelação requer uma linguagem mística que vem de uma percepção diferente. que está entre ambos assim é que tem a visão (. por não teres fraquejado ao me ver. Não existem mais dúvidas. “o mundo é o que você pensa que ele é”. o Primeiro Principio para ela. revelou-lhes o que só ela sabia. Maria Madalena foi a primeira a regar essa semente que iria desenvolver a árvore do amor evangélico. “eu tive uma visão do Senhor e contei a Ele: ”Mestre. a visão é clara. A pergunta de Maria sobre como acontece uma visão mostra seu interesse e a compreensão que tem do estado da alma e do espírito em evolução. com aumakua forma o Eu Superior. Essa é a mente que não fraqueja. depois de Sua morte).entre a alma e o espírito. quando a vontade é traduzida por pensamentos dignos de crescimento e evolução. A consciência estando entre ambos. mas sua manifestação sendo de origem divina. por ter desaparecido outros fragmentos . dos sonhos aprendidos e apreendidos com os ensinamentos de Jesus e do Cristo. mas acima de tudo compreender o sentido da revelação. ou em ocasiões em que se distanciam tanto da teia-aka que poderão se perder no emaranhado das confusões criadas. mas que possivelmente se perderam. Ignorava ainda que. tudo acontece através das memórias gravadas no unihipili. referindose à atitude de Maria Madalena diante da visão. de acordo com seus sonhos básicos de vida. isso mostra que a visão é uma situação em que o pensamento torna-se co-criador com o mensageiro divino e por isso é capaz não só de entender. por já estar vivendo diretamente da criatividade de aumakua e a transmissão é direta por não ter mais o unihipili as memórias que fazem com que uhane fraqueje com pensamentos cheios de dúvidas. dentro das condições de cada um. Ela percebe claramente o sentido dos Sete Princípios que estão ampliados na Boa Nova. como estava acontecendo com alguns dos apóstolos citados. Responde Ele que não é atributo de nenhum dos dois (alma e espírito). Infelizmente ela teria dito outras coisas a mais. mas é uma condição em que só havendo a total harmonia entre os dois espíritos (unihipili e uhane) é possível a manifestação por obra e graça da consciência . para que eles não as conspurquem”. contribuindo para que este poder penetrasse neles. apesar da harmonia reinante entre unihipili e uhane. nada lhe seria revelado.Mana’o I’o (estado em que existe a fé sem dúvida que cria uma crença inabalável) -. essa alma não sabia o que realmente era uma visão. e ela não teria o poder de também transmitir aos outros. Se Maria Madalena não tivesse criado as condições necessárias para essa compreensão. torna-se um tesouro. tem que ser uma mente aberta e preparada para receber as verdades reveladas que assim. Termina dizendo que é assim que se tem a visão. Este distanciamento é uma situação de pecado. Uma mente como relata Maria Madalena. Sabemos que o centro da consciência faz parte do invisível que habita no ser humano e que age harmonizando as ações. que nos guia em direção ao todo da teia-aka da Huna. Ensina que onde está a mente há um tesouro. Isso é a eficácia que é a medida da verdade nos que evoluíram a ponto de se tornarem verdadeiros tecelões de sonhos. tem ação sobre os dois. não é mais a mente que Ele se refere quando diz: “Não se deve dar pérolas aos porcos. só interfere quando se harmonizam. isto é. Chama-a de bem-aventurada por não ter fraquejado ao Vê-lo (o que não aconteceu nas vezes em que apareceu aos apóstolos. no sentido crístico das coisas. Não me viste. Depois de dizer isso. ignorância. a alma foi embora. São os desafios a serem vencidos para a compreensão dos talentos e dos princípios do xamanismo havaiano. Usaste-me como acessório e não me reconheceste”. Começa com um diálogo entre o desejo . alcançarei em silêncio o final do tempo propício.ou quem sabe. que são transitórios. mas o essencial para nossa compreensão foi relatado. Elas perguntaram à alma: De onde vens. a quinta é o reino da carne. Isso fica a critério de cada um. E meu desejo foi consumido e a ignorância morreu. Não fui reconhecida que o Todo se está desfazendo. E o desejo disse à alma: Não te vi descer. Maria Madalena fala em quarta potência. a sabedoria irada”. a quarta. não aprisionei. Num mundo fui libertada de outro mundo. tanto as coisas terrenas quanto as celestiais. nem me reconheceste. não julgues! E a alma disse: Por que me julgaste apesar de eu não haver julgado? Eu estava aprisionada. desejo. no entanto. por não ser ainda hora de ser revelado. exultante de alegria. vão se lapidando até chegar à compreensão de si mesmo. que são memórias adquiridas nas várias reencarnações. ou aonde vais. num tipo fui libertada de um tipo celestial e também dos grilhões do esquecimento. tão bem colocados por ela como ensinamentos de Jesus. que assumiu sete formas. de acordo com sua fé e suas crenças. “De novo alcançou a terceira potência. Estás aprisionada. A primeira forma. chamada ignorância” A potência inquiriu a alma dizendo: Onde vais? Estás aprisionada à maldade. a comoção da morte. místico e ético que nos parece só ter sido dito por ela. Por que falas mentira. Daqui em diante. São situações relacionadas com os problemas defrontados pelo ser humano diante das diversas situações criadas durante o sonho básico de vida e. trevas. .a quem chama de potência e a alma. mas começa com o desejo e a seguir entra na terceira potência. Na própria seqüência da narrativa parece ter faltado alguma coisa. a terceira. conquistadora do espaço? A alma respondeu dizendo: “O que me subjugava foi eliminado e o que me fazia voltar foi derrotado. a sexta é a vã sabedoria da carne. do reino eterno”. devoradora de homens. 8. a sétima.. terá que agir e interagir para se libertar e alcançar um grau de crescimento e evolução em que todas essas potências. a segunda.. mas te vejo subir. com os quais. A narrativa da visão de Maria Madalena continua trazendo novos conhecimentos de cunho filosófico. “Quando a alma venceu a terceira potência subiu e viu a quarta potência. já que pertences a mim? A alma respondeu e disse: “Eu te vi. diante do todo.. Essas são as sete formas da potência ira. mas vistos de fora para dentro. sem que ele o soubesse.pelas vivências e experiências do dia a dia. Estava plantada a primeira semente do crescimento espiritual. só surgem conforme vão se formando as formas-pensamentos desenvolvidas pelo uhane. Na ignorância a visão é nula ou sem clareza. sejam manifestações de fato ou pensamentos ilusórios. provocam desejos que traduzidos pelos pensamentos. A alma se . vai criando . reencarnar. mesmo não sendo reconhecida. Começa a dar ao desejo representado pelas memórias do unihipili e a imaginação do uhane . o que mostra uma desarmonia muito grande que leva à insatisfação e sofrimento que lhe são próprios. assim. daí necessitar da proteção e ajuda das pessoas para sua sobrevivência. as memórias aprendidas ou experienciais que são memórias de ação. Não há clareza de visão e as ações estão a mercê da ignorância espiritual. próprias de cada espécie. seu desenvolvimento é anatomofisiológico.O desejo vem implícito nas memórias genéticas programadas do sonho básico de vida. é o desenvolvimento do apego que leva ao determinismo da posse. por estar a primeira fase do sonho básico de vida sujeito às memórias genéticas programadas. Não há manifestação do desejo sem um pensamento que o propicie.para que possa ao nascer iniciar seu novo ciclo de vida -. parece lhe pertencer. Tudo que o desejo não percebe lhe parece uma mentira e. em relação às experiências vividas dentro da ignorância. pensa ser dono de tudo que deseja. Não tendo conscientizado seu estado espiritual e divino.a primeira lição de sua existência -. É a grande devoradora de homens através das sucessivas reencarnações. mas sem aceitar as condições existentes. indutor da pergunta: ”Não te vi descer. o que causou grande alegria a essa alma que viu os espíritos darem o primeiro passo na sua longa escalada rumo à realidade divina. tudo está aprisionado à maldade. Num escalar incessante e progressivo a alma agora procura outra potência sabendo que enquanto houver a ignorância. mas que ela tudo viu. que são ações provocadas pelo desvio do eixo principal do sonho básico de vida. o que causa as limitações. mas que ele vem de fora e atribui à alma essa função julgadora. e. no entendimento da ignorância simboliza os primeiros sinais de uma percepção que à sua maneira já pede socorro. A alma ciente de suas atribuições. Diz-se que “a ignorância é a mãe de todos os vícios”. formulam novos e mais intensos desejos. A alma que estava indo embora. mas somente a ilusão dos fatos. a liberdade de ação não existirá em realidade. e vai surgindo conforme vai atuando o uhane. Começa-se a perceber que existe um julgamento. mas agora te vejo subir”. que desenvolvem o poder pelo intelecto. Assim sendo. dentro de um comportamento próprio de cada indivíduo. que aproveitando as memórias genéticas. no entanto diz que foi usada pelo desejo. responde não ter sido vista nem reconhecida. O desejo não viu a alma descer. não há o entendimento entre o desenvolvimento das memórias do unihipili e as decisões do uhane. isto é. inicialmente dentro de um desejo traçado somente para o desenvolvimento na vida fetal . o que deseja. por isso. . está formado um novo viver no aqui/agora.que poderá trazer modificações no julgamento. essas sete formas pertencem ao reino do deus MIRU. É o plano espiritual dos seres reencarnantes. o reino dos mortos para onde dizem os Evangelhos. quando inicia o clarear da visão. Com a percepção da quarta potência o ser humano começa a se preparar para receber ensinamentos. dizendo que “tudo está se desfazendo”. devido à comoção da morte.quando disse que – “se desfez o todo das coisas terrenas e celestiais” -. onde estão gravadas todas as memórias do sonho básico de vida. conhecimentos que podem ser enquadrados dentro do que trouxe Maria Madalena.mesmo que distorcida . sem perceber que iniciou um novo caminho. Está plantada uma outra semente. através de sua mitologia. Sentiu-se vitoriosa e seguiu seu caminho chegando à quarta potência. que nos retém no ciclo de vida e morte sucessivas. só que ela não percebeu. que poderão lhe mostrar haver novos caminhos nas futuras reencarnações. onde o reino da carne impera como senhor absoluto e cria poderes ilusórios de permanência com o aprendizado intelectual. Interessante notar o que adverte a alma à ignorância. do poder. por significar a perda total do apego e da posse em relação ao corpo humano. provocada pela sensação da perda do todo adquirido. são as sete formas da quarta potência ira. em cada sonho básico de vida. o medo e a dúvida. Essa é a roda viva dos desafios por onde teremos de passar até que a alma possa subir livre do desejo e das potências. mas tudo se transforma. O intelecto cria a vã sabedoria da carne. Com os dados acima mencionados por Maria Madalena . a raiva. Jesus desceu após a morte. por perder a ignorância seu apoio exterior: a limitação. Ensina a psicofilosofia Huna. sem perceber que nada se perde.deixa aprisionar por saber que só assim é possível despertar uma percepção . até a comoção da morte que traz a sabedoria irada. a procrastinação. Este reino simboliza o plano das almas em crescimento desde as que pertencem às trevas e que são conduzidas pelo desejo à ignorância. da riqueza. ambos caminham juntos no aprendizado da vida. possivelmente a limitação que trava todo desenvolvimento e crescimento. situação que mais impressiona e causa medo ao ser humano. Dentro da mitologia havaiana. estava aberto o caminho para o reconhecimento de todas as mazelas criadas pelo desejo e a ignorância. cria o que Maria Madalena em sua visão chamou de sabedoria irada. apresentando à quarta potência sete formas a serem vencidas para o crescimento e a evolução espiritual e compreensão da alma.e a ignorância surgida pelo desejo. Nota-se uma seqüência iniciando pela treva total – ausência de visão . até as que possuem grandes desejos e que cresceram enriquecendo o unihipili e uhane de conhecimentos intelectuais em todos os sentidos da vida. inclusive com a quarta potência e suas sete formas. que estão arraigadas às ações provocadas pela ignorância. a confusão. chegando à comoção da morte. A ignorância quer reter a alma. A percepção da perda do conhecimento. A partir daí. Estamos estendendo nossos comentários mostrando parte da mitologia havaiana. criou Tane. alegria e tranqüilidade espiritual e que não firam. O desejo passou a fazer parte da criação com manifestações de tendências primitivas fazendo crescer o que havia na terra e sob encargo de Tu. sob orientação de Tane (o gerador masculino da criação) tudo se organizou. As criaturas cresceram e evoluíram nas trevas. juntamente com Na’Vahine (a geradora feminina da divindade manifestada). surgindo o Deus Pai/Mãe. o Senhor do Pacifico Sul e da noite. por falta de uma clareza de visão. com a intenção de mostrar a importância da missão de Maria Madalena junto a Jesus. Estava formada a polaridade divina que produziria as manifestações. o deus da Natureza. Saindo das trevas com um desejo natural de crescimento. distribuindo o universo entre os quatro. não há nenhuma intenção de buscar novas formas religiosas. o senhor do Norte. sob a orientação de Tu. a luz solar que passou a ser o fator primordial de vida terrena. a companheira de Tane. Para esse crescimento havia necessidade de que as trevas se dissipassem e para isso. através de Jesus. Delas tudo se originou em termos de manifestação. e sua filha a deusa Na’Vahine. seu Filho dileto. pela vontade do Supremo (Teave) que com Seu sopro Divino (Mana). sob a benevolência de Tu. como os trazidos por Maria Madalena. senhor do Leste. Tane/Na’Vahine criou seus três primeiros filhos (Tanaroa. nem legislar sobre o tema. a seleção . criaram através dos raios solares e do calor da terra. Das trevas surgiu o desejo como segunda potência. Durante algumas eras as diferenciações foram acontecendo e as coisas se organizando conforme as necessidades de cada criatura. de onde tudo surgiu. Da luz de Rono surgiram as plantas medicinais que curariam os seres no futuro. As filhas eram (Tapo. das colheitas e membro do Tribunal Divino. Tu em concordância com Rono o deus do Sol. mas mostrar que os caminhos são vários e o importante é que se esteja ligado aos ensinamentos que geram paz. para que as manifestações pudessem aos poucos ser criadas e organizadas em Po e depois em Ao (plano das manifestações). Acontecendo assim. juntamente com sua companheira Hina. migrando parte dessas criações para a terra. vegetais e animais. o Deus que existe.Pelos ensinamentos Huna. As trevas foram se organizando sob a regência de Tanaroa. manifestando-se como minerais. acredita-se que as trevas são a primeira potência (caos de Po – planos invisíveis-). A cada um deles uniu-se uma deusa criada por Tane e Na’Vahine. Os quatro deuses são os quatro geradores masculinos da criação. sob as diferentes formas de vida. Rata e Hina). mas numa total ignorância sobre o que era crescer no sentido divino. o deus das colheitas. impulsionadas por um desejo de crescimento natural e foram se aperfeiçoando conforme as necessidades de sobrevivência que a terra propiciava. foram se diferenciando em sua natural ignorância e surgiram as espécies que cresciam e tomavam conhecimento para sua sobrevivência. sua Companheira divina. Rono e Tu). segundo a narração . mostrando que quando estamos sob a influência da ira. sob a forma de Jesus. percebendo que. Juntas. é o Verbo que se fez carne e habitou entre nós. Tane/Na’Vahine é o Deus que existe. o reino dos mortos. já pressente que há algo mais que não foi decifrado e que incomoda muito. Regressam nas novas manifestações corporais até que se purifiquem e não mais tenham necessidade do ciclo de vida e morte nessa morada da casa do Pai. devorava os homens através da morte e sucessivas reencarnações. até que perceba outras formas de ação e de pensar. surgiu o ser humano com o uhane. passamos por essas sete formas de ação. o Cristo. irão para o reino de Miru. adquiriu condições diferentes de manifestação: é o ser pensante com raciocínio dedutivo e indutivo. Creio que por isso Jesus enfatizou tanto nessa visão de Maria Madalena. enquanto estão sob a influência das quatro potências. mas pergunta agressivamente. . Com isso. No início havia uma ira instintiva de sobrevivência que foi se aperfeiçoando. para um novo aprendizado. até atingir esse ser criado de forma diferente por possuir algo mais. o Filho do Pai. induzindo-a às ações. Esse é o grande sinal da impermanência a que estamos submetidos nas reencarnações. de forma irada e já demonstrando alguma sabedoria possivelmente com a curiosidade própria do intelecto que cresceu e não teve as respostas desejadas -. delas absorvendo as potências. Ele deu novo impulso ao conhecimento Huna pregando o amor de Aloha e o não ferir e falando de um Pai que está nos céus. o que o diferencia de todos os seres da natureza terrestre. as sete formas da quarta potência perguntaram à alma. mas que bem no fundo. com todas suas formas. Conseguiu se sobrepor às demais criaturas. A explanação Huna sobre essa passagem tem como finalidade ligar os ensinamentos de Jesus com os ensinamentos Huna.. que usou e ainda usa com a sétima potência (sabedoria irada). . que o diferenciava do restante da criação manifestada. onde predominará a ética da fraternidade.natural por transmutações e o desaparecimento daquelas espécies. que não eram mais necessárias para o desenvolvimento da terra. Tane reservou para Si o reino do Oeste. vislumbrava que a alma vinha. o Grande Aumakua da humanidade e de tudo que foi criado. mostrando que o invisível sob a forma de espíritos. deveria ir para algum plano conquistando o espaço. Essa interrogação mostra que o homem é devorado para conquistar novos espaços numa situação invisível. É um aprendizado difícil e doloroso próprio do ser humano. apesar de devoradora de homens. Quer saber. Possuía as trevas por ignorar seu estado diferente e natural de criatura com uma qualidade pensante. essas quatro potências. por onde saem as almas dos que morrem e que. apesar de já possuir o discernimento para crescer e evoluir no sentido divino que é sua razão de ser. de onde retorna acrescido de novas memórias preparadas depois da comoção da morte. o que traz frustração e começa a duvidar de sua ilusória sabedoria. e a perda da dispersão do uhane. num sentir puro e sem maiores conceituações. isto é. chegou à condição do ser trino. já vislumbra que existe algo que o conduz a um amor diferente. Cremos que é fruto da reformulação constante das memórias do unihipili em cada sonho básico de vida. o que não aconteceu com os discípulos. em um novo sonho básico de vida. o desejo é a mola que impulsiona o ser humano no sentido de perceber o outro. Está dizendo que um mundo de crescimento e evolução libertou-a de outros mundos por onde passou em sua trajetória evolutiva. até então. se cria uma nova possibilidade de. o ser ideal que compreende a religiosidade que há dentro de si. Cremos que essa foi a situação que alcançou Maria Madalena no convívio com Jesus. Em Huna seria o despertar de Aloha: É a bênção divina. No entanto. Percebe agora. por ter perdido as memórias que provocavam sentimentos advindos de passados remotos e que pareciam estar esquecidos. sentindo ser parte dele. conservada pelos kahunas através dos milênios. atingindo um grau evolutivo que a libertou de um tipo celestial intelectualizado . um desejo de unidade. O Homo sapiens morreu e dele ressurgiu a alma com toda sua potência celestial. Até aqui. sem ter se fundido. mas procurar entender melhor seus pensamentos. como se procurasse sua outra metade. a ponto de se dizer homem. que traduz o antigo conhecimento deixado pelos antigos mestres (naacals) do desaparecido Continente de Mu. que não há mais união de metades. até não necessitar mais de liberdade.criado pelo próprio homem -. tinha sido eliminado pela perda das memórias que provocavam os desejos de fusão e da sabedoria irada em suas sete formas. terminava assim. e mostrada por Jesus na pregação do amor. Era uma alma que atingiu a percepção celestial de acordo com suas necessidades de crescimento. livrando-se das posses dadas pelos desejos e a ignorância. A alma responde mostrando claramente que o que a subjugava e a afastava da teia-aka (o todo) promovendo as reencarnações. agora busca em sua inteireza atingir o todo. mas separado dele. se consegue focalizar a realidade dada pela verdade pregada por Jesus. eram verdadeiros grilhões . que propicia um desejo de aliança. assim. nas trevas. Parece que só ela desfrutou dessa situação. é o desejo de fusão com o outro. com a ignorância que a fazia continuar no ciclo de vida e morte. essa é a luta que o homem trava consigo mesmo até sentir que não precisa lutar para fazer as coisas. ambas vindas das trevas. para se completar no amor. sem perder sua identidade. no convívio do dia a dia. pessoas inteiras que se relacionam e que não mais buscam se diluírem no todo. não necessitava mais de outras crenças religiosas. sentimentos e desenvolver o desapego. senão as por Ele deixadas nos Evangelhos.Assim. quando Jesus fala: “muitas são as moradas na casa do Pai”. mas sim. despertada pelos ensinamentos dados pelo Mestre. isto é. crescer e apagar aos poucos dos espíritos (uhane e unihipili). possíveis criadores da psicofilosofia Huna. ainda está embriagado pelas coisas manifestadas. de acordo com a passagem evangélica. as sete formas da ira. o que eles nunca tinham ouvido do Mestre. próprias dos espíritos em crescimento e evolução. seria capaz de transmitir. por permanecermos somente com uma visão intelectual que nos mostra as partes. além das que vos mostrei. elas por si. se fugirmos disso. Diz que essa situação deve ser vivenciada. procrastinação. pois esses ensinamentos carregam idéias estranhas”. Eu. Esses ensinamentos da visão de Maria Madalena eram muito profundos para aqueles homens fieis à figura humana de Jesus. isso mostra que ela estava falando através do salvador. Mas André respondeu e disse aos irmãos: “Dizei o que tendes para dizer sobre o que ela falou. Até aqui falou o Salvador! 10. Pedro respondeu e falou sobre as mesmas coisas. estando eles ali. onde se cria as formas-pensamentos de duração transitória. mas é impermanente. nos tornaremos reféns de doutrinas que nos torna legisladores e não seguidores verdadeiros. Era uma tarefa que estava além de suas possibilidades atuais e como bons judeus. A alma atingiu o estado de graça e. a base de Seus ensinamentos. até a volta para o reino eterno quando tudo é e nada existe. Daí em diante é o silêncio. como tudo que é manifestado no invisível ou nas imagens concretizadas pelo pensamento em Ao. senão sereis cerceados por elas”. Este é o ágape em se falando de amor Ai termina a visão de Maria Madalena que se calou. confusão. “Será que Ele realmente conversou em particular com uma mulher e não abertamente conosco? Devemos mudar de opinião e ouvirmos ela? Ele a preferiu a nós?”. Depois de ter dito isso. Como judeus conheciam as regras de . limitações. Eles ainda não conseguiam compreender como o Mestre iria falar tudo isso através de uma mulher – apesar dela ter dito também ser homem -. Ele os inquiriu sobre o Salvador. não acredito que o salvador tenha dito isso. Maria Madalena se calou. ela estava revelando verdades que eram pelos apóstolos desconhecidas e que só ela pelo estado de evolução adquirido.que a aprisionavam ao ciclo do crescimento espiritual. regressou ao lar no seio do Pai Celestial. 9. esperando que Ele lhes transmitisse como iriam proceder para ensinar e pregar o Evangelho. Obedece o que Ele disse anteriormente::”Não estabeleçais outras regras. Termina alertando que não é necessário criar regras e legislar através de doutrinas religiosas. de minha parte. não poderia ser uma mulher a revelar tudo que ela disse. raiva. medo e dúvida -. mas nunca o todo que só o amor de Aloha pode nos dar. nos cerceiam conservando os desafios – ignorância. com o fim do tempo criado desde a primeira descida. pois até aqui o salvador lhe tinha falado. e não instituais como legislador. como “criança de Tane”. é o suficiente para o crescimento e evolução espiritual do ser humano e que. mas que o amor. meu irmão. não criando nenhuma regra ou lei. passa assim. o que faz pensar que ele ainda não tinha atingido a compreensão do ensinamento que ela trouxe como verdadeira discípula do Mestre. . despertando neles uma fé que os apaziguou. Não tinham percebido que ela não mais era a mulher judia que falava. Foi socorrida por Levi que admoestou Pedro falando sobre seu temperamento exaltado. aos demais discípulos a confiança suficiente. Maria Madalena falando agora como pessoa. Não importava nesse momento a ignorância deles. Mas se o Salvador a fez merecedora. confiando mais numa mulher do que neles. não aceitando que eles fossem capazes de pensar que ela inventara ou estaria mentindo sobre o Mestre. por tê-lo relegado a um plano tão baixo. demonstrando um grande ciúme do Mestre. lamenta a incompreensão de Pedro por suas dúvidas e reclamações. Em sua fala ele ainda considera Maria Madalena como uma mulher. mas uma unidade. É antes. e principalmente Pedro. além das que o Salvador nos legou”. o que estás pensando? Achas que inventei tudo isso no mau coração ou que estou mentindo sobre o Salvador?” Levi respondeu a Pedro: “Pedro. o caso de nos envergonharmos e assumirmos o homem perfeito e nos separaremos. sempre fostes exaltado. a única capaz de transmitir esses novos ensinamentos. quem és tu para rejeitá-la? Certamente o Salvador a conhece bem. Pedro continuava sendo praticamente o mesmo de antes. naquele momento. Depois que Levi disse essas palavras. a tornava merecedora de seu amor e. mas um ser transformado em uma situação em que não mais existe o masculino e o feminino. mas já aceitava que por ter sido tão querida do Mestre e em quem Jesus confiou sempre. Jesus sabia que a impressão deixada pelas palavras de Maria madalena ficariam gravadas em suas memórias para uma posterior ocasião. como Ele nos mandou. Com isso. eles começaram a sair para anunciar e pregar. Agora te vejo competindo com uma mulher como adversário.suas leis e da tradição que proibiam as mulheres de participar da leitura e dos ensinamentos bíblicos. 12. fez as mesmas perguntas e levantou as mesmas dúvidas. 11. chegando a ponto de querer competir com uma mulher. De todos. Daí tê-la amado mais do que a nós. no entanto. não tinha condições de entender tal ensinamento que só um ser humano já evoluído poderia compreender. Então Maria Madalena se lamentou e disse a Pedro: “Pedro. No início de seu Evangelho ela diz claramente que “nós homens”. criou neles uma disposição para que começassem a agir de acordo com as recomendações de Jesus e se separassem. e pregaremos o Evangelho. fazem parte dos Evangelhos Apócrifos. em busca de uma compreensão maior da grandeza desse infinito e fabuloso universo. semelhante a vós. Passagem 114: “Simão Pedro disse: Seja Maria afastada de nós. A existência de uma mitologia havaiana com vários deuses não torna a Huna um conhecimento politeísta como geralmente as filosofias religiosas entendem. foi mais fácil para Levi convencê-los do que deveriam fazer a partir daí. Ela é o símbolo da prostituta convertida. de modo que também ela venha a ser um espírito vivente. ENTÃO ENTRAREIS NO REINO. Sendo a única a ter a percepção e a conscientização da realidade divina de Jesus. o que veio acontecer no dia de Petencostes. se fizerdes um do masculino e do feminino. quando na realidade parece ser a . mostra a certeza de um Ser Supremo de tamanha importância e grandeza. mas ao contrario. para que ELA SE TORNE UM HOMEM. o que nos mostra o Evangelho segundo Tomé. e o exterior do interior. porque as mulheres não são dignas da vida (espiritual). temos os ensinamentos Huna com seus princípios que foram muito bem relembrados e desenvolvidos por Jesus. por ter alcançado essa compreensão e dela viver. a mulher comum vista pelos discípulos. espero que um dia possamos também sentir o que ela pregou e para um melhor entendimento. Assim terminam esses Fragmentos Evangélicos atribuídos a Maria Madalena. que foge ao nosso entendimento como “finitos mortais”. Como suas palavras estavam nas memórias dos discípulos. Cremos que Maria Madalena. Respondeu Jesus: Eis que eu a atrairei. Perguntaram os discípulos: Se formos pequenos entraremos no Reino? Respondeu-lhes Jesus: Se reduzirdes dois a um.Parece que entenderam melhor as palavras de Levi do que as de Maria Madalena. Com esses dois ensinamentos. passagem 22: “Jesus viu crianças de peito a mamarem. quando se tornaram pessoas diferentes e prontas a seguir o caminho ensinado por Jesus. homens. Jesus mostra o que era Maria Madalena quando pregava por sua boca. Assim termina os fragmentos do Evangelho segundo Maria Madalena. os quais. não conseguiram perceber que ela ensinou através de sua visão do Salvador. possivelmente como um preparo para facilitar a compreensão de todos. Porque toda mulher que se fizer homem entrará no Reino dos Céus. foi vilipendiada e relegada a uma situação deprimente como é mostrada nos Evangelhos Sinópticos. se fizerdes o de cima como o de baixo. o Verbo que se fez carne e habitou entre nós. de maneira que O MASCULINO NÃO SEJA MAIS MASCULINO E O FEMININO NÃO SEJA MAIS FEMININO. que chamamos de teia-aka. o que causou tanta dúvida nos discípulos. Ele disse a seus discípulos: Essas crianças de peito se parecem com aqueles que entram no Reino. ela deixou de ser a judia. As palavras de Maria Madalena ficaram gravadas nas memórias deles. de acordo com relatos evangélicos. na tentativa da supremacia masculina que reinou até agora. Que as mudanças possam despertar no ser humano. Margaret Starbird em seu livro “Maria Madalena e O Santo Graal ( A mulher do vaso de alabastro)”. apanágio da situação feminina. Saindo do signo de Peixes. e a importância de Maria Madalena começa a surgir. Nas referências feitas a Jesus e este signo. símbolos do masculino e feminino. Coincidentemente entramos no segundo milênio e dois mil em algarismo romano escreve-se MM. O símbolo de Maria Madalena é o da noiva divina unida ao noivo/Rei que lhe deu a visão clara do caminho a ser seguido. o que de divino existe dentro dele e fazer do mundo um lugar de paz. o Yang/Yin. em relação a uma mulher. Cremos que as coisas começam a ser desvendadas. Esperamos que o caminho a ser trilhado pela mulher seja o de uma maternidade sadia dada pela sabedoria. razão da separação entre os seres humanos. estamos entrando no de Maria Madalena. é o reinado da espada. a mantenedora de toda a natureza terrestre. o signo atribuído a Jesus.Noiva/Completude do Noivo/Rei gozando de todas as prerrogativas de tal estado espiritual. Onde estaria o outro? Será que foi propositadamente ocultado para justificar as teorias desenvolvidas pela Igreja Católica Romana que se viu impossibilitada de explicar o que representa o outro peixe? Muito parecido com o signo de Peixes é também o símbolo do Taoismo. quando a espada dará lugar ao cálice na busca da compreensão e paz universal. É possível que sua redenção social marque uma renovação nos valores e padrões. primeiro livrando o feminino dos grilhões colocados pelo masculino e pelas doutrinas religiosas.. estão tão arraigados os conceitos sobre Maria Madalena – a prostituta redimida – que será difícil aceitá-la como a companheira de Jesus que teve a sagrada missão de ser Sua escolhida para dar continuidade aos seus ensinamentos. Na realidade o termo prostituta tem uma conotação diferente da que entendemos. só aparece um peixe que é Ele. faz uma observação sobre o signo de Peixes que é representado por dois peixes nadando em sentido contrário. que ele traga a paz e a harmonia e não o preencha do sangue gerado pela espada. Ela é a que tem capacidade de entrar na sala nupcial onde a espera o noivo divino. para que um dia todos possam penetrar na sala nupcial em comunhão com o Cristo. Em cada símbolo está incrustado um pequeno círculo como o oposto que existe dentro de cada um. como a companheira divina do Messias prometido. que são as iniciais de Maria Madalena. unidos numa só figura. Este caminho será árduo. o Pai Celestial Tane/Na’Vahine. mas já iniciou. amor e . Em nossa civilização cristã. mas que o homem possa enxergar com olhos de parceiro o valor da renovação e a igualdade divina entre ambos. É a chegada do reinado do cálice.. que a feminilidade prevaleça sobre outros valores e não a mulher. que corta e dilacera os corações. criando o reinada do cálice. isto é. a mãe da humanidade. através das vidas sucessivas.São memórias advindas de gerações passadas. [3] Marcas mnêmicas. eliminando o julgamento e dando lugar ao amor verdadeiro.fraternidade. [2] Pecar é desviar-se do eixo. o que conduz o ser humano. do ar ou da água. 4 de fevereiro de 2003 Sebastião de Melo [1] Ä força da vida não se origina do fogo. sua filha. até que não haja mais masculino e feminino. de volta ao jardim ensolarado criado por Tane/Na’Vahine para Ra’i Ra’i.. estar em desarmonia consigo mesmo.Diz-se da teoria que atribui os fenômenos hereditários à memória latente de passadas gerações. em suas passagens em Ao.. [4] Adúltero/a é uma condição atribuída aos judeus que negavam a existência do Deus bíblico ou O trocava por outro Deus. Santos. MNÊMICO. aqui/agora transformadas em memórias genéticas programadas para cada sonho básico de vida. estar se desviando de seu sonho básico de vida. transformando o masculino e o feminino numa só e única coisa. . Essa essência ou quinta-essência é o objetivo verdadeiramente importante que queremos atingir”. Essa força da vida é essência à parte que preenche o universo. da terra. como um ser inteiro.
Copyright © 2020 DOKUMEN.SITE Inc.