292857472-Exercicios-Sobre-Os-Elementos-de-Comunicacao.docx

May 9, 2018 | Author: Ivanilson Júnior | Category: Communication, Information, Semiotics, Linguistics, Cognition


Comments



Description

EXERCÍCIOS SOBRE OS ELEMENTOS DE COMUNICAÇÃO1. O pai conversa com a filha ao telefone e diz que vai chegar atrasado para o jantar. Nesta situação, podemos dizer que o canal é: a) o pai b) a filha c) fios de telefone d) o código e) a fala 2. Assinale a alternativa incorreta: a) Só existe comunicação quando a pessoa que recebe a mensagem entende o seu significado. b) Para entender o significado de uma mensagem, não é preciso conhecer o código. c) As mensagens podem ser elaboradas com vários códigos, formados de palavras, desenhos, números etc. d) Para entender bem um código, é necessário conhecer suas regras. e) Conhecendo os elementos e regras de um código, podemos combiná-los de várias maneiras, criando novas mensagens. 3. Uma pessoa é convidada a dar uma palestra em Espanhol. A pessoa não aceita o convite, pois não sabia falar com fluência a língua Espanhola. Se esta pessoa tivesse aceitado fazer esta palestra seria um fracasso porque: a) não dominava os signos b) não dominava o código c) não conhecia o referente d) não conhecia o receptor e) não conhecia a mensagem 4. Um guarda de trânsito percebe que o motorista de um carro está em alta velocidade. Faz um gesto pedindo para ele parar. Neste trecho o gesto que o guarda faz para o motorista parar, podemos dizer que é: a) o código que ele utiliza b) o canal que ele utiliza c) quem recebe a mensagem d) quem envia a mensagem e) o assunto da mensagem 5. A mãe de Felipe sacode-o levemente e o chama: “Felipe está na hora de acordar”. O que está destacado é: a) o emissor b) o código c) o canal d) a mensagem e) o referente 6. Podemos afirmar que Referente é: a) quem recebe a mensagem b) o assunto da mensagem c) o que transmite a mensagem d) quem envia a mensagem e) o código usado para estabelecer comunicação emissor b. 9. Após analisá-la.canal f.mensagem e. Mas nele é que espelhou o céu. elucide os elementos em questão: Mar português Ó mar salgado.grijalvo.receptor c. Fonte: http://www.canal f. ago. c) Discorra sobre a função da linguagem que predomina na frase. Mas cuidado.7. relate acerca da relação que se estabelece entre os interlocutores envolvidos. 11. Quantos filhos em vão rezaram! Quantas noivas ficaram por casar Para que fosses nosso. uva passa.receptor c. b) Explique os efeitos persuasivos provocados por essa superposição.código e. A frase abaixo foi extraída de um anúncio que “vende” produto para pele: Hoje você é uma uva. identifique os vários tipos de códigos nelas utilizados: a) b) c) d) e) .contexto 10. ó mar! Valeu a pena? Tudo vale a pena Se a alma não é pequena.htm a. Atendo-se às imagens que seguem. Deus ao mar o perigo e o abismo deu. Quem quer passar além do Bojador Tem que passar além da dor.1996) a) Comente a superposição de funções gramaticais que recai sobre a palavra passa. Eis que segue uma das criações artísticas do poeta Fernando Pessoa. quanto do teu sal São lágrimas de Portugal! Por te cruzarmos. 8.mensagem d. Partindo desse pressuposto.código d. Depreende-se que a linguagem é vista como meio de interação social entre os indivíduos de uma comunidade.emissor b.contexto. (Cláudia.com/Citas/b_Pessoa_Mar_portugues. quantas mães choraram. Atribua aos elementos a seguir o respectivo conceito que lhes é conveniente: a. ao se referir a um tipo de uva que seca ao sol em estufa.receptor – o mar c.código – é o conjunto de signos combinados nas mensagens verbais. também denominada de receptor.receptor – é representado por aquele que recebe a mensagem. faz-se necessária a presença de determinados elementos. voltar a questão Resposta Questão 5 a – gesto b – símbolo c – cores d – símbolo e – palavras e símbolos. b. f. nosso real objetivo é que haja uma perfeita sintonia entre nós e a pessoa com a qual estamos falando. c .emissor – “nós.código – a língua portuguesa e.Tal ocorrência reforça a ideia da necessidade de cuidar constantemente da pele. voltar a questão Resposta Questão 4 a . e. retratado na íntegra d. Tal aspecto evidencia a presença da função apelativa ou conotativa da linguagem. lugar ou objeto a que a mensagem se refere.Respostas Resposta Questão 1 Todos nós. os quais contribuem para que a interlocução seja materializada de forma plena. e a de verbo. Dessa forma. haja vista que com o passar do tempo essa vai dando sinais de envelhecimento. assunto.Como se trata de um anúncio publicitário. ficar para trás. ao realizarmos a comunicação. tornando-se semelhante a uma uva-passa. os portugueses”. somos concebidos como eminentemente sociais.mensagem – o poema. indicado por meio de verbos e pronomes demarcados na 1ª pessoa do plural. c. a finalidade discursiva nele presente é persuadir o consumidor a adquirir o produto. retratado pela própria língua. seres humanos. visto que sempre estabelecemos relação com o outro por meio de nossas interações.contexto.canal – diz respeito ao meio físico pelo qual a mensagem é transmitida. denotando a ação de passar.canal – a linguagem escrita f.emissor – representa aquele que envia a mensagem.contexto – indica a situação.O termo em questão assume duas funções morfológicas – a de adjetivo. d. voltar a questão Resposta Questão 3 a. . Para que tal intenção se manifeste de forma plausível.mensagem – representa o conteúdo das informações transmitidas. voltar a questão Resposta Questão 2 a. b .o mar português. b. embora existam outros:  o informal ou coloquial. se esse mesmo conteúdo for dirigido a uma criança pequena. Essa de pagar mico toda hora já tá me azucrinando todo e mais. Para nos comunicarmos melhor e adequadamente.” Pânico geral. escreva o comentário que provavelmente elas fizeram. temos vários níveis de linguagem. cantô da mão grossa.de moral intransigente f) Marli. encara as pessoas e diz: “Gente. você fala de um modo. à percura de amô. Todavia. Se esse mesmo assunto for falado com uma autoridade. (nível formal ou culto) c) Houve uma grande confusão no colégio e muitos brigaram.O meu.político h) Dr. pois nunca estudei.. de inverno e de estio. não faço o papé De argum menestré. uma vez que não falamos sempre do mesmo jeito. (nível informal) 1. A mãe do noivo desmaia. usado mais comumente em conversas entre amigos. Exemplificando: se você conversa com um colega. Não quero me casar. você teve de usar níveis de linguagem diferenciados para cada destinatário de sua mensagem. Que veve vagando. Só fumo cigarro de paia de mio. O lance é o seguinte: a amizade aqui vai sacar uma mina que é um estouro e você vai ficar babando! 2. com sua viola. Portanto. usado em situações de maior cerimônia.  o formal ou culto.Podes crer. Cena: Encaminhamento normal da cerimônia até a hora do “sim”. . Burburinhos.. também você terá de mudar sua forma de comunicação. esta se levanta. LINGUAGEM E FALA NÍVEIS DE LINGUAGEM Em português. Nestor diz sim. vamos considerar apenas dois níveis de linguagem. vê se não me deixa numa furada. um amigo. quando chega a vez de Suzana. Os convidados se agitam. ou errante cantô Sou fio das mata. pachola. irmão! Não vou deixar a peteca cair e nem dar mancada. seu jeito de se comunicar será diferente. Não tenho sabença. E mais. padrinho do noivo . Considerando o nível de linguagem. Reelabore o diálogo abaixo.10 anos g)Marcos. A minha chupana é tapada de barro.advogado O poeta da roça Sou poeta das brenha. Trabaio na roça. Cantando. no arrasta-pé das minas lá no morro. usando o nível formal: . temos de levar em consideração alguns elementos que garantem a eficiência de nossa mensagem.feminista radical d) casal de namorados adolescentes e) avô de Nestor . Pimentel. conhecidos mais íntimos. padrinho da noiva . . Noivos: Suzana e Nestor. Para efeitos didáticos. (nível informal ou coloquial) b) Aquela senhora está muito enfeitada. quando devem ser observadas as normas gramaticais. Usa uma linguagem. Espaço: igreja repleta de convidados. eu pensei e não vai dar. gestos descontrolados. ATIVIDADE INDIVIDUAL SOBRE LÍNGUA. (nível formal) d) Aconteceu um rebu na escola e o pau quebrou. sobrinha de Suzana . a) padre b) amiga fofoqueira c) jornalista . Exemplos: a) Aquela ali é uma perua. Casamento de classe média. várias formas de dizer a mesma mensagem. não vai aprontar pra cima de mim. gíria. Não entra na praça. Patativa do. ''paioça'' (correspondentes. "milho" e "palhoça". culto. Meu verso rastero. 20-1. ai. Da lida pesada.) Canto uma sodade que mora em meu peito Eu canto o caboco com suas caçada. (ASSARÉ.Apenas eu sei o meu nome assiná. pode bota fé que desse jeito vai! c)XXXX – Desenvolvendo sistemas de acordo com a sua empresa d)De repente os santos dizem “ toca Deus um som maneiro. as formas ''fio''. A forma de língua portuguesa apresentada no primeiro texto nos remete a que tipo de realidade? Comente. Observe. o que pode ser considerado erro em Língua Portuguesa? 6. ai Onde as ondas se espáia A tua saudade corta As garça dá meia volta Como aço de navaia E senta na beira da praia O coração fica aflito E o cuitelinho não gosta Bate uma. ai Despedi da parentaia 1. Meu verso só entra no campo e na roça Que pega na ponta do brabo novio. ai. e)Se for preciso eu sarto de banda f)Nóis sabe qui o pobrema é a oropa Cuitelinho Eu entrei no Mato Grosso Pena Branca e Xavantinho Dei em terras paraguaia Composição: Paulo Vanzolini / Antônio Xandó Lá tinha revolução Cheguei na beira do porto Enfrentei fortes bataia. "das brenha". no rico salão. p. Meu pai. coitadinho! vivia sem cobre. a forma de língua pela qual o artista optou e a temática de sua poesia se harmonizam? Por quê? 3. é um texto que expõe as propostas criativas de um poeta. na língua culta. recordando a feliz mocidade. Vozes. ai. E às vez. ai. ta!! b)Nois trupica mais num cai. 2. singelo e sem graça. respectivamente) ou os plurais "das mata". Cante 1á que eu canto cá. ''mio''. Brigando com o toro no mato fechado. Topando as visage chamada caipora. 5. Nas pobre paioça. O primeiro texto é uma poética. 1984. a "filho". ed. Por dentro da mata. "das roça e dos eito". Ganhando lugio do dono do gado.Segundo o que estudamos. Indique nas frases a presença dos níveis coloquial. da serra ao sertão. 5 . a outra faia Que o botão de rosa caia. com tanta corage E o fio do pobre não pode estudá. Na sua opinião. ainda no primeiro texto. das roça e dos eito. ai. . vulgar. ai. ai Os óio se enche d`água Aí quando eu vim de minha terra Que até a vista se atrapaia. Petrópolis. E Deus diz. Eu canto o vaquero vestido de coro. regionalismo a)Si oceis for ceis mi avisa. "dos home" e outros. Só canto o buliço da vida apertada. Nas noite assombrada que tudo apavora. ou seja. agüenta vou rolar um som pesado. As diferenças entre essas formas e aquelas da língua culta têm sua lógica própria ou os "erros" aí encontrados são aleatórios? Observe e comente.
Copyright © 2022 DOKUMEN.SITE Inc.